À venda no mercado: Roberto Carlos, Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Djavan

Imagem: Viomundo por Luiz Carlos Azenha

Postado no Facebook pelo Sergio Glasberg, com a observação de que o Procure Saber é o Cansei da MPB

 

Por Antonio Nelson

 

Autorizadas ou não, a comercialização das biografias confeccionadas por jornalistas ficaram em ebulição desde a polêmica proibição do grupo Procure Saber – Caetano Veloso – que deu seu abraçaço à direita -, Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Djavan e Erasmo Carlos.

Contrário à publicação de biografias, o cantor Roberto Carlos já retirou de circulação obras que tratam da sua vida. Roberto está na linha de frente do Procure Saber. Moveu ação civil e penal contra o jornalista Paulo Cesar de Araújo, autor da obra “Roberto Carlos em Detalhes”.

Já a produtora Paula Lavigne, que é presidente da associação Procure Saber, onde também é porta-voz do grupo, declarou à Folha: “Usar esse argumento para comercializar a vida alheia é pura retórica”, diz Lavigne. Ela ressalta que o Procure Saber é contrário à comercialização, e não à publicação, das biografias. “Se alguém quiser escrever uma biografia e publicá-la na internet sem cobrar, tudo bem. O problema é lucrar com isso”, diz.

Se o que está em jogo é o dinheiro, que o Paulo Cesar de Araújo, que responde processo por seu ato, pelos artistas dos reality-shows da velha mídia – publique na internet sua produção jornalística. Certamente, no universo digital, a obra será republicada nos diversos meios do jornalismo online. De forma colaborativa também, Paulo César poderá também solicitar aos internautas que contribuam com doações financeiras para a manutenção do seu site ou blog.

Na Comunidade Facebook, o Procure Saber assevera ser: “um grupo de autores, artistas e pessoas ligadas à música dedicando a estudar e informar os interessados e a população em geral sobre regras, leis e funcionamento da música no Brasil”. 

Será mesmo que o Procure Saber tem a preocupação de informar os interessados e a população em geral sobre regras, leis e funcionamento da música no Brasil?

No caso em pauta, com a permissividade do jornalismo fast-food, os cidadãos devem exigir do Procure Saber:

Caetano Veloso, Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Djavan, Erasmo Carlos e Roberto Carlos só dão entrevistas as grandes empresas midiáticas sob a lei do marketing e da publicidade?

Procure Saber

Como Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil  autaram na ditadura militar.

Procure Saber

O que Gilberto Gil defendeu quando foi ministro da Cultura.

Procure Saber

Se eles determinam à assessoria de imprensa e a produção cultural – que contratou o show deles – que certas perguntas não sejam levadas para eles?

Procure Saber

Caetano Veloso Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Djavan, Erasmo Carlos e Roberto Carlos determinam que seus assessores comuniquem que só darão entrevista por e-mail ou telefone? Ou quando derem, apenas concederão aos conglomerados de mídia – especialmente às Organizações Globo?

Procure Saber

O que eles pensam sobre as atitudes de assessores e produtores culturais quando são agressivos e violentos com a imprensa?

Procure Saber

Caetano Veloso, Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Djavan, Erasmo Carlos e Roberto Carlos ordenam que as fotos sejam tiradas até a terceira música do show? Ou a produtora que contratou o show?

Procure Saber

Quanto o preço e o custo do espetáculo? Quem contratou? Se os artistas receberam dinheiro público e da iniciativa privada? Quais os interesses em está em jogo?

Procure Saber

Caetano Veloso, Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Djavan, Erasmo Carlos e Roberto Carlos  desejam realizar seus shows nos bairros periféricos do Brasil?

Procure Saber

Se a mídia corporativa deseja só entreter. E quem são os prejudicados nesse processo?

Neste arcabouço, não nos debruçamos sobre privacidade e acesso à informação, temas bastante discutidos com prós e contras.Outras questões detectam que o sinal está vermelho.

Afinal de contas, o que queremos? Jornalismo ou entretenimento?

 

*Antonio Nelson é jornalista, ciberativista da liberdade na rede e do software livre. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora