Agência Brasil foi ordenada a ignorar assassinato no Carrefour

Ordem foi dada a funcionários da Agência por escrito pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), comandada pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido)

Divulgação

Jornal GGN – A Agência Brasil foi ordenada pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), comandada pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), a ignorar o assassinato de José Alberto Silveira Freitas, homem negro de 40 anos, morto por dois seguranças em uma loja do Carrefour, em Porto Alegre.

Segundo informações de Guilherme Amado, no site da revista Época, a censura foi ordenada por escrito a funcionários da Agência Brasil no dia 20 de novembro, dia seguinte à morte de Freitas e Dia da Consciência Negra.

A Agência foi proibida de repercutir o assassinato em suas redes sociais, no momento em que o crime brutal gerou grande repercussão na internet.

No entanto, logo após o assassinato vir á tona, Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão declararam que o ato não foi motivado por racismo, já que – para eles – não existe esse problema no Brasil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora