Bolsonaro amplia significativamente o perfil de quem pode andar armado

Jornalistas, políticos, motoristas de carga, conselheiros tutelares. Presidente aumenta categorias que têm acesso às armas, e ainda dificulta que Polícia Federal venha a rejeitar pedidos

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Jair Bolsonaro assinou na terça (7) um decreto que amplia de maneira significativa as categorias profissionais e pessoas que têm direito ao porte de armas no Brasil. Além disso, dificultou o trabalho da Polícia Federal em rejeitar solicitações.

Segundo o decreto, as novidades estão na extensão do armamento para políticos, agentes públicos ativos e inativos, procuradores e defensores públicos, motoristas de veículos de carga, proprietários rurais e moradores de área rural, jornalistas, conselheiros tutelares, agentes socioeducativos, entre outros que agora poderão andar armados nas ruas, e não apenas em seu ambiente de trabalho.

Além de ampliar o porte de armas, Bolsonaro também dificultou que a Polícia Federal venha a negar pedidos. Agora cabe aos policiais comprovar documentalmente que as informações prestadas pelos solicitantes sejam falsas.

Na cerimônia em que anunciou a assinatura do decreto, o governo não informou da ampliação.

O foco de Bolsonaro foi nos chamados CACs (colecionadores, atiradores esportivos e caçadores). Militares praças das Forças Armadas também foram alcançados pelo decreto.

Para especialistas, o decreto de Bolsonaro desrespeita o Estatuto do Desarmamento.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora