Celso de Mello compara Brasil à Alemanha de Hitler

Ministro do STF diz que a intervenção militar pretendida por bolsonaristas nada mais é que a instauração de "uma desprezível e abjeta ditadura militar"

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O ministro Celso de Mello, decano do STF (Supremo Tribunal Federal), encaminhou mensagem aos ministros da Corte onde alerta que a intervenção militar desejada pelos bolsonaristas é a instauração “de uma desprezível e abjeta ditadura militar”.

“Guardadas as devidas proporções, o ‘ovo da serpente’, à semelhança do que ocorreu na República de Weimar (1919-1933) parece estar prestes a eclodir no Brasil”, diz ele. “É preciso resistir à destruição da ordem democrática, para evitar o que ocorreu na República de Weimar quando Hitler, após eleito pelo voto popular e posteriormente nomeado pelo presidente Paul von Hindenburg como chanceler da Alemanha, não hesitou em romper e em nulificar a progressista, democrática e inovadora Constituição de Weimar, impondo ao país um sistema totalitário de Poder”, diz Celso de Mello.

Segundo a jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, Bolsonaro compartilhou na última semana o vídeo de uma entrevista em que o jurista Ives Gandra Martins defende as Forças Armadas como poder moderador, de forma pontual, quando houver impasse entre os demais poderes.

O título do vídeo retuitado por Bolsonaro era “A politização no STF e a aplicação pontual da 142”. As falas de Ives Gandra têm sido invocadas por defensores de uma intervenção dos militares nos outros poderes.

Tal hipótese tem sido defendida pelo presidente e seus seguidores depois de terem sido contrariados por decisões do STF, que investiga a tentativa do presidente de intervir politicamente na chefia da Polícia Federal, além da investigação em torno da disseminação de fake news.

 

Leia Também
Bolsonaro volta a comparecer a atos antidemocráticos
O brasil enfrentará o efeito Coringa, por Luis Nassif
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora