Coronavírus: como San Francisco achatou a curva de casos

Decisões precoces tomadas pela prefeita London Breed fizeram da cidade norte-americana um modelo nacional no combate ao vírus

London Breed, prefeita de San Francisco. Foto: Reprodução/Wikipedia

Jornal GGN – Enquanto a cidade de Nova York segue como o epicentro da pandemia de coronavírus nos Estados Unidos, São Francisco conseguiu achatar a curva de contágio com uma política rigorosa de distanciamento social que, embora não bem recebida inicialmente, avabou se mostrando eficaz.

A prefeita da cidade, London Breed, decretou estado de emergência ao final de fevereiro, e proibiu reuniões de mais 1000 pessoas antes mesmo de se confirmar o primeiro caso de coronavírus. Ela foi uma das responsáveis pelos eventos que levaram a NBA a suspender a temporada de basquete e, em seguida, outras ligas de esportes encerraram suas temporadas.

E a diferença na tomada de decisão (proativa versus reativa) separou os políticos em todos os níveis do governo norte-americano durante a crise. As autoridades de San Francisco começaram a monitorar o surto de coronavírus em dezembro e, no final de janeiro, London Breen ativou o centro de operações de emergência da cidade preparando-a para um surto, naquela que foi a primeira ação desse tipo em qualquer cidade de grande porte nos Estados Unidos.

Em 17 de março, London Breed ordenou o fechamento de empresas e adotou uma política de isolamento quando a cidade tinha menos de 50 casos confirmados, enquanto a cidade de Nova York tinha mais de 2 mil casos positivos e o governador Andrew Cuomo e o prefeito Bill de Blasio mostraram-se relutantes em fechar escolas ou emitir ordens para a população ficar em casa – isso só foi adotado em 22 de março, quando os cinco distritos registravam mais de 10 mil casos.

Segundo o jornal The Atlantic, San Francisco e a Bay Area emergiram como modelo nacional sobre como a adoção de ações precoces e agressivas podem impedir a explosão de casos como aconteceu em Nova York. Até 10 de abril, a contagem em San Francisco era de 857 casos, com 13 mortes registradas, muito abaixo do visto em cidades como Nova Orleans, Detroit e Boston.

Leia Também
Coronavírus: Mortes nos EUA ultrapassam a Itália
Com maior casos no mundo, Nova York cava valas comuns para enterrar corpos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora