Desmatamento florestal sobe 82% no governo Bolsonaro

Área com alerta de cortes totaliza 8.426 km² na Amazônia Legal; apesar da queda de 8%, volume é superior ao contabilizado em todo o período Dilma/Temer

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Os alertas sobre desmatamento na Floresta Amazônica aumentaram 82% nos primeiros dois anos do governo Bolsonaro ante o visto nos três anos anteriores.

Os dados são do sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que alerta onde o problema está acontecendo quase em tempo real.

Em dezembro, os alertas do Deter mostraram um avanço no desmatamento, após uma queda contabilizada em novembro. Ao todo, houve perda de 216,33 km², alta de 14% em relação ao observado em dezembro de 2019: 189,94 km².

Os números de alertas apurados em dezembro entraram no site TerraBrasilis, do Inpe. Com isso, é possível verificar que os avisos de desmatamento na área da Amazônia Legal chegaram a 8.426 km², abaixo dos 9.178 km² contabilizados em todo o ano de 2019, mas o volume médio de desmatamento observado ao longo dos últimos dois anos – 8.802 km² – é bem superior à média do que o visto nos anos de 2016, 2017 e 2018, de 4.844 km². As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

 

 

Leia Também
No ano da ‘boiada’, Brasil encerra 2020 com recorde de queimadas em uma década
Governo compra satélite que não tem utilidade para Amazônia
Novos métodos do desmatamento ilegal na Amazônia, pelos olhos de Sebastião Salgado

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora