“Estão preparando tudo para instaurar o Estado fascista”, diz filósofo da Unicamp

"Estamos assistindo agora não a um Estado fascista, mas a um que está em andamento para se tornar."

Jornal GGN – Roberto Romano, professor de Ética e Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, disse em entrevista ao Huffpost Brasil que “estamos assistindo agora não a um Estado fascista, mas a um que está em andamento para se tornar.”

Parafraseando Eduardo Bolsonaro, não se trata de “se”, mas de “quando” haverá essa ruptura. “Eles estão preparando tudo para instaurar esse Estado de cunho fascista, o presidente não tem um dia que não tenha uma atitude autoritária que distorça a Constituição de 1988.”

Na entrevista, ele explicou que uma das características do fascismo é dizer que o governo eleito fala “em nome do povo” e que as demais instituições não devem gozar de tamanho poder. Ao contrário disso, merecem ser destruídas. É nesse contexto, segundo Romano, que “vemos a campanha permanente do governo Bolsonaro contra o Congresso, contra o Supremo e sobretudo a campanha permanente contra a ciência.”

A ciência também é confrontada por Bolsonaro desde o começo do governo. Atacar o Inpe, as universidade públicas, os especialistas que apontam caminhos na pandemia de coronavírus. Bolsonaro, aliás, não fica só no discurso, ele i”estamos assistindo agora não a um Estado fascista, mas a um que está em andamento para se tornar.”mplode as instituições retirando delas os quadros técnicos e substituindo-os por pessoas de suas confiança.

“É uma característica muito clara da Alemanha nazista. Pegaram a ciência e debocharam dela o quanto puderam. Nomearam para os postos-chave pessoas que eram subservientes a Hitler”, disse Romano.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. O que estamos vendo é a luta entre os donos do golpe de 2016 que perceberam que com bolsonaro não há condição para que os resultados do golpe aconteçam com a tranquilidade que pensaram.
    Sem contar na falta de nacionalismo absurdo.
    Já Bolsonaro é louco e atrelado a milicianos e a uma turba ignorante – não tem como dar certo!
    Estamos ferrados com qualquer um que ganhe esta peleja.
    Estamos vendo a adesão ao não golpe por militares como uma adesão aos golpistas de 2016 que trará o aumento da miséria de volta ao brasil.
    Por outro lado será que as forças armadas sucumbiriam ao um poder miliciano?
    Acredito que mesmo que vença os donos do golpe de 2016, eles não têm moral, ética ou honra para impedir que os milicianos se estabeleçam!
    Viveremos no pior dos mundos, com um grupo no poder com capacidade de retirar trilhões dos recursos dos impostos, ou seja estaremos dominados pela corrupção no atacado e com o poder das sombras dos milicianos nos alvejando na corrupção do varejo.
    Por ora, essa luta entre eles nos faz esquecer o absurdo que viveremos…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome