Fachin diz que candidatura de Lula em 2018 teria “feito bem à democracia”

"Mantenho a convicção de que não há democracia sem ruído, sem direitos políticos de quem quer que seja. Não nos deixemos levar pelos ódios", afirmou Fachin

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin disse nesta segunda (17) que a candidatura de Lula em 2018 teria “feito bem à democracia brasileira.”

“O tempo mostrou que teria feito bem à democracia brasileira se a tese que sustentei no TSE tivesse prosperado na Justiça Eleitoral. Fazer fortalecer no Estado democrático o império da lei igual para todos é imprescindível, especialmente para não tolher direitos políticos”, disse.

Em 2018, Lula foi impedido de disputar a eleição com base na lei da Ficha Limpa, que o barrava por causa da condenação em segunda instância no caso triplex. Sua defesa conseguiu uma liminar da Comissão de Direitos Humanos da ONU, para que sua candidatura fosse aceita até que o processo da Lava Jato tivesse trânsito em julgado. Mas o TSE não acatou a ordem internacional.

“No julgamento no TSE em que esteve em pauta a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fiquei vencido, mas mantenho a convicção de que não há democracia sem ruído, sem direitos políticos de quem quer que seja. Não nos deixemos levar pelos ódios”, afirmou Fachin, segundo relatos do Valor Econômico.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Aras pede que PF informe se ataque hacker ao TSE teve envolvimento de autoridades

18 comentários

  1. Gente, vamos deixar de dar crédito a este pilantra. Ele sempre discursa pro Lula uma coisa e faz outra. Lembro-me de um discurso que ele fez no Paraná, se não me engano, repetido e elogiado aqui no GGN. Falou maravilhas constitucionais e fez tudo o que pode pra arrebentar o Lula na pr´tica. Este é só mais um traira do direito torto do brasil.

    16
  2. Parece que Lula ganhou o pedido de desculpas que queria pra amainar o ego. Aliás, é interessante fazer um paralelo entre Mandela x Lula e Ciro para refletir sobre a falta de rumo e o provincianismo da esquerda brasileira atual…
    Mandela passou 27 na prisão e, quando saiu, comandou um pacto de reconciliação nacional entre negros e brancos, amigos e inimigos políticos. A atitude de Mandela evitou que a África do Sul mergulhasse numa guerra civil e sedimentou o nascimento de uma nação multiétnica. Lula passou 1 ano e 7 meses na prisão e, quando saiu, ficou prisioneiro de seu ego, exigindo pedidos de perdão dos seus inimigos pelas injustiças cometidas contra ele. Ciro Gomes nunca foi preso, mas não consegue se libertar de uma arrogância infantil que prejudica a confiança e a ampliação de uma aliança de esquerda em torno de sua pessoa. Mandela entendeu que o homem de poder, principalmente aquele que se põe em defesa dos despossuídos, deve estar preparado para sofrer todo tipo de injustiça. Sua redenção não vem pelo pedido de perdão dos canalhas que o injustiçaram, mas pelas penas da História. Ao grande homem de poder, ao Estadista, cabe agir por sobre os interesses menores, particulares, a fim de unir sua nação em defesa de interesses e necessidades maiores, que tem a ver com a sobrevivência e o fortalecimento da própria nação, do Estado, da sociedade e suas instituições. Nem Ciro nem Lula atingiram esta grandeza política, moral e psicológica. Comportam-se como líderes provincianos, representantes de clube de fãs. Principal problema da esquerda brasileira hoje é falta de um Estadista.

    2
    19
    • Primeiramente e francamente parece o editorial dos jornalões e de muito dos seus jornalistas sempre dispostos no difícil equilíbrio de agradar os donos, quando e sempre o assunto é concluído com o:”mas”.
      Comparar 27 anos de cadeia de Mandela e 1 ano e 7 meses do Grande Presidente Lula é estupidez, cadeia é cadeia.
      Mandela saiu da cadeia quando o regime do apartheid já podre e não conseguia sustentar-se apenas nas violentas repressões à maioria negra.
      Liberar Mandela e a sua liderança foi o caminho dos africâner para não perder dedos e vidas, barganharam no primeiro momento liberdade política para os negros e não controle do sistema econômico, minas finanças terras etc., e enfim quem teria ascendência para garantir o status quó sem banho de sangue e provável esfacelamento da nação?
      O Grande Presidente Lula por outro lado foi o preso necessário para as ditas lideranças continuarem o regime escravocrata; os dois grandes personagens são de situações e países totalmente opostos.
      Alegar o Grande Presidente Lula como mesquinho e prisioneiro do seu ego é acreditar no convivio estreito do almeida com o Estadista Lula, não me parece crível.
      Na verdade nem sei o motivo de responder a este primarismo, parei!

      14
    • Desde quando Ciro é esquerda?
      E entre Mandela e Biko fico com Biko.
      A grandeza de Lula,cara pálida, está nos seus feitos,não cuspa no prato que comeu.

      10
    • Válber Almeida, o Ciro é um canalha oportunista, mentiroso, invejoso, ególatra ao extremo e violento. Não pode JAMAIS ser comparado com Lula que é e foi SEMPRE o maior estadista e pessoa da paz. Se você não tem memória e está comprando esta “técnica” de destruição à sua imagem é porque também resolveu ser GADO. Mas por favor, lave a boca com ácido pra falar mal do Lula. Ingrato!

      11
  3. Só quer salvar a biografia, entre palavras e atitudes o que conta são as ultimas…..se ficar nessa lenga lenga ficará conhecido pelo ahá!uhu!…….

  4. Saqueuacho, o Fachin está treinando para mudar seu voto. Dessas coisas eu entendo bem, sou primo legítimo da velhinha de Taubaté.

  5. Fachin assume o papel de campeâo cara-de-pau!
    Vamos enviar óleo de peroba para o digníssimo Ministro, que deve usar uma tonelada por dia!

  6. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome