Governo Bolsonaro prepara o fim do salário mensal e novo imposto

Para a equipe de Paulo Guedes, os trabalhadores informais serão mais facilmente absorvidos pelo mercado se puderem receber por hora trabalhada

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – A equipe econômica do “Chicago boy” Paulo Guedes tem um plano para resolver a questão dos mais de 38 milhões de brasileiros que estão na informalidade. A ideia é apresentar ao Congresso um pacote de reformas que inclui o fim da contribuição patronal, a criação de um novo imposto e o fim do regime de trabalho que garante um salário mensal.

Para o governo Bolsonaro, os trabalhadores informais serão mais facilmente absorvidos pelo mercado se puderem receber por hora trabalhada.

Hoje, no Brasil, já existe o trabalho pago por hora, aprovado na reforma trabalhista do governo Temer, que criou o chamado “trabalho intermitente”. A questão é que, neste regime, não é possível que o contrato seja contínuo e sem intervalos. Daí a proposta de Guedes para ampliar a hora trabalhada.

De acordo com o UOL desta quarta (15), a proposta original previa que sequer existiria o custo das férias remuneradas, 13º salário e FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para este trabalhador. Mas, para atenuar as críticas que a proposta sofrerá no Congresso, a equipe de Guedes considera calcular os valores desses benefícios (que são constitucionais!) proporcionalmente, com base nas horas trabalhadas.

Na mesma esteira, Guedes pretende extinguir a contribuição previdenciária patronal de 20% sobre a folha de salários. E, para substituir esses recursos, a equipe pensa em criar um novo imposto sobre transações digitais, algo similar à CPMF. “As alíquotas ainda estão em definição”, diz o UOL.

Leia também:

https://dev.jornalggn.com.br/noticia/paulo-guedes-tentara-capitalizar-a-previdencia-depois-da-pandemia/

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 comentários

  1. o sujeito nao vale um cocô fedorento, por mais fedorento que seja. pensa somente em sí, em suas empresas, no capitalismo selvagem, como o chamamos, quando esse capitalismo nao está para o bem comum mas para poucos. O tal refrao: … Cada um por sí, Deus por todos… É um grande miserável humano, um lixo fedorento. Ha de pagar por tudo isso que tenta impor a nós brasileiros, às futuras geraçoes. Eu nao consigo entender, aliás, consigo sim, entendo que o espirito mesquinho é incomparável a qualquer assassino. Um assassino é um ser vil, mas nem todos os assassinos sao tao vis quanto um ser mergulhado na ambição, no egoismo, no ódio pelo seu semelhante como esse sujeito. Ele sabe que quanto mais sofrimento impuser aos seres humanos brasileiros, mais problemas o Estado Brasileiro terá mais adiante, com fome, miseria, falta de saude, falta de poupança, falta de motivações nos diversos niveis etc etc etc. A falta de conforto, de condiçoes melhores de vida, leva, fatalmente, a miséria, e com ela a muitas outras misérias latentes, muitas doenças, muito desespero, muito sofrimento, tudo de ruim, É um extremista miserável mesmo.

  2. Impressionante…
    As instituições no Brasil aceitam facilmente o neoliberalismo com tudo!
    A corda só estoura para o lado do trabalhador…
    Isso tem o marketing de dizer que nos EUA é assim!
    Mas lá as obrigações de empresários, impostos, lei dos médios…
    Isso por aqui não é copiado…
    É uma canalhice sem fim…
    Quem dera o trabalhador pudesse criar uma opção e ter sua própria agenda!
    Afinal de contas as cooperativas ainda é uma forma de negócio poderão fazer a diferença contra esse entreguismo!
    Podemos ter cooperativa de quase tudo dentro do espectro econômico!
    E chutar estes empresários que acreditam na economia somente do lado do capital, esquecendo das vidas atrás do trabalhadores!
    As cooperativas financeiras poderiam começar já!
    Trabalhador compra de trabalhador, deveria ser a próxima máxima!
    Os sindicalistas poderiam enquanto sobra alguma coisa, partir para a criação de cooperativas com uma visão diferente dos empresários que estão ai achando tudo muito avançado!

  3. Querem tirar o salário mensal,único meio possível do trabalhador tentar organizar sua existência e o caminho para a total exploração do ser Humano.
    Onde estão as centrais?
    Se antes os sindicatos nada fizeram hoje é muito difícil se organizar devido ao desespero das contas e da fome que bate a porta de cada lar nessa terra de povo submisso.
    Antes do golpe em Dilma eu alertava que iriam fazer suas maldades,seus crimes se tornarem leis e ser contra seria considerado atentar contra o estado legal.
    Sejamos pois marginais,terroristas mas recusemos sermos marginalizados e aterrorizados.
    QUE MERDA DE PAÍS É ESSE??????

  4. É o posto ipiranga oferecendo suas conveniências. Quinquilharias de alto preço e baixa qualidade.
    O povo escolheu, que se delicie! Os “neopentec” eleitores e apoiadores do messias que agradeçam a deus os seus salários ou seria adeus aos seus salários?

  5. Sim, sim…Então o trabalhador deverá se ceenepejotizar, virar empresa e emitir nota fiscal de serviço prestado. Diminui-se o custo da empresa contratante, desvaloriza-se o valor do trabalho e aumenta-se o custo ao trabalhador-CNPJ, precarizando a classe trabalhadora, criando uma disputa irracional entre os prestadores de serviços e, com isso, barateando cada vez mais a prestação do próprio serviço. Aprovado isso, veremos a máquina de moer carne em pleno movimento, criando desgraça para todos os lados na sociedade brasileira, tudo virando linguiça. Degeneração nas relações de trabalho e desequilíbrio social pior do que o já existente. E, não pense a classe dominante, que ficarão de fora dos efeitos negativos da hecatombe social que virá a assombrar toda a vida no país.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome