Governo federal pode descartar 6,8 milhões de testes contra covid-19

Exames estão estocados em Guarulhos, e responsabilidade vira jogo de empurra entre Ministério da Saúde, Estados e municípios

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Os 6,86 milhões de testes comprados pelo Ministério da Saúde para o diagnóstico do novo coronavírus perderão a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021 e, até agora, não foram distribuídos para a rede pública.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, os exames RT-PCR estão estocados num armazém do governo federal em Guarulhos. Caso esses exames sejam efetivamente descartados, o Brasil poderá acabar descartando mais testes do que já realizou até o momento – o SUS aplicou cinco milhões de testes até o momento.

Ao todo, o Ministério da Saúde investiu R$ 764,5 milhões em testes e as unidades para vencer custaram R$ 290 milhões – o lote encalhado tem validade de oito meses.

Agora, a responsabilidade para arcar com o prejuízo virou um jogo de empurra entre o ministério, entre estados e municípios, uma vez que a compra é realizada pelo governo federal, mas a distribuição acontece mediante a demanda dos governadores e prefeitos. Enquanto um diz que sua parte se resume a comprar, os outros alegam que o governo entregou material incompleto, falta de capacidade para processar as amostras e de liderança do ministério nesse processo.

 

Leia Também
Covid-19 Brasil: Com 6 milhões de casos, especialistas alertam para o repique da 1º onda
Com 168 mil mortes, Bolsonaro afirma ao G-20 que estava “certo” no combate à pandemia
New York Times mostra como Bannon montou a história do vírus chinês
Bolsonaro muda perfil técnico da cúpula da Anvisa para militar e ideológico

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome