Hildegard Angel: Onde o governo escondeu os corpos do ambientalista e jornalista britânico?

A postura controversa do governo Bolsonaro não passou despercebida por setores da imprensa que querem respostas sobre o desaparecimento

Cartaz pergunta onde estão Dom Phillips e Bruno Pereira, jornalista britânico e indigenista desaparecidos na Amazônia
Cartaz pergunta onde estão Dom Phillips e Bruno Pereira, jornalista britânico e indigenista desaparecidos na Amazônia. Foto: AFP

Duas pessoas desaparecidas. Duas versões divergentes sobre dois corpos supostamente localizados na Amazônia durante as buscas por Dom Phillips e Bruno Pereira. Um só governo, que não responde à principal pergunta: onde estão o jornalista e o indigenista desaparecidos desde 5 de junho de 2022?

Na manhã desta terça-feira, 14, a jornalista Hildegard Angel fez uma publicação dura nas redes sociais: “Onde o governo escondeu os corpos do ambientalista e do jornalista, que ele disse ter encontrado e depois desdisse? Numa gaveta de geladeira? De volta no rio? Dissolveu no ácido? Cremou no microondas? Não, não estou desfazendo dos que morreram. Só quero pedir socorro ao mundo!”

A declaração ocorre um dia após a imprensa ter ficado desnorteada com a postura controversa do governo brasileiro, hoje sob a batuta de Jair Bolsonaro, durante a cobertura do caso.

A LOCALIZAÇÃO DOS CORPOS

Na manhã de segunda, 13, o jornalista André Trigueiro, da Globo, reportou ter sido procurado pela esposa de Dom Phillips, Alessandra Sampaio, que recebera na madrugada, dos parentes do marido no Reino Unido, a informação de que dois corpos foram localizados na mata. O assunto repercutiu em todos os jornais, ao ponto de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão fazerem comentários sórdidos sobre o suposto desfecho das buscas.

Mas algumas horas depois, a Superintendência da Polícia Federal na região negou a procedência da informação sobre os corpos encontrados. Os indígenas que trabalham nas buscas também negaram a localização de corpos e mantiveram as buscas.

Há quem cogite que o jornalista da Globo teria caído numa armadilha. “Tudo leva a crer que o jornalismo da Globo se enredou em uma operação de contrainformação bolsonarista”, postou o jornalista Rodrigo Vianna. “A informação passada nessa corrente (diplomata-familia-Trigueiro) era falsa: ninguém em campo confirma que corpos foram encontrados no Vale do Javari! O que levou o diplomata a passar a informação à família? Ele mesmo foi enredado por uma rede de contrainformação?”, indagou.

Por outro lado, a informação sobre a localização dos dois corpos não foi plantada para necessariamente um repórter da Rede Globo colher. O furo era do jornal The Guardian, repercutido em diversos veículos brasileiros. O jornal entrevistou o cunhado de Phillips para a matéria que anunciava a localização de dois corpos “amarrados a uma árvore”.

O DESENCONTRO DE INFORMAÇÕES

Este foi um dos poucos detalhes repassado à família, que tem provas de que foi procurada pelo embaixador brasileiro no Reino Unido, Roberto Doring. Ele teria avisado ainda que a identidade dos corpos seria confirmada por perícia posterior. Na manhã desta terça, 14, a família baseada no Reino Unido publicou um comunicado oficial reafirmando o contato com a embaixada. A nota deixa claro que a mudança de discurso partiu da Polícia Federal no Brasil, não da embaixada.

Trigueiro procurou o embaixador, que não retornou ao contato. A jornalista Andreia Sadi também conversou com o cunhado de Dom, que reafirmou ter conversado com a embaixada duas vezes. Doring teria explicado, inclusive, que os corpos foram encontrados na madrugada e, por falta de luminosidade, foram levados para serem identificados em local mais adequado.

A política da embaixada é a de não falar com a imprensa, embora continue em contato com as famílias. Se quiser informações, a mídia precisa procurar o Ministério da Justiça, comentou a âncora da GloboNews.

“Até o momento, portanto, prossegue o conflito de informações: a da Embaixada do Brasil no Reino Unido (sobre o aparecimento de dois corpos naquela região da Amazônia) e a Polícia Federal (desmentindo a informação). Lembrando que o governo é um só”, frisou Trigueiro.

Na noite de segunda, o senador Randolfe Rodrigues (Rede) disse que o Senado aprovou requerimento para criar uma Comissão Externa para investigar caso de Dom Phillips e Bruno Pereira. “A comissão também irá investigar outros casos de violência na Amazônia. Pedimos urgência (máximo 24h) na indicação dos membros da comissão”.

Recomendado:

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Bernardo

- 2022-06-14 15:23:33

Esse (des) governo prima pela desinformação como forma de atuar, em especial para criar situações dúbias e conflituosas quando lhe interessa. Esse parece ser mais um desses casos. Pelas circunstâncias e considerando os próprios comentários (de ontem cínicos e maldosos) do senhor presidente da República a hipótese de que a notícia inicial seja, infelizmente, a verdadeira e agora estão tramando um teatro para explicar o ocorrido e mitigar os efeitos nocivos ao já desgastado e desacreditado ocupante do Planalto. Não se acredita que uma Embaixada Brasileira tenha se equivocado ou, até, que tenha se prestado a ser porta voz de mentiras para agradar á presidência. Alguém da PF também precisa explicar melhor a sua participação sob pena de descrédito: cumpriram ordens? algum funcionário passou informação errada à Embaixada? foi por erro ou deliberada? Muita dúvidas decorrentes do descrédito desse governo.

Antonio Uchoa Neto

- 2022-06-14 14:21:39

Não se descarte a possibilidade de os corpos terem sido, de fato, encontrados, e tenham marcas de tortura, sevicias, enfim, toda sorte de 'maldades', como disse o inominável, e estejam sendo "maquiados" para apresentação à imprensa. Eu também não descartaria a hipótese de ambos serem apresentados em caixões lacrados. No país do inominável, tudo é possível.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador