Investigação de suspeito de matar Marielle é suspensa na esteira da decisão do STF sobre Coaf

O STF proibiu que o Coaf seja instrumento de investigações sem prévia autorização judicial, acolhendo recurso apresentado pela defesa do senado Flávio Bolsonaro

Brasília - A Câmara dos Deputados realiza sessão solene para celebrar Dia Internacional do Direito à Verdade e prestar homenagem a vereadora Marielle Franco e ao motorista Anderson Gomes. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Jornal GGN – O Agora informa nesta sexta (6) que a investigação sobre Ronnie Lessa, ex-PM que é vizinho de Jair Bolsonaro e foi preso sob suspeita de executar Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, foi suspensa na esteira da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre o uso de dados financeiros do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

O STF proibiu que o Coaf seja instrumento de investigações sem prévia autorização judicial, acolhendo recurso apresentado pela defesa do senado Flávio Bolsonaro.

A decisão atingiu milhares de ações em todo o país, incluindo o inquérito contra Ronnie, que teve movimentações financeiras suspeitas apuradas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

O GGN prepara uma série inédita de vídeos explicando a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Saiba como em www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Supremo deixa para a próxima semana votos sobre prisão em segunda instância

4 comentários

  1. Temos tantos tipos de milicianos que nem dá para distingui-los mais…
    deve ser por isso que investigar qualquer um é o mesmo que cansar-se de ter certeza que todos são

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome