Marco Aurélio expõe decisão sobre depoimento escrito de Bolsonaro e irrita ministros

Decisão de Marco Aurélio é contrária à determinação inicial do relator do caso na Suprema Corte, ministro Celso de Mello

Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Jornal GGN – A atitude do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), de levar ao plenário virtual da Corte a determinação sobre o depoimento de Jair Bolsonaro (sem partido) no inquérito que apura sua suposta interferência nos trabalhos da Polícia Federal deixou os ministros ‘irritados’ e ‘dividiu o Supremo’, de acordo com informações de Daniela Lima, âncora da CNN. 

Na última quinta-feira, 17 de setembro, Marco Aurélio atendeu pedido da Advocacia-Geral da União e suspendeu o depoimento presencial de Bolsonaro, que deveria acontecer entres os dias 21 e 23 de setembro, por decisão do ministro e relator do caso, Celso de Mello, que obrigou o mandatário ser interrogado presencialmente. 

Marco Aurélio derrubou a ação até que o plenário do STF pudesse decidir sobre as imposições do mandatário. Hoje, o ministro decidiu tornar público seu voto e voltou a defender que Bolsonaro possa depor por escrito

No entanto, a decisão de Marco Aurélio só foi possível porque ele assumiu o caso, já que Celso de Mello entrou de licença médica. 

Segundo a CNN, a atitude de Marco Aurélio Mello foi criticada porque os ministros não querem discutir uma decisão do decano do Supremo sem que ele esteja presente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora