Mensalão, a história contada pelos vencedores

O Mensalão foi mais um capítulo na história de confronto entre dois homens que se odiavam há mais de uma década antes de o escândalo estourar no governo Lula: José Dirceu e Roberto Jefferson

Jornal GGN – O Mensalão foi mais um capítulo na história de confronto entre dois homens que se odiavam há mais de uma década antes de o escândalo estourar no governo Lula: José Dirceu e Roberto Jefferson.

O conflito, de ordem político-pessoal, ficou evidente ainda na década de 1990, quando Dirceu integrava a CPI que investigava os negócios de PC Farias, o tesoureiro da campanha presidencial de Collor, e Jefferson liderava, no Congresso, a tropa de choque em defesa do então presidente.

“Foi ali que tudo começou”, narra o canal Meteoro Brasil, que apresenta no vídeo abaixo um perfil de Jefferson – apresentada como um político exaltado e rancoroso – e Dirceu – o “soldado da causa” para a esquerda, um homem “pragmático”, “para quem os fins justificariam os meios”.

O Mensalão teria sido parte do contra-ataque de Jefferson a Dirceu, pois quando a corrupção nos Correios (onde o partido de Jefferson dominava as indicações) veio à tona, o então deputada entendeu que estava sendo pessoalmente bombardeado pelo ex-chefe da Casa Civil de Lula.

O pagamento mensal de propina a parlamentares não ficou provado, mas Dirceu e Jefferson foram condenados e cumpriram pena de qualquer forma.

O curioso é que, anos depois, um deles pôde voltar à cena política e, o outro, foi arrematado, em seguida, pela Lava Jato.

É o Mensalão, até hoje, a história contada pelo lado dos que venceram essa guerra com ajuda da mídia, que à época criou a pecha de “maior escândalo de corrupção” do País quando, na verdade, em termos financeiros, a AP 470 ficava atrás de muitas outras investigações.

Leia também:  Moro é a figura mais perigosa para a democracia, diz Kennedy Alencar

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Uma das maiores mentiras já contadas pelo judiciário deste país, atrás somente daquelas envolvendo os “bens” do Lula e do Lulinha.
    Aliás, o judiciário é pródigo em contar mentiras.
    Este é de longe o poder mais corrupto do Brasil.

  2. (,,,)
    “Jornal GGN – O Mensalão foi mais um capítulo na história de confronto entre dois homens que se odiavam há mais de uma década antes de o escândalo estourar no governo Lula: José Dirceu e Roberto Jefferson.”
    (…)
    PQP!!! De onde é que tiraram isso? Será que apenas reproduziram o meme que está no youtube?
    Será que eu li direito? O GGN está publicando isso?
    Então eu me sinto no direito de oferecer uma outra versão igualmente desonesta e reducionista para essa estória. No mesmo padrão youtube. La vai:
    A fraude cantada em prosa e verso baseada no tema – AP 470 – conta a história de dezesseis bandidos, que se organizaram em modelo de formação de quadrilha para cometer crimes de naturezas variadas. Onze deles estavam na época dos fatos relatados exercendo cargos em que foram nomeados ministros de um tal de “esse tê efe”. Que, em tese, seria um simulacro de tribunal de uma suposta mais elevada corte de justiça de um suposto país. Integravam referida quadrilha dois outros criminosos conhecidos pela alcunha de Merval Pereira, que fazia a função de 12º juiz da suposta corte de justiça e Ali Kamel que comandava uma organização de manipulação de fatos e chantagens. Os outros três integrantes dessa quadrilha são os filhos do falecido criminoso chamado Roberto Marinho, que deram continuidade às atividades do pai, no comando de uma organização criminosa, voltada às práticas de lavagem de dinheiro ilícito, sonegação fiscal, produção de fake news e chantagens. Referida quadrilha prossegue operando fortemente no país e nunca foi e nem será denunciada, nem investigada e, muito menos, processada e julgada pelos seus crimes, porque prosseguem no comando das organizações criminosas que assumiram o controle do país e são blindadas pelo DOJ – Department Of Justice (Departamento de Justiça) de um centro planetário de pirataria internacional que foi conhecido outrora como um grande país que se chamava Estados Unidos da América do Norte.

  3. A resposta anterior lembra uma coisa geralmente esquecida: há uma continuidade entre os processos midiáticos Mensalão e Lava-jato, ambos parte da lawfare para a derrubada do governo do PT. A inviabilização da candidatura de Dirceu era ponto importante, pois tirava da cena o sucessor natural de Lula. A guerra híbrida não começou na derrubada de Dilma, mas na espionagem dos dados da Petrobrás para conhecimento do potencial do pré-sal. Uma vez comprovado, a guerra vem até hoje, e o Brasil está perdendo de goleada.

  4. mentiras arquivadas viram mentiram arquivadas….
    depois repetidas ou contadas de muitas maneiras,
    de acordo com intereses de quem conta…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome