Moro vira professor de centro universitário em Brasília

"Ele dará aulas de 15 em 15 dias, todas virtuais, assim como a de estreia, pelo menos até o fim da pandemia", escreveu o colunista

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – É destaque na coluna de Lauro Jardim, nesta quarta (12), que o ex-juiz Sergio Moro arrumou “outra ocupação com vínculo em Brasília”. Nesta semana, ele começou a dar aulas no Ceub, o Centro Universitário de Brasília.

“Ele dará aulas de 15 em 15 dias, todas virtuais, assim como a de estreia, pelo menos até o fim da pandemia”, escreveu Jardim.

Desde que deixou o Ministério da Justiça de Bolsonaro, em 24 de abril, Moro está proibido, por 6 meses, de advogar ou exercer atividades que representem “conflito de interesses”.

Ele está liberado para dar aulas e escrever colunas em veículos de imprensa.

https://jornalggn.com.br/politica/a-influencia-dos-eua-na-lava-jato-5-videos-para-entender-o-assunto/

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carlos Elisio

- 2020-08-13 16:16:57

Po, sejamos justos. Estamos malhando e nem sabemos qual será o assunto, so podemos descartar direito que não é a praia do sujeito. De repente será aula de artesanato ou culinária, quem sabe?

afonso Schroeder

- 2020-08-13 06:53:03

Vemos que favorecendo a "direita" pode tudo este ex-juiz-Moro traiu o Brasil, descumpriu a CF/88, mentiroso é laranja de "empresários" tudo comprovado também pela INTERCEPT de Glenn Greenwald com tantos crimes cadeia já ao elemento ex-juiz Moro.

jose carlos lima

- 2020-08-13 01:04:37

Do uso do doleiro Dario Menser como peça de propaganda para alavancar a Lava Jato ao dar a entender que o criminoso devolverá muita grana aos cofres publicos como parte da delação ....na verdade uma esmola se compararmos ao que ao que a Lava Jato destruiu, como por exemplo a industria naval e, de autosuficiente em petroleo com recordes diarios de extração do pre sal e refino no proprio Brasil, nos tornamos dependentes dos EUA graças à.....Lava Jato ....como pode um povo tão ingenuo como o brasileiro: aliás, fazemos jus ao nome: somos o unico povo no mundo cujo adjetivo pátrio tem nome de profissão: brasileiro quer dizer cortador de pau-brasil.... ....se ao menos fôssemos brasilinos, em alusão à seiva vermelha do pau-brasil... mas brasileiro? enfim....os estrangeiros nos ferraram sempre, a partir do batismo do adjetivo pátrio.... sobre o interior do psu brssil ? "(...) O segredo do interesse português pelo Pau-Brasil está no seu interior. A madeira apresenta uma intensa cor vermelha, devido á presença da brazilina, substância que na época servia de luxuoso material para tingimento de tecidos caros. (...) Lava Jato e Greenfield usaram a Sete Brasil para acabar com a indústria naval brasileira! Veja o vídeo desta matéria em: https://www.youtube.com/watch?v=4JwLTwZQZGU Um dos melhores negócios do mundo, a construção de sondas de perfuração para o pré-sal, 29 sondas que seriam fabricadas pela Sete Brasil, foi detonada pela farsa do combate à corrupção da operação Greenfield. “A empresa, impactada pelo desenvolvimento da operação Lava Jato, que investiga um escândalo de corrupção envolvendo a Petrobras, deverá ter capacidade para atender entre 13 e 17 sondas de um total de encomendas de ao menos 28 equipamentos, avaliou na semana passada um representante de uma das sócias da companhia. Cada contrato para construção de sondas gira em torno de 1 bilhão de dólares” (3). A primeira sonda estava prevista para entrar em operação em 2015 e a última em 2020. Todo esse processo iria gerar cerca de 100 mil empregos diretos e indiretos no País. Entretanto, em junho de 2016, a Sete Brasil entrou em recuperação judicial com endividamento de 19,3 bilhões de dólares (4). A Operação Greenfield denunciara 29 pessoas ligadas aos fundos de pensão Petros, dos funcionários da Petrobras; Funcef, dos colaboradores da Caixa Econômica Federal; Previ, dos funcionários do Banco do Brasil; e Valia, dos trabalhadores da Vale por “Gestão Temerária” (1). Com essa decisão da Greenfield , a Sete Brasil ficou de fora dos negócios com a Petrobrás. Assim a Lava Jato se aproveitou para, em nome do combate à corrupção, fazer com que não só as sondas de perfuração, mas navios e plataformas, que eram fabricados no Brasil, por conta do “Conteúdo Local” da lei de Partilha (12.351/10) de Lula, passassem a ser fabricados no exterior, gerando investimentos volumosos, arrecadação gigante de impostos, empregos de qualidade e renda para os gringos (5). Se quisesse combater a corrupção, e não privilegiar empresas estrangeiras, não seria mais fácil prender acusados por gestão temerária, os donos da Sete Brasil, se houvesse provas e caso condenados, mas manter os investimentos e os empregos no Brasil? Facilitou também a destruição da nossa indústria naval, a flexibilização das regras de Partilha feita pela lei entreguista 4567/16 do senador tucano, José Serra. Ela já tinha sido prometida a estadunidense Chevron, segundo denúncia do Wikleaks, quando o então candidato à presidência Jose Serra, em 2009, prometia favores à petroleira americana em prejuízo da Petrobrás. Serra perdeu a eleição para Dilma e não pode cumprir a promessa na ocasião, fazendo-o logo após o golpe contra Dilma(6). Agora chega a noticia de que a Petrobrás, por conta desse imbróglio, vai pagar R$ 950 milhões referentes ao montante integral do acordo celebrado com a Petros, no dia 29 de julho, sobre o litígio arbitral relacionado ao investimento na Sete Brasil (2). Mas os petroleiros já estão pagando por rombo no fundo de pensão Petros, com no mínimo 13% de seus salários, de forma vitalícia, mesmo sem nunca terem sidos gestores da Petros. Quer dizer que, comprovando agora que não houve gestão temerária nos fundos de pensão, então podemos acreditar que a indústria naval voltará para o Brasil, gerando vultosos investimentos, arrecadação gigante de imposto, empregos de qualidade e renda para os brasileiros? Com este pagamento da Petrobrás, a Petros vai devolver o dinheiro do Plano de Equacionamento de Deficit - PED aos petroleiros? E a Lava Jato e Grenfield serão responsabilizadas por terem destruído a indústria naval brasileira, entregando-a aos gringos? fonte,: https://www.google.com/amp/s/www.emsintese.com.br/2011/a-cor-vermelha-do-pau-brasil/amp/

fel

- 2020-08-12 19:10:34

Nada como um professor de mentira para um curso inútil. Depois do moro, do que adianta um acadêmico ficar cinco anos lendo e relendo teoria de direito, se no fim das contas o quem vai decidir o destino do réu é a vontade do juiz, se valendo da tal hermenêutica?

Rogério Maestri

- 2020-08-12 16:56:19

Os alunos vão apreender o que não se faz na justiça? É bom anotar o nome dessa escolinha do professor Raimundo.

Ugo

- 2020-08-12 16:29:34

E no fim da aula o marreco recomenda aos alunos torturados: vamos cantar patatí patacoá.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador