O hacker da Vazajato e a Trama Macabra, por Luis Nassif

Não há nada mais significativo do deslumbramento da Lava Jato do que as intenções de pretender prender os Ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli. Bando de deslumbrados, sem noção, provincianos incapazes de avaliar o dia seguinte, julgando que foram definitivamente entronizados como catões do Brasil.

Sâo curiosos os caprichos da história.

Monta-se a maior operação já vista contra um político, Lula. Junta-se Ministério Público, Polícia Federal, um eixo paranaense que abarcar Curitiba, o Tribunal Regional Federal da 4a Região, o relator do Supremo Tribunal de Justiça e o relator do Supremo Tribunal Federal, tudo com o mais amplo respaldo da mídia.

Monta-se a maior operação de fakenews da história, com delatores sendo induzidos a falar o que os inquisidores exigiam, meras declarações sendo consideradas provas, amplamente vazadas para a mídia.

E lá no interior de São Paulo, um jovem estudante de direito, Walter Delgatti, especializado em hackear celulares, fica indignado com a falsa acusação de que foi alvo por um procurador da Justiça, confundindo os remédios que tomava, para problemas emocionais, com tráfico.

Graças à denúncia perdeu amigos e namorada. E, da namorada, ouviu a frases condenatória:

– Procurador não mente.

Aí ele começa a invadir celulares de celebridades e fica viciado em correr atrás de escândalos, o mesmo vício que acomete os fãs de séries de Netflix. Todo dia ele queria consultar o celular para encontrar crimes de terceiros. É com esse espírito que ele invade os celulares da Lava Jato, para saber, antes dos demais, dos crimes cometidos pelos investigados.

Ali, ele se depara com as armações dos procuradores e, imediatamente, vê na Lava Jato o promotor que o perseguiu e, em Lula, o alvo que ele foi.

Relembra as declarações da ex-namorada, ainda presa à mística dos procuradores e compara com as armações que, agora, conferia nos diálogos. Estava ali a prova definitiva, para apresentar à ex-namorada, de que há procuradores que mentem.

Lembra os melhores filmes de Hitchock, nos quais as melhores tramas são desmontadas por um fato menor qualquer, que vai se desdobrando em outros, em uma comprovação cinematográfica da teoria do caos; O roteiro é melhor ainda que “Trama Macabra”:

* se Delgatti não tivesse sido injustiçado por um procurador;

* se não fosse especialista em hackeamento;

* se não fosse aluno de direito e, portanto, em condições de entender o significado das conversas;

* se não procurasse a deputada Manoela Dávila, conhecedora experiente dos meandros da Internet, que encaminhou o caso para as melhores mãos, o repórter que divulgou os arquivos de Assange e sabia como envolver a mídia, entregando a isca da qual a própria Lava Jato e valia: furos,

 

nada disso teria acontecido

As informações mais relevantes

Da entrevista de Degatti ao repórter Caio Junqueira, há os seguintes fatos relevantes, que necessitam ser checadas imediatamente

Luis Roberto Barroso

Delgatti afirma taxativamente que Barroso conversava frequentemente com Deltan Dallagnol e o orientava sobre aspectos jurídicos da operação. *Na fase da Vazajato, alguns dos jornalistas envolvidos com o pacote lançaram insinuações sobre as conversas, mas sem nunca revelar seu conteúdo.

Em resposta, Barroso afirmou que não participava dos julgamentos da Lava Jato, pois era da Primeira Turma e o julgamento se dava na segunda. Arrematou dizendo que não deu nenhuma orientação a Dallagnol.

Sobre um Ministro do Supremo não podem pairar dúvidas. Se as conversas eram republicanas, sem nenhuma ilegalidade, não haverá porque manter o sigilo.

Delegado Zampronha

Por não saber o que se passava fora da prisão, Delgatti quase cometeu uma injustiça contra o delegado Luiz Zampronha,que conduziu o inquérito. Assim que o inquérito teve início, começaram os vazamentos, visando criar a narrativa de que Gleen Greenwold tinha pagado pelo dossiê. Era a dica que o então Ministro Sérgio Moro precisava para expulsá-lo do país.

Zampronha agiu em duas frentes. A primeira, apertou Delatai para ter certeza sobre o tema. Quando se convenceu de que não tinha havido pagamento, convocou a imprensa e deu uma entrevista definitiva, acabando com a estratégia de Moro.

Definitivamente, foi a prova de que há vida digna na Polícia Federal.

A prisão dos Ministros

Não há nada mais significativo do deslumbramento da Lava Jato do que as intenções de pretender prender os Ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli. Bando de deslumbrados, sem noção, provincianos incapazes de avaliar o dia seguinte, julgando que foram definitivamente entronizados como catões do Brasil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

25 comentários

  1. Quando chamo o stf de tribunalzinho tem gente do meio jurídico que me repreende e que não é assim que construiremos um judiciário e blá blá blá, mas nada me leva a crer que é um tribunalzinho e digo mais, só em um tribunalzinho de merda cabe gente como estes fachin, barroso, fux, ou como celso de mello, que na hora em que o país mais precisa dele… mete um atestado.

  2. A grande imprensa começará a desmoralizar o hacker em 4,3,2,1…
    Operação orquestrada para salvar o príncipe do iluminismo (e do ilusionismo) jurídico useiro e vezeiro no STF.
    Luís Barroso é o advogado da Rede Globo no Tribunal. A credibilidade dele é um patrimônio global. O respeitável público deve acreditar nisso.
    O hacker tem problemas com a namorada. A culpa é dela. Se o MPF pedir a prisão da moça ela poderá fazer uma delação premiada acusando Lula de ser o patrão do hacker. Caso encerrado.

  3. Se a justiça no Brasil agisse com imparcialidade e não tivesse lado político em lugar do obrigatório lado da lei, os escândalos da Farsa Jato, expostos na Vaza Jato, renderiam punição para todos os que prevaricaram na perseguição política a Lula, sob o enredo mentiroso de “combate à corrupção”. Claro, depois de rigorosa e imparcial investigação. Não pela mera “convicção” que alegaram para acusar e condenar, com base em “delações” sem fundamento fático . Refiro-me a todas as instâncias.

  4. E la vão os petistas distraídos darem corda pra “vazajato”.
    Da ultima vez até reforma da previdência passou enquanto o pessoal batia tambor para a pantomima do Lulalivre.
    Lula continua tão preso quanto antes. Só não está em uma cela e nem consegue angariar simpatia e holofotes da imprensa mundial por estar preso injustamente enquanto a turma do golpe tenta fazer um trabalho melhor com a delação da qualicorp pra quando forem votar a suspeição de Sérgio Moro.

      • Nada, o representante deles aqui é bolsonarista raiz. É uma versão do sbt com pdrão gráfico da cnn, só isso. Os jornalistas são aquela versão semi-emergente da atistocracia nacional – um pessoal que andou tropeçando por aí e que tem o padrão sbt/record de jornalismo. A Globo, por sua vez, é muito mais perigosa, porque ela contrata filhotes de milionários ultra bem educados e/ou pessoas bem mansas e boas de retórica para o seu quadro. Mas não basta essa vitrine, tem que topar ser desonesto de vez em quando. Obediente. Todo mundo fala pelomenos inglês ali, se você falar só inglês, já te olham torto, com olhar te enviando de volta para SP ou MG. Eles adoram Bial, Barroso, Huck, entre outras musas. São os coxinhas da batalha final, quando você já eliminou todos os outros do jogo (incluindo os iniciantes da CNN). E tem gente que quer mesmo é estar lá – tem gente que “se orgulha” de ser um coxinha master. Fazer o quê? Melhor que não ter fama, para eles.

  5. Nassif, o corporativismo no Brasil é praga, dá nojo. Nos Conselhos, no Judiciário a coisa é ruim e perversa para nossa vida real. Agora ver na imprensa o comprometimento com quem está no poder, assusta e desespera!!!!

  6. A lava a jato foi uma operação da direita muito bem sucedida, todos os seus objetivos foram alcançados.

    Quem ganhou?

    Essa é a resposta que vale 1 milhão de reais

    Na minha visão, não houve vencedor no Brasil… só no exterior

  7. Acredito que todos os ministros tem rabo preso e a chantagem rola solta. Daí a pecha de “acorvadados”. Nada vai acontecer que não seja prá manter o “status quo”.

  8. No TRF-4, Huguinho, Zezinho e Luisinho, um completando a fala do outro (pois eram idênticas) e servindo ao Pato/Marreco Donald/Moro.
    No STF, Luisinho, Luizinho e Luisinho (Facim, Fucks e Barrento), todos servindo ao próprio Tio Sam.

  9. Tudo muito certo,tudo muito bem.Mas perguntar não ofende:Quem indicou três excrescências ao STF,quais sejam:Lulu Boca de Veludo,segundo Bob Jeferson.Edson JBS Caganeira e Carminha Vampira Mineira?Quem,quem,quem?
    Ele,Raimundo Nonato e estamos conversado.

    • Você das Cruzes que baixou o dedinho e outros que por vergonha não quiseram agachar-se,não tiveram a coragem de declinar quem indicou os 3 energúmenos que mencionei,nem outros de menor calibre.
      Seria por conta deste STF,em sua grande maioria dos que ficaram e os que já foram,indicados pelo Lulopetismo,em nada contribuíram para nosoutros estarmos mergulhados numa fossa?

      • Ulises Ulises não brinque com esse negocio de dedinhos ou dedão,nitroglicerina pura.
        Eu tenho um aqui,nem dedinho nem dedão,tamanho normal,que está a sua disposição.Para seu deleite,ele não está nem nas mãos,nem nos pés,e posso lhe afirmar peremptoriamente que a posição dele nunca está virado pra baixo.Aiaiai.

          • Não saia discretamente pela esquerda.
            Quem começou com a história de dedinhos e dedão foi você,o que deixa claro que dedos entende você.
            Eu tenho a mais absoluta certeza que você faz o toque,no mínimo,4 vezes ao ano.
            Sua próstata está dentro dos padrões da normalidade ou seu negócio é outro?

          • Ulises Ulises eu ia te pegar numa arapuca,mas você vazou.
            Todos absolutamente todos,correm de mim como vampiros do Sol.
            Da próxima vez que for fazer o toque retal,verifique se é mesmo o dedo ou algo bem escroto.O Ouro de Ulises são o dedinho ou o dedão.Kikikiki.

  10. Provincianos uma ova. Agentes pagos, e bem pagos, de uma operação orquestrada pelos gringos. Não pode ser coincidência que o mesmo modus operandi tenha sido acionado em tantos países da América Latina, contra governos de esquerda. Moro, Dalanhol et caterva – patifes, canalhas, escroques, salafrários, pústulas – são traidores da pátria, inimigos do povo brasileiro, e assim devem ser tratados.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome