PMs envolvidos em crimes violentos disputam eleição no Rio

Mais de 30 policiais militares são réus ou foram condenados em primeira instância; acusações vão de extorsão a corrupção, tortura e homicídio

Foto: Reprodução/PMERJ

Jornal GGN – Mais de 30 policiais militares acusados de crimes violentos estão disputando a eleição no Rio de Janeiro. Dentre os candidatos estão agentes que respondem a processos por homicídio, tortura, corrupção e extorsão, sendo que um deles foi condenado por chefiar uma milícia.

Segundo o jornal O Globo, apenas um dos acusados disputa a prefeitura: o capitão Diogo Souza da Silveira, candidato pelo PSDB na cidade de Cabo Frio. Junto com outros três agentes, Silveira é acusado de participar do homicídio de um estudante de 13 anos em março de 2012, durante operação em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Outro policial na lista é o sargento Wainer Teixeira Junior, que estava preso até março, condenado a cinco anos e três meses por chefiar uma milícia na cidade de Maricá que matou desafetos, traficantes e usuários de drogas para controlar bairros do município.

Contudo, ele foi beneficiado por uma decisão do desembargador Roberto Távora que, por conta da pandemia da covid-19, defende “afastar do cárcere aqueles já em condição de ficarem soltos”. Após sua soltura, apresentou sua candidatura pelo PSD.

Outro policial com pendências na Justiça e que disputa a eleição é o sargento Bruno Demke Bernardo (Podemos), filho do deputado estadual Mauro Bernardo (Pros). Candidato a vereador em Cabo Frio, Bruno é réu num processo que corre na Vara de Arraial do Cabo por extorsão mediante sequestro.

 

 

Leia Também
Governo Bolsonaro enviou agentes da Abin para evento da ONU
Bolsonaro ataca a Lava Jato para neutralizar Moro e afagar Centrão
Olavo de Carvalho mentiu à Receita para receber dinheiro de doutrinados
Mourão agride “dignidade dos que padeceram nas mãos” de Ustra, diz Comissão Arns

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Acordos entre Brasil e EUA podem ser alterados por Biden, diz analista

3 comentários

  1. Substitua “milho” por “soja”, “adultos” por “índios, ambientalistas, quilombolas” e você descobrirá que o acordo entre o vagabundo Jair Bolsonaro e os moleques do Exército, STF, MPF, Senado e Câmara dos Deputados.é uma versão brasileira de Children of the Corn.

    Participação especial do estelionatário Pastor Malafaia no papel do sinistro pregador mirim Isaac Chroner. “Who Walks Behind the Rows” é o dinheiro sujo que a Embaixada dos EUA distribui em Brasília para os vagabundos que sabotam a independência e o desenvolvimento do Brasil.

  2. A cada vitória o mal se torna forte. Estão acabando com minha cidade e meu estado, que antes era um lugar bom de se viver.
    O rio de janeiro cada dia mais se transforma num covil de assassinos.

  3. Se bolarem uma propaganda para que pareçam mais violentos do que realmente são, chances de serem eleitos triplicam…
    desde a última eleição passou a valer a política da violência e do ódio

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome