Qualquer cidadão pode comprar um fuzil após decreto de Bolsonaro

Para ONG Sou da Paz, o decreto não foi transparente quanto aos seus impactos, e que o fato de armamento de uso das forças armadas ter sido liberado extrapolou a justificativa da auto-defesa

Jornal GGN – O decreto de Jair Bolsonaro que regulamenta o porte e a posse de armas no País permite que qualquer cidadão possa comprar um fuzil. Antes, era de uso restrito a arma que disparasse projétil com energia de lançamento acima de 407 jaules. Agora, esse limite subiu para 1,620 jaules. A informação foi antecipada pelo  Jornal Nacional na noite de segunda (21).

A Taurus produz um fuzil (o T4) que deixou de ser restrito às forças militares a partir do decreto de Bolsonaro. Além disso, é possível importar modelos similares.

Para Felippe Angeli, da ONG Sou da Paz, disse ao O Globo que o decreto não foi transparente quanto aos seus impactos, e que o fato de armamento de uso das forças armadas ter sido liberado extrapolou a justificativa da auto-defesa.

O decreto é o mesmo que amplia as categorias que não precisam mais comprovar “efetiva necessidade” para portar uma arma.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora