“Sai de 64”, “na democracia não existe tutela militar”: as reações à ameaça de Heleno

"A nota do general Heleno constitui inaceitável ameaça ao Supremo Tribunal Federal. Na República, nenhuma autoridade está imune a investigações ou acima da Lei", diz Flávio Dino

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – A nota oficial que general Augusto Heleno emitiu nesta sexta (22), ameaçando o Supremo Tribunal Federal por causa de pedidos de apreensão do celular de Jair Bolsonaro, despertou reação de jornalistas, políticos e juristas.

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, escreveu no Twitter: “@gen_heleno, as instituições democráticas rechaçam o anacronismo de sua nota. Saia de 64 e tente contribuir com 2020, se puder. Se não puder, #ficaemcasa.”

O governador do Maranhão e ex-juiz, Flávio Dino, disse que a conduta de Heleno “é que a nota do general Heleno, supostamente em nome da ‘segurança nacional’, pode ser enquadrada na Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83).”

“A nota do general Heleno constitui inaceitável ameaça ao Supremo Tribunal Federal. Na República, nenhuma autoridade está imune a investigações ou acima da Lei. E na democracia não existe tutela militar sobre os Poderes constitucionais”, acrescentou Dino.

O senador Randolfe Rodrigues avaliou que a mensagem de Heleno é uma tentativa de tirar o foco do vídeo da reunião ministerial que deve ser divulgado na tarde desta sexta (22). “Manifestações como essa do Sr. General Heleno, só demonstra o desespero do Planalto diante da divulgação do vídeo da reunião de ministros. Mas a nossa democracia não é brincadeira! Aguente seu pânico e sofra as consequências. Estamos todos no aguardo!”

A senadora Kátia Abreu também reagiu no Twitter: “É muita ousadia e pretenção assistir um ministro general do glorioso exército brasileiro ameaçar a DEMOCRACIA. Faça me o favor meu senhor.”

O ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também comentou a nota de Heleno.

 

 

2 comentários

  1. Ao aventar a possibilidade de requerer o celular do presidente para averiguação o STF trucou.
    Ao ameaçar o STF com consequências imprevisíveis o executivo mandou vir o truco e gritou seis nas fuças do STF e da sociedade democrática.
    Se o STF fugir e não apreender o celular, capitula diante do poder militar e se confirma a tutela de fato do poder militar sobre a sociedade e a democracia de que está é uma democracia consentida pelos militares e tem limites que estes impõem, como já fizeram no caso HC do Lula e os ministros se agacharam.
    Vão se agachar mais uma vez?
    Acho que desta vez é preciso pagar para ver.
    Quem pelo menos os militares assumam de vez o controle dessa joça e cada um reaja ou não de acordo coma suas forças, deixando a dissimulação de lado.

    A sorte está lançada.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome