Santos suspende contrato com Robinho

Anúncio foi feito após pressão de patrocinadores com a repercussão das interceptações telefônicas do jogador, que resultou em sua condenação por crime de estupro coletivo na Itália. Robinho se manifestou nas redes sociais

Reprodução/Instagram

Jornal GGN – O Santos Futebol Clube anunciou na noite desta sexta-feira, 16, a suspensão do contrato com o atacante Robinho. O anúncio foi feito após pressão de patrocinadores com a repercussão da divulgação do GE das interceptações telefônicas do jogador, que resultou em sua condenação pela primeira instância na Itália a nove anos de prisão por crime de estupro coletivo. Robinho se manifestou nas redes sociais.

A suspensão foi feita seis dias após o Clube anunciar o retorno de Robinho para sua quarta passagem pelo time. Em nota, o Santos afirmou que decidiu pelo afastamento “para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália”, em segunda instância.

O jogador também anunciou a decisão por meio de suas redes sociais. “Com muita tristeza no coração, venho falar para vocês que tomei a decisão junto do presidente de suspender meu contrato neste momento conturbado da minha vida. Meu objetivo sempre foi ajudar o Santos Futebol Clube. Se de alguma forma estou atrapalhando, é melhor que eu saia e foque nas minhas coisas pessoais. Para os torcedores do Peixão e aqueles que gostam de mim, vou provar minha inocência”, afirmou Robinho em vídeo.

Em 2017, o atleta foi condenado em primeira instância na Itália por violência sexual de grupo contra uma jovem albanesa. O crime teria ocorrido em uma boate de Milão chamada Sio Café, na madrugada de 22 de janeiro de 2013. Além de Robinho, outros cinco brasileiros teriam participado da violência contra a moça.

Em abril de 2014, ao ser interrogado pela investigação, Robinho negou a acusação, mas admitiu que manteve relação sexual com a vítima, afirmando que foi uma relação consensual de sexo oral.

O caso voltou a repercutir nesta sexta, com a divulgação pelo GE das interceptações telefônicas realizadas pela investigação e que “foram cruciais para o veredito”, afirmou a reportagem. Com isso, diversos patrocinadores afirmaram que iriam suspender o contrato com o Clube se Robinho permanecesse.

Em uma das conversas, Robinho afirmou que tinha consciência da condição da vítima. Durante diálogo com o músico Jairo Chagas, que tocou na boate na noite do crime, o jogador afirmou: “estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”.

Robinho foi condenado com base no artigo “609 bis” do código penal italiano, que condena duas ou mais pessoas que forcem alguém a manter relações sexuais por sua condição de inferioridade “física ou psíquica” .

Mesmo com as escutas realizadas a partir de janeiro de 2014, consideradas pela Justiça italiana como “auto acusatórias”, o jogador continua negando que cometeu o crime e recorre em segunda instância da condenação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora