Senado da Argentina aprova tributação sobre grandes fortunas

Projeto foi aprovado por 42 votos a 26; arrecadação será utilizada para combater covid-19 e financiar outras ajudar sociais

Foto: Reprodução/Agência Brasil -

Jornal GGN – O Senado da Argentina transformou em lei um encargo extraordinário aplicado aos detentores das maiores fortunas do país, com o objetivo de financiar o combate contra a covid-19 e a adoção de ajudas sociais, como a aprovação de subsídios à pobreza e créditos a pequenas e médias empresas.

A votação foi transmitida pelo YouTube na última sexta-feira, onde o Senado aprovou o chamado “aporte solidário” por 42 votos a 26 – a votação foi bastante polarizada, e foi rejeitada principalmente pela maior força de oposição, a neoliberal Juntos pela Mudança, do ex-presidente Mauricio Macri, que trata a decisão como uma medida de confisco.

A contribuição terá como foco as pessoas cujos ativos declarados ultrapassem 200 milhões de pesos (equivalente a US$ 2,35 milhões), com uma taxa progressiva de até 3,5% para ativos na Argentina e até 5,25% sobre bens fora do país.

Segundo a diretora da Administração Federal da Receita Pública, Mercedes Marcó del Pont, o tributo será cobrado “sobre quase 12 mil contribuintes, que mostram disponibilidades líquidas 25 superiores ao imposto que devem pagar”. A expectativa é que seja arrecadado o equivalente a US$ 3 bilhões.

(com informações do A Tarde)

 

Leia Também
Reunião de Bolsonaro e Fernández buscou “superar desencontros”, diz embaixada argentina
Argentina volta a discutir legalização do aborto
Argentina aprova taxação de grandes fortunas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora