Suspeito de sonegar mais de R$ 380 milhões em impostos, fundador da Ricardo Eletro é solto

Amigo de Luciano Huck, Ricardo Nunes foi liberado após prestar depoimento ao Ministério Público de Minas Gerais

Divulgação

Jornal GGN – Investigado por suposta sonegação de impostos de aproximadamente R$ 380 milhões, o empresário Ricardo Nunes, fundador da rede de lojas Ricardo Eletro, teve o pedido de prisão temporária revogado nesta quinta-feira, 9 de julho, após prestar depoimento ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.

Amigo de Luciano Huck, que inclusive foi o rosto de diversas propagandas da rede de lojas, Nunes foi preso nesta quarta-feira, 8 de julho, em São Paulo, durante a operação Direto com o Dono, deflagrada para combater esquemas de sonegação fiscal.

Nunes é investigado pela supostas sonegação de R$ 387 milhões em imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e lavagem de dinheiro por meio da varejista. Segundo a investigação da força-tarefa do MPMG, em conjunto com a Receita Estadual e a Polícia Civil, o esquema ocorreu entre 2014 e 2019.

O empresário afirma que não comanda a companhia há um tempo, mas de acordo as investigações ele seguiu à frente da rede de lojas mesmo após anunciar sua saída.

Sua filha, Laura Nunes, e o superintendente da Ricardo Eletro, Pedro Daniel Magalhães, também tiveram prisão preventiva decretada, mas já estão soltos.

Ao todo, a força-tarefa cumpriu 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de Belo Horizonte, Contagem, Nova Lima, São Paulo e Santo André.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  GGN Covid Brasil: SP, RS, AM e MG lideram ranking de casos e óbitos per capita

5 comentários

  1. Sonegação é eufemismo jurídico.
    Vá você furtar uma pasta de dentes num mercadinho se a máquina de moer gente não age de modo eficiente.

  2. A lista de corruptos e sonegadores é extensa mas, apenas Lula é chamado de ladrão.
    Seu problema é ser nordestino e ter seu nome reconhecido internacionalmente.

  3. Grandes sonegadores no Brasil são considerados (e se consideram) pessoas “de bem”. Muitos deles têm o desplante, o cinismo e a pouca vergonha de sair por aí bradando “contra a corrupção”. Do Estado porque, como todo o mundo (alienado) é levado a acreditar, o Mercado é um emocionante reduto de santidade.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome