“Terceira Guerra Mundial foi declarada”, diz Papa Francisco

Pontífice lamenta os conflitos militares em todo o mundo e diz que a crise Rússia-Ucrânia pode ter sido “provocada”

O Papa Francisco
Foto: Getty Images

Do RT

O Papa Francisco sugeriu que a Terceira Guerra Mundial já está em andamento, como evidenciado por “elementos entrelaçados” em ação na crise Rússia-Ucrânia e outros conflitos em todo o mundo.

“Há alguns anos, ocorreu-me dizer que estamos vivendo uma terceira guerra mundial travada aos poucos”, disse o chefe da Igreja Católica em uma entrevista em 19 de maio a meios de comunicação jesuítas que foi publicada na terça-feira. “Hoje, para mim, a Terceira Guerra Mundial foi declarada.”

Francisco observou que, embora os combates na Ucrânia “agucem mais nossas sensibilidades”, as guerras também estão em andamento em lugares como o norte da Nigéria e Mianmar, “e ninguém se importa”. Ele acrescentou: “O mundo está em guerra. Isso é algo que deve nos dar uma pausa para pensar.”

“O que está acontecendo com a humanidade que teve três guerras mundiais em um século…? Você tem que pensar que em um século houve três guerras mundiais, com todo o comércio de armas por trás disso.”

Reconhecendo as críticas por seu fracasso em condenar o presidente russo Vladimir Putin e seus comentários anteriores sugerindo que a expansão da OTAN às portas da Rússia pode ter provocado a crise, o pontífice negou ser “pró-Putin”. Ele disse que tal afirmação seria “simplista e errônea”.

Sou simplesmente contra transformar uma situação complexa em uma distinção entre mocinhos e bandidos, sem considerar as raízes e os interesses próprios, que são muito complexos”, disse ele. “Enquanto testemunhamos a ferocidade e a crueldade das tropas russas, não devemos esquecer os problemas e procurar resolvê-los.”

NÃO HÁ MOCINHOS, NEM BANDIDOS

Questionado sobre como os editores jesuítas deveriam relatar o conflito no Leste Europeu de uma forma que contribua para um futuro pacífico, Francisco respondeu: “Temos que nos afastar da mentalidade comum da Chapeuzinho Vermelho. Chapeuzinho Vermelho era bom, e o lobo era o vilão. Aqui, não há mocinhos e bandidos metafísicos, em abstrato. Algo global está surgindo, com elementos que estão intimamente interligados.” 

O CONFLITO ENTRE RÚSSIA E UCRÂNIA: confira webstories sobre o assunto

Ele também advertiu contra focar apenas na “brutalidade e ferocidade” do conflito. “O perigo é que só vemos isso, que é monstruoso, e perdemos todo o drama que está se desenrolando por trás dessa guerra, que talvez tenha sido provocada ou não evitada. Também noto o interesse em testar e vender armas. É muito triste, mas no final das contas, é isso que está em jogo”.

Francisco elogiou o heroísmo do povo ucraniano na defesa de seu país, mas apontou interesses externos que os colocam em perigo. “O que está diante de nossos olhos é uma situação de guerra mundial, interesses globais, venda de armas e apropriação geopolítica, que está martirizando um povo heróico” , disse ele.

O pontífice reiterou sua preocupação, divulgada pela primeira vez em uma entrevista no mês passado, de que a Otan possa ter instigado a ofensiva militar de Moscou contra Kiev. Ele se lembrou de uma conversa com um chefe de Estado, a quem identificou apenas como “um homem sábio”, alguns meses antes do início dos combates. “Ele me disse que estava muito preocupado com a maneira como a Otan estava agindo. Perguntei-lhe por que, e ele disse: ‘Eles estão latindo nos portões da Rússia e não entendem que os russos são imperiais e não permitirão que nenhuma potência estrangeira se aproxime deles’”.

Francisco também alertou que, depois que muitos dos apoiadores ocidentais da Ucrânia  “abriram seus corações” para as mulheres e crianças que fugiram do país nos primeiros dias do conflito, o apoio aos refugiados já está “esfriando”. Ele acrescentou: “Quem vai cuidar dessas mulheres? Precisamos olhar além da ação concreta do momento e ver como vamos apoiá-los para que não caiam no tráfico de pessoas ou acabem sendo usados, porque os abutres já estão circulando.”

LEIA TAMBÉM: Lula e Zelensky na Time, a voz do líder, por Luis Nassif

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador