Avacalhando o país, por Gustavo Gollo

O governo brasileiro, em conluio com os meios de comunicação, no entanto, vem tentando fazer os brasileiros de idiotas e ocultar a catástrofe.

Avacalhando o país, por Gustavo Gollo

Desde o final, de agosto as praias do nordeste vêm sendo assoladas por manchas de óleo que hoje se estendem do sul da Bahia ao Maranhão – manchas similares têm sido relatadas em Abaetetuba, no Pará, desde o dia 15, embora a origem do óleo ainda não tenha sido confirmada; a não confirmação, no entanto, enfatizaria ainda mais a displicência resultante do encobrimento do caso, ao atestar novo vazamento.

A catástrofe monstro, cuja extensão dos danos nas praias supera os 2.000 km – quase 3.000, se confirmada a contaminação na Amazônia –, não tem precedentes, evidenciando a ocorrência de um dos maiores derrames de petróleo no mar no mundo inteiro. A tragédia consiste em um dos maiores crimes ambientais ocorridos no planeta, talvez o maior do gênero, como atestam as praias transformadas em lixeiras.

A avacalhação geral

O governo brasileiro, em conluio com os meios de comunicação, no entanto, vem tentando fazer os brasileiros de idiotas e ocultar a catástrofe. Foi assim que, por todo o mês de setembro, as notícias sugeriram a ocorrência de manchas resultantes da lavagem de um barco, apresentando a tragédia sem precedentes como incidentes locais irrelevantes.

Foi nesse intuito que o miliciano tomou sua primeira e maior providência relativa ao derrame, decretando sigilo sobre o relatório da Petrobrás a respeito da origem do óleo, ato que lhe permitiu disfarçar o crime monstro em andamento e insinuar responsabilidade da Venezuela sobre ele.

A estratégia de ocultação do crime tem consistido em imputar à Venezuela a origem do petróleo que adviria, assim, de longe, e através de um barco, minimizando o vazamento descomunal, que, de fato, não caberia em um navio, mas, talvez, em milhares deles – uma mancha de óleo remanescente detetada por satélite europeu sugere vazamento dessa ordem.

Nesse momento, o governo brasileiro continua fazendo os brasileiros de idiotas, em especial os nordestinos, cujas praias estão sendo transformadas em lixeiras. O sigilo imposto sobre o relatório da Petrobrás que esclarece a origem do vazamento resolveria de imediato o mistério criado pelo próprio governo, desmascararia o responsável pelo crime e permitiria uma avaliação mais clara da catástrofe, ação que resultaria em multa bilhonária que talvez impedisse a repetição do evento.

Leia também:  Bolsonaro é denunciado por 'crime de lesa-pátria' no MPF por liberar plantio de cana-de-açúcar na Amazônia

Mas, bilhões são bilhões, e conseguem comprar muita coisa, de modo que os brasileiros vão sendo feitos de idiotas, as praias brasileiras vão sendo transformadas em lixeiras, e a avacalhação geral vai se espraiando por todo o país.

Leia também:

https://jornalggn.com.br/crise/manchas-de-oleo-por-que-estao-ocultando-o-gigantesco-crime-ambiental/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/manchas-de-oleo-o-que-esta-sendo-ocultado/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/manchas-de-petroleo-mapeando-o-crime/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/mais-sobre-a-farsa-do-petroleo-venezuelano/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/o-elefante-escondido-embaixo-do-tapete/

https://jornalggn.com.br/artigos/a-catastrofe-oceanica-e-a-farsa-em-andamento/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/desastre-monstro-no-atlantico-sul/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/especulacao-sobre-a-catastrofe-que-assola-o-litoral-brasileiro/

Crime ambiental em andamento no Atlântico Sul, por Gustavo Gollo

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/catastrofe-ambiental-no-atlantico-sul/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/um-elefante-embaixo-do-tapete/

https://jornalggn.com.br/blog/gustavo-gollo/desastre-ambiental-no-atlantico-sul/

 

# manchas de óleo,  # vazamento de óleo ,   #vazamento de petróleo

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora