Começou a operação “Salva-Moro”, por Gustavo Conde

O país é um furdunço e vai se reorganizando muito lentamente, no ritmo do tempo histórico que é contado por décadas, não por anos. O país é um furdunço e vai se reorganizando muito lentamente, no ritmo do tempo histórico que é contado por décadas, não por anos. 

Começou a operação “Salva-Moro”, por Gustavo Conde

É comovente ver o Grupo Globo se lançando à mais uma tentativa de salvar Sergio Moro do esquecimento e da repulsa popular e coletiva.

Lamento dizer: será difícil, viu. O juizeco virou um farrapo humano. Só a lembrança da Lava Jato já faz o brasileiro levar a mão no bolso para pegar o lenço (porque não tem dinheiro). Nem o mercado financeiro quer ouvir falar desse passado justiceiro que empesteou o país de ódio e catástrofe econômica.

Mas, faço um alerta importante: se for para impedir o Lula, elite vai de Moro. Lula é o maior cabo eleitoral para ambos os lados, para a esquerda e para a direita.

Vamos assistir a essa operação Salva-Moro calados?

Enfim, que venham. Se a esquerda brasileira ficar comemorando a vitória do Joe Biden e criticando a Kamala Harris, Moro tem grandes chances.

Agora, cá entre nós: é tão engraçado ver a dedicação maternal da Globo em salvar Sergio Moro. Acho que eles até cumprem essa tarefa porque sabem que a militância digital progressista está perdida, lutando entre si, cheia de traumas e preconceitos. Devem pensar assim: “vamos que eles deixam”.

Ainda contam com uma força imensa das mídias progressistas, que replicam suas matérias de graça.

E, aí, temos de admitir, a contragosto: Bolsonaro tem se saído o melhor estrategista de comunicação política do país. Ele fez Moro desaparecer do mapa, coisa que a esquerda tentou anos a fio e não conseguiu. Fica uma lição amarga.

Explica-se: com essa elite que temos, com esse tipo de jornalismo que temos, com os segmentos progressistas se engalfinhando internamente, fica fácil ser gênio do mal.

É só jogar parado, como Jairzinho.

O país é um furdunço e vai se reorganizando muito lentamente, no ritmo do tempo histórico que é contado por décadas, não por anos.

Com a derrota de Trump, os balões de ensaio voltaram à toda. É Huck pra lá, Ciro pra cá… E Moro no banco de reservas. Se bobear, até a Marina Silva aparece (e seria bom que ela aparecesse, pelo menos para falar da devastação do Pantanal e da Amazônia).

Nessa dança dos candidatos de proveta, resta, de fato, observar com atenção a tentativa de ressuscitar o ex-juiz de Curitiba. Porque se essa tentativa fracassar – e ela tem tudo para fracassar – o prestígio residual da Rede Globo vai junto.

Não seria pouco para um país cansado de sofrer com esse oligopólio de mídia monstruoso e decadente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 comentários

  1. O articulista, destaca a “capacidade de comunicação de bozo” no trecho:
    ” Ele fez Moro desaparecer do mapa, coisa que a esquerda tentou anos a fio e não conseguiu.”
    Discordo
    Bozo, junto ao pgr e militares apoiadores, simplesmente enquadraram Moro aproveitando a vaza jato e ameaçaram prender dona Moro. Mesma tática com o pulha do Cunha, do Aécio, etc.

  2. O coiso teve por meta coisas: acabar com Moro, esta acabando com a farsa a jato e no ritmo que está vai conseguir acabar com a Globo também. Não é pouco…

  3. Vamos imagina um cenarion onde o justiceiro Moro eh eleito presidente. Logicamente que nao seria sem um bom apoio da midia e da elite financeira do Brasil.
    Internamente, a eleicao tem tudo pra ser bonita.
    Externamente, como o mundo vai aceitar isso? O Brasil vai de uma piada como o Bozo pra outra piada elegendo um justiceiro? Como um cara desses se apresenta em uma reuniao internacional? E dessa maneira conseguiremos mudar a imagem de Republica de Bananas?

  4. Transformar o grande Moro em pessoa confiável é tarefa pra mágico, e mágico dos bons.
    Foi graças ao apoio ostensivo que teve do Judiciário, da Globo e principalmente de USA, que conseguiu produzir tanta desgraça ao país em tão pouco tempo, um país que era o quinto PIB do planeta já cai no ranking como balão apagado.
    A melhor do analfabeto é que não se pronuncia sobre Tacla Duran porque o mesmo é foragido da Justiça, isto é algo digno de meia hora de gargalhadas.
    Destruiu a Petrobras, destruiu o pré-sal, destruiu o setor de construção civil, destruiu o interesse nacional no submarino nuclear, inventou um passivo para a Petrobras de não sei quantos bilhões, só esqueceu de demonstrar com clareza os detalhes do tal passivo.
    É um pilantra antigo, desde a CPI do Banestado nos anos 80 convive com AYoussef, e deste só pode ser parceiro, já que o doleiro ficou preso durante alguns anos, ficou livre e lá estava ele operando até chegar na CPI da Petrobras, como isto é possível ?
    Tudo indica que o ínclito juiz de Maringá foi inúmeras vezes a Washington, onde certamente recebia instruções de importante órgão do governo americano que o ajudava no intuito de arrebentar com o país.
    Quando saiu a primeira fornada de diálogos do Intercept, logo correu para lá, pois se sentiu encurralado e precisava de orientação, já que sozinho o idiota sequer é capaz de ir ao toalete.
    Este mentecapto na presidência só serviria para dar continuidade ao circo dos horrores em que o brasilsil se transformou. Os Marinho terão muito trabalho pra encaixar o cretino no Palácio do Planalto.

  5. O moro é a pessoa certa para o mercado e “investidores externos”. Já deu provas disso. No comando da nação, entregará, a preço vil, até os diamantes que ainda se encontram em “estado natural de carbono”. Isto é, não teremos direito nem ao ar que hoje conseguimos respirar. Isso é o que seus apoiadores esperam. E ele prontamente atenderá com inquestionável maquiavélica maestria. O resto que se dane. Ética, justiça, moralidade?… São coisas que os apoiadores exigem apenas dos adversários.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome