Como o PT entregou o País, por Gustavo Castañon

no Brasil 247

Como o PT entregou o País

por Gustavo Castañon

Por razões pessoais me ausentei do debate pós-eleitoral, mas é impossível não me pronunciar diante do artigo de Luís Nassif distorcendo a posição de dois amigos meus, Ciro Gomes e Mangabeira Unger. Digo isso logo no primeiro parágrafo para que não seja acusado de dissimular meu lado nessa história, como Nassif, que é membro da blogosfera construída pelo PT e funcionário da TV Brasil.

Esses fatos não são deméritos, quem trabalha na imprensa (em qualquer uma de suas vertentes) tem lado, e tolo é quem pensa que não. Sou leitor de Nassif e o considero um arguto observador da cena nacional, e é exatamente por isso que não podia deixar sem resposta seu artigo que se alinha ao jogo de falsificação histórica do PT, querendo imputar a culpa por seu imenso desastre eleitoral nas costas de outro candidato, que foi traído, preterido, sabotado e atacado por esse partido não só agora, mas durante toda sua vida política.

Existe uma coisa em psicologia de grupos que se chama “pontuação na sequência de eventos”. A maioria dos conflitos entre duas ou mais pessoas acontece porque elas pontuam o evento inicial que deu origem ao conflito em momentos diferentes da história, levando às comuns acusações de que “foi você que começou”. Ora, até pelo poder que acumulou e exerceu nos últimos 16 anos, quem merece o título de iniciador dessa sequência de eventos é Lula e o PT.

Porque a história dessas eleições não começa quando, 48 horas antes do prazo final para registro de candidaturas, Lula ordena que Ciro vá se ajoelhar para ele em sua cela. Ela começa muito antes.

Poderíamos estabelecer o começo dessa história quando Lula escreve a “Carta aos Brasileiros”, carta que Ciro jamais escreveu para vencer, ou quando nomeia o ex-presidente do BankBoston para liderar o Banco Central do Brasil, dando-lhe na prática independência: independência dos interesses nacionais. Poderíamos começar quando Lula decide continuar o rentismo ou em qualquer um dos dias em que se jactou de ter liderado o governo onde “os banqueiros nunca lucraram tanto”. Poderíamos começar essa história quando Lula intervém no PSB para proibir a candidatura Ciro e nos descer pela goela Dilma, em 2010, ou quando a mesma comete o maior estelionato eleitoral da história, pressionada por Lula, e nomeia um representante dos banqueiros para aplicar um ajuste neoliberal em nossa economia em 2014. Ou ainda quando o PT compara o impeachment de Dilma com o golpe contra Jango, que perdeu o poder ao defender a taxação da remessa de lucros, o voto dos analfabetose a Reforma Agrária, as chamadas Reformas de Base.

Mas não. Vamos estabelecer o início dessa história na campanha eleitoral deste ano. Que não começa na manobra venal de Lula para colocar Ciro de joelhos, mas no lançamento das candidaturas de Lula e de Ciro, ainda em 2017. Sempre fui partidário da candidatura de Ciro e considero os governos do PT medíocres, servis e grandes oportunidades perdidas, como atestam o índice de crescimento médio do país – quase idêntico ao tucano – e a manutenção dos índices de desindustrialização e desigualdade. Apesar disso, considerava acertado o lançamento retórico da candidatura Lula e suas caravanas pelo país para se defender e recuperar seu capital político e eleitoral.

No entanto, qualquer agente político sério no Brasil sabe duas coisas. Primeiro, que viabilidade eleitoral não é viabilidade política, numa eleição não se deve somente construir uma maioria de votos, mas condições de exercer o poder. E Lula não tinha mais condições políticas de o exercer, uma vez que era vetado por todas as instituições e corporações da República, particularmente, o Judiciário. Que dirá o PT. Esse partido não só tinha a imagem imensamente comprometida com a manutenção do status quo (por bons motivos) e com a corrupção, mas também a reputação de hegemonista, arrogante, traiçoeiro e inconfiável disseminada pela quase totalidade da classe política. O campo progressista estava terrivelmente isolado e a reconstrução das condições da volta ao poder passava pela renúncia do PT à cabeça de chapa. Esse movimento poderia ser um recuo tático do partido se seu objetivo fosse de fato disputar o poder central e não a liderança da oposição ao governo Alckmin.

Em segundo lugar, todos sabiam que Lula não seria candidato, apesar das desavergonhadas tentativas da blogosfera petista de enganar a militância com esperanças mirabolantes. E Lula não seria candidato por causa da lei que ele próprio sancionou, refém do udenismo e da ingenuidade republicana do PT, que nunca sinalizou qualquer resistência efetiva às investidas do Poder Judiciário.

Assim como era obrigação política de Lula defender o legado do PT de sua satanização indevida, era obrigação política de Ciro apresentar e defender um novo projeto para o país, criticando todos os erros cometidos pelo PT na condução do governo. Se não o fizesse, seria visto pela Nação como um preposto do PT, inviabilizando a mudança e a superação da polarização petismo/anti-petismo que afundou, finalmente, o Brasil.

Leia também:  Economia em risco e o desastre do governo Bolsonaro, por Fernando Haddad

O PT e Lula têm motivos para cobrar politicamente de Ciro uma solidariedade maior com a perseguição judicial que Lula estava sofrendo. Mas, igualmente, subir num palanque com Lula contra o Judiciário seria abandonar toda perspectiva de fugir da lógica personalista que Lula queria impor – e impôs – às eleições, e sujeitar-se à uma condição de “puxadinho do PT”, condição que condenou as candidaturas de Boulos (que teve um terço da votação do PSOL em 2014) e de Manuela, que terminou a campanha como uma vice escondida pelo PT. Isso sem falar na delação de Palocci, nos outros seis processos e nas novas acusações contra Lula e toda a direção do PT, que Ciro e a torcida do Corinthians sabiam que viriam.

Para apoiar Ciro, Lula e o PT, como qualquer político e qualquer partido, tinham o direito de querer que ele se comprometesse a defender o legado petista, e se transformasse nas eleições no “campeão do lulismo”, uma espécie de Lancelot do Lula. Mas Lula não deveria ter se comportado como um político qualquer. Ele deveria ter se mirado no exemplo de Brizola e se comportado como um estadista, que pensa em seu povo e seu país antes que em seu jogo de poder pessoal. O apoio a Ciro sem a exigência dele se comprometer com a pauta política que foi rejeitada na eleição poderia ter mudado os rumos do campo progressista, do Brasil e do próprio PT.

Porque, como vimos, o país estava farto do PT. Mesmo nos melhores momentos de intenção de voto de Lula, o candidato apoiado por ele no segundo turno ostentava de 61% a 63% de rejeição no Datafolha. Os blogues petistas falsificavam o significado de perguntas como “Você votaria num candidato apoiado por Lula?” ou reproduziam as peças de propaganda da Vox Populi, enquanto tanto eles quanto a direita brasileira sabiam que o PT tinha força suficiente para colocar um candidato que não Lula no segundo turno, mas não para vencê-lo. A maioria do país ainda aceitava Lula, mas já não aceitava, em hipótese alguma, o PT.

Então Lula tinha diante de si duas alternativas decentes. Deixar Ciro construir um novo polo enquanto mantinha uma candidatura petista exclusivamente para defender seu legado, ou ser grande e apoiar Ciro desde o começo, permitindo que ele minimizasse o dano do apoio do PT e que pudesse fazer a crítica necessária ao período petista.

Mas não. Lula usou de todos os meios a seu dispor para sabotar a candidatura Ciro e direcionou todas as suas baterias políticas – inclusive a máquina de internet do PT – para seu desgaste pessoal, atuando em comum acordo com o PSDB para manter a polarização política tradicional entre os dois partidos.

Provavelmente por coincidência, no mesmo período assistimos a uma surpreendente absolvição de Gleisi num momento em que o PT só colecionava condenações, assim como uma mais surpreendente ainda libertação de Zé Dirceu, já condenado pela segunda vez e tendo perdido os direitos de progressão de pena. O que não foi nada surpreendente é que Dirceu tenha saído da Papuda diretamente para articular o isolamento de Ciro com o PSB e o PCdoB, papel que Gleisi já vinha se esforçando para desempenhar, mas com menor competência.

E assim o PT e Lula usaram todo o resto de seu poder eleitoral para esfacelar o PSB e dar seu tempo de TV para a direita, impedindo o fechamento com Ciro (às custas das destruições das candidaturas de Marília em Pernambuco e Lacerda em Minas, o que entregava o segundo Estado da federação ao PSDB, mas acabou o entregando ao Itaú), assim como levaram o parceiro de Lula, Valdemar da Costa Neto, a entrar na negociação com o Centrão e o levar para Alckmin. Ainda colocaram o PCdoB sob chantagem contra suas candidaturas no país inteiro, levando-o a péssima decisão de mais uma vez caminhar com o PT, o que o deixou sem conseguir vencer a cláusula de barreira.

Por fim, sabendo que a liderança do PT não tinha mais viabilidade política para governar, que sua candidatura era uma fraude, que ele estava preso e condenado, que não poderia fazer campanha, que o país queria um projeto alternativo ao do PT, que tinha sabotado de todas as formas a candidatura Ciro, que na condição de vice Ciro seria retirado da disputa e dos debates por tempo indeterminado, que ia submeter as eleições a um debate sobre ele, Lula ordena que Dilma convoque Ciro para se ajoelhar diante dele na carceragem de Curitiba.

É fácil hoje dizer que Ciro errou e que se tivesse se ajoelhado seria presidente. Mas o PT tem que se decidir por uma linha coerente no seu esforço de destruição da imagem de Ciro. Se Ciro só pensa em seu projeto pessoal porque não se ajoelhou para Lula? Ele coloca seu orgulho acima de seu projeto pessoal? Bem, do meu ponto de vista nem uma coisa nem outra, evidentemente. A decisão de Ciro naquele momento era dificílima e teve lógica política e como resultado imenso sacrifício pessoal e desprendimento em prol do Brasil. O que Ciro levou em consideração?

  1. Ser vice de Lula seria abonar a fraude do PT e participar de um ardil com o povo brasileiro, porque Lula não era de fato candidato;

  2. Seria se submeter simbolicamente a um preso condenado, o que inviabilizaria a autoridade moral de um eventual futuro presidente;

  3. Havia ameaça de a justiça eleitoral impugnar não Lula, mas a própria candidatura do PT, como se lembram os observadores mais atentos. Neste caso, com toda a centro-esquerda no mesmo barco, a eleição estaria finalizada;

  4. Ao se colocar na chapa do PT, Ciro perderia qualquer controle sobre a campanha e se comprometeria juridicamente com o que havia sido feito até então e com as formas de arrecadação e financiamento do partido, colocando seu destino político nas mãos de pessoas como Gleisi Hoffmann e Sérgio Gabrielli e podendo ficar, por consequência, inelegível por oito anos;

  5. No caso de impugnação de Lula, a definição de Ciro como candidato da aliança estaria nas mãos do glorioso diretório nacional do PT, problema que poderia ser minimizado com um acordo público, mas jamais eliminado. Sabemos que poderiam utilizar qualquer declaração crítica de Ciro como desculpa para trair o acordo, e o histórico do PT não recomenda qualquer confiança. Como mostrarei aqui ,o objetivo do PT nunca foi ganhar a eleição, mas garantir seu papel de líder da oposição e eleger 50 deputados garantindo a sobrevivência do partido e sua máquina. Estrutura, gabinetes, fundo partidário, tempo de TV, fundo eleitoral: isso para a burocracia do PT está acima de tudo;

  6. Ao se submeter à condição de vice-fake, não só seria impedido de participar dos debates enquanto a candidatura não fosse julgada – o que nesse caso poderia ter se arrastado até a última semana – como perderia a condição de ser visto como uma alternativa de poder, sem contar com o dano de imagem em se submeter ao PT depois de tudo o que o partido fez não só no governo, mas com ele próprio dias antes;

  7. Aceitar a condição de vassalo de Lula o faria definitivamente refém da agenda lulista e do debate em torno de Lula e do PT, tirando-lhe as condições políticas, inclusive controle sobre seu próprio tempo de TV, para debater a questão nacional e apresentar projeto alternativo ao petismo;

Leia também:  Extinction Rebellion x Rebelião Escravocrata tupiniquim, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Então Ciro decidiu enfrentar a máquina de Alckmin, de Bolsonaro e do PT e levar ao Brasil um discurso próprio, um projeto novo e uma alternativa para a esquerda e o país, mesmo sabendo que a eleição seria muito difícil. Mais uma vez, provou que seu desejo de ser presidente não está acima de tudo. Nunca o levou a se vender a FHC, ou à banca, ou a escrever Carta aos Brasileiros, ou a se ajoelhar a personalismos.

Foi esse desprendimento que não teve Haddad, ao contrário da interpretação de Nassif. Ele não fez como Wagner, que se recusou a ser candidato e pediu o apoio a Ciro no primeiro turno. Haddad se agarrou avidamente a oportunidade de ressuscitar sua carreira política.

E foi assim que o PT destruiu o país. Sabendo que não tinha condições políticas de exercer o poder, que levaria o país a outro golpe caso vencesse, sabendo que Haddad não venceria o segundo turno, que se vencesse não tomaria posse, que se tomasse não governaria e que se governasse entregaria o país em nome da esquerda ou seria derrubado, enfiou pela goela do Brasil sua tragédia e condenou nossa soberania e o futuro de milhões de crianças e jovens brasileiros para obrigar o país a debater a prisão de Lula e provar que seu poste tinha mais votos que Ciro no primeiro turno.

Para prová-lo, Lula escolheu o candidato mais inviável, um liberal paulista que, justamente ou não, foi considerado o prefeito mais impopular do país e perdeu de forma humilhante uma eleição menos de dois anos antes, sentado na cadeira, no primeiro turno em São Paulo onde o PT punha seu candidato no segundo turno desde 1992.

Concluindo as evidências de que o PT não pretendia de fato vencer, lembro ainda que o primeiro ato de Haddad no segundo turno foi visitar Lula na prisão, fato que enterrou qualquer possibilidade de disputa acirrada. Porque afinal não o faria? A missão já estava cumprida. Ou ainda lembro que enquanto uma militância ingênua se esgoelava e lutava desesperadamente às vésperas das eleições, Dirceu e Gleisi faziam declarações suicidas de indulto a Lula como primeiro ato de governo ou “tomada do poder”. Para eles, a eleição já estava ganha: Haddad tinha ressuscitado, o PT tinha conseguido se manter como maior partido de oposição e feito 50 gabinetes na Câmara, garantido bom fundo partidário e alguns governadores. O PT estava salvo. O Brasil, destruído.

A Nação em nenhum momento foi questão para o PT. Mais uma vez esse partido arrastou a esquerda para uma campanha vergonhosa e despolitizante, baseada num discurso reacionário de volta a um passado mítico que nunca existiu e do qual a maioria da população brasileira queria a superação, e num messianismo que no segundo turno teve que ser escondido. O símbolo da campanha de Haddad foi, sem dúvidas, ele se escondendo atrás da máscara de Lula.

Leia também:  A corrida na direção do poder real começou, por Rogério Maestri

E se escondendo atrás da máscara de Lula ele despolitizou o debate, batendo apenas na tecla do vitimismo, da saudade e das liberdades individuais, deixando Bolsonaro de cara para o gol com sua pauta moralista e também despolitizada. Porque eles fizeram isso? Ora, porque não tinham como defender a política econômica liberal do governo Dilma nem se apresentar como mudança verdadeira para a população. Ao contrário, escreveram nova “Carta aos Brasileiros” defendendo o ideário neoliberal.

Elegendo vergonhosamente Ciro, e não o fascismo, como seu adversário preferencial, o PT jogou todo o peso de sua máquina no Nordeste para lhe roubar aliados, tendo inclusive enfrentado denúncias até hoje não esclarecidas.

Enquanto Ciro chamava Bolsonaro para o debate e o acusava do alto dos carros de som, Haddad não pronunciava seu nome porque o PT acreditava, irresponsavelmente, que seria capaz de montar uma frente democrática em torno de si no segundo turno e perder por margem menor o enfrentando. O verdadeiro desastre para o tipo de partido que é o PT seria a eleição de Ciro contra ele. O partido segurou sua militância que se apavorava com Bolsonaro e queria combatê-lo e, enquanto Bolsonaro disparava nos trackings e se encaminhava para a vitória em primeiro turno, espalhava falsos “trackings do MDB” que mostravam que era Haddad que quase ultrapassava Bolsonaro, alimentando a polarização que nos destruiu. Disseminaram a ideia de que Bolsonaro era o candidato ideal para o segundo turno e que a missão central era destruir o centro político. Isso num momento de ascensão real do fascismo.

Na rede, onde atuei mais diretamente na campanha, a máquina do PT disseminava peças difamatórias contra Ciro até mesmo de seus blogues e jornalistas associados. Contra Bolsonaro, nada, até os últimos dez dias do segundo turno. Não tinham sequer algo pronto para entrar imediatamente após o primeiro turno.

Isso quer dizer o quê, que o PT queria perder para Bolsonaro? Não. O PT planejou perder para o PSDB para juntos enterrarem a lava-jato e se acomodar novamente em seu papel de oposição até o dia em que pudesse voltar. A aposta, no entanto, deu errado. Agora, Lula pagará pelo resto de sua vida na cadeia. Eu, realmente, lamento, e quem me conhece sabe que lamento. Por ele também, mas principalmente pelos milhões de crianças e jovens brasileiros que perderam seu futuro.

Ciro não deve ser mitificado, como o petismo faz com Lula e o bolsonarismo com Bolsonaro. Ele erra, tem defeitos e discordo de alguns erros táticos que cometeu. Por exemplo, discordo de ele não ter dado uma simples declaração de voto em Haddad, mesmo tendo liberado todo seu grupo político para apoiá-lo e votado nele. Discordo não porque isso tenha feito qualquer diferença nas eleições, mas simplesmente porque deu instrumento retórico para a falsificação histórica que hoje o PT tenta promover, mesmo com a transferência quase completa dos votos de Ciro para Haddad.

É incrível, incrível desonestidade um homem como Nassif dizer que as entrevistas de Mangabeira “esclarecem de vez as razões objetivas que levaram ao racha das esquerdas”. Quem teve o destino dessas eleições nas mãos foi Lula, em nenhum momento Ciro. O resultado dele se submeter a essa manobra brutal de Lula ainda é, hoje, totalmente imprevisível, com amplas possibilidades de desastre.

E o fato aqui é que Lula novamente brincou de Deus e se destruiu definitivamente. Sua propalada intuição política e genialidade que errou todas nos últimos quatro anos entregou o país à sanha estrangeira e à destruição de sua soberania, e o povo brasileiro ao massacre definitivo de seus direitos. E ele sabia que o risco era esse.

Então você, leitor, pode julgar depois de tudo isso que Ciro decidiu não ser vice de Lula por ser orgulhoso ou qualquer outro defeito pessoal. Mas eu acho que quem continua pensando isso depois desse quadro apresentado, baseado em fatos de domínio público, pode somente estar tão desacostumado a ver desapego e dignidade pessoal na política, que não consegue mais os reconhecer quando aparecem. Por isso Ciro pode até ser criticado como político e candidato, mas como pessoa mostrou mais uma vez na vida que é um homem honrado que não está disposto a qualquer coisa para ser presidente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

78 comentários

  1. engraçado, v.diz de fatos de

    engraçado, v.diz de fatos de “domínio publico”, mas na leitura  (confessamos, até certo ponto) ocorreu-nos pensar que v.sa. era uma espécie de onisciência onipresente ao “narrar” “fatos” sugerindo que esteve presente em todos. a propósito, onde achamos o conceito de “pontuação na sequÊncia de eventos” em psicologia social? quem o definiu?

  2. Lula X Ciro

    1) É piada de papagaio dizer que Ciro Gomes “é” da “territorialidade progressista e/ou de esquerda”. De certo, nunca foi ou “está”… Ciro é um farfalhão, que não inspira credibilidade politica quanto a seus discursos e comprometimento (efetividade) com as teses de esquerda/progressista;

    2) o arrazoado de críticas ao lulo-petismo “no poder” são pertinentes e de fácil evidenciação política e histórica;

    3) Ciro – que herdeiro que é do “coronelismo político nordestino”, porém higt tech – achou que poderia dar o “drible da vaca” no eleitorado. Não conseguiu;

    4) É patetico (e maneira de não assumir os próprios) Haddad e cúpula da burocracia petista subserviente à logica dos interesses da classes dominante,”jogar a culpa” da “derrota” no lombo do Ciro, este não tinha “cacife” politico para decidir a eleição.

  3. o brasil não pode ficar refém dessa querela

    O PT não tinha obrigação de apoiar Ciro, este, por sua vez, não tinha obrigação de apoiar o PT. Ambos fizeram suas opções.

    Agora, o que não dá, é também reduzir o legado de Lula e do PT a denúncias e condenações arquitetadas pelas elites, com forte protagonismo da classe política, empresarial e midiática. Lula defendeu seu patrimônio político, o PT defendeu seus interesses de Partido que governou o país, e eles não estão errados, porque fizeram coisas importantíssimas para o Brasil.

    Houve excessos de ambos os lados? Com certeza, mas dizer que o PT entregou o país a Bolsonaro já beira o ridículo. É o absurdo do simplismo, é como se chegássemos à hilária e trágica conclusão de que Lula está injustamente preso por sua culpa pessoal. Bizarro!

    Ciro quer seguir seu caminho sem o PT? Que siga! Faz parte de seu direito e de sua estratégia.

    Reduzir a história recente do Brasil a esse embate é patético. O futuro do Brasil não depende do acertinho dos supostos messias Lula-Ciro. Essa história já deu.

    • Não, leia novamente, ele deu duas alternativas

      “Então Lula tinha diante de si DUAS alternativas decentes. Deixar Ciro construir um novo polo enquanto mantinha uma candidatura petista exclusivamente para defender seu legado, ou ser grande e apoiar Ciro desde o começo, permitindo que ele minimizasse o dano do apoio do PT e que pudesse fazer a crítica necessária ao período petista.”

      • Ora, simplesmente não consigo

        Ora, simplesmente não consigo atinar para essa lógica: se Ciro era detentor de potencial eleitoral para pugnar por uma candidatura independente, por que dependia de Lula para tal? Esse “deixar Ciro construir……” a meu ver denota uma desonesta transferência de responsabilidade. Mais: por que, por qual razão, onde estava determinado, que Lula deveria apoiar Ciro Gomes? 

        Apenas um reles apelo retórico de quinta categoria esse “ser grande e apoiar Ciro desde o começo”. Bem típico de tudo que envolve o Ciro Gomes. A grandeza de Lula nunca dependeu, não depende e nunca dependerá de apoio ou falta de apoio a um reles demagogo e posudo que imagina dobrar a todos pelo gogó. Um frustado que quer transferir o ônus da derrota já visando já treinando o discurso para 2022.

  4. Meu Deus
    Sr Gustavo o senhor é um olavo de carvalho de ciro… prolixo porém usando uma parte do cérebro, aquela que lhe convém e lhe dá uma perspectiva de tranquilidade em relação às trapalhadas de seu ciro antes, durante e por incrível que pareça, até mesmo depois do período eleitoral.
    Sr Gustavo …ciro simplesmente nunca mais…

  5. Estranho o fato de não pautar
    Estranho o fato de não pautar em momento algum a grande farsa jurídica montada para destruir o maior partido de esquerda e o que, com toda deficiência devido a coligação com “as celulas” cancerígenas da política brasileira construiu um real momento de melhoria social (este o seu real erro).
    Não reconhecendo ou não levando em consideração a lawfare, a posição estratégica do Brasil para a consolidação da guerra comercial promovida pelos EUA,é notória a ação da CIA neste processo, vemos claramente que tanto Ciro quanto os demais ditos democratas, não coligaram com o Brasil e sim endossaram o crime de lesa pátria que estes fascistas estão promovendo desde o golpe. Ciro cinicamente e ironicamente se referia a este lamentável episódio. Na verdade todos estes entes viram na possível morte do PT a oportunidade de subirem no cenário político nacional, imaginariamente acima do que conseguiram chegar em toda suas vidas.
    Em realidade a única política que realmente levou o Brasil a sério como nação autônoma, hegemônica, foi a política petista. Neste ponto, todos invejaram as conquistas de Lula e tentaram se lançar exibindo seus diplomas e discursos vencidos das décadas de setenta e oitenta, ainda vingavam no final de noventa mas não se consolidaram mais se não vislumbram o fim do PT. Estes agouros de Ciro e os Brutus da velha política abriram sim as portas do inferno moral, colocando toda sorte de fascistas no atual cenário. Se desejassem o bem, teriam juntado forças para barrar o processo funesto de impeachment levantando a voz junto de seus parceiros regionais. Pouco ou nada se viu neste sentido.
    Para finalizar, como desejariam que Lula confiasse ou viesse a ter segurança nestes urubus de valeta, que não tiveram ombridade para lutar junto no início?
    O que se viu foi o mesmo que Julio Cézar viu e sentiu quando foi ao encontro de seu fatídico fim. Mas sustentou seu carácter e toda sua obra olho no olho do inimigo, coisa de quem vê o mundo acima dos que o desejam!.

  6. A sardinha queria comer a baleia
    Em resumo:
    O golpista Ciro queria que o estadista Lula se ajoelhasse e dissesse:
    – esse é meu herdeiro!
    É só ter um pouquinho de percepção pra ver que só tem o Lula mesmo e que o Ciro tem outro chicagão com ele: aquele americano prof. de Harvard. Que fala português com sotaque de gringo.

  7. Poucas vezes me deparei com

    Poucas vezes me deparei com um texto tão cínico como esse. A pergunta que fica pairando no ar é: por que, se dado como FATO a inviabilidade eleitoral do PT, esta agremiação maldita, Ciro Gomes não tirou os votos necessários para ir para o segundo turno? Por que, como frizou o articulista, esse cidadão dado como um político medíocre, tão mal avaliado como prefeito de São Paulo – Fernando Haddad, conseguiu ainda ser competitivo numa campanha na qual pairavam esses fantasmas da condenação de Lula e a alegada repulsa do seu partido? Na realidade, há uma monstruosa contradição nessa catilinária antipetista.

    Nesses momentos vem à mente a famosa história de um cacique político que, derrotado num pleito, a ser perguntado acerca das razões respondeu, de chofre: “ora, porque tive menos votos que meu adversário.

    A estratégia do Ciro Gomes sempre foi, reitero pela enésima vez, a mais rasteira possível. Quis se aproveitar das fragilidades políticas, eleitorais e legais do PT e de Lula. Noutros termos: fez chantagem política. Velada, mas fez. 

  8. Primeiro parágrafo já diz tudo

    Finalmente o professor apareceu novamente… ele tava sumido lá do 247..

    Ele diz que sumiu no pós-eleições. Não li nada nada dele há muito antes e lamentava. Queria ver ele justificar a trajetória errática do Ciro antes da eleições e durante a campanha. Será que por isto ele tava sumido?

    Queria ler comentários dele quando o Ciro foi mendigar apoio do Centrão. Infelizmente ele não nos brindou com sua argúcia naquele momento.

    Queria comentários dele apra o Ciro falar mal do MDB o tempo todo e em Minas o partido dele (tá bom, o PDT não era partido dele, era apenas sua escala temporária) esta junto com o MDB.

    Queria ler os comentários dele quando o Ciro foi pra Europa e se negou apoiar à Democracia enquanto até grandes adversários do PT enxergaram que não era mais uma questão de PT contra outro partido.

    Ok, ele é amigo do Ciro. Amigos são assim mesmo, deve ser leais com os amigos em público.

    Mas não tem nada de avaliação neutra ali. Tem apenas uma defesa do amigo.

  9. Estranho o fato de não pautar
    Estranho o fato de não pautar em momento algum a grande farsa jurídica montada para destruir o maior partido de esquerda e o que, com toda deficiência devido a coligação com “as celulas” cancerígenas da política brasileira construiu um real momento de melhoria social (este o seu real erro).
    Não reconhecendo ou não levando em consideração a lawfare, a posição estratégica do Brasil para a consolidação da guerra comercial promovida pelos EUA,é notória a ação da CIA neste processo, vemos claramente que tanto Ciro quanto os demais ditos democratas, não coligaram com o Brasil e sim endossaram o crime de lesa pátria que estes fascistas estão promovendo desde o golpe. Ciro cinicamente e ironicamente se referia a este lamentável episódio. Na verdade todos estes entes viram na possível morte do PT a oportunidade de subirem no cenário político nacional, imaginariamente acima do que conseguiram chegar em toda suas vidas.
    Em realidade a única política que realmente levou o Brasil a sério como nação autônoma, hegemônica, foi a política petista. Neste ponto, todos invejaram as conquistas de Lula e tentaram se lançar exibindo seus diplomas e discursos vencidos das décadas de setenta e oitenta, ainda vingavam no final dos noventa mas não se consolidariam mais se não vislumbrassem o fim do PT. Estes agouros de Ciro e os Brutus da velha política abriram sim as portas do inferno moral, colocando toda sorte de fascistas no atual cenário. Se desejassem o bem, teriam juntado forças para barrar o processo funesto de impeachment levantando a voz junto de seus parceiros regionais. Pouco ou nada se viu neste sentido.
    Para finalizar, como desejariam que Lula confiasse ou viesse a ter segurança nestes urubus de valeta, que não tiveram ombridade para lutar junto no início?
    O que se viu foi o mesmo que Julio Cézar viu e sentiu quando foi ao encontro de seu fatídico fim. Mas sustentou seu carácter e toda sua obra olho no olho do inimigo, coisa de quem vê o mundo acima dos que o desejam!

    ps. Só um destaque. Ao longo do texto é falado sobre a arrogância, soberba e traição dos membros do PT, logo após o autor diz o seguinte…”E Lula não seria candidato por causa da lei que ele próprio sancionou, refém do udenismo e da ingenuidade republicana do PT, que nunca sinalizou qualquer resistência efetiva às investidas do Poder Judiciário”. Mostra maior de que Lula respeitou a autonomia dos poderes e acreditou na integridade e maturidade do país, coisa que não se verificou de fato. Em todos os aspectos nosso respeitado Gustavo Castanon, entrega a visão estadista de Lula frente aos traidores da pátria, coisa que vemos desde que por aqui aportou a chamada “república”.

  10. Culpa?
    Com certeza Ciro tem responsabilidade com o desenrolar dos fatos, assim como Lula! Lula é maior que Ciro, logo sua responsabilidade é proporcionalmente maior! O que me incomoda nos comentários acima é a falta de perspectiva de que o texto é uma resposta, não uma acusação gratuita…

  11. Votei em Ciro e concordo em

    Votei em Ciro e concordo em grande em parte com o texto, mas me intriga a pouca abordagem sobre a postura de Ciro no 2o turno. Para mim, pelo menos, a omissão de Ciro o fez se desmanchar feito estátua de barro na chuva, para sempre.  Que apareçam novos nomes viáveis  no setor progressista para uma longíqua eleição de 2022, e eu apostaria em Flávio Dino como a melhor opção que se projeta. No entanto, meu desejo maior é que o setor progressista focasse as eleições para os legislativos, com aumento substantivo da bancada.

    • Que Pena…

      Giuseppe: essa é a do coronel Ciro. Já fez disso, noutras vezes. O mais preparado do pleito passado. Mas com o pavio curto. Não tem jogo de cintura pra política. É ele ou ele. Visão de político, não de estadista. Não digo que esteja errado. É seu direito, em assim proceder. Mas, dificilmente conseguira eleger-se sem o conchavo dos verdeolivas. Estes sim, verdadeiros articuladores do daBala. Haja visto o golpe da facada.

  12. Como disse o Rui C Pimenta:

    Como disse o Rui C Pimenta: Ciro Gomes é um NADA que queria se eleger com os votos do Lula.

    Nunca votei no Ciro e jamais terei este desprazer.

  13. Ciro e o eterno chororo

    Quantas palavras gastas pra não dizer absolutamente nada.

     

    Ciúme de homem é muito pior que o de mulher.  O o autor parece que tambem tem ciumes. So que do PT, que ele não ajudou a construir . Fácil é defender candidato frouxo, que é bom de papo mas na hora do vamos ver , se mandou.

     

    Rwgistre-se que o pessoal ponta firme do PDT não amarelou e fez acampanha do 2º turno junto com o PT sem o menor problema. O problema foi no andar de cima onde a capitania do Ceará achou que tinha ,mais jornal velho pra vender do que realmente possuia.

     

     

  14. Ciro não passa de um sujeito com um imenso talento pra déspota.

    O Ciro não é confiável, nunca foi. Só pelo fato de mudar de partido a cada contrariedade revela seu imenso talento pra déspota. É só navegar pelos blogs e ver quantos ‘ciristas’ sobraram após a eleição, aqui mesmo  é só ler os comentários dessa postagem – os defensores dele são ínfimos. Foi-lhe oferecido o lugar de Haddad na chapa de PT, mas ele, prepotente não aceitou, chegou a pedir uma lista das pessoas que ofendeu para o DEM (ex-PFL e ex ARENA, partido de apoio a ditadura onde Ciro iniciou sua carreira ) atrás do apoio, chora agora as pitangas por que o PT, partido que já parte com 30% dos votos em qualquer eleição, num movimento legítimo de quem faz política amarrou a neutralidade do PSB, partido que foi a última tentativa dele de aumentar a base de apoio e não conseguiu. Se refugiou na Europa num movimento a Jânio Quadros e agora vem apontando o dedo. quer uma frente oposicionista sem o PT, a maior bancada da câmara Num artigo no 247, Willian Robson Cordeiro ” Ciristas não existem” ( https://www.brasil247.com/p… ) desvenda com clareza que fosse Ciro o candidato no segundo turno não amealharia os 47 milhões de votos que Haddad obteve, pelo simples fato de sua natureza mandona, e coloca que os ‘ciristas’ não existem são apenas anti petistas envergonhados.
    Ciro é um déspota, esclarecido, mas déspota!

  15. FHC,Ciro e a inutilidade
    FHC,Ciro e a inutilidade democrática de quem se anula,o artigo é de autoria do jornalista Carlos Fernandes.Pergunto:Por que não inserir nele o Prof.Gustavo Castanon.Uma sumidade em inutilidades.Os ciristas que aqui gorjeiam,deveria le-lo.

  16. Quem de fato está

    Quem de fato está falsificando a história? O impeachment foi legítimo? Lula não é um preso político ?

    • Cavalinho de Troia mancando na chuva…

      “E nããããããoooooo se esqueça disso!”:

      Ta parecendo, somente PARECENDO, nao eh mesmo, que a putada macon decidiu que  “alguma coisa” a respeito dos planos deles deram errado no Brasil, nao eh?

    • Petistas & Bolsominions
      Para muitos petistas, quem não o é é de direita. Isso é apenas a contraparte dos bolso, para quem, quem não está com eles, é comunista.
      Tudo farinha do mesmo saco.

  17. Nassif nem precisa responder,

    Nassif nem precisa responder, o post é bem fraquinho. Os defensores de Ciro não são nada criativos, copiam e colam o anti-lulismo.

  18. “Nassif, que é membro da

    “Nassif, que é membro da blogosfera construída pelo PT e funcionário da TV Brasil”:

    Ja tomou no cu hoje, filho de uma grandississima puta?????

  19. ….nem o MBL seria capaz de
    …Custanon, discípulo de Idelber Avelar – especialista em jogar merda no ventilador – , sustentou que Ciro venceria concorrendo sem apoio de pelo menos 30% de votos que Lula tinha e continua tendo…..não passou nem para o segundo turno e, se tivesse passado, seria triturado em 24 horas pela poderosa máquina BozoNazi…..
    ….como pode tantas bolas foras num texto de alguém que se diz progressista: nem o MBL seria capaz de publicar um texto tão fake…..um rosário de erros e mentiras…..haja desinformação na cabeçorra do autor…..haja ódio e ilações gratuitas: parei de ler quando li coisas que repetem a extrema direita: foi o PT que inventou a corrupção: antes não havia nada disso: só não explicam pq antes nos 500 anos de nossa história não havia corrupção mas o povo vivia no total abandono por parte do Estado: vi e vivi isso antes do Lula/Dilmismo: e Lula não teve qualquer participação na escolha de Levy, uma escolha pessoal de Dilma na tentativa de conciliação com a direita golpista: erro que ela reconhece….

  20. Gustavo Castañon

    Fique à vontade, o choro é livre. Mas até agora não entendi porque vocês, imaginaram que os petistas tinham a obrigação de eleger Ciro para presidente. Eu particularmente sempre acreditei, e compartilhei com amigos, que se o PT/Lula apoiassem o Ciro, e ele fosse eleito, no dia seguinte ele aderia à direita para governar.

     

  21. Post Excelente, Magistral, parabéns Nassif

    Se eu pudesse daria mil estrelas para este post. Concordo em tudo o que disse, em cada palavra. Eu diria até mais, que Ciro não se aliou a Lula porque o MDB era considerado por Ciro como o maior inimigo do país, e caso aceitasse ser vice de Lula teria de aceitar alianças com este partido, algo com razão  impensável para Ciro. Enfim, Ciro apenas seguiu seus princípios, e isto não deve ser apontado como erro. 

    ——————-

    Parabéns ao Nassif por permitir um post com uma versão contrária ao editorial usual do blog, e divergente a muitos petistas, com isto mostra que realmente Nassif é um jornalista imparcial. 

    —————

    O post com argumentação lógica, serena e objetiva , mostrou que Ciro e Lula , são seres humanos, e mostra uma versão que bem pode ter muito de  verdadeiro. 

    ———

    Esta mesma serenidade será necessária daqui a alguns dias, pois a partir de primeiro de janeiro, começa a ” temporada de caça às bruxas “. Boa sorte a todos.

      • Com certeza não foi idéia do Ciro…

        Com certeza isto não foi idéia do Ciro, de MDB e PDT coligados em Minas…

        O Ciro foge de coligar com MDB a nível nacional, mas não manda no PDT, pois não é presidente do partido. Aliás nos confins do Brasil as coligações mais estranhas acontecem até que alguém do diretório nacional talvez se incomode e vete isto. 

        Uma coisa porém é uma coligação num estado ou município, que aliás já é grave e outra coisa é uma coligação a nivel nacional com um partido como MDB, isto sim seria gravíssimo. MDB e tucanos disputamentre si o título  para saber qual partido é mais reaça que o outro. Ou qual vende mais o país. Triste é que só agora o PT se deu conta disto. Se é que se deu conta… 

        O próprio presidente do PDT teve dificuldades em obrigar todosdeputados  do partido a votarem contra o impeachment de Dilma. Houve alguns que desobedeceram e foram punidos e até expulsos do partido. 

        O Ciro está certo de fugir de certas coligaçõs , com  partidos cuja ideologia é dinheiro na mala. 

  22. Ui!!!!!

    Parei aqui

     

    ” como atestam o índice de crescimento médio do país – quase idêntico ao tucano – e a manutenção dos índices de desindustrialização e desigualdade”

    E eu pensando que o cabra era sério.

  23. Quem escreva um textão sem
    Quem escreva um textão sem atentar para a realidade dos fatos, comete muitas falhas: os números não mentem….Ciro não é presidente não por causa de Lula e sim pq Ciro não calçou as sandálias da humildade, que não passaria por ajoelhar-se diante de Lula e sim em, ao menos reconhecer o poder de liderança do ex-presidente ao invés de atacá-lo de forma desrespeitosa: precisa desenhar: “Com 100% das urnas apuradas, Bolsonaro teve 49.276.990 votos (46,03% dos válidos), e Haddad, 31.342.005 (29,28%). O terceiro colocado, Ciro Gomes (PDT), somou 13.344.366 (12,47%).” FSP.
    …..
    .

  24. Quem começa um texto com m.e.r.d.a, não merece nem ser lido.

    Já no início do texto o autor começa bostejando uma bela acusação contra o Nassif, como este tivesse recebido régios subsídios para manter um portal na Internet.

    “Digo isso logo no primeiro parágrafo para que não seja acusado de dissimular meu lado nessa história, como Nassif, que é membro da blogosfera construída pelo PT e funcionário da TV Brasil.”

    Para exemplificar o sucesso que obteve o Nassif no seu portal, vou comparar com um Blog que mantive por algum tempo, obtendo um sucesso que provavelmente se tivesse tempo, disposição e motivo, estaria pareado com vários atores da blogosfera. O crescimento era exponencial, devido a uma coisa mais importante do que subsídios, a antiguidade.

    Pois bem, sem ter a mesma veleidade de formar algo substantivo, não ter nem 1% da história jornalística de Luis Nassif, consegui começando um pouco atrasado em relação ao antigo “Portal Luis Nassif”, manter um blog que crescia rápido como uma abóbora, sobre um assunto bem menos conhecido e sem auxílio de partido nenhum nem emprego em nenhuma TV pública.

    Parei este Blog por não ter tempo e vontade de mantê-lo atualizado, quando este passava de dezena de milhares de visualizações e aumentando dia a dia o número de visualizações e comentários.

    Posso dizer que alguns meses antes do GGN, sugeri ao Luis Nassif o formato deste, se foi a minha sugestão ou não um fator importante, pouco importa, mas o formato estava caindo de maduro, e se por exemplo, esta criatura que aqui vos fala se tivesse tido vontade sem nenhum estímulo de governo poderia ter lançado um portal do tipo GGN, isto tudo a um custo baixo.

    Logo ficar falando que Nassif distorce as belas palavras de dois alguéns que nunca tiveram uma contribuição significativa, além de enriquecer os seus currículos, é demais para mim. Como não sou educado que nem o Nassif vou dizer o que ele deveria dizer a este bosta que escreveu este texto: Vá tomar no C..

     

  25. Quanto rancor
    Alguns argumentos soam até infantis, um antipetismo latente com as verdades da direita em profusão, por último a condenação covarde a Lula, o grande culpado pela tragédia, e daí os 300 dias da injusta prisão pela oposição das instituições? Ora, faça-me o favor. Só esse reconhecimento, oposição das instituições?!, inválida qq argumento contra Lula e o PT.

  26. Toda simplificação dá resultado ZERO.

    Toda simplificação dá resultado ZERO. 

    O Brasil atravessou e atravessa um Processo de Golpe e têm no Executivo, Legislativo e no Judiciário classistas um conjunto de pessoas com Poder constituído propensas a golpear a Democracia, quando ela se mostrou capaz de dar 4 vitórias seguidas ao PT pelos seus acertos nas administrações Lula e Dilma. 

    Ninguém vence 4 eleições errando. 

    O Golpe criou uma superestrutura tamanha voltada para o Law Fare e as Fake News, para condenações sem provas, prisões arbitrárias e destruição de reputações gigantes e de muita gente ligada aos governos petistas, mas não é só aos seus governos. Esta superestrutura age contra toda a esquerda, porque, esta, sabemos, num país de tantas injustiças sociais e um dos mais desiguais do Planeta, só perderia em curto e médio prazo, pós-Lula, a partir de Golpe, prisões arbitrárias, Law Fare, Fake News e fraudes várias devido ao tanto de carências sociais que temos. 

    Ingenuidade do articulista pró-Ciro crer que é assim o mundo, o dos bons e dos maus, dos honestos e dos desonestos, colocando o Ciro no lado positivo. Se fosse assim Mandela e Martin Luther King não viveriam no passado situação análoga a Lula hoje, por ser uma liderança de nível mundial e o maior Estadista vivo: a de perseguidos mores pelo Sistema. 

    O Sistema não está posto para perdoar ninguém. Se Ciro fosse o candidato das esquerdas a imagem dele seria atacada 24 horas por dia na Internet, na Velha Mídia e nas ruas (por canais e movimentos de direita/extrema-direita e aliados, participantes do Sistema e patrocinados por ele), como sempre foram Getúlio (no segundo mandato), até JK, Jango, Brizola, Lula e Dilma. É a mais velha e manjada Luta de Classes. A mesma que gerou o antipetismo e que no passado era antigetulista, antijanguista, e, assim, por diante.

    O Sistema vive de inventar a corrupção e a construir a imagem negativa das esquerdas desde que a esquerda foi inventada. Ciro não viraria a Madre Teresa de Calcutá nem a Irmã Dulce só por não ser do PT. Corrupção a gente inventa, este o lema do Sistema, ainda mais, depois que o PT transformou o Brasil em 6ª economia do mundo e aumentou o PIB brasileiro quase 5 vezes e esteve colocando filho de pobre nas universidades e ameaçando a lógica de uma Sociedade de Castas brasileira, onde só pode chegar ao topo da pirâmide social quem for dos 20% que o Professor Jessé de Souza coloca como Classe Média para cima no Brasil. Imaginemos quantos anos mais de PT se não houvesse fraudes seguidas desde o Julgamento do “Mensalão”, que foi capaz de condenar até o José Genoíno, sabidamente, um homem simples, e que adquiriu um único bem na vida: uma casa modesta pelo velho BNH.

    Ciro Gomes seria a bola da vez dos “inventores de corrupção” se não tivesse outra candidatura de esquerda, ele diz ser de esquerda, pelo menos é o que lemos pelos seus defensores, se fosse ele candidato único das esquerdas. 

    Paremos com a ingenuidade. O Sistema chegou a um ponto de produção da destruição da mente de milhões e milhões de brasileiros, e anestesiados por ele e os moralismos todos fabricados pelo Sistema não elegeriam Ciro, votariam em Bolsonaro do mesmo jeito, porque o ódio do voto é, também, o ódio fabricado contra a esquerda, e, sendo Ciro de esquerda e sendo Ciro um dia Ministro do PT ficaria fácil associá-lo ao PT.

    Somente Lula mudaria o quadro eleitoral, porque tem voz na sociedade e capacidade de defesa própria, se fosse candidato. Por isso o impediram de ser e de abrir a boca para não desmascarar a farsa de sua prisão, a farsa do Impeachment e dizer o caminho das pedras. Lula é um gigante da Política. E Haddad um vitorioso. 47 milhões de votos em 1 mês e pouco de candidatura? É ser um vitorioso.

    Lembrando o fato que Ciro nunca passou dos 12,5% de votos em eleições para Presidente. Não é justo colocar a culpa nos outros nem vir com arrogância, quem o defende que ele venceria Bolsonaro. Ciro estava com 18% nas pesquisas de intenção de votos e terminou com 12,5% com a chegada de Haddad, que iniciou com 3% sua pequena campanha, e vamos dizer que sem o PT e seu candidato Haddad Ciro venceria?  Faça uma reflexão de seus próprios atos na campanha, da biruta de aeroporto que foi, para cada público um discurso, se eram sindicalistas elogio ao Lula, se eram empresários o criticando ferozmente.

    Quem não tem votos não pode construir um discurso de que a culpa é do outro, é desonesto. Lula nunca mudou de partido, por isso tem uma identidade, e podemos até dizer que tinha encontrado o caminho do meio do nosso desenvolvimento, uma social democracia, onde se iria produzir um socialismo de base e um capitalismo competitivo para se chegar ao topo da pirâmide social, onde, todos poderiam chegar lá, não só os 20% de incluídos da Era FHC para trás. 

    O Brasil tem 518 anos de História e o PT ficou 13 anos e meio no Poder apenas. Colocar toda a culpa do que acontece hoje no PT é abandonar a nossa História, a nossa tradição de golpes e de desrespeito à Democracia e a lógica escravocrata que impera nas nossas elites desde a sua fundação.

    Estávamos começando uma Revolução Social no Brasil, talvez, uns 30% concluída, e derrubaram Dilma, uma Presidenta honesta e que foi sabotada pelo Sistema desde 2013, quando sua popularidade se igualava a de Lula. Inventar que não tinha projeto de desenvolvimento no Brasil do PT é de uma falsidade imensa. Agora, imagina se o Lula assume o Poder e resolve ser o Bolsonaro da extrema-esquerda? Fazer tudo o que pensava ser necessário, impondo as coisas, não duraria 6 meses no Poder, o Sistema não permitiria, e ainda nem tínhamos uma guinada à esquerda na América Latina como apoio. E vamos deixar de ser ingênuos, o Poder econômico e o Imperialismo não são meros espectadores que aceitam tudo sem nenhuma represália, sem um contra ataque imediato. Fez-se em 2003 o que o tempo histórico pedia, e mesmo assim, em 2005 tentaram derrubar Lula, não foi assim, com o “escândalo do mensalão”, e Ciro Gomes era membro do Governo Lula, se não estivesse de acordo com a “Carta aos brasileiros” não seria Ministro de 2003 até 2006, certo? 

    Certamente, em 2010, talvez, fosse um tempo possível para uma radicalização em prol de reformas: política, tributária, e democratização da mídia, pela força popular de Lula. Esta poderia ser uma discussão válida, talvez, anteparo ao Golpe de 2016. Agora, não vamos culpar o PT pelo Golpe sofrido e a vitória de Bolsonaro, ele é a vítima e foi retirado do Poder numa fraude legislativa com anuência do STF por seus acertos e não por seus erros, foi atacado esse tempo todo por não ser o partido do Sistema e por ser uma ameaça concreta ao Neoliberalismo nacional e mundial, à hegemônia Imperialista norte-americana pela figura carismática e competente do Estadista Lula. 

  27. ….e a gente vai se
    a gente vai se lembrando de outras merdas jogadas no ventilador: dia 16 de outubro, início da campanha do segundo turno, quando se esperava o apoio de Ciro ao campo progressista para derrotarmos a barbárie que aí está, qual foi mesmo a atitude dos irmãos Gomes: ir a um comício do Haddad: pra que? pra dizer que Haddad merecia perder, bem como xingar a militância ali reunida para lutar….. recado dado, o que fez Ciro: se escondeu na Europa e lá ficou aguardando a vitória do coiso, já que Haddad “merecia perder”.. …sei lá se liderança ressentida tem futuro…..Lula, mesmo preso de forma injusta, mantém sua nobreza: um líder nato: se não fosse o que é, não estaria preso: está preso por ser o que é: uma liderança popular….e ae Ciro, vai encarar….ou mano, vê se aprende com Lula…..#LulaLivre…
    Em tempo: Ciro, se fosse você que tivesse passado para o segundo turno, tenha duas certezas:
    1- Haddad teria abraçado sua campanha.
    2- Toda os eleitores de Haddad votariam em você contra o #EleNão…
    ….

    …e não será tecendo elogios aos pendores “democráticos” dos BozoNazi que você se firmará como liderança….aliás, nem sei o que você terá que fazer: que tal procurar saber onde, como e quando perdestes tua dignidade: não consegues perceber: melhor culpar esse saco de pancadas chamado Lula, não é: que tal deixar a pancadaria no Lula por conta de Brochonaro. . ..

  28. Ciro Gomes, como tantos

    Ciro Gomes, como tantos políticos, tem a marca da vaidade. Vaidoso demais até, isso visto com mais relevância quando de suas entrevistas, sempre inciadas como de praxe. “O Sr. Ciro Gomes é formado em Direito, foi prefeito de Fortaleza, depois governador em dois mandatos, ministro de Itamar, de FHC, etc. Bola cheia. 

    Com a palavra Ciro Gomes. Aí, lá vinha ele próprio a repetir tudo que escutara há minutos. Fui isso, fui aquilo e aquilo outro. Mas, não dizia que foi ministro de fulano. Como ministro de fulano o ajudei muito, era assim. É assim. Uma vaidade tão desaradável, e indispensável, se ele realmente tem essa trajetória na política. Sobre Itamar, até que não lhe faltaram elogios pelo que fora o Mineiro para ele. Quanto aos outos, uma mágoa danada contra o PSDB, em especial ao FHC. E do PT nada de achar que foi alçado a mnistro por indicação, que poderia ter sido dada a outro. Ao dizer que ajdou muito ao governo petista, o faz pra demonstrar superiorirdade. Vaidade de vaidade. 

    Ficou contra o impeachment, como é verdade, e, sistematicamente, até onde deu, “DILMA É UMA MULHER HONESTA”. E Lula, por muito tempo, pela boca de Ciro, foi um estadista, que mudou o Brasil …Muito tempo era isso o que Ciro falava sobre Lula. Quando a TV Brasil ainda estava sob o comando do PT, que PML, Nassif, Tereza Cruvinel, e outros progressistas tinham suas pautas, eram recorrentes as entrevistas com Ciro, este sempre emitindo elogios a Dilma e Lula. Porém, já com Temer sentado na cadeira de Dilma, Ciro, camaleão, foi mudando de cor, de acordo com as circunstâncias, pois já estava amadurecendo sua ida aos palanques da vida. Gostava de antecever a disputa, os debates, com a presença dele. Pra mim, era tão bom pensar nisso que cheguei mesmo a pensar que sem Lula na disputa, meu voto seria dele.

    Foi numas entrevistas, sobretudo numa que ele concedeu a Mariana Godoy, que eu desisti de Ciro. Ali e em outros canais, bastava perguntarem por Lula que ele fazia seus teatros para sugerir que o ex-presidente era mesmo ladrão, enquanto exaltava Moro, ou se dizia amigo íntimo de Aécio, este já chamuscado com suas sacanagens. 

    Reumiria tudo que fez Ciro para eu sentir desprezo por ele por duas razões: 1. pelo fato de, mesmo na cara de pau, fingidamente, ter dito algumas vezes que preferia dar o tempo necessário ao PT, pra evitar declarar sua não-visita a Lula, que já se encontrava preso. Falsidade grande. Via-se, na cara, que ele estava adorando ver Lula preso; 2. Ciro se escafeder, e mandar o irmão fazer aquele trabalho sujo e indigno de um político, no palanque do PT, com o único fito de denegrir a imagem de Haddad. 

    Dizer que a gestão de Haddad como prefeito foi uma coisa inexpressiva é mais uma espécie de inveja, porque Haddad, dentro de suas possibilidades, tabalhou e fez muito para melhorar a cidade. Esse Gustavo, talvez, pau-mandado de Ciro, como fora o mano Cid, está totalmente equivocado. E muito me admira que não tenha sequer respeiro por Nassif, que tem seu lado, sim, mas também poderia ter ficado com Ciro até o fim, se o próprio Ciro não tivesse partido para papéis tão degradantes, próprios de um cara mal-amado; invejoso; e do tipo que também não soube perder, nem sequer ganhar. Tivesse sabido perder, ganharia muito, e teria ajudado demais a hoje estarmos numas circunstâncias diferentes.

    O grande problema de Ciro é vaidade demais; arrogância, prepotência, sabe-tudo, mesmo vendo que Haddad tem muito mais nível de escolaridade, de bagagem acadêmica do que ele. São só três diplomas, mestrado e doutorado. Isso não incomodou Ciro? Claro que sim. Não ficou até feio querer abrir fogo com Haddad, que é um homem bem-resolvido, calmo, sem esses rompantes de um homem grande que age como moleque?

    Por fim, tem muita gente se perguntando por que Ciro Gomes, ante o que acaba de suceder ao prefeito de Niterói, que é do seu partido, não recebeu dele um gesto sequer de solidariedade, se aquela prisão coercitiva foi mais uma selvageria das operações estabanadas e ilegais? Por que não expressou nenhum sentimento de compaixão com o homem? Eu sei porque. Porque ele não tem partido. Cada dia pode estar em mais um, sem vínculo. Aqueles discursos elogiosos a LUPI e a Brizola são parte de suas falsidades de ocasião. 

    Quero que Ciro se lixe, viu?

  29. Divulgue no whathsApp e demais redes sociais
    O Brasil atravessou e atravessa um Processo de Golpe e têm no Executivo, Legislativo e no Judiciário classistas um conjunto de pessoas com Poder constituído propensas a golpear a Democracia, quando ela se mostrou capaz de dar 4 vitórias seguidas ao PT pelos seus acertos nas administrações Lula e Dilma.

    Ninguém vence 4 eleições errando.

    O Golpe criou uma superestrutura tamanha voltada para o Law Fare e as Fake News, para condenações sem provas, prisões arbitrárias e destruição de reputações gigantes e de muita gente ligada aos governos petistas, mas não é só aos seus governos. Esta superestrutura age contra toda a esquerda, porque, esta, sabemos, num país de tantas injustiças sociais e um dos mais desiguais do Planeta, só perderia em curto e médio prazo, pós-Lula, a partir de Golpe, prisões arbitrárias, Law Fare, Fake News e fraudes várias devido ao tanto de carências sociais que temos.

    Ingenuidade do articulista pró-Ciro crer que é assim o mundo, o dos bons e dos maus, dos honestos e dos desonestos, colocando o Ciro no lado positivo. Se fosse assim Mandela e Martin Luther King não viveriam no passado situação análoga a Lula hoje, por ser uma liderança de nível mundial e o maior Estadista vivo: a de perseguidos mores pelo Sistema.

    O Sistema não está posto para perdoar ninguém. Se Ciro fosse o candidato das esquerdas a imagem dele seria atacada 24 horas por dia na Internet, na Velha Mídia e nas ruas (por canais e movimentos de direita/extrema-direita e aliados, participantes do Sistema e patrocinados por ele), como sempre foram Getúlio (no segundo mandato), até JK, Jango, Brizola, Lula e Dilma. É a mais velha e manjada Luta de Classes. A mesma que gerou o antipetismo e que no passado era antigetulista, antijanguista, e, assim, por diante.

    O Sistema vive de inventar a corrupção e a construir a imagem negativa das esquerdas desde que a esquerda foi inventada. Ciro não viraria a Madre Teresa de Calcutá nem a Irmã Dulce só por não ser do PT. Corrupção a gente inventa, este o lema do Sistema, ainda mais, depois que o PT transformou o Brasil em 6ª economia do mundo e aumentou o PIB brasileiro quase 5 vezes e esteve colocando filho de pobre nas universidades e ameaçando a lógica de uma Sociedade de Castas brasileira, onde só pode chegar ao topo da pirâmide social quem for dos 20% que o Professor Jessé de Souza coloca como Classe Média para cima no Brasil. Imaginemos quantos anos mais de PT se não houvesse fraudes seguidas desde o Julgamento do “Mensalão”, que foi capaz de condenar até o José Genoíno, sabidamente, um homem simples, e que adquiriu um único bem na vida: uma casa modesta pelo velho BNH.

    Ciro Gomes seria a bola da vez dos “inventores de corrupção” se não tivesse outra candidatura de esquerda, ele diz ser de esquerda, pelo menos é o que lemos pelos seus defensores, se fosse ele candidato único das esquerdas.

    Paremos com a ingenuidade. O Sistema chegou a um ponto de produção da destruição da mente de milhões e milhões de brasileiros, e anestesiados por ele e os moralismos todos fabricados pelo Sistema não elegeriam Ciro, votariam em Bolsonaro do mesmo jeito, porque o ódio do voto é, também, o ódio fabricado contra a esquerda, e, sendo Ciro de esquerda e sendo Ciro um dia Ministro do PT ficaria fácil associá-lo ao PT.

    Somente Lula mudaria o quadro eleitoral, porque tem voz na sociedade e capacidade de defesa própria, se fosse candidato. Por isso o impediram de ser e de abrir a boca para não desmascarar a farsa de sua prisão, a farsa do Impeachment e dizer o caminho das pedras. Lula é um gigante da Política. E Haddad um vitorioso. 47 milhões de votos em 1 mês e pouco de candidatura? É ser um vitorioso.

    Lembrando o fato que Ciro nunca passou dos 12,5% de votos em eleições para Presidente. Não é justo colocar a culpa nos outros nem vir com arrogância, quem o defende que ele venceria Bolsonaro. Ciro estava com 18% nas pesquisas de intenção de votos e terminou com 12,5% com a chegada de Haddad, que iniciou com 3% sua pequena campanha, e vamos dizer que sem o PT e seu candidato Haddad Ciro venceria? Faça uma reflexão de seus próprios atos na campanha, da biruta de aeroporto que foi, para cada público um discurso, se eram sindicalistas elogio ao Lula, se eram empresários o criticando ferozmente.

    Quem não tem votos não pode construir um discurso de que a culpa é do outro, é desonesto. Lula nunca mudou de partido, por isso tem uma identidade, e podemos até dizer que tinha encontrado o caminho do meio do nosso desenvolvimento, uma social democracia, onde se iria produzir um socialismo de base e um capitalismo competitivo para se chegar ao topo da pirâmide social, onde, todos poderiam chegar lá, não só os 20% de incluídos da Era FHC para trás.

    O Brasil tem 518 anos de História e o PT ficou 13 anos e meio no Poder apenas. Colocar toda a culpa do que acontece hoje no PT é abandonar a nossa História, a nossa tradição de golpes e de desrespeito à Democracia e a lógica escravocrata que impera nas nossas elites desde a sua fundação.

    Estávamos começando uma Revolução Social no Brasil, talvez, uns 30% concluída, e derrubaram Dilma, uma Presidenta honesta e que foi sabotada pelo Sistema desde 2013, quando sua popularidade se igualava a de Lula. Inventar que não tinha projeto de desenvolvimento no Brasil do PT é de uma falsidade imensa. Agora, imagina se o Lula assume o Poder e resolve ser o Bolsonaro da extrema-esquerda? Fazer tudo o que pensava ser necessário, impondo as coisas, não duraria 6 meses no Poder, o Sistema não permitiria, e ainda nem tínhamos uma guinada à esquerda na América Latina como apoio. E vamos deixar de ser ingênuos, o Poder econômico e o Imperialismo não são meros espectadores que aceitam tudo sem nenhuma represália, sem um contra ataque imediato. Fez-se em 2003 o que o tempo histórico pedia, e mesmo assim, em 2005 tentaram derrubar Lula, não foi assim, com o “escândalo do mensalão”, e Ciro Gomes era membro do Governo Lula, se não estivesse de acordo com a “Carta aos brasileiros” não seria Ministro de 2003 até 2006, certo?

    Certamente, em 2010, talvez, fosse um tempo possível para uma radicalização em prol de reformas: política, tributária, e democratização da mídia, pela força popular de Lula. Esta poderia ser uma discussão válida, talvez, anteparo ao Golpe de 2016. Agora, não vamos culpar o PT pelo Golpe sofrido e a vitória de Bolsonaro, ele é a vítima e foi retirado do Poder numa fraude legislativa com anuência do STF por seus acertos e não por seus erros, foi atacado esse tempo todo por não ser o partido do Sistema e por ser uma ameaça concreta ao Neoliberalismo nacional e mundial, à hegemônia Imperialista norte-americana pela figura carismática e competente do Estadista Lula.

    Autor: Alexandre Tambelli, no Jornal GGN.

    José Carlos Lima comentou:

    Parabéns Alexandre Tambelli…que aula!…..de fato não há como analisar sem falar em superestrutura que, formada pelos sistema educacional, religioso, midiático e judicial, tem como função governante construir subjetividades, ou seja, fazer cabeças de forma a manter intacta e, sem abalos, a nossa injusta estrutura politico-social e econômica dominante……

    A superestrutura nos dias atuais

    https://jornalggn.com.br/blog/spin-ggnauta/estrutura-e-superestrutura-nos-dias-atuais

    Direito Penal do Inimigo: da Alçada à Lava Jato
    https://jornalggn.com.br/blog/jose-carlos-lima-spin/direito-penal-do-inimigo-da-alcada-a-lava-jato

  30. O país comandado pela demência e ficamos com mimimi

    Perdemos, a esquerda perdeu.

    Diferentemente da direita, que por um qualquer saco de dinheiro ou naco de poder, se reúnem todos numa mesma mesa, a esquerda, por natureza se divide, em diferenças sutis e em mágoas nutridas por idealismos infantis.

    Ciro e seus mais convictos seguidores reforçam em muito essa atitude da esquerda. Enrolados nas próprias palavras e nos soluços do chororô. Temos um país semi-destruído pelos golpistas e endereçado diretamente para o término dessa trajédia pelos neo-golpistas e estamos ainda nessas disputas de quem está mais tristinho.

    Somos uma esquerda perdida frente ao caos que estamos inseridos, e por não sabermos o quê fazer (ne também por não termos um comando ou direção), fica mais fácil continuarmos com brigas de mimimi para assim “justificar” nossa “luta”.    

  31. Gustavo Castañon “defende” Ciro
    Há dois meses eu fiz o comentário abaixo no 247 e DCM,sobre Lula-PT-Ciro nesta eleição, que nos levou ao desastre total.
    “Triste ver a monotonia dos comentários! Se estes falam de agressividade, coronelismo, canalhice e lado cego do Ciro, não vejo neles nenhuma lucidez crítica do que foi o planejado pelo PT (Lula). Que hoje obviamente se mostrou desastrado. Sou obrigado a concordar com o Ciro de que sobraram apoiadores cegos e lhe faltaram conselhos e críticas lúcidas, tendo em vista o unissono andar da carruagem da justiSSa do país, por anos. O PT (Lula) “calculou” muito mal e pisou feio na bola, de novo. Agora é lutar tudo de novo, acha força!
    Vou parar antes que seja, mais uma vez, bloqueado.”

  32. Traição

    Essa gente Cirista ao não apoiar Haddad traiu o Brasil e o povo brasileiro, agora ficam enchendo o saco da gente com desculpas esfarrapadas, se apoiasse Haddad poderia negociar  programa de governo, exigir alterações na rota e eles sabem disso…. Ciro não teria chance nenhuma, nem para o segundo turno foi.Se o Sistema entendesse que a candidatura Ciro era pra valer, atacariam por terra, mar, ar e inclusive subsolo, Ciro derreteria. O Grande Capital politico, no Brasil atual,é de Lula e do PT, e isso não é um desejo, é um fato, por isso Petistas e Lula são atacados dia e noite e Ciro está livre , leve  e solto…

  33. Costeando o alambrado

    Quando vejo um texto do Castañon, já sei o que  está escrito…Como foram maltratados, como sofreram ….traídos e humilhados … quanta comiseraçáo….samba de uma nota só !

    O Ciro, pensando bem, lembra muito o Serra, quando dizia que era Presidente de nascença, uma espécie de ungido …

    Contra BozoNaro e seu governo de  destruiçao nacional nada, uma linha sequer…

    Como dizia o Brizola,  ”   tá  costeando  o  alambrado “…..

  34. Prazer.

       O moço se ¨esqueceu¨ de explicar , ou dar um exemplo sequer ,de como um partido que disputou todas as eleições ,ganhando quatro delas ,tendo a maior bancada no Congresso ,tendo o maior número de filiados , a maior organização sindical e politica ,tendo o melhor quadro estrutural do Brasil , abrisse mão de uma candidatura a Presidencia ,para um Coronel. Dizer que a blogosfera petista ,tem o poder de manipular as hostes petistas ,é pura burrice . O Nassif ,é conhecido por sua trajetória ,e o Sr. ,mal o conheço por hora . Prazer.

  35. Testemunho de fato concreto do agir do PT

    Aproveito o artigo do Gustavo Castañon para dar testemunho de um caso real que bem ilustra esse comportamento mistificador do PT. Espero que a maioria conheça e se recorde da abandonada Frente Parlamentar pela Soberania Nacional, proposta e liderada pelo Senador Requião. Participei do Ato público de São Paulo realizado há exatamente um ano atrás, no Largo São Francisco. Presenciei o “estilo petista” de exercicio de poder. Numa mesa em que havia mais parlamentares e lideranças petistas que membros da plateia, por duas horas ficamos calados a espera de ações práticas para mobilizarmos a população na defesa de soberania nacional. Ainda mais quando São Paulo estava sob ataque direto, precisamente São José dos Campos, com o caso EMBRAER. Na mesa quase só se via a atuação de Carlos Zarattini, que tudo comandava, o que irritou em certa hora o senador Requião que quando teve finalmente o microfone liberado desabafou criticando-o, a ele e seu monopolismo petista. Depois de torturantes duas horas, em que praticamente ouvimos discursos dos pré candidatos a câmara pelo PT de São Paulo, o PT tentou encaminhar o fim do ATO sem mais explicações. Eu e outros da plateia cobramos por um comitê paulista de mobilização. Carlos Zarattini cortou-me o microfone e num canto disse-me “eu preciso te ensinar a fazer política, rapaz”. Com a dispersão do ATO fiquei a pensar: o que seria a defesa “política” da soberania nacional para Carlos Zarattini e o PT? Ficou claro que eles, os pré-candidatos petistas só queriam mesmo eram tirar fotos e gravar discursos para suas campanhas. Recentemente, quando a EMBRAER entrou em sua fase terminal, Carlos Zarattini e outros petistas, armados de genuíno “espirito republicano” obtiveram uma liminar de primeira estância para barrar o acordo EMBRAER-BOEING. Até o reino mineral, como diria Mino Carta, sabia que era uma ilusão. A liminar foi prontamente cassada, a BOEING e a EMBRAER anunciaram o seu acordo. E Carlos Zarattini? Ah… ele? É óbvio que irá dizer para as bases eleitorais petistas,…”fizemos o que podíamos, a EMBRAER não deu para salvar, fica para a próxima companheiros, pelo menos tentamos”. Esse é o ensinamento que Carlos Zarattini deu-me de “como se faz política, no estilo petista”!   

  36. Ciro Gomes não é de esquerda.

    Ciro Gomes não é de esquerda. Ciro Gomes é só um oportunista vagabundo e traidor covarde. Mataria a própria mãe para ser presidente.

    Nem seus eleitores se enganam mais.

  37. Muitos trolls manipularam Petistas e Ciristas.

    No mundo da internet é preciso ficar muito atento. E mesmo assim se passa batido.

    Muitos trolls se passando por petistas, jogam textos xingando Ciro e jogando PT contra Ciro.

    Como se assim fossem da parte dos Petistas e muitas vezes não são. São trolls infiltrados.

    Outros fazem a mesma coisa, se fazendo passar por Ciro, descem o pau nos petistas.

    Como se assim fossem da parte do Ciro e muitas vezes não são. São trolls infiltrados.

    É preciso tomar muito cuidado, por que nas redes sociais eles podem estar controlando

    discursos de ódio (como sabem fazer muito bem) e manipulando Ciristas e Petistas, 

    jogando uns contra outros que abobalhados começam a se agredirem.

     

    Foi isso que ocorreu nas últimas eleições, trolls infiltrados se passando ora por Ciristas

    e ora por Petistas, inflamam discursos de ódio e xingamento,  e jogam uns contra os outros.

    E pior que parece que deu certo. Os Petistas  e  Ciristas entraram na onda.

     

    Tomem bastante cuidado em tudo que se lê e que se fala na internet. Discursos na internet

    é um negócio complexo e é preciso ficar muito atento a essa guerra.

     

    Agora mesmo os Bolsonaros dizeram que é invenção de um funcionário petistas a retirada

    de obras sacras do Palácio do Planalto. São informações e assuntos complexos.

  38. Só existe um caminho: Ciro

    Só existe um caminho: Ciro Gomes!

    Oras, às favas!

    Não é o caso do nassif, chamado de Lulista e petista no “artigo”, mas nós, sim, petistas e Lulistas, temos que deixar ciro e os seus seguidores sozinhos nesta conversa.

    Com estes textos o que pretendem e levar ciro ao patamar de poder polemizar com Lula. Menos.

    Ciro fugiu de suas responsabilidade na hora da luta. Fugiu, com seu ego ferido, e permitiu que o inadmissível acontecesse.

    Lembro-me de Lula em 1998 em comício de segundo turno no Distrito Federal, Ceilândia. Campanha de outro ressentido, Cristovam Buarque. Lula, que havia recém perdido no primeiro turno para o golpe do cruzado II de FHC e sua manobra com o dólar, disse que deveria estar em casa lambendo as feridas, mas, ao contrário, estava ali, pois a luta política não acabou com sua derrota.

    A luta política vai além de egos feridos. Ciro poderia ter saído como o grande candidato de 2022, mas escolheu tentar se construir numa suaposta ruína de Lula e do PT.

    Deixemos Ciro e suas dores de cotovelo. Temos um país para ser defendido do próprio Ciro.

    E, ao contrário do que li nos comentários do post do Nassif sobre este assunto, eu teria votado em Ciro se ele tivesse se mostrado suficientemente merecedor. O PT teria votado em Ciro na cabeça de chapa. O PT teria votado em Ciro, sem reservas, no segundo turno. Os eleitores de Ciro, em sua maioria, podem dizer o mesmo? Nas próprias pesquisas eles já mostravam que não. 

    Há uma diferença de projeto de país, de entendimento de país e postura política.

  39. Respeito ao Eleitor

    O debate pós-eleitoral é sempre muito importante. Muito mais importante para os partidos e políticos do que para os eleitores.

    Nestes debates tentam atribuir a culpa pela eleição de determinado candidato ao comportamento de outro, transformando o eleitor em um idiota acéfalo inimputável.

    O PT não entregou o país. O país escolheu outro candidato que não foi o Haddad e nem Ciro.

    Os eleitores escolheram as propostas apresentadas pelo Bolsonaro.

    Há que se respeitar a vontade dos eleitores.

    O respeito a esta vontade significa também dar a responsabilidade da escolha (mérito ou demérito) a estes mesmos eleitores.

    É uma ilusão essa de que o eleitor não sabe o preço que está pagando por determinada escolha.

    Pode-se não compreender ou não aceitar o motivo da tomada de decisão, mas o eleitor é consciente.

     

     

  40. O texto do Prof.Castanoñ tem

    O texto do Prof.Castanoñ tem mais de 200 linhas ou caracteres,não entendo muito desses babados.Modestia a parte,eu não escreveria mais que 29 linhas para traduzir tudo que ele disse.Aliás,você dizer em 9.Ele é um ex futuro Ministro da Educação frustrado.

    • Truncou.Posso dizer em 9,é o

      Truncou.Posso dizer em 9,é o correto.Quem sabe um ex futuro Ministro das Relações Constitucionais.Das Relações Instituicionais,só para Generais,geralmente de ceroulas.

  41. Nassif;
    Estamos gastando vela

    Nassif;

    Estamos gastando vela com mau defunto.zinhos

    O Ciro, mangabeira, castanhon não possuem história para criticar o Lula e o PT.

    O Ciro é e sempre foi um PARLAPATÃO nada mais que isto, 

    Por que nunca conseguiu constuir ou se manter em um partido? Não tem militância, e seus principios ideológicos são como biruta de avião. 

    Por falta de projeto político eles estão querendo se manter na mídia a troco de tentar desconstruir o Lula.

    Por favor vamos deixá-los falar sozinhos.

    Genaro

  42. Todos têm suas razões…

    No filme As regras do Jogo de Jean Renoir um personagem diz “o mal é que todos têm suas razões”. 

    Por que para Ciro Gomes ir encontrar com Lula, no caso na cela em que esta encarcerado, para discutirem sobre as eleições, seria uma humilhação? Por que na cabeça dele o fato de ser vice primeiro e depois assumir a chapa seria uma forma de se ajoelhar? 

    Eu nem sei quantos anos tem Ciro Gomes, mas sei que tem coisas que a gente aprende ao longo de nossa vivência e uma delas é de que viver dignamente é importante, mas que nossa existência não tem absolutamente nenhuma importância a mais que qualquer outra…

  43. A figura de Lula é muito maior do que considera o artigo
    Selecionei 3 trechos em que o artigo erra levianamente.
     Levantar uma afirmação pressupondo uma responsabilidade sem qualquer embasamento:”… até pelo poder que acumulou e exerceu nos últimos 16 anos, quem merece o título de iniciador dessa sequência de eventos é Lula e o PT.” Afirmar uma combinação política, também sem mostrar embasamento:”… atuando em comum acordo com o PSDB para manter a polarização política tradicional entre os dois partidos.” Demonstrar qual o ponto de vista que pensa Ciro Gomes,  “2. Seria se submeter simbolicamente a um preso condenado, o que inviabilizaria a autoridade moral de um eventual futuro presidente;” ou seja, demonstra que eles não vêm Lula como preso político do regime golpista. Tanto é que no discurso deles o bolsonaro passou de “nazista filho da puta” para “ele não oferece risco a democracia”.

  44. “como Nassif, que é membro da

    “como Nassif, que é membro da blogosfera construída pelo PT e funcionário da TV Brasil. 

    Esses fatos não são deméritos, quem trabalha na imprensa (em qualquer uma de suas vertentes) tem lado, e tolo é quem pensa que não.”

    Esse Gustavo gosta tanto do Ciro Gomes que tal qual o próprio fala pelos dois canto da boca. Se isso aí não é demérito porque citou? 

    E existe diferença entre a defesa de um projeto de governo para o país da militância política de um jornalista. Sei que para coronéis acostumados a mandar é dificil de entender esse posicionamento e isso não é demérito (kkk). É falta de vivência democrática.

    Eu sou eleitora e espero do staff do Ciro ou do próprio respostas para as seguintes dúvidas:

    1 – porque o Ciro já se filiou em 7 partidos e coincidentemente quando esses partidos estavam no poder ou se coligavam com o partido que estava no poder?

    2 – porque o Ciro aceitou ser ministro do governo de um partido tão cheio de defeitos como o PT?

    3 – porque o Ciro atacou os filhos do Lula no programa do Paulo Moreira Leite e agora, tão falastrão que sempre foi, silenciou no caso Coaf do filho do Bolsonaro.

    4 – Ciro elogiou Bolsonaro. Planeja mudar para o PSL?

    5 – Desse Judiciário tão elogiado pelo Ciro faz parte o Moro, cuja mulher é sócia do Zucolotto que pediu 5 milhões para livrar o Tacla Duran, e que desrespeitou todas as leis do país para se tornar ministro da Justiça do Bolsonaro?

    6 – quando o Ciro disse em entrevista que se tentassem prender o Lula ele o sequestraria e levaria para uma embaixada quis dizer que ele é inocente?

    PS. Quando um texto é longo demais é porque a argumentação objetiva é dificil. 

    PS2. Eu votei no PT nas eleições e não estava cansada do seu programa de governo não. Cansada eu estou das falcatruas do Judiciário brasileiro. 

  45. A propósito, há algum tempo

    A propósito, há algum tempo atrás,por volta de hum ano,quando ele veio com essas mesmas baboseiras,llhe fiz uma “Carta Aberta”,em não mais do que 30 linhas,onde deixei Ciro Gomes nu,e ele de cuecas.Nunca me respondeu.Meu bom arkx deve te-la guardada em seus presciosos arquivos.Se puder resgata-la,jogue nos peitos desses Ciristas daqui,que são iguais ou pior do que ele.

  46. Fosse Ciro no lugar de Lula, faria a mesma coisa. Magnanimidade só dos outros. Ciro não tem o cacife político de Lula; não tem um partido hegemônico como o PT; não teve a vida devassada e acusado, julgado e preso injustamente e quer dar uma de Romário e ir na janelinha. Vai construir a vitória política sem buscar atalhos, cabra, o PT precisou de quantas décadas pra assumir a presidência? Lula precisou de quantas eleições pra chegar lá? Ninguém é santo nessa história. E, por fim, Ciro e o PDT são péssimos perdedores, perderam o apoio do PSB no jogo político e veio dar de Aécio Neves e PSDB não aceitando a derrota. Ciro quis ganhar a eleição pisando em cima do PT e vem reclamar de falta de apoio. Vai tomar banho.

  47. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome