Já deu, né? Indiciamento já!, por Fernando Castilho

Se nas próximas semanas não houver qualquer movimentação por parte do STF para o indiciamento de Jair, vamos, aos poucos, nos acomodando

Já deu, né? Indiciamento já!, por Fernando Castilho

Completamos um ano da libertação do Brasil do jugo do fascismo e nos livramos de um governo autocrata que certamente nos levaria a um estado ditatorial com suas perseguições típicas, prisões, torturas, execuções e exílios, a julgar pelo plano de governo de 30 anos elaborado pelo capitão e pelo exército.

Bolsonaro, após todos esses meses vem derretendo e já não consegue discursar para mais que 200 pessoas. Sobrevive, ainda, porém, o termo bolsonarismo que aos poucos se transformará em extrema-direita, já que seu líder máximo está inelegível por 8 anos e, provavelmente, em breve será preso.

O problema, no entanto, é aferir o quão breve essa prisão de dará.

A Polícia Federal, agora autônoma, vem fazendo um grande trabalho de investigação, sabemos todos. O problema talvez seja a morosidade do judiciário que agiu rápido para declarar a inelegibilidade do capitão, mas que arrasta o indiciamento, quando já há elementos mais que suficientes para isso.

Certamente, até há um mês atrás, havia a blindagem de seu Jair feita pelo então PGR, Augusto Aras, mas agora já não haveria mais desculpas, mesmo que o novo titular ainda não tenha sido escolhido por Lula.

Já houve inúmeras operações, um sem-número de inquéritos, a delação premiada do tenente-coronel Mauro Cid e até, vejam, o relatório da CPMI dos atos golpistas que pede o indiciamento de Jair Bolsonaro. E até agora, nada.

Se nas próximas semanas não houver qualquer movimentação por parte do STF para esse indiciamento, vamos, aos poucos, nos acomodando com a situação e tendendo a esquecer o responsável por pelo menos 400 mil mortes por Covid-19, o roubo das joias, a falsificação do cartão de vacinação, a destruição do meio-ambiente, o genocídio dos Yanomamis, o incentivo e o comando da tentativa de golpe e outros crimes perpetrados ao longo de 4 anos de total desgoverno. E olha que o indiciamento ainda é o primeiro passo para um processo que pode se arrastar por anos até a prisão definitiva.

Não é mais possível esperar. Pelo menos uma prisão preventiva deveria haver, já que o criminoso continua a discursar, levantando dúvidas sobre as eleições e mantendo latente entre seus seguidores o desejo de um golpe.

Já deu, né? Dez meses de investigações são mais que suficientes para o indiciamento de um criminoso.

Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]. O artigo será publicado se atender aos critérios do Jornal GGN.

Fernando Castilho

Fernando Castilho é arquiteto, professor e escritor

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador