A metamorfose do PSDB, por Alexandre Tambelli

Ref. ao post O estilo José Aníbal no Instituto Teotônio Vilela

E o Instituto chama-se Teotônio Vilela. 

Pensar na Educação e sabedoria de Teotônio Vilela, de Franco Montoro, de Almino Afonso, de Bresser Pereira, de Renato Janine Ribeiro, etc. e imaginar o PSDB hoje, alguém sabe explicar como foi possível esta metamorfose?

Respondo:

A legenda se tornou o partido da Velha Mídia. 

Meu tempo de estudante era o tempo que os jovens do PSDB eram a Esquerda moderada, traduzindo de forma um pouco simplória mas cabe a generalização: a social-democracia.

Os jovens do PSDB eram os “capitalistas sociais”, se me entendem. Nós éramos a Esquerda tradicional, socialista, comunista, éramos a ruptura. 

Porém, o PSDB era defensor de princípios democráticos, participaram seus fundadores das Diretas Já. Eram pessoas com um olhar social, um olhar mais humano para com o semelhante, em busca de Justiça Social dentro do Capitalismo. 

Hoje, se bobear até Pena de Morte votam favoráveis, defenderiam até um Golpe Militar, qualquer coisa pelo encurtamento da trajetória petista no Poder Central. 

Infelizmente, a Mídia no Brasil tem uma linha de conduta que deve ser seguida à risca por quem busca a segurança de realizar seus atos e não ser ameaçada a sua reputação: fazer o que ela quer (a Mídia). O PSDB se tornou o partido da Mídia, e, com ele perdeu a sua identidade.

O casamento do discurso “Pitbull” do José Anibal com o do Reinaldo Azevedo é a constatação cabal de que PSDB e Velha Mídia formam em instâncias diferentes uma mesma “família”.

O PSDB é o braço Político da Mídia (o que disputa o voto em favor da Mídia, porque a Mídia não tem voto), se torna “inculpavel” quando de seus atos, dentro de uma lógica: a de controle absoluto da informação no Brasil, onde a Velha Mídia detém a capacidade de ameaçar a reputação e de destruir toda carreira de quem não aceita governar, votar e julgar a seu favor, e compartilhar de suas ideias.

O PSDB faz exatamente o que a Mídia Oligopólica quer e, então, livremente circula nos meios Políticos agindo da forma que melhor lhe convier, porque não será importunado pela Mídia, será defendido pela Mídia e quem lhe tentar importunar, a Mídia tratará de ameaçar sua reputação e até sua carreira nas mais diversas atrubuições públicas.

Então, um Processo contra irregularidades do PSDB não tem solução, porque a Mídia o defenderá do modo dela, e quem julgá-lo, mesmo que busque a Justiça para  tentar dar um veredito correto, ficará de mãos atadas, porque é a sua sobrevivência (do julgador) que está em jogo. Sobrevivência financeira, de reputação e até medo de alguma ameaça  contra sua família. 

O PSDB existe, apenas para fazer o que a Mídia quer. Ele faz o papel em 100% das ocasiões e está livre, leve e solto para fazer o que quiser em relação ao Patrimônio público, contanto que não fira o manual de desejos da velha mídia que o comanda.

Como a Velha Mídia se tornou uma ultradireita, antinacionalista e neoliberal extremada e defensora do Capitalismo Financeiro (o Mercado) + conservadora nos costumes e anti-petista radical o PSDB veste esse figurino. 

É a forma de sobrevivência que restou ao Partido que aceitou com o passar dos anos ser o Porta-Voz das ideias da Velha Mídia.

Não sobraria quase nada da legenda se houvesse uma Lei de Médios com uma Liberdade de Imprensa maior, um equilíbrio com outras fontes de informação mais democráticas e, por conseguinte, mais segurança para a Justiça trabalhar e julgar e condenar seus ilícitos.

Enfim, ele, o PSDB, se abraçou à Mídia Oligopólica e só tem sobrevida por causa dela. Só tem parte da opinião pública favorável por causa da Mídia. Se tornou quase inatingível na Justiça, mas não tem identidade e nem pode apresentar um Programa de Governo à Nação, porque o seu Programa não renderia votos. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

16 comentários

  1. O partido que foi o PSDB, hoje é o PiG.

    A existência e atuação dissimulada e clandestina do Partido da Imprensa Golpista, o famigerado PiG, foi identificada e diagnosticada pelo, então, Deputado Federal Fernando Ferro (PT – PE) que, embora tenha realizado destacada atuação na Câmara, não se reelegeu, talvez, em grande parte, por ter ousado assumir posições contra o partido mais poderoso da nossa combalida República. A denominação é mais que apropriada, porque, esse poderoso partido clandestino, operado pelos controladores da GLOBOPAR, nasceu de uma importante participação de seu fundador, Roberto Marinho, na construção do Golpe de 64, e desenvolveu-se emprestando sustentação, dando aspectos de legitimidade ao governo Golpista e, de lá para cá, não fez outra coisa além de defender os valores e interesses das elites escravagistas que operam os movimentos golpistas, retomados com vigor assustador, a partir de 2013/2014, em pleno curso, em todo o país.

    A força avassaladora desse partido ilegal foi capaz não só de controlar totalmente politicos de partidos como PSDB, DEM e outros penduricalhos, como, mais grave, corrompeu instituições como o STF (corrupção revelada no julgamento da AP 470 em 2012) e outras instituições, ao ponto de que os órgãos de controle da administração pública só investigam o que é considerado ilegal ou criminoso, a critério do que é noticiado no JN, segundo o entendimento do Ali Kamel. A esculhambação institucional que assistimos hoje no Brasil, e resultado direto do poder descontrolado e da atuação desregrada desse partido, corrompendo a tudo e a todos, a serviço de interesses de patrocinadores locais e alienígenas.

  2. PSDB=UDN

    O governo Lula, no auge de sua popularidade, fez o Brasil perder sua grande chance de democratizar, ainda que timidamente, as comunicações sociais. O meu melhor presidente, mas fica aqui a minha crítica: excesso de conciliação.

  3. Faz tempo que circula uma

    Faz tempo que circula uma figura onde um tucano tem presos em coleiras os logotipos dos principais grupos de mídia. Sempre discordei daquilo, considero que os grandes grupos de mídia, sobretudo globo e abril, é que mantém o tucano na rédea curta, por assim dizer… Foi justamentea percepção daquilo que o psdb estava se tornando que me empurrou definitivamente para o lado do PT porque este representa a única alternativa viável de poder frente aos tucanos. Até então eu era um dos que se iludiam que a união de esforços de petistas e tucanos faria o Brasil progredir. Hoje o psdb é o principal partido reacionário.  O PT tem lá seus problemas, mas pelo menos tem um lado voltado ao social e não é entreguista. Se não tivéssemos tirado os tucanos da presidência a partir de 2003, hoje seriamos um México, Espanha, Portugal ou até Grécia da América do Sul. Teríamos ficado sem os anéis e sem os 10 dedos…

  4. Embora de raízes originais

    Embora de raízes originais civilizadas, o PSDB tem um problema. Seu guia-mor sempre foi Fernando Henrique. Este, a despeito dos vernizes e disfarces, sempre foi entreguista.

    E, para cumprir o projeto, não viu qualquer problema em deixar a coisa rumar para o radicalismo despido de qualquer sensatez ou razoabilidade.

    Ganharam espaço os representantes da vacuidade ideológica e representantes de núcleos regionais de poder predatório e coronelista. Um exemplo é o senador neo pitt bull do pequeno Estado nordestino, que diz o que nem Aécio tem coragem.

     

  5. Teotônio Vilela.

    Não consigo ler esse nome e não lembrar:  da ARENA,  do AI5, do Golbery, do Sergio Paranhos Fleury e et caverna.

    Na real, um dia ele descobriu que tinha cancer….. e ai virou dremocrata   provavelmente por medo do fogo do inferno.

  6. A atual cara sórdida do PSDB

    A atual cara sórdida do PSDB tem uma explicação muito simples: o partido foi pouco a pouco assumindo as feições de seu lider máximo, o FHC.

  7. Sinceramente não sei de onde

    Sinceramente não sei de onde tiram que esses algum dia pensaram no povo, e quanto ao montoro, se esquecem dos saques que haviam quando era governador? Eu vi, a praça de sé totalmente tomada pela cavalaria, no papel é facil, quero ver é ir contra a maré quando se é governo ( e vimos o que aconteceu quando esse partido subiu ao poder); nem o pt fez isso.

  8. FHC descobriu a única forma

    FHC descobriu a única forma de salvar seu governo medíocre depois que seguiu a cartilha do FMI e só conseguia piorar ainda mais a economia. Sempre terá sua imagem ligada ao plano real e ao fim da hiperinflação, embora haja controvérsias. Mas quem salvou o Real foi o Lula. 

    Dizem que o Lula só colheu os frutos do que FHC plantou, que os bons indicadores do governo Lula se devem ao preço dos commodities e ao desenvolvimento da China. É verdade em partes, pois o Lula mudou completamente o rumo do barco e adotou o modelo desenvolvimentista, por isso crescemos. FHC jamais mudaria sua política econômica liberal. Se não fosse Lula, hoje não seríamos parte da sigla BRICS, talvez hoje existesse apenas a RICS. Se dependesse do FHC, o Brasil seria um chiqueiro e estaríamos entre os PIGS.

  9. Cargo não é poder.

    “Infelizmente, a Mídia no Brasil tem uma linha de conduta que deve ser seguida à risca por quem busca a segurança de realizar seus atos e não ser ameaçada a sua reputação: ”

    OLHA… é imperativo que se saia dessa generalidade de falar “da mídia”. Não é “a mídia”, o nome é: IRMÃOS MARINHO. Isso já foi apontado por Chico Buarque em 1993, quando entrevistado pela BBC para o documentário Muito Além do Cidadão Kane. Era contra isso que Brizola esperneava: existe um governo paralelo no Brasil desde a implantação da Ditadura de 64 chamado “Família Marinho”. Funcionou até 2003 sob o patriarca Roberto Irineu Marinho; e ora se recompôs rapidamente a partir de sua morte sob o triunvirato que o sucedeu… é um governo paralelo. Ninguém compra, vende, paga, recebe, vota, é votado, governa… sem o consentimento deles. E não é de agora. Foi Roberto Marinho quem impôs a permanência dos militares na Presidência da República; foi Roberto Marinho que põs o general João Batista Figueiredo de quatro ao enxovalhar impunemente seu ministro da Justiça, Ibrahim Abi-Ackel no chamado escândalo das jóias, que virou até verso do música de rock (Alvorada Voraz, RPM)… digo enxovalhar porque nada se provou contra o dito ministro, a ponto do próprio Figueiredo não o demitir, como seria esperado. Foi Roberto Marinho quem decidiu que Lula deveria ir pro segundo turno contra Collor em 1989, e não Brizola; e decidiu logo a seguir que Collor tinha que ser eleito para logo depois decidir que Collor tinha que ser expulso.

    Os Marinho e seu domínio quase total sobre as cabecinhas brasileiras através da opinião publicada são um governo paralelo. O restante da mídia até que é oligopolizada; porém, não teria um décimo do poder que tem a família Marinho, OS DONOS DO BRASIL! Então… vamos parar de eufemismo, ‘bora! Aliás, chame-se logo os três, entregue-se-lhes as chaves da Presidência da  República porque, pelo menos eles vão ter responsabilidades pelo que fazem; vão ter de mostrar a cara e não ficar agindo nas sombras através de seus “noticiosos” ou via telefonemas aos seus empregadinhos nos vários Governos, já que esta responsabilidade vem recaindo há pelo menos 50 anos somente nas costas dos tolos que se acham espertos a ponto de acharem que CARGO É PODER.

    O poder a quem de fato é o poder.

  10. Para mim, os políticos do

    Para mim, os políticos do psdb nunca passaram de mauricinhos querendo status e namorar jornalistas da globo. Vide fhc e seu “filho” com pensões pagas pela globo para proteger esse mauricinho mor(velhaco fhc) Nunca tiveram nenhum compromisso com o BRASIL, apenas com seus egos.

  11. PSDB

    A fusão entre o PSDB e a Mídia se deveu à uma questão de ordem, qual seja: o que é a social democracia num mundo neoliberal? Esvaziada de sentido ideológico, não haveria espaço para a sigla senão aninhada em quem forma a opinião.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome