Empresários do setor de óleo e gás criticam mudanças no conteúdo local e se dizem traídos

 
Jornal GGN – César Prata, presidente do conselho de óleo e gás da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), afirma que os empresários do setor se sentem traídos com o governo de Michel Temer.
 
Em entrevista para o portal Brasil 247, Prata afirma que os empresários foram convencidos a defender o projeto que alterou as regras de exploração do pré-sal, ampliando a participação de empresas estrangeiras, e que houve a promessa de que a política de conteúdo local não seria alterado. 

 
“Essa promessa não está sendo cumprida. Demos o apoio e agora estamos nos sentindo traídos”, afirma o membro da Abimaq. O governo federal anunciou mudanças nas regras, reduzindo os percentuais de obrigatoriedade de conteúdo local nos empreendimentos de exploração de petróleo quase pela metade. 
 
As alterações permitirão que a Petrobras e as empresas estrangeiras comprem máquinas e equipamento fora do país. Para os empresários, estas mudanças poderão custar cerca de 1 milhão de empregos no Brasil. 
 
Segundo Prata, Eliseu Padilha, que licenciou da Casa Civil, se reuniu com empresários do setor de óleo e gás para discutir a política de conteúdo local. Entretanto, antes disso, o governo Temer já apresentava oportunidades de negócio nos Estados Unidos sem a obrigatoriedade da produção nacional.
 
“Tem aí qualquer coisa errada de fato. O que o mercado está comentando agora é que a relação dessas empresas de petróleo estrangeiras com o governo tem alguma coisa de estranha. Uma relação incestuosa, supõe-se”, diz o empresário da Abimaq.
 
Veja a entrevista abaixo: 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora