Bolsonaro recupera boa avaliação perdida em pesquisa CNI-Ibope

Na nova pesquisa, realizada em setembro de 2020, 29% disseram que o governo é regular e outros 29% consideraram ruim ou péssimo

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – A popularidade de Jair Bolsonaro interrompeu a trajetória de queda e subiu acima de sua melhor avaliação de governo, aferida pela primeira pesquisa CNI-Ibope, de abril de 2019. Naquele mês, 35% achavam a gestão ótima ou boa. Esse número caiu progressivamente até chegar ao menor patamar da série, em dezembro de 2019, com 29%. Agora, Bolsonaro tem o governo bem avaliado por 40% da população.

Na nova pesquisa, realizada em setembro de 2020, 29% disseram que o governo é regular e outros 29% consideraram ruim ou péssimo.

A pior avaliação do governo foi registrada em dezembro de 2019, por 38% dos entrevistados. Considerando a margem de erro da pesquisa, a má avaliação do governo hoje voltou ao patamar da primeira pesquisa CNI-Ibope, de abril/2019, quando 27% disseram que é ruim ou péssimo.

“Aparentemente, o auxílio emergencial teve um papel importante na melhora da avaliação do governo Jair Bolsonaro, como reflete o crescimento na aprovação das ações de combate à fome e à pobreza”, afirma Renato da Fonseca, gerente-executivo de economia da CNI.

CONFIANÇA

Bolsonaro não conseguiu recuperar, porém, o volume de brasileiros que dizem confiar no presidente. Na primeira pesquisa, eles somavam 51%; chegaram à mínima de 41% em dezembro de 2019, e hoje somam 46%.

Já os que não confiam em Bolsonaro saltaram de 45% na primeira pesquisa para 51% na sondagem atual. O número é menor do que os 56% de “não confia no presidente” que foi aferido no final de 2019.

Leia também:  A que tipo de qualidade jornalística o Google Showcase se refere?, por Janara Nicoletti

Ainda de acordo com a nova pesquisa, para combate à fome e à pobreza (48%), a educação (44%) e a saúde (43%) aparecem na sequência entre as áreas mais bem avaliadas do governo. Impostos, com 28% de aprovação, taxa de juros (30%) e meio ambiente (37%) são as áreas que contam com percepção mais negativa entre a população.

A CNI-Ibope ouviu 2.000 pessoas entre 17 a 20 de setembro em 127 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e a confiança, de 95%.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Alguma coisa no Brasil revelou-se potencialmente viciante…
    na dúvida ainda, se foi a maldade, a burrice ou o dinheiro fácil

    perguntei a um cidadão ainda necessitado e ele me respondeu que dinheiro fácil é o dinheiro que não chega nas mãos dos que realmente precisam

    dei 50 reais para ele e ele me chamou de abençoado

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome