CPI dos atos golpistas irá ouvir Anderson Torres de forma privada

Ana Gabriela Sales
Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.
[email protected]

Decisão ocorre após Torres negar participação em sessão desta quinta-feira (9)

Agência Brasil

Os deputados do Distrito Federal (DF) aprovaram, nesta quinta-feira (9), uma solicitação para que o ex-secretário de Segurança Pública Anderson Torres deponha de forma privada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Atos Antidemocráticos na Câmara Legislativa. 

A decisão é uma estratégia para tomar o depoimento do ex-secretário, um dia após o Supremo Tribunal Federal autorizar o seu silêncio durante a oitiva, que ocorreria hoje. Com isso, Torres optou por não comparecer na CPI. 

O requerimento aprovado nesta quinta foi proposto pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT), presidente da comissão. De acordo com os parlamentares, a defesa de Torres entrou em acordo com a Câmara Legislativa para que o depoimento, marcado para a próxima quinta-feira (16), ocorra de forma privada, somente com os membros da CPI e sem transmissão ou presença da imprensa.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn”      

“A defesa do depoente, com o nítido propósito de colaborar com os trabalhos desta CPI, fez chegar à essa Presidência a intenção de que o intimado seja ouvido em reunião reservada, de modo a evitar a exposição midiática de sua imagem, preservando assim a sua intimidade”, diz documento lido em Plenário.

Torres está preso desde o dia 14 de janeiro por suspeitas de participação e omissão nos atos terroristas de invasão às sedes dos Três Poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro. Além disso, foi encontrada na casa de Torres, ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (PL), uma minuta de teor golpista, que seria usada para anular o resultado das eleições 2022, que elegeu Lula (PT) presidente.

Leia também:

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador