Desmonte do estado policialesco é o grande legado de Bolsonaro, diz Renan Calheiros

"Acho que esse é o grande legado que ele pode deixar para o Brasil, que é o desmonte desse sistema que causou muitas vítimas e tentou substituir a política nacional", diz senador

Jornal GGN – O senador Renan Calheiros (MDB) afirmou em entrevista à CNN Brasil que o desmonte do “estado policialesco” criado pela Lava Jato nos últimos anos pode ser o “grande legado” que Jair Bolsonaro deixará para o País.

Ao jornalista William Waack, o senador fez questão de ressaltar que não é da base do governo nem apoia a reeleição de Bolsonaro, mas entende que o presidente, “para além das diferenças que nós temos, pode deixar um grande legado para o Brasil, que é o desmonte desse estado policialesco que tomou conta do País”.

“Ele já encadeou várias medidas, desde o Coaf, a questão da Receita, a nomeação do Aras para a chefia do Ministério Público. A demissão do Moro, agora a nomeação do Kassio [Nunes, para o STF]. Acho que esse é o grande legado que ele pode deixar para o Brasil, que é o desmonte desse sistema que causou muitas vítimas nos últimos anos e tentou substituir a política nacional. Graças a Deus, não conseguiu”, disse Renan Calheiros.

Questionado se Bolsonaro está destruindo a Lava Jato, Renan apenas respondeu: “Não estou dizendo isso. Acho que ele é algum adversário – e não sei por quê, mas não importa – desse estado policialesco que demonstrou que tem projeto de poder e queria substituir a política convencional, e ele está ajudando a desmontar. Espero que ele continue dessa forma.”

A leitura de Renan Calheiros coincide com a do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. Em entrevista exclusiva ao GGN, Gilmar disse que Bolsonaro deu duas “grandes contribuições” para o Brasil: primeiro, quando fez Sergio Moro abandonar a magistratura no final de 2018 para participar do governo e, depois, forçou a demissão do ex-ministro da Justiça, jogando a estrela da Lava Jato no ostracismo. Relembre aqui.

 

Leia também:  Empresários do setor de construção estão menos confiantes com cenário

Recomendado:

Gilmar ao GGN: Bolsonaro contribuiu quando tirou Moro de Curitiba e, depois, do governo

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. O estado policialesco, fruto da covardia do stf imprensa finanças políticos milicos pfs e os que esqueci, será substituído por um estado policial com os mesmos atores acima e gerenciado pelo bolsonaro e agora com o apoio do calheiros a enxergar no planalto um estadista!
    Pergunto eu o calheiros tá…….

    • Estão dando palanque a Renan Calheiros? No máximo deveriam estar dando 3 refeições por dia e uma hora de sol no páteo. Pobre país rico. Querem ressuscitar a República de Alagoas e todo seu Coronelato? João Pessoa ainda vive? Mas de muito fácil explicação

  2. Engraçado… o pessoal ajuda montar o estado policialesco e, quando vê o tamanho monstro que criou e, prestes a atacar eles, aí começa a corrida para desmontar e, pde ajuda para os perseguidos…

  3. Este é aquele senhor que foi aliado do ex-presidente Collor e Ministro da Justiça do também ex-presidente FHC ?
    Muitas vezes a política brasileira me confunde …

  4. Curioso, o que o referido senhor está vibrando e, quando fala em desmonte do estado policialesco na verdade, sua alegria é pelo desmonte da transparência no setor público, montado por quem? és a ironia, pelos governos mais corruptos do Brasil, segundo a imprensa conservadora, o PT (vide link abaixo com informações que a maioria que aceita essa alcunha, jamais, me ditaram sobre tais transformações jurídicas, estruturais e de transparência que resultaram na devolução do Brasil, aos brasileiros (https://jornalggn.com.br/brasil/links-para-a-historia-do-brasil-de-1894-a-2018/), até 2016, o resto, todos são testemunhas e conhecem).
    Foram essas transformações normativas e o fortalecimento estrutural juridico/institucionais, que proporcionaram o fortalecimento do Estado Brasileiro, a valorização do serviço público com carreiras estruturadas e a transparência nas ações públicas, para que? Para vacinar a nação contra e punir corruptos, corruptores e corrupção; lavagem de dinheiro; sonegação; desvios de condutas de gestores públicos, etc.
    Do resultado de tudo isso, nasceu a Operação Lava-jato para na forma da lei e imparcialmente, amparar e consolidar o Programa de Governo de Combate à corrupção e tudo mais de ilícitos descobertos e a descobrir.
    Infelizmente, a Lava-jato iniciando suas funções e, ao que parece, desviou-se de suas funções essenciais e imparciais e decaiu em descrédito, pelos motivos que todos nós, através da imprensa brasileira e internacional, tivemos conhecimento.
    Então, é esse cenário anterior a Vargas que as elites lutam para manter e não aceitam o Brasil, pertencer aos brasileiros.
    https://teoriaedebate.org.br/colunas/%EF%BB%BFos-governos-do-pt-no-combate-a-corrupcao/
    São as nossas observa observações, contribuições à matéria e, sugestões aos brasileiros que ainda têm considerações e respeito à CF e, que acreditam que se o povo quiser, podem mudarem sim o Brasil e, de resgatarem a sua soberania e de seus cidadãos.
    Sebastião Farias
    Um cidadão brasileiro nordestinamazônida

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome