Pré-candidatos de Eldorado do Sul teriam desviado doações para compra de votos

Patricia Faermann
Jornalista, pós-graduada em Estudos Internacionais pela Universidade do Chile, repórter de Política, Justiça e América Latina do GGN há 10 anos.
[email protected]

MPRS investiga pré-candidatos de Eldorado do Sul (RS) que teriam desviado doações para compra de votos

O município foi um dos mais afetados pelas enchentes na região – Foto: Divulgação

Doações a pessoas atingidas pela enchente em Eldorado do Sul, no Rio Grande do Sul, foram desviadas por agentes da Defesa Civil para benecificar pré-candidatos em espécie de compra de voto para as eleições municipais 2024.

É o que indica a investigação do Ministério Público, que deflagrou no último sábado (25) uma Operação, com nove mandados de busca e apreensão no município, localizado na região metropolitana de Porto Alegre. Três membros da Defesa Civil de Eldorado do Sul foram alvos: dois deles seriam pré-candidatos, segundo os investigadores, que não revelaram os nomes.

A Prefeitura é hoje comandada por Ernani Gonçalves (PDT). Nas redes sociais, o prefeito e a Prefeitura de Eldorado do Sul não emitiram informações sobre a investigação. Mas em nota, a Prefeitura informou que tinha conhecimento das investigações e que mantinha “seu compromisso com a transparência, a ética e o respeito aos recursos destinados aos cidadãos”.

“Continuaremos colaborando plenamente com as autoridades competentes para que todos os fatos sejam esclarecidos de maneira justa e rápida.”

Ministério Público investiga desvio de doações em Eldorado do Sul – Foto: Divulgação MPRS

Os mandados foram cumpridos nas casas dos investigados, na Prefeitura de Eldorado do Sul e em depósitos da cidade, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do MPRS. Os alvos foram afastados temporariamente de suas funções na Defesa Civil.

Enquanto os crimes são investigados, o Exército Brasileiro assumiu imediatamente a responsabilidade pela destinação das doações à população. Por autorização do procurador-geral de Justiça do RS, Alexandre Saltz, o Exército começou a receber as doações, fazer o seu controle e a distribuição dos mantimentos e demais itens doados às vítimas.

Eldorado do Sul foi uma das cidades mais afetadas pelas enchentes que assolaram o estado, com 100% de sua população evacuada pelos danos e inundações, com 32 mil pessoas deixando suas residências às pressas. O Ministério Público trabalha com as hipóteses de apropriação indébita, peculato e associação criminosa durante a calamidade pública.

Leia mais:

Patricia Faermann

Jornalista, pós-graduada em Estudos Internacionais pela Universidade do Chile, repórter de Política, Justiça e América Latina do GGN há 10 anos.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Esses vagabundos que usam a generosidade do povo brasileiro para ganhar votos tem que ser afastados definitivamente da vida pública. Isso para não mencionar o fato de que apropriação indebita é crime, pouco importando se o bem apropriado foi ou não doado às vítimas da enchente. Não é mais possível tolerar esse tipo de bestialidade, até porque todos sabemos que muitos desses políticos estão comprometidos com a destruição da regulamentação ambiental que causa tragédias como a que destruiu o RS.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador