Ao lado de Haddad e outros aliados de Lula, Marina lança candidatura a deputada federal

Porém, a ex-Senadora mantém divergências com o petista no campo ambiental

Marina Silva lança disputa a vaga na Câmara dos Deputados. Foto: Iury Carvalho.
Marina Silva lança disputa a vaga na Câmara dos Deputados. Foto: Iury Carvalho.

Neste sábado (2), Marina Silva lançou candidatura a deputada federal pela REDE Sustentabilidade, dividindo o palanque com a correligionária Marina Helou, que busca a reeleição à Assembleia Legislativa de São Paulo. O evento aconteceu na capital paulista e atraiu grandes figuras políticas.

A ex-Ministra do Meio Ambiente relembrou a própria trajetória, quando veio “lá do meio do mato”, do Acre, para São Paulo com o objetivo de tratar “cinco malárias e uma hepatite”. Ela concorre ao Congresso Nacional pelo estado paulista.

Marina citou quais serão as diretrizes de um possível mandato. Ela destacou a necessidade de uma “transição da velha para a nova economia”, a importância da liberdade de imprensa, além da retomada de políticas públicas na defesa da Amazônia e dos povos indígenas.

Políticos aliados comparecem

Participaram do evento aliados de Lula, como Fernando Haddad (PT), o Senador Randolfe Rodrigues (REDE), o vereador Eduardo Suplicy (PT) e o presidente do PSOL, Juliano Medeiros. Todos têm participado de articulações políticas pelo presidenciável petista.

Em discursos, as principais bandeiras defendidas foram o combate às mudanças climáticas, à fome, além de mais oportunidades para negros, mulheres, população LGBTQIA+ no Brasil. Todos os participantes criticaram Bolsonaro, de maneira direta ou indireta.

A fala de Randolfe foi a que mais levantou aplausous do público presente. Segundo ele, o mandato do Presidente “foram os quatro anos mais difíceis” da história do País. Ele reelembrou momentos históricos conturbados, mas o atual governo seria “o mal na sua mais expressa forma, o fascismo”.

Senador Randolfe Rodrigues discursa em lançamento de candidatura de Marina Silva. Foto: Iury Carvalho.

Apoio e divergências com o PT

Além de ressaltar a importância do ambientalismo e demais pautas progressistas, Marina declarou apoio à candidatura de Fernando Haddad ao Governo de São Paulo e demonstrou simpatia ao projeto de renda básica do vereador paulistano Eduardo Suplicy (PT), que também discursou.

Haddad em pronunciamento. Foto: arquivo pessoal.

Porém, a ex-Senadora não se manifestou favoravelmente a nenhum presidenciável.

Em entrevista ao TVGGN no mês de maio, a colega Helou afirmou que Marina tinha divergências com o plano de governo de Lula na pauta do meio-ambiente e que por isso não apoiava o ex-Presidente.

Ao ser questionada pela reportagem do GGN se essas discordâncias tinham sido resolvidas e se ela estaria junto de um eventual governo Lula na questão ecológica, Marina respondeu que “existem divergências”, mas que “a democracia é feita de diálogo”.

Federação com PSOL

Juliano Medeiros aproveitou o espaço de fala para agradecer e exaltar a federação entre REDE e PSOL. Com isso, os dois partidos funcionarão como um só grupo, a partir das eleições deste ano, até 2026.

Segundo ele, as duas legendas são “as que mais votam juntas no Congresso Nacional”.

Juliano Medeiros, presidente do PSOL, em lançamento de candidatura de Marina Silva. Foto: arquivo pessoal.
  • Estagiário sob supervisão

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

jorginho

- 2022-07-02 17:46:55

Olá jornalistas do GGN: deem uma força para nós eleitores do Lula e divulguem nomes dos candidatos ao Congresso (deputados e senadores) que serão aliados de seu governo com chance de entrar e fazer diferença!!! Senadores/as por estado, Deputadas/os federais idem, e estaduais também. Grato!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador