Como é a estrutura da manifestação bolsonarista que ocorre hoje, na Av. Paulista

Ana Gabriela Sales
Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.
[email protected]

O pastor Silas Malafia abriu o bolso para a realização do evento, mas quer discurso que preocupa defesa do ex-presidente

Ex-presidente Jair Bolsonaro faz gesto para pedir calma com as mãos durante discurso.
Foto: Divulgação/PR

Aos moldes dos preparativos que resultaram na invasão golpista de Brasília, caravanas espalhadas pelo país já se organizam com objetivo de chegar ao palco do espetáculo bolsonarista, na Avenida Paulista, em São Paulo, previsto para começar às 15h30, deste domingo (25).

O ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) terá uma estrutura ímpar, bancada pelo idealizador do evento, o pastor Silas Lima Malafaia, que defende discursos inflamados. Confira os bastidores.

Boca fechada?

Desde a convocação da manifestação, Bolsonaro prometeu um ato distinto do que os seus apoiadores estão acostumados: sem ataques orais ou cartazes contra “quem quer que seja”, em referência às autoridades e instituições.

Contudo, a lista de oradores do evento é uma ameaça a este compromisso. Segundo a jornalista Carla Araújo, no Uol, o nome que mais causa reservas é o do deputado Nikolas Ferreira (PL-MG). 

Os advogados de Bolsonaro temem as falas radicais, principalmente de Ferreira. Mas a escalação do parlamentar é considerada inquestionável na visão de Malafaia.

Conforme já noticiado pelo GGN, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) formaram consenso sobre a prisão em flagrante do ex-presidente, caso ele decida atacar a instituição ou qualquer um de seus magistrados.

A estrutura

Já a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, neste sábado, trouxe detalhes da estrutura do evento, que tem até um croqui feito pela organização de Malafaia. Não era pra menos, já que o pastor desembolsou no mínimo R$ 90 mil para a realização.

Segundo a projeção, terá um carro de som específico para convidados, o trio Katrina. Já o carro de som em que Bolsonaro estará, apelidado de “Demolidor”, ficará localizado num ponto estratégico.

Em frente o trio de Bolsonaro terá um espaço apelidado de “Pipoca”, onde ficarão os jornalistas, seguranças e assessores parlamentares que vão comparecer ao evento, mas que não conseguirão subir nos trios onde estarão as autoridades.

Croqui do ato bolsonarista. | Imagem: Reprodução

De acordo com informações de Bergamo, o trio Demolidor, que leva o nome dado por seu dono, foi alugado por R$ 55 mil. Já o trio Katrina, custou R$ 19 mil. O carro de ambulância foi alugado por R$ 2 mil. E cada um dos seguranças que circulará no evento receberá diária de R$ 250.

Leia também:

Ana Gabriela Sales

Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Eu acredito que a chave para entender o comportamento do coiso, está na frase: DEUS ACIMA DE TUDO. Ora, como se acredita ser este DEUS acima de todos, torna-se inaceitável que ela queira se submeter às leis do país, afinal, sendo ele o senhor dos exércitos, imagina poder colocar no confronto com o estado de direito, a sua tropa de deliquentes patriotários.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador