Surto de ‘varíola do macaco’ já atinge países não endêmicos

Até o momento, doze países registram contaminações pelo vírus; OMS diz que casos não têm ligações de viagens para áreas endêmicas

Os casos da chamada ‘varíola dos macacos’ já atingem 12 países que integram a Organização Mundial da Saúde (OMS) e não são endêmicos para a doença, em três diferentes regiões. Embora as investigações estejam em andamento, casos relatados até o momento não estão ligados a viagens realizadas a regiões endêmicas.

Até o dia 21 de maio, foram 92 casos confirmados em laboratório e 28 casos suspeitos de varíola dos macacos com investigações em andamento foram relatados à OMS por 12 países integrantes e que não são endêmicos para o vírus. Nenhuma morte associada foi relatada até o momento.

Segundo a instituição, a partir das informações disponíveis atualmente pode-se perceber que os casos foram identificados principalmente (mas não de forma exclusiva) entre homens que fazem sexo com homens, que buscam atendimento na atenção primária e nas clínicas de saúde sexual.

A OMS alerta que “a situação está evoluindo”, e a expectativa é que mais casos da doença sejam registrados conforme a vigilância avança entre os países não endêmicos.

A recomendação da OMS é que sejam adotadas ações que possam informar aqueles que corram mais risco de contaminação para impedir o avanço da doença.

Segundo a instituição, “as evidências atuais disponíveis sugerem que aqueles que estão em maior risco são aqueles que tiveram contato físico próximo com alguém com varíola dos macacos, enquanto são sintomáticos”.

O vírus da varíola dos macacos (Monkeypox) é transmitido de uma pessoa para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama.

Contudo, a ingestão de carne e outros produtos de origem animal mal cozidas de animais infectados também é um possível fator de risco. O período de incubação da varíola dos macacos é geralmente de 6 a 13 dias, mas pode variar de 5 a 21 dias.

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente.

Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Leia Também

Governo cria comissão para acompanhar casos de varíola de macacos

Governo descumpre lei que aumentaria oferta de remédios contra Covid

Dinheiro do SUS é usado para beneficiar aliados do governo

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador