Palpites para a esquerda I, por Zegomes

A esquerda tem facilitado. É paralítica quando o assunto é segurança pública.

Banksy

Palpites para a esquerda I, por Zegomes

O Governador Witzel e a violência:  Esse homem tem dito que será o próximo presidente do Brasil. Melhor não desdenhar, Esquerda. Sabemos que no mundo se trava uma luta que era escondida, mas que agora está ficando aberta e clara.  Os bilionários do planeta resolveram acabar com os pensamentos de esquerda e de solidariedade no mundo.  Fundaram Think Tanks liberais para financiar movimentos direitistas em todos os países.     Movimento Brasil Livre –Livre de quê? De qualquer preocupação social, ou seja, de pensamentos de esquerda. Trabalham em conjunto com as agências americanas de inteligência e utilizam-se de técnicas moderníssimas (psicológicas e de inteligência artificial) para formar movimentos de manadas direitistas. Dispõem basicamente de toda a mídia tradicional e das poderosas redes sociais para alavancar suas ações. Agem como hordas de vampiros, por isso vamos chamá-los aqui de Dráculas.

Escolhem (após pesquisas) os temas a bombardearem:

1.     1. O tema dos costumes (gênero, aborto, LGBT, etc.) e temas religiosos conservadores ou até mesmo fabricados (teologia da prosperidade é uma fabricação de laboratório, não tenham dúvidas. Existia como ideia minoritária há décadas, mas foi vitaminado em laboratório. A noção de Israel e judeus também, agora considerados o povo da Bíblia e de Deus, durante muitos séculos, sabemos, foram fabricados pela Igreja Católica apenas como o povo “que matou Jesus”, agora, em nova versão fabricada pelos Dráculas e oferecida aos “evangélicos”, são apresentados como os santos em guerra contra os ímpios e Israel vai se tornando a Meca dos “verdadeiros” cristãos);

Leia também:  Michael Löwy: Dos governos de direita, Bolsonaro é o que mais tem traços neofascistas

2.    2.   O tema da corrupção (Vejam os líderes de esquerda presos por falsas acusações de corrupção);

3.  3.   No Brasil e países pobres: o combate à criminalidade e a violência;

4.     4.     Nos países ricos: A imigração substitui o tema da criminalidade e violência.

Bolsonaro foi eleito por esse bombardeio (a fixação dele por Israel está dentro desse contexto). Witzel quer repetir a dose. Começou mal, com muita sede ao pote, subindo em helicóptero com polícia e atirando no povo, numa ação desastrada que provocou indignação. Até o comedido Nassif foi obrigado a escrever umas palavrinhas duras contra o tipo.    Mas ele voltará à carga, com mais inteligência. Tentará, com afagos, se aproximar mais da Globo. Como Bolsonaro e Duterte, das Filipinas, usará o sofrimento do povo diante da violência da bandidagem comum para chegar ao poder.

A esquerda tem facilitado. É paralítica quando o assunto é segurança pública. Escrevi aqui no GGN um texto que é uma tentativa de apontar um caminho para a Esquerda no que se refere à sua defesa frente aos Dráculas quando o assunto é combate à criminalidade e à violência. Está aqui: https://jornalggn.com.br/noticia/por-que-haddad-se-recusou-e-a-esquerda-se-recusa-a-falar-sobre-seguranca-publica/ .

Nesse texto, sem modéstia, eu fui muito bem-sucedido em desvendar a trava psicanalítica que faz a Esquerda ficar emudecida quando o tema é combate à violência. Recentemente, o Governador da Bahia disse numa entrevista que “a mãe de um filho assassinado pela bandidagem vota em Bolsonaro”. Aleluia!!! Começaram a compreender.     Se conseguirmos criar uma postura proativa nesse item, teremos quebrado uma das pernas dos Dráculas e Witzel ficará um pouco mais longe de alcançar o poder e nos enfiar mais profundamente na escura noite do fascismo.

Leia também:  Não comemore Witzel, trabalhe!, por Jandira Feghali

Na Europa e nos Estados Unidos, os Dráculas têm usado o tema da imigração para ganharem apoio e consequentemente eleições. E a Esquerda -nos Estados Unidos os progressistas, já que lá não há Esquerda-  tem ficado paralisada sem saber como reagir. Até o grande Papa Francisco tem apanhado horrores por ousar se posicionar. Também sobre esse tema escrevi um texto aqui no GGN. Está aqui: https://jornalggn.com.br/opiniao/a-esquerda-europeia-perdendo/

Se houvesse uma Esquerda forte na Europa nesse momento, estaríamos aqui também, um pouco menos desprotegidos, e os Dráculas menos ousados.

Para não ficar muito extenso encerro esse texto e depois continuo com o PALPITES PARA A ESQUERDA II.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora