Governo anuncia mudanças em benefícios trabalhistas e previdenciários

Jornal GGN – O governo federal anunciou ontem (segunda-feira, 29), a edição de medidas provisórias com novas regras de acesso ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Entre as mudanças está a adoção de um prazo de carência para o acesso ao seguro desemprego. Pela proposta do governo, o trabalhador precisará ter pelo menos 18 meses de registro em carteira para solicitar o benefício pela primeira vez. Esse prazo cai para 12 meses na segunda solicitação e apenas na terceira solicitação se iguala ao prazo atual, de seis meses.

O recebimento de abono salarial também deve mudar. Atualmente, quem recebe até dois salários mínimos tem direito ao benefício caso trabalhe mais de 30 dias no ano. Na nova regra, passa a vigorar uma carência de seis meses e o valor será proporcional ao tempo de trabalho – assim como acontece com o 13º salário.

Além disso, a pensão por morte deve ser modificada. O prazo mínimo de contribuição para o recebimento do benefício passa a ser de 24 meses. E para ter direito à pensão será exigido um tempo mínimo de casamento ou união estável, também de dois anos. Além disso, o benefício vitalício só será dado para cônjuges viúvos com 44 anos ou mais. Para pessoas mais jovens, esse tempo vai variar entre três e quinze anos.  

O prazo de afastamento do serviço antes de passar a receber o auxílio-doença, do INSS, também será ampliado, dos atuais 15 dias para 30 dias. E haverá um teto para o pagamento do benefício, que será a média das últimas 12 contribuições.

Leia também:  Governo manda a polícia para tomar as chaves da Cinemateca

O governo, na figura do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, anuncia o pacote de medidas como correção de distorções na concessão de benefícios trabalhistas e previdenciários.  O ministro diz que a intenção é garantir o equilíbrio fiscal nos próximos anos e atrair investimentos.

Muitas dessas mudanças são, de fato, reivindicações antigas da sociedade civil.  Segundo Mercadante, elas adequam a legislação brasileira aos padrões internacionais.

As novas regras passam a valer hoje (30) e só atingem trabalhadores novos, sem mudar nada para os atuais beneficiários. As medidas provisórias ainda podem ser alteradas pelo Congresso.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

139 comentários

    • Este tempo verbal não se

      Este tempo verbal não se aplica ao seu texto, já que deixa implícito não ser votante de Dilma. O correto seria “terão”. E a resposta é não!

      Só idiotas acreditam que o NOSSO governo é populista, esquerdista, ditatorial, cubano, bolivariano, socialista ou seja lá qual viajem você curta!

  1. Eu fico imaginando o

    Eu fico imaginando o trabalhador, em seu primeiro emprego, sofre um acidente de trabalho após 3 meses e falece. Deixara filhos e esposa desguarnecidos. Esse é o Governo que pensa no social ?

  2. Há uma grave distorção no

    Há uma grave distorção no seguro desemprego. Muitos traba;lhadores forçam a demissão, recebem o seguro e buscam trabalho sem registro, ganhando de duas fontes. A concessão do benefício deveria ser acompanhada de obrigação de frequentar curso de qualificação em horário integral, durante todo o período abrangido. Há algum tempo vi que seria implementada a medida, mas tenho visto muita gente que ganha o benefício e trabalha sem carteira assinada, logo, acho que a coisa está muito frouxa.

    • Tem racionalidade econôimica

      Tem racionalidade econôimica nisso: as condições de trabalho no Brasil estão entre os piores do mundo, a rotatividade é altíssima e o salário é um lixo. É mais fácil deixar na conta do trabalhador do que mudar isso.

  3. Cara presidenta

    Cara presidenta Dilma;

     

    Durante a campanha eleitoral  você garantiu que não mexeria nos direitos dos trabalhadores, respondendo ao arminio fraga. E repetiu este compromisso por várias vezes.

    O que você está fazendo presidenta???

    Dentro de minha limitações como cidadão, trabalhei ao máximo, torci e me desgastei com muitos para a sua reeleição.

    Até a definição deste “novo” ministério consegui engolir, mas com estas estas medidas “não dá mais para segurar”. 

    Que lástima !!!

    Tenho convicção que esta foi a primeira vez que você descumpriu um compromisso assumido e é isto que mais preocupa.

    Não tenho nenhum  motivos até agora para alimentar esperanças.

    Feliz ano novo a todos, apesar deste cenário.

     

    Genaro

     

     

      • Sra. Anarquista Lúcida ( que

        Sra. Anarquista Lúcida ( que esconde o verdadeiro nome)

         

        Com que base você fez suas considerações? Você me conhece? Sabe do meu passado e da minha militância??

        O que foi que escrevi de errado?

        Tire o ódio de seu coração e a venda de seus olhos. Você acha que omitindo opinião com o objetivo de corrigir rotas estamos indo contra o partido?

        Desejo a você um feliz ano novo.

         

        Genaro

        • Real/ Genaro está super identificado, quem nao conhece o Genaro?

          Que nem cadastrado é, a gente nao pode verificar os comentários anteriores dele para ver que posiçoes já defendeu. Se é que já comentou muito aqui, nao me lembro de nenhum comentário anterior dele. Acha que somos idiotas. 

  4. Esse “Aécio” é de LASCAR…

    Bem que a Dilma avisou que esse tal de Aécio Neves ia botar PARA LASCAR nos pobres dos trabalhadores…eheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheh…Mas ela tá ai para defende-los…NEM QUE A VACA TUSSA!!!!!!!!!….eheheheheheheheheheheheh…

  5. “… Segundo Mercadante, elas

    “… Segundo Mercadante, elas adequam a legislação brasileira aos padrões internacionais… “

     

    adequaçao só ocorre para ferrar o contribuinte, o proximo passo certamente vai ser relativasar os direitos trabalhistas deixando a cargo do sindicato junto ao patronato os termos do contrato de trabalho, pois segundo certos iluminados isso é o caminho para diminuir o custo Brasil

    Até parece!

    Um exemplo de como essa conversa e furada por parte dos parasitas do patronato brasileiro é a situaçao dos bancariosl

    Nunca neste pais os bancos ganharam tanto dinheiro, e nunca houve tao poucos funcionarios com tanta perda de vantagem e terceirizações…

  6. “correção de distorções na

    “correção de distorções na concessão de benefícios trabalhistas e previdenciários”

    Distorções!!?

    “Muitas dessas mudanças são, de fato, reivindicações antigas da sociedade civil.”

    Reivindicações de quem, cara pálida!? Só se for dos banqueiros!!

    Ôoo materiazinha chapa branca, hein….. 

    • A presidenta Dilma, assim

      A presidenta Dilma, assim como o presidente Lula continuarão recebendo aposentadoria depois de 8 anos em cargo eletivo. Para os politicos tudo, para os trabalhadores ‘correções de distorções’. O segundo governo Dilma nem começou e já um escárnio com a classe trabalhadora.

  7. Interessante que a militâcia

    Interessante que a militâcia online já passou negativando todo mundo, mas sem responder a ninguém. 

    Está cada dia mais difícil defender o indefensável…………

    • Engano seu. Só nao concordo com a questao da pensao

      E nao tanto pela medida, mas pelo raciocínio subjacente a ela. A pensao por morte nao é apenas para o sustento de um cônjuge que nao trabalhe, é para manter o nível de renda DA FAMÍLIA, que é diferente com um salário ou dois. 

      As outras medidas sao bem razoáveis. Evitar a burla no uso do salário desemprego. 

      • Deixe de ser pelega!
        Se o

        Deixe de ser pelega!

        Se o governo tivesse anunciado que iria mexer na sua aposentadoria de professora, vc seria a primeira a vir aqui gritar.

        Se um governo tucano tivesse adotado tais medidas claramente anti-trabalhadores, idem

        Como anunciou mexer em benefícios de trabalhadores que recebem pelo INSS, vc apoia 

        PQP, eu fico puto com essa relatividade moral da militancia petista

        Somos todos trabalhadores, e nego fica relativizando quando não é ele que toma o prejuízo em nome do “equilibrio das contas”!

        Em tempo, eu sou estatutário, não fui afetado por nenhuma dessas medidas, mas fico PUTO de ver como nego finge que não vê outros trabalhadores tomando ferro enquanto a banca e os grandes empresários seguem nadando de braçada

         

        • Deixe vc d má fé Eu pularia contra qquer retirada d aposentadori

          E disse que nao concordo com as mudanças na pensao por morte. Agora as outras medidas acho corretas, sobretudo as mudanças no acesso ao salário desemprego de modo a evitar a burla. 

          • Se existe burla, que se punam

            Se existe burla, que se punam os “burladores”, não se retire o direito de toda a coletividade, ora.

            Isso é desculpa esfarrapada para justificar o injustificável, e você sabe disso.

             

  8. As mudanças, a meu ver, foram

    As mudanças, a meu ver, foram todas corretas.

    Falta é melhorar esse sistema de pensões do funcionalismo público, esse sim é escandaloso.

    • Pela primeira vez, concordo

      Pela primeira vez, concordo 100% com o Daniel.

      Sempre votei no PSDB.

      Entretanto, sempre considerei que o PT no poder tem uma vantagem para efetivar essas mudanças polêmicas mas necessárias, que é não ter o PT na oposição.

  9. Sem nem tomar posse,

    Sem nem tomar posse, sinalizar algo desses é triste. No ano passado já corrigiram “distorções” na aposentadoria dos funcionários públicos federais. Que estão sem aumento no vencimento básico há 8 anos, para corrigir distorções.

    Há anos que não se ouve falar em uma vitória importante nos direitos trabalhistas, em pleno governo dos trabalhadores. Foca-se apenas na justa bandeira da assistência social, independente do trabalho, realizada em cima da oneração da classe média, porque a taxação das grandes riquezas é um tabú insuperável.

    E há uma turma que perdeu a eleição, mas não perdeu o poder e a influência nas idéias do governo, que diz que a CLT é uma grande distorção. Antes mesmo da posse essa turma recebeu essa sinalização, de bandeira branca com a camisa alheia do trabalhador.

    Na década de ouro de 90, havia um partido que chamaria isso de relativização dos direitos trabalhistas. Hoje, com o segundo PMDB em gestação, só nos resta torcer para que o Psol adote o trabalhismo e equilibre esse jogo.

    • Triste porque? Um sujeito

      Triste porque? Um sujeito trabalha um mês no bar do Alcides, sai e já tem seguro desemprego? Dai ele vai trabalhar no bar do Pedrfnho sem registro? O Brasil vai viver de malandragem? O Tesouro, qualquer Tesouro,  até o de Luis XVI tem limites,

      o dinheiro vem dos contribuintes, vamos sustentar safadezas?  Grande parte desse seguro desemprego e pura malandragem, na pensão por morte é ainda pior, estão defendendo o que? Vagabundo esperto?

      • Devem ter muitos por aqui que

        Devem ter muitos por aqui que “vivem” de seguro-desemprego. 

         

        Acontece muito, mas diversos comentaristas deste blog, ao que parece, acham justo o camarada preferir não trabalhar ou pedir para não ser registrado e, assim, continuar a receber o seguro desemprego.

      • E na pensao por morte é pior, AA? Enlouqueceu?

        Nao nego que possam existir malandragens (a célebre mocinha que se casa com o velho de 88 anos), mas em 1000 viúvos nao deve haver em média nem um caso desses… E pensao por morte nao é só para sustentar o cônjuge viúvo, mas para manter o nível de renda da família, mesmo que o cônjuge viúvo trabalhe. Portanto a perda da vitaliciedade em funçao da idade nao faz sentido. E se fizesse seria exatamente ao contrário: o cônjuge mais idoso precisaria menos, porque normalmente os filhos já seriam adultos. Claro que nao estou defendendo isso; estou dizendo que a lógica subjacente a essa medida é falha, herança do tempo em que mulheres nao trabalhavam e se pensava a pensao por morte apenas como meio de sustento de uma mulher que nao trabalhava. Hoje a pensao é para homens ou mulheres, que trabalhem ou nao. 

  10. Direitos intactos

    Vamos examinar o que de fato tem nestas medidas:

    1) Abono Salarial – o abono salarial é pago ao trabalhador que recebeu até 2 (dois) salários mínimos e que tenha trabalhado pelo menos 30 dias no ano base. O benefício trata de forma igual quem trabalha 30 dias em um ano e quem trabalha o ano inteiro.

    A medida pretende, a meu juízo corretamente, corrigir essa evidente distorção e elevar a carência de 01 mês para 06 meses ininterruptos de trabalho no ano base, além de pagar o abono proporcionalmente ao tempo trabalhado no ano base (da mesma forma como o 13º salário).

    É justo que um trabalhador que laborou durante 30 dias receba o mesmo abono salarial que um trabalhador que laborou 330 dias num ano?

    2) Seguro Desemprego – eleva a carência do benefício de 06 para 18 meses. Penso que é um exagero. Possivelmente será modificado no Congresso Nacional.

    Mas não há supressão de nenhum direito trabalhista (até porque o seguro desemprego é um benefício da seguridade social), apenas um aumento de carência para recebê-lo.

    3) Pensão por Morte – exige uma carência mínima de 02 anos de contribuição de contribuição previdenciária e faz uma exigência de tempo mínimo de casamento ou união estável para garantir o benefício (02 anos).

    No caso da carência as exceções ficam para os casos de acidente de trabalho e doença profissional ou do trabalho. No caso do casamento ou união estável, há a exceção para os casos em que o óbito tenha ocorrido em função de acidente de trabalho depois do casamento (mas antes dos 2 anos) ou para o caso de cônjuge/companheiro incapaz/inválido.

    Há também a exclusão do direito a pensão para dependente condenado pela prática de crime doloso de que tenha resultado na morte do segurado, o que é uma medida absolutamente correta.

    O ponto mais polêmico diz respeito a vitaliciedade do benefício. Por exemplo, aquela moça de 18 anos que casou com o velhinho de 88, a beira da morte, não terá mais direito a esse benefício de forma vitalícia.

    4) Auxílio-Doença – a parte mais significativa é que antes o INSS pagava o benefício a partir de 15 dias de afastamento do trabalhador. Até o 15º dia de afastamento os custos eram pagos pelas empresas.

    A partir de agora o INSS só começa a pagar o benefício a partir de 30 dias de afastamento, enquanto as empresas terão de arcar com mais 15 dias de pagamento, somados aos 15 que já existiam, de afastamento dos trabalhadores.

    Portanto, desonera os cofres públicos ao mesmo tempo em que onera um pouco mais as empresas sem retirar nenhum direito do trabalhador.

    Por fim, é bom destacar que o projeto prevê estender as regras para o regime de previdência dos servidores públicos, o que é correto.

    E todas as medidas anunciadas valem apenas para benefícios futuros (nem poderia ser diferente). Para quem já é beneficiário de algumas destas situações, obviamente que nada muda.

     

    • Defender retirada de

      Defender retirada de benefício para trabalhador…

      Tive um professor que nos anos 90 dizia que o PSDB deveria ser processado por falsidade ideológica, já que não tinha nada de social-democrata. O mesmo vale para o PT hoje em dia.

      Quem recebe abono salarial e não se enquadrar na nova regra ficará sem. Ficará sem um valor que faz diferença pra ele. É a condição de vida real do trabalhador. Não importa se trabalhou só um mês naquele ano, é um valor que ia para o trabalhador, para aquele que precisa, que ganha até 2 salários mpinimos.

      Querer justificar isso como uma política que não é anti-trabalhador, não passa.

      Vamos para a vida real, para o povão sofrido que luta a cada dia. É para esses que se pediu voto na Dilma não?

      Injustificável.

  11. CORREÇÕES que já vem tarde. O

    CORREÇÕES que já vem tarde. O sistema do seguro desemprego é todo cheio de brechas para malandragem.

    A pensão por morte em todo o mundo tem regras muito mais rigidas do que essas hoje implementadas.

    Os ajustes ainda são muito frouxos, pelo menos fecharam a porta das “viuvinhas alegres” de 20 aninhos que casam com velhotes de 80 anos para herdar a pensão por mais 60 anos.

    Bilhões no ralo da sacanagem terreno em que o brasileiro é campeão mundial, tanto faz ser pobre, remediado ou rico.

        • E quem disse que não é o

          E quem disse que não é o tesouro nacional?

          E reafirmo: são os patrões que estão decidindo o que o trabalhador deve receber.

          Quem trabalha não decide.

          • Até onde lembro, os recursos

            Até onde lembro, os recursos do PIS, que alimentam o FAT, que deveria assegurar o seguro desemprego, é arrecadado das empresas, e não do tesouro. Isso mudou ?

    • Fora o pessoal que trabalha 6

      Fora o pessoal que trabalha 6 meses, pede demissão e ganha salário-desemprego. Um amigo, que tem comércio, vivia reclamando desse malandragem.

  12. Outra coisa que o Governo

    Outra coisa que o Governo deveria mudar são as “deduções” no IR..

    Qual a lógica das deduções, sejam educacionais ou de saúde ?

    Saúde e educação não são das melhores, mas são universais, até onde eu sei. Ora, quem quiser usar particular que use, mas que não venha fazer dedução, colocando na conta de toda a população o custo do serviço privado.

    • Em dobro…

      Precisa explicar as deduções? Tá bom:

      1 – Só tem direito às deduções quem já pagou ou está pagando IR.

      2 – Quem tem este direito, além de pagar pelos sistemas de saúde e educação públicas, também pagaram pelos mesmíssimos serviços privados (por quê será?).

      3 – Os valores restituídos sempre são aquém do que foi efetivamente gasto nos serviços privados.

      Difícil?

      • Mas a deduçao p/ Educaçao é maior do q o Governo paga p/ aluno

        Acho que nao podia ser maior do que o gasto efetivo do Governo por aluno de escola pública. Saúde é mais difícil de equacionar. 

    • quer dizer que

      quem procura uma educação melhor que a pública ou um atendimento médico decente não pode ter essa ajuda já que o sus tá sobrecarregado e a educação pública tá lamentável??

    • Pense antes de escrever

      De acordo com o ISESS, 50,6 milhões de pessoas são beneficiários de plano de saúde. Temos, portanto, um quarto da população, em tese, sem usar a rede pública. 

      Apesar de contigente enorme não recorrer a rede pública de saúde, é público e notório o caos do serviço de saúde público atualmente. Se os usuário de plano de saúde migrarem para a rede pública será um desastre absoluto.

      Afora esse detalhe, há algo que o Sr. Daniel esquece. A rede pública fornece muito pouco serviço odontológico á população. Em via de regra, a única forma de ter esse atendimento é recorrer a rede particular, para não ficar banguela. Seria injusto e canalha por parte do Governo não deduzir tais despesas no IR, já que não consegue f ornecer tais serviços.

      No tocante a educação, seu comentário assume o patamar da idiotice, visto que o Pode Público, em todas as suas esferas, não oferecem uma Educação de qualidade. Nos casos de curso superior a situação é pior, pois o número de vagas dispónibilizados é muito inferior a demanda.  O mesmo pode ser dito sobre cursos de pós-graduação.

      Tal quadro permite afirmar que se o brasileiro depender do Poder Público para estudar e ter  qualificação acadêmica, ele estará perdido. Recorrer a iniciativa privada é o que lhe resta.

      Diante do quadro deficitário atual da Saúde e Educação Pública, nada mais justo do que o cidadão poder deduzir no seu I.R. as despesas que vier a ter com educação e Saúde.

      Vale obeservar que a esmagadora maioria dos usuários de plano de saúde e educação  privada, são assalariados, ou seja, tem o imposto abatido já no holerite.  E os valores abatidos sempre propiciam uma restituição bem menor do que o Receita levou, bem como infinitamente inferior ao que o assalariado gastou com saúde e educação, em razão da ineficiência estatal.

      Diante do exposto, Sr. Daniel sugiro que se dê ao trabalho de refletir antes de escrever disparates.

      • Os insultos eu vou relevar,

        Os insultos eu vou relevar, para não me rebaixar ao seu nível,  mas os seus argumentos só ajudam a minha tese.

        Se os valores “deduzidos” são pequenos em relação ao que se pagou de IR e ao que se gastou em saúde e educação é mais um motivo para acabar com essa farra que, repito, não faz qualquer sentido. Para o Govenro, que deixa de arrecadar, o recurso não é pequeno, é grande, Recurso este que poderia ser revertido para a saúde e a educação públicas.

        É a mesma lógica da nota fiscal paulista. Paga uma merreca para mimar os contribuintes e deixa de arrecadar uma fortuna para o Governo investir em serviçõs à toda a população.

  13. Xaropada…

    A vaca tossiu? Xarope nela!

    Na boca da oposição era indecente e não seria feito por esta administração “nem que a vaca tussa”. Feito agora no apagar de luzes deste mandato, depois da reeleição, virou sensatez? Conhecem o termo “estelionato eleitoral”?

    • Aquilo q aconteceu em SP? Onde o racionamento era desnecessário

      mas só até as eleiçoes? 

      Ou o que ocorreu em 98/99, na passagem do primeiro para o segundo governos de FHC? Em que a paridade do dólar com o real seria mantida (isso dito até as eleiçoes) e foi para o espaço logo depois, acompanhada pelo preço dos imóveis, que subiram instantaneamente mais de 25%, prejudicando muita gente que tinha vendido para comprar outro e se danou? 

  14. E para reparar o rombo nas contas

    enxugar ministérios? enxugar gastos com comissionados? parar de gastar tanto com publicidade? parar de enfiar dinheiro em cuba? não, tira do trabalhador msm…

     

    até concordo com uma ou outra medida, mas, o partido dos trabalhadores correr para limitar direitos do trabalhador enquanto aumenta 30% salário de deputado e sustenta 40 ministérios é meio absurdo

     

    a vaca tussiu msm

  15. Passei só pra perguntar

    que remédio que dá pra vaca que tosse?? é grave? dizem que ferra com quem acorda cedo e paga imposto…

  16. Muito bem

    Muito bem minha Pres. Dilma, governando para quem realmente detem o poder neste pais, os banqueiros, os especuladores, os donos de iqrejas, e os parlamentares.

    Se ha duas semanas um post sobre a veja, que profetizava que Aecio fora abandonado pela revista, em relação as eleições de 2018, então podemos dizer que a Dilma esta abandonando o PT e sua pretenção de eleger um novo candidato.

    O ano de 2015 sera uma maravilha para os citados assima e pessimo para o povo.

     

    • .

      Péssimo para o povo só porque tu quer…

       

      A política nacional de valorização do salário mínimo será mantida. A inflação continuará na meta. Estamos com pleno emprego que nem no tempo do Lula chegou a existir. Segundo o DIEESE, mais de 90% das categorias conseguiram reajustas salariais acima da inflação em 2014 (o que vem ocorrendo desde 2005). 

  17. Meu pai tem 90 anos e ganha 2

    Meu pai tem 90 anos e ganha 2 salários mínimos de aposentadoria.

    Minha mãe tem 85 anos e caso fique viúva receberá apenas 1 salário mínimo e meio?

     

     

    • Se bem entendi, no meio

      Se bem entendi, no meio dessas baixarias baixadas, as “correções de distorções ” só valerão para os trabalhadores novos . Até a próxima correção, pelo menos…

      E por falar nisso, quem lembra do tempo em que ” correção de distorções ” era flexibilização de direitos ?

      Feliz ano novo.

  18. Enquanto isso deputados,

    Enquanto isso deputados, senadores e presidentes continuam cheio de ‘benefícios’, inclusive a aposentadoria vitalícia depois de 4 anos no cargo. A ‘sociedade civil’ (sic!) clama pela correção dessas ‘distorções’.

  19. A miriam leitão adorou,
    A miriam leitão adorou, enquanto corre pra economizar essa merrequinha em cima do trabalhado o nobre governo se deu um belo aumento de salario, separou um tri e trezentos e sessenta bi ora juros, economia é só pra cima do trabalhador, esse ser que gosta de ganhar desonestamente, esse é o nosso incrível governo trabalhista, pra alegria de banqueiros, megaempresarios, e especuladores em geral.

  20. Daqui a alguns meses vai ter

    Daqui a alguns meses vai ter petitas chamando  “Chicago boy” de comunista só para justificar os atos do governo. A traiçao a quem a elegeu nem esperou a posse para começar. Não é a toa que a medida foi anunciada nesse feriadão entre natal e ano novo. Do jeito que vai, a eleição de 2018 já começou a ser perdida!

  21. Nem discordo das medidas, no

    Nem discordo das medidas, no geral, mas me pergunto se e quando serão taxados os rentistas, as grandes fortunas, as heranças. E quando será cobrado IPVA de lanchas, iates, aviões particulares?

    Creio haver um certo exagero na redução em 50% no valor da pensão por morte, pois parte de um princípio equivocado de que cada um dos cônjuges gaste metade do rendimento do casal. Aluguel, condomínio, IPTU não diminuem em função da morte de um dos moradores. Mas isso poderá ser revisto.

  22. Choque

    Simplesmente chocada.

    Destruir direitos do trabalhadores pode, mexer nas grandes fortunas e demais privilégios dos patrões nem pensar, né? Decepcionadíssima Dilma, simplesmente deepcionda.

     

  23. Real governo tucano.

    A conta do ajuste é do trabalhador. Ao mesmo tempo, já foram dados, pós-eleições, dois aumentos na taxas selic. Mais dinheiro aos rentistas. Aécio dizia que adotaria medidas impopulares. Dilma as adota, junto com o provável secretário do tesouro em um governo tucano. As medidas tomadas até aqui mostram os rumos do governo: esse é um real governo tucano.  

    • Absoluta e rigorosamente nada a ver

      Joaquim Levy foi Secretário do Tesouro Nacional de Lula e Henrique Meireles, ex presidente mundial do Bank Boston e deputado federal eleito pelo PSDB de Goiás, em 2002, foi o chefe do Banco Central nos 08 anos do governo Lula. 

       

      O governo Lula, por acaso, foi um “governo tucano”?

       

      Quanto aos juros, Lula recebeu de FHC uma taxa Selic de 25% ao ano e entregou para Dilma, 08 anos depois, uma taxa Selic de 10,75% ao ano. Ao final de 2018, quando Dilma tiver os mesmos 08 anos de governo que FHC e Lula tiveram, aí poderemos avaliar esse quesito com melhor profundidade.

       

      Antes disso é puro proselitismo político barato e futurologia de quinta categoria.

      • Qual é a medida adotada por

        Qual é a medida adotada por Dilma para beneficiar os trabalhadores e que de algum modo contrariou os interesses rentistas? Não há! Levy é um tucano com todas as penas. No seu currículo, você se esqueceu de mostrar o período tucano dele. Apoiou Aécio. Por que até hoje ninguém perguntou a ele em quem votou nas últimas eleições

  24. cenário..

    Fico aqui imaginado aquele senhora idosa, que dedicou seus anos a família, agora sem perspectiva de insercão no mercado de trabalho, com a vida minimamanete planejada, agora bate o desespero, pois qdo o marido falecer, pau nela! O rendimento do marido que já era baixo, agora cairá pela metade.

    Parabéns partido dos trabalhadores!

    • Burrice pura e simples ou simples e pura má-fé?

      Aquela senhora idosa, que dedicou seus anos a família, agora sem perspectiva de inserção no mercado de trabalho, com a vida minimamente planejada, não precisa se desesperar, pois quando o marido dela falecer ela receberá a PENSÃO INTEGRAL E VITALÍCIA do seu marido. 

       

      O projeto não muda uma vírgula sequer a respeito da “senhoras idosas” ou dos “senhores idosos”. Muito antes pelo contrário. Os idosos continuarão a receber PENSÃO INTEGRAL E VITALÍCIA. 

       

      E acho isto muito bom pois a minha mãe tem quase 60 anos e o meu pai tem mais de 60 anos de idade. Para ambos, não muda absolutamente nada com a nova formatação e um receberá a pensão do outro (de quem falecer primeiro) de forma INTEGRAL E VITALÍCIA. 

       

      As pessoas deveriam no mínimo ler um pouco mais a respeito da matéria antes de escrever rotundas idiotices sem nexo.

        • Cara (ou caro)

          Cara (ou caro) colega:

           

          Percebo que vossa senhoria sequer leu o projeto da Casa Civil, o que lamento muito. 

           

          De quaisquer formas, humildemente sugiro que tu entres no site da Casa Civil e leia ponto por ponto da apresentação antes de expor apressadas e erroneas conclusões. Seria possivelmente o mais correto a ser feito. 

           

          Um grande abraço e mantenho o que disse no comentário anterior, pois é justamente o que está garantido no projeto em questão. 

          • Má fé

            Querido, no site está bem claro que a regra é geral, só não vale para os atuais pensionistas, ou seja, quem já tem o cônjugue morto.

             

            file:///C:/Users/user/Downloads/Medidas29122014geral_v2.pdf

          • .

            Todos os idosos receberão PENSÃO INTEGRAL E VITALÍCIA.

             

            Quanto a isto não muda absolutamente nada!

             

            Não sei qual é a dificuldade em entender algo tão simples. 

          • Vitalícia sim, integral não

            Li a apresentação disponibilizada no site da Casa Civil. Não posso falar com absoluta certeza porque ainda não vi o texto da medida, mas o texto da apresentação especificamente informa que todas as novas pensões por idade seguirão a nova regra de redução do benefício.

            Citando o documento:

            Nova regra de cálculo do benefício, reduzindo do patamar atual de100% do salário-de-benefício para 50% + 10% por dependente atélimite de 100% e com fim da reversão da cota individual de 10%; Exceção para órfão de pai e mãe Benefício mínimo continua sendo um salário mínimo –hoje 57,4%das pensões correspondem a 1 salário mínimo O documento não dá explicações adicionais sobre esse ponto.  A única isenção por idade que o texto menciona é aquela que garante o benefício vitalício para cônjuges com idade igual ou maior a 44 anos: Idade de referência: 44 anos ou mais** Expectativa de Sobrevida (anos): Até 35 Duração Pensão (anos): vitalício Qual é a sua fonte para a informação de que os benefícios serão integrais para cônjuges idosos? Como apresentada, a mudança parece fazer exatamente o que o comentário original diz — uma idosa de 75 anos cujo marido faleça em 2016 receberá metade do que era a aposentadoria do seu marido ou 1 salário mínimo, o que for maior. Dada a idade, ela não tem mais como fazer planejamento financeiro para se ajustar à nova realidade.

             

          • Nao juro mas q eu saiba a pensao p/ morte já é 50% + 10% p/ pess

            Nao concordo, mas acho que já é assim, ou pelo menos já foi, me lembro da angústia de minha avó depois que meu avô morreu e a pensao dele correspondia só à metade da aposentadoria que ele recebia.

            Pela regra, parece que isso continua. Entao, a senhora idosa só ficaria com 60% (e nao 50%) se nao tivesse mais filhos menores. Mas a pensao dela seria vitalícia, Mas pode ser q eu esteja me confundindo com a regra de divisao de herança. 

          • É de 100% do valor do

            É de 100% do valor do benefício recebido pelo segurado. Agora, por pior que seja o congresso, acredito que essa parte no corte dos benefícios não deverá passar.

          • Meus avós morreram em 80/81. Pode ter mudado c/ a Const. de 88

            Que naquela época ela ficou com metade da renda dele me lembro. Se mudou em 88, ou com outra lei posterior, deve ser porque viram a injustiça disso. Nao concordo com a mudança agora em relaçao à pensao. Mas concordo com as mudanças no acesso ao salário desemprego, e acho justas as mudanças no abono, se bem que talvez nao necessárias e impopulares à toa. 

      • Diogo legal ver sua

        Diogo legal ver sua disposição de defender o partido.

        Mas sobre a situaçao de quem ja recebe isso é obvio que nao muda ate  pq nao podem ( nao é nem questao de querer pois se fosse…rs ) agora se nao recebe ela muito possivelmente vai entrar na tal ” expectativa de direito adquirido “

        Ou seja ela tem garantida a pensao pois ja possui + de 44 anos porem nada garante até onde pude ver no projeto que ela vá receber a pensao integral 

        De qualquer forma acho que só pode mudar as regras e torna-las ” proporcionais ” se o conjugue da pessoa tiver desconto PROPORCIONAL tambem, nao é o caso.

        Isso vem atingir de cheio gente que pagou previdencia por decadas de forma a ter o beneficio e serão expostos a tal regra de ” proporcão”…

  25. Absurdo

    Segue o link do projeto, lá está claro que a mudança não atinge quem já é pensionista(o), mas atingirá aqueles que a partir de janeiro vierem a perder o cônjugue.

    file:///C:/Users/user/Downloads/Medidas29122014geral_v2.pdf

  26. Mas que gracinha!

    Mas que gracinhas! diria a Hebe Camargo. Ver tantos eleitores da oposição defendendo os “pobres trabalhadores”. Isto é um ótimo sinal ! Ter toda a oposição vestindo macacão, não há nada que pague. Fico muito contente com vocês e espero encontrá-los, juntamente com o Aécio, o Aluísio, Anastasia , o personagem principal da Privataria Tucana, mais filha, genros, gatos, cachorros e papagaios,  e  o príncipe da privataria  (que não levou nenhum dinheiro dos pobres, somente dos ricos p/ a Suiça e outras paragens) juntos no CONGRESSO p/ impedir que o projeto de lei passe. Não esqueçam do Lobão e da Maitê Proença – eterna solteira, tb. Quanta felicidade ! Desta vez, vamos !

  27. EXAME DE PRÓSTATA

    Essa medida para conter os gastos públicos, para poder sobrar mais dinheiro para os juros aos banqueiros, mais uma vez estoura na rabiola do trabalhador: rápida e certeira,  como exame de próstata!

          • É, ele tentou ser popular mas foi de 1 baixo nível assustador

            O machismo é tao difundido e naturalizado em nossa sociedade que as pessoas nem se mancam do tamanho da besteira. Ontem ou anteontem um comentarista daqui do Blog, de esquerda, que em geral faz comentários legais, morreu de rir falando do machismo de sambistas antigos, inclusive em caso de violência doméstica. O mesmo comentarista sem dúvida ficaria indignado se alguém risse do racismo dos mesmos sambistas antigos. Mas machismo pode… E homofobia nao deixa de ser um capítulo do machismo. 

  28. Vaca não tosse,

    Mas cospe. Cospe no prato que comeu. Ou melhor, na comida que a elegeu.

    Mas tem uns aí que estão merecendo a cuspida, etalvez um pouco mais.

    Governistas sem-vergonha, outrora gente que se afirmava de esquerda e que defendia os mais necessitados, agora aprova medidas que vão penalizar exclusivamente gente que trabalha, que depende da previdência social.

    Lamentável que a cara-de-pau dessa gente que sequer cobra um impostozinho sequer, uma mínima tributação sobre alguns MILHARESde donos de grandes fortunas que arrecadaria esse dinheiro necessário para esses benefício que atingem MILHÔES de pessoas.

    “Ah, mas em outros países já é assim” dizem alguns imbecis fazendo coro com o imbecil-mor que anunciou as medidas como forma de nos moldarmos a padrões internacionais.

    Só que é o segunte, estúpido e estúpidos, nesse países se cobra, e muito, imposto sobre riquezas, fortunas e heranças. Porque o senhor, seu estúpido, não toma medidas então que nos coloque em padrões internacionais de impostos cobrados de ricos.

    Claro que não, porque o senhor é um hipócrita. Sempre foi. E seus defensores são imbecis. Sempre foram.

    E o mais cômico disso tudo, senão trágico, é que os governistas sempre defenderam, acertadamente a tese que, dinheiro pago aos mais pobres, é dinheiro injetado automáticamente na economia. E é mesmo. O pensionista, o desempregado, o pescador artesanal, ao receber esse dinheiro vai imediatamente comprar o que precisa. 

    Em resumo, é uma medida que dá o tom da austeridade, tão criticada pelos governistas por ser a estratégia econômica  de governos europeus, que será agora a máxima do governo que rumina.

    • O mais engraçado é dizer que

      O mais engraçado é dizer que conceder seguro desemprego com 6 meses é jogar dinheiro fora.

      E o mesmo argumento dos que combatem o bolsa familia.

      Pois o estado nao joga dinheiro fora por uma simples razao, quem recebe a miseria dessa ajuda gasta 100% dela no pais

      Ninguem recebe bolsa familia ou seguro desemprego e vai torrar em free shop de aeroporto ou Miami

      Gasta tudo no pais que gira a economia local e reverte ao estado atraves da tributaçao.

      Oras essa…

       

      Obs: quem recebe dinheirao de aposentaria ou pensao é os politicos e o alto clero do poder publico ( poder judiciario ) esses sim vao para Miami gastar a grana do salario pago pelo estado mas eles nao sao afetados por essas ” adequaçoes ” rs 

  29. Nassif, favor corrigir o

    Nassif, favor corrigir o título da matéria do GGN para “Governo anuncia CORTES em DIREITOS trabalhistas e previdenciários”.

    Favor igualmente corrigir no corpo do texto afirmação pela qual trata-se de “reinvidicaçõess antigas da sociedade civil” o fato de perder direitos. Vocês só podem estar de brincadeira!

    Pra piorar, os caras anunciam retrocesso em direitos trabalhistas e previdenciários no dia “30 de dezembro”, véspera de Reveillon. Que bando de covardes!

    Não chega nem a ser uma decepção. Estava claro que haveria arrocho da classe trabalhadora independente de quem ganhasse as eleições, mas não pensei que viria tão rápido.

    Do ponto de vista histórico, é muito mais fácil atacar a classe trabalhadora que o capital.

    O fato é que o PT tem medo de botar o dedo na ferida. Exemplos não faltam a respeito do que eles jamais farão: impostos progressivos sobre o patrimônio e fortuna, regulação da mídia, redução das taxas de juros, etc.

    O PT escolheu o seu lado, e não é o dos trabalhadores!

     

     

  30. Tarifas de transporte

    Tarifas de transporte aumentando em inúmeras cidades brasileiras, incluindo as maiores capitais. E incluido aquelas governadas pelo PT e base-aliada do governo federal.

    E agora essa.

    E depois a culpa e o coisa ruim é quem vai pra rua lutar.

    Diante de uma possível onda de mobilização contra esse aumentos de tarifa, o governo faz a parte dele em afastar a esquerda (a de verdade não o simulacro) e os trabalhadores de qualquer ímpeto de defender esse governo diante de uma ofensiva dda direita oposicionista.

    A cegueira de beijar a cruz a todo o custo não tem limites.

  31. NÃO SOU CONTRA

    Vejo muita gente reclamando das medidas.

    Acho muito engraçado porque eu não quero ser beneficiário do seguro-desemprego, da pensão por morte e do PIS. Quero ter trabalho e minha família ao meu lado.

    Política que incentiva o desemprego é contraditória da política de geração de emprego.

    Concordo com essas mudanças.

    A grande mudança, porém, seria o fim do fator previdenciário. Este, sim, prejudica, e muito, a aposentadoria nos moldes atuais.

  32. Passando a lupa (homenageando a persistência da Grazie)

    PASSANDO A LUPA – Me desculpo antecipadamente por falar novamente sobre a questão das mudanças previdenciárias. Mas é que o debate esquentou muito e isso nos obriga a passar uma lupa em nossas convicções e tentar aprender cada vez mais sobre o tema.

    A polêmica é sempre um bom caminho para debater qualquer assunto. E é por isso que a polêmica em torno dos benefícios previdenciários, cujas mudanças foram anunciadas pela Casa Civil, já está rendendo frutos.

    Olhando com lupa as medidas confesso que não vejo, e digo isso com toda a sinceridade, problemas maiores na questão do abono salarial, do auxílio-doença e do seguro desemprego (o prazo de 18 meses, como disse anteriormente, é exagerado e deveria ser corrigido para baixo).

    Mas não há como fugir agora, e nem haverá como fugir no futuro próximo, da polêmica sobre a questão da pensão por morte.

    Esse ponto é o único com o qual estou de fato preocupado e a preocupação tem a ver com o valor dos benefícios.

    A vitaliciedade da pensão atingiria hoje, pelas novas regras, 87% das pensões que são concedidas regularmente pelo INSS. Seria preciso fazer um cálculo atuarial para saber se esse percentual subiria ou diminuiria com o passar do tempo.

    Outra questão, a meu juízo a mais sensível e importante, diz respeito ao valor do benefício em si, que hoje é de 100%. A proposta seria a de baixar esse valor.

    As novas regras explicitadas pela Casa Civil valeriam somente para quem entrará no sistema a partir de hoje, ou valeriam para as pessoas que já estão no sistema previdenciário e que portanto possuem uma expectativa de direito em relação à pensão integral?

    A pensão por morte é o ‘x’ da questão neste imbróglio todo. É a única que de fato importa para o futuro. E digo mais – por isso a polêmica é importante – o texto da maneira que está, em relação a pensão por morte, não vai passar no Congresso.

    Esse item está muito, mas muito mal explicado, pelo menos para mim. Não se sabe se há regras de transição e quem ficaria no regime antigo ou no atual!

    Enfim, que siga o debate mas tendo a fechar questão contra a questão da pensão por morte do jeito que ela está hoje. Com relação aos outros pontos, não vejo maiores implicações. 

     

    • Diogo só estao garantido os

      Diogo só estao garantido os termos de quem ja recebe hoje o beneficio, quem nao recebe ja dançou nessa …

       

      obs: antes devido a figura do Direito Adquirido a galera poderia ficar tranquilha , hoje isso acabou, agora o que vigora é um tal de EXPECTATIVA de direito adquirido ou seja voce nao tem garantido o tal direito ate que esteja exercendo ele…

        • !

          Bem Diogo, minhas ponderações tem como base o que está escrito no texto e pronto. Você que está aqui com divagações e expeculações. Por enquanto só estão resguardados os atuais pensionistas, os próximos dançarão.

          • ?

            Eu acabei de escrever um texto revendo algumas posições, e fiz isso em função dos teus pertinentes comentários. Agora que estou quase de acordo com o que tu disse, tu simplesmente desconsidera essa revisão que fiz?

             

            Vai entender…

      • Direito adquirido sempre foi diferente de expectativa de direito

        Isso nao é para o Leônidas, mas para os que estejam seguindo o tópico de boa fé. 

        Só é direito adquirido quando já foi adquirido, claro. Agora, a expectativa de direito costuma ser observada quando se muda um sistema legal. Mudanças na aposentadoria, por ex., normalmente têm período de transiçao. 

         

    • “…..confesso que não vejo,

      “…..confesso que não vejo, e digo isso com toda a sinceridade, problemas maiores na questão do abono salarial, do auxílio-doença e do seguro desemprego (o prazo de o 18 meses, como disse anteriormente, é exagerado e deveria ser corrigido para baixo).”

      Tá bom Diego Costa, se vc acha que tirar 18 bi (quase um Bolsa Família) das mãos dos trabalhadores é um problema menor quem sou eu para discordar?

      Também acho q 18 bi é mereca perto do mais de 1 tri do orçamentamo federal, mas depois não me venham aqui chorramingar o fim da CPMF porque soaria desonestidade.

       

    • Motta Araujo…

      …por favor, saí daí que o Diogo Costa está passando.

      O sujeito é a favor que se economize o dinheiro do PIS, negando seguro desemprego e abono salarial a uma parcela de trabalhadores.

      Em termos trabalhistas, está a direita de Médici. É pouco ?

    • No caso da pensão por morte,

      No caso da pensão por morte, estamos retroagindo ao tempo em que não havia previdência, ou seja, o trabalhador morria e deixava a família no desamparo.

      Poucas vezes vi em minha vida medida tão draconiana. Reduz de uma só pancada e por medida provisória as pensões a metade quando não simplesmente nega a.

      Não consigo crer que tal medida tenha sido negociada com as centrais sindicais nem vejo por que elas não devam reagir a essa espoliação.

    • Passando a lupa =

      = botando o galho dentro; panfletário a favor saiu defendendo nem sabia direito o quê, que feio.

    • Diogo, vc tem como saber como é hoje? Pq acho q já é assim

      Lembro da angústia de minha avó quando meu avô morreu e ela recebeu de pensao por morte cerca da metade do que ele recebia de aposentadoria. Acho que já é assim, um mínimo de 50% + 10% por dependente. Para uma família com 4 ou 5 filhos nao faria diferença em relaçao aos 100%, mas para uma família sem filhos menores ou com poucos filhos faz sim. E a questao da vitaliciedade é importante também, porque mesmo que o cônjuge seja jovem a renda da família depende do salário dos 2 cônjuges, quando os 2 trabalham. 

    • Da noite pro dia meu marido perdeu 50%

      Que bom ouvir tua análise Diogo de que essa da redução da pensão pela metade é esquisita. Estou sem entender o silêncio das centrais. Essa proposta é injusta ao extremo. E mais com a canetada por MP literalmente de um dia para outro, se eu morrer, meu marido, que não tem renda própria, fica com metade com o que sempre contamos para uma eventualidade desse tipo. Eu não estou entendendo como isso não é perda de direito. Se eu morrer no dia 29, meu marido recebe 100%, se der o azar de ser no dia 30, depois de MP, ele recebe só a metade. Claro que minha contribuição, nesse novo esquema, não será reduzida e que nosso aluguel não serà, proporcionalmente, reduzido à metade.  e mais, fica difíicil ver o Congresso alterando uma MP. afinal, se fizerem isto, é de resposabilidade do Congresso regular todas as implicações da alteração ou rejeição da medida. Se, num cenårio otimista, o Congresso fizer isso em 2 meses, a conta do ajuste já pode ser impeditivo. A estratégia de MP e não projeto de lei na calada do final do ano me convence de que é goela abaixo mesmo.  

    • Bah! decepção total, burro

      Bah! decepção total, burro fui eu, se soubesse que Aécio montaria esse ministério neoliberal, teria votado na candidata do PT.

       

  33. Parabéns, Nassif.

    Alguém aqui tem memória e se lembra do que foi escrito ou falado.  

    Parece que, vencida a eleição, chegou a hora de começar a distribuir as maldades.

    Seria bom alguns imbecis também irem lá blog, onde você postou esta coluna, e reverem seus comentários criticando-o pelo alerta.

    Quem pagará a desoneração da folha?

    Uma reforma abrangente desoneraria empresas intensivas em mão de obra e cobraria mais daquelas intensivas em capitalpor Luis Nassif — publicado 08/04/2013 11:26, última modificação 08/04/2013 11:27  

    O sonho de todo Ministro da Fazenda é poder apenas distribuir bondades. Reduz as críticas, torna-se popular nos setores beneficiados. Acontece que, repetindo um velho jargão, na economia não existe almoço de graça.

    Ontem a Fazenda anunciou a desoneração da folha de salários em mais 14 setores, entre eles, o da imprensa.

    Para os setores, é boa a medida. No caso das empresas jornalísticas, nos últimos meses o Ministério do Trabalho deu início a blitz que levaram muitas delas a demitir parte de seus jornalistas para fazer frente aos novos encargos.

    A desoneração reduzirá o número de PJs (jornalistas que recebem como pessoa jurídica) e aumentará a formalização. Ótimo!

    A grande questão é: quem paga?

    ***

    Sem gambiarras, como se resolveria a questão?

    Quanto à mão de obra, as empresas se dividem em dois grupos: as intensivas em mão de obra e as intensivas em capital, aquelas empresas maiores, mecanizadas.

    Uma reforma abrangente proporia a substituição da contribuição na folha por uma contribuição sobre o faturamento. Desoneraria as empresas intensivas em mão de obra e cobraria mais daquelas intensivas em capital.

    Com essa abrangência, seria possível à Previdência estimar de quanto seria a alíquota sobre faturamento, para compensar a queda da arrecadação sobre a folha e fechar a conta.

    ***

    Mas a Fazenda optou por fazer apenas bondades, deixando as maldades para o futuro.

    Analise-se cada setor beneficiado.

    No caso das empresas jornalísticas, os jornalistas PJ não contribuíam para o INSS. Como, em geral, são os melhores remunerados, tinham condições de contribuir para planos de aposentadoria privados. Lá na frente, não onerariam o INSS com sua aposentadoria.

    Agora, com a contribuição sobre o faturamento, as empresas jornalísticas formalizarão todos seus funcionários. A nova contribuição será insuficiente para garantir o equilíbrio daqueles que já estão no regime da CLT. A eles se agregarão todos os demais, que estavam no regime de PJ.

    Lá na frente, todos eles terão direito a aposentadoria sem que as contribuições tenham sido suficientes.

    ***

    Tudo muito bom, se a Fazenda definisse claramente as fontes de compensação desse subsídio. Acontece que não define. Todo esse subsídio irá para a conta geral da Previdência, como ocorreu com as isenções para instituições beneficentes, clubes de futebol, micro empresas, aposentadoria rural e  os benefícios continuados.

    Atualmente, todas essas isenções e todos esses benefícios sociais continuam sendo contabilizados na conta da Previdência. De tal maneira que, nas diversas ocasiões em que aumentou o déficit da Previdência, o ajuste se deu sobre os demais aposentados – presentes e futuros – na forma de redução dos benefícios.

    ***

    Agora a situação torna-se mais confusa ainda, pois se estará jogando nas costas da Previdência uma multidão de celetistas cujas contribuições – em seu tempo de vida útil – não serão suficientes para cobrir o período de aposentadoria.

    Os subsídios incidirão sobre a aposentadoria de celetistas, com todos os direitos.

    Sem as desonerações, os próprios técnicos do INSS estimavam problemas sérios a médio prazo – 20, 30 anos. Como ficará o déficit com as desonerações?

    Antes de prosseguir nessa escalada, o Ministro Guido Mantega deve explicações razoáveis sobre quem, afinal, pagará a conta
    .

     

    • Concordo que no Brasil

      Concordo que no Brasil vivemos a base de “jetinhos”, mas neste caso especifico temos um problema, as reformas não andam no congresso, o correto seria uma reforma tributaria.

       Veja que vc está falando em aumentar impostos das empresas mais modernas, isto significa desestimular a tecnologia.  

      Mas concordo que não pode-se esquecer de que alguém tem que pagar a conta.

  34. se afeta só aos novos, as

    se afeta só aos novos, as medidas servem para retirar gorduras?

    se for só isso que afetará a política social

    como um todo, lamento mas concordo com elas.

     

  35. IPVA para barcos e aviões, etc

    Acabar com imunidade tributária de igrejas, cobrar IPVA de barcos e aviões, imposto sobre grandes fortunas – haveria muita coisa a ser feita para reduzir despesas, mas esse povo prefere o de sempre, isto é, passar a faca em direitos de quem ganha pouco.

    Pergunto: o auxílio moradia de 4.750 para cada juiz, desembargador, membro do MP, etc, já foi pro beleléu ou será mantido?

     

  36. Seguro-desemprego agora tem

    Seguro-desemprego agora tem que ter 18 meses, não mais 6 meses.

    Um soco na cara dos mais precarizados, aqueles que pegam os trabalhos em que há mais rotatividade.

    Um soco na cara dos trabalhadores de call-center, aqueles que não conseguem ficar sequer um ano no emprego por causa das péssimas condições de trabalho.

    Nojo desse governo, dos hipócritas gestores do capital que se vestem de esquerda. Nojo do burguês Mercadante, da cota “de esquerda” do ministério, que tomou essa medida.

    A luta é entre os de cima e os debaixo. Governo é sempre de cima.

  37. Pensamento aterrorizante : e

    Pensamento aterrorizante : e se isso tudo for porque faliram o Fundo de Amparo ao Trabalhador ? Afinal, são tempos em que a vaca não tosse, mas está estranhando bezerro.

     

  38. toda hora

    novas explicações mirabolantes para defender a dilma surgem, pelo menos sei que não sou culpado por idosos ficarem abandonados pelo Estado e por esse golpe nos direitos trabalhistas

     

    como e´bom ter caráter

  39. ai, ai, ai, ai, ai

    Redução de benefícios? Legal. E a cara da gente diante daqueles com quem discutimos durante a campanha eleitoral? Cara de paisagem, né? 

  40. Lembrei do filme Xeque Mate –

    Lembrei do filme Xeque Mate – Lucky Number Slevin (2006) – e a muúsica tema Trapaça de Kansas City. Enfim, um trecho letra diz aasim:

    “é a trapaça de Kansas City

    onde, você olha para esquerda e cai para a direita”

    Pois é! E agente preocupado com golpe da direita. Risos. Muitos risos. Bem amargos.

  41. Não consigo entender as

    Não consigo entender as criticas(retirando quem votou no melhor candidato do mundo)?

    Desde 2013 o governo fez varias mudanças, poderia citar duas importantes :

    1) Desonerou a folha para melhorar o emprego, principalmente em empresa que mais usam mão de obra.

    2) Reuniu com as centrais para discutir o seguro desemprego, inclusive alterou para que o trabalhador que pedisse a segunda vez o seguro deveria fazer algum curso de capacitação. 

    Ou seja, pode-se falar deste governo, mais a logica segue a mesma sempre, aumentar o emprego.

    Engrançado no Brasil “dominado”, tudo é motivo para fim do mundo.

    Já tive a tristeza de usar o seguro, na fila tinha um monte com acordo com empresas para não perder o seguro, mesmo já estando empregado.  

    DILMA, cade o pessoal da comunicação. 

    Franklin Martins ou alguém competente…

     

      • Leonidas, 
          Aqui entre nós,

        Leonidas, 

          Aqui entre nós, vc já ficou desempregado?Vc conhece as regras para o seguro? Abaixo:

        http://portal.mte.gov.br/seg_desemp/seguro-desemprego-formal-2.htm

        mas copio a parte mais interessante:

        A assistência financeira é concedida em no máximo cinco parcelas, de forma contínua ou alternada, a cada período aquisitivo de dezesseis meses, conforme a seguinte relação:·   três parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo seis meses e no máximo onze meses, nos últimos trinta e seis meses;·   quatro parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo doze meses e no máximo 23 meses, nos últimos 36 meses;·   cinco parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo 24 meses, nos últimos 36 meses.Período aquisitivo é o limite de tempo que estabelece a carência para recebimento do benefício. Assim, a partir da data da última dispensa que habilitar o trabalhador a receber o Seguro-Desemprego, deve-se contar os dezesseis meses que compõem o período aquisitivo 

          Então alterar a primeira vez que vc pedir o seguro de 6 meses para 1 ano e meio, deve ser tratado como fim dos direitos trabalhistas? Sendo que este dá direito a 3 parcelas?

         Como falei, a primeira escolhar de Dilma devia ser o ministro da SECOM, convocar uma coletiva durante o recesso para lançar remendos, para serem bombardeadas até a volta parlamentar? esta medida poderia ter sido negociada no congresso ou bastaria aumentar os indices da tabela de valor para recebimento.

         

           

        • Ja fiquei desempregado.
          E

          Ja fiquei desempregado.

          E acho que a questao ai ( se há má fé de alguns é criar mecanismos inibi-las ) e nao aumentar o prazo como foi feito.

          A´te porque dizer que isso é economia para o governo é meia verdade na melhor das hipoteses.

          Essa é a mesma ladainha daqueles que afirmam que a previdencia dá deficit.

          Oras como assim deficit?

          Se ela paga uma miseria e mesmo que fosse 2 ou 3 mil reais esse salario volta INTEGRALMENTE para os cofres publicos pois alem de gerar tributaçao faz girar a economia nacional

          Entao o que economiza dinheiro para o governo é TRANSPARENCIA NAS LICITAÇOES, menos cargos COMISSIONADOS e diminuiçao de um numero absurdo de ministerios.

          Não é nas costas do trabalhador que o governo vai achar gordura para cortar nao…

          • Entenda que o governo já está

            Entenda que o governo já está tomando providências na ponta, para mim, o nome do principal seria o programa o e-social, que vai diminuir os acordos, pois permitirá acesso dos fiscais do trabalho sem ter que ir as empresas.

              Este governo tem o poder de amplificar os remendos e não trabalha na comunicação dos verdadeiros programas, para mim, o e-social é o maior avanço tanto pelo lado da arrecadação como da fiscalização.

             “Se ela paga uma miseria e mesmo que fosse 2 ou 3 mil reais esse salario volta INTEGRALMENTE para os cofres publicos pois alem de gerar tributaçao faz girar a economia nacional”

            O problema é que o dinheiro do seguro pertence ao FAT e não deveria ser utilizado desta forma, ora se vc aumenta o emprego e ao mesmo tempo o seguro tem algo errado, quando o quadro inverter(como parece que vai ocorrer em 2015) não haverá dinheiro.

            Claro que tem fraudes, mas o jeitinho também tem que ser inibido.

            Qto aos outros pontos acho que a melhoria da eficiencia da maquina publica deve ser a prioridade.

             “Não é nas costas do trabalhador que o governo vai achar gordura para cortar nao…”

             Como falei o que o governo fez foi proteger o dinheiro do FAT, veja o noticia:

            http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/04/com-rombo-recorde-fat-precisara-de-aportes-bilionarios-de-recursos.html

            Veja que existe outros problemas também de gestão e desonerações.

             

          • ELS, discutir c/ Leônidas é perda de tempo

            Ele nao tá nem aí para a verdade ou a lógica. É troll de carteirinha, malhará sempre, se o governo fizer X, malhará X, se o governo fizer nao X, malhará nao X. Nao perca seu tempo, saliva e latim. 

  42. A vaca TUSSIU e voce SI-FU….

    Pois é, a VACA TUSSIU mas quem se lascou foi o trabalhador….E quem estiver pensando que isso ai foi alguma coisa; pode tirar a VACA DA CHUVA. Isso dai foi só a entrada…

     

  43. No frigir do óvulos, o PT, o

    No frigir do óvulos, o PT, o Partido dos Trabalhadores traiu a sua imensa class. Vergonhoso!!!!!

     

  44. Esse blog tem sempre

    Esse blog tem sempre comentários esclarecedores, mas às vezes me perco. Então há burla na demanda e concessão do seguro desemprego. No lugar de intensificar mecanismos de controle, serão penalizados os que realmente precisam do auxílio, sem maracutaias.

    Por esse raciocínio, para resolver os “malfeitos “da Petrobrás que tal rever toooodos os prazos de exploração, construção e outros Òes da petrolífera ? No lugar de governança e controle , ampliem-se os prazos, assim o roubo – ops, as fraudes – será mais diluído.

    • Nira,
      Como falei abaixo, o

      Nira,

      Como falei abaixo, o problema deste governo é que transmite sempre uma visão negativa de suas ações. Desde 2013, o governo ver buscando opções junto as centrais e com o e-social( a ser implantado para todas a empresas em 2015), vai fazer o que vc esta falando.

      Na Verdade, Nira o e-social é mais importante que estas ações feitas como fosse uma evolução imensa.

       As propostas(apesar da MP) vão ter grande resistencia no congresso, pois transmite novamente como perda, quando na verdade faz parte de um investimento via desonerações pela manutenção de emprego, mas o cobertor é curto como colocado abaixo.

      Nassif, uma otima visão sobre a importancia da SECOM:

      http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/secom-e-comunicacao-governo-dilma.html

  45. Retirando Direitos Previdenciários, sim!

    Abono Salarial – Deveria ser totalmente proporcional independente do tempo de contribuição, do jeito em que está é ruim, do modo proposto também não é justo, já que só terá direito a partir de 6 meses initerruptos. O ideal seria proporcional, indo de 1 mês até 12 meses.

    Seguro-desemprego – Na minha opinião deveria ser 1 ano de trabalho.

    Seguro-defeso – Não tenho conhecimento do benefício, mas  se é para impedir acumo de benefício está correto.

    Pensão por morte – Em princípio concordo com as mudanças, menos e hipótese alguma a redução do valor da pensão para 50%, pois vamos a um exemplo:

    Uma pessoa idosa perde que seu cônjuge, precisa do dinheiro para cuidar de sua saúde, na maioria das vezes não pode ou não consegue trabalhar, ou seja, irão retirar um direito aos 100% do valor para reduzir para 50%.

    Os filhos que perderam seu pai ou mãe irá ter o seu direito reduzido em um momento onde precisaria do dinheiro, já que a figura paterna ou materna não estará presente.

    Essas medidas da redução do valor da pensão é absurda, anti-social, não têm o mínimo de empatia, um absurdo vindo de uma sigla que se diz Partido dos Trabalhadores, um atentado contra o social. 

    Além do mais se é para sangrar que todos sangrem não apenas o regime da CLT.

     

    • resposta

      Weslei, Seguro-defeso, é um benefício para os pescadores, que ficam proibidos de trabalhar, durante a época do defeso ou seja, durante a época de procriação dos peixes em geral. Para proteger a fauna aquática, só podem ser comercializados pescados produzidos em cativeiro. E estas mudanças são inconstitucionais, pois negam aos trabalhadores direitos conquistados a duras penas e anos de luta. |Mas, nada contra, diminuir salários de marajás entre os senhores parlamentares e aceclas afins. Auxílio paletó????, auxílio moradia??? e funcionários sem pagar obrigações trabalhistas???? Pois são fornecidos pela união. Onde está indo parar o nosso dinheiro??? Deveria está sendo direcionado para a coletividade( escolas, hospitais, estradas, ferrovias etc, etc……) Não concordo com esses desmandos.

       

  46. injustiça

    eu acho tudo um absurdo pq não cortam dos salafrarios que finge que trabalha na camara para o povo o que é uma tremenda de uma mentira pq se for olhar em 365 dias so vao 30 e muito se for,se precisar igual nero pois fogo em roma vamos por fogo no BRASIL mais vamos fazer nossos diritos valerem a pena!

  47. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome