Cresce a força de trabalho ocupada e a desocupada, por Luís Nassif

Houve crescimento de 0,6% na FT ocupada e queda de 12,1% na FT desocupada. Mas o número de pessoas fora da força de trabalho aumentou 3,2%.

Rovena Rosa – Agência Brasil

Os dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio Trimestral (PNADT) mostra alguns dados discrepantes.

Em relação ao mesmo período do ano passado, a População Economicamente Ativa cresceu 0,9%. Mas a Força de Trabalho caiu 0,5%. Houve crescimento de 0,6% na FT ocupada e queda de 12,1% na FT desocupada. Mas o número de pessoas fora da força de trabalho aumentou 3,2%. E, somados desocupados e fora da força de trabalho, houve aumento de 1,3%.

O maior percentual de força de trabalho desocupada está entre jovens de 14 a 17 anos – o que, em si, não é mal, porque engloba estudantes. Mas, para aqueles acima de 60 anos, o total de fora da força de trabalho mais desocupados chega a 77%.

De qualquer modo, houve um aumento no percentual da força de trabalho mais velha, provavelmente devido ao envelhecimento da população.

Mas também aumentou o percentual de mais idosos na população desocupada e fora da força de trabalho.

Houve uma melhora relativa no tempo necessário para arrumar emprego. No 3o trimestre de 2022 eram 9,5 milhões procurando emprego; agora, são 8,3 milhões.

Leia também:

Luis Nassif

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador