TV GGN 20hs: A fritura de Guedes, e a boiada passa na Amazônia

Lourdes Nassif e Marcelo Auler conversam com Manuel do Carmo da Silva Campos, representante da Comissão Pastoral da Terra da Arquidiocese de Manaus, e o economista Luiz Carlos Bresser-Pereira

Jornal GGN – Lourdes Nassif e Marcelo Auler conversam com Manuel do Carmo da Silva Campos, da Comissão Pastoral da Terra da Arquidiocese de Manaus, e o economista Luiz Carlos Bresser-Pereira

O programa começa com Lourdes e Marcelo trocando impressões sobre a CPI da Pandemia, que ouviu Tadeu Frederico Andrade, que passou 120 dias internado e quase morreu de covid-19 em hospital da Prevent Senior , e o ex-médico da operadora Walter Correa de Souza Neto

Lourdes afirma que “o apelo emocional foi pesado na hora que se ouve o relato da Prevent Senior (Tadeu Frederico Andrade, 65 anos). Isso foi bem pesado (…) E dá para a Prevent Senior mais peso no pé para afundar”.

“Então, não sabemos bem o que vai sair em termos de documento desse depoimento, mas que foi muito pesado, foi”, disse Lourdes. “E depois o médico corroborando todo o relato do paciente ali”

“A verdade é que queriam matar o paciente. Iam promover um homicídio”, diz Auler. “Primeiro ele começou a ter os sintomas em dezembro, procurou a Prevent Senior, mandaram o kit cloroquina, ele tomou inadvertidamente. Em janeiro ele (Tadeu Frederico) foi para o hospital, foi internado, tomou novamente, acabou tendo que ser entubado, ficou até o final de janeiro quando comunicaram a família dele que ele sairia da UTI e iria para o tratamento paliativo”.

Auler ressalta que o hospital daria morfina para o paciente e tirariam os tubos, deixando-o para morrer. “Se não fossem as duas filhas dele irem para o hospital, ameaçarem não apenas com ação judicial – mas eu acho que o que pesou foi de colocarem a boca no trombone na mídia – teriam feito isso”.

“Aí elas descobriram que os médicos estavam olhando um prontuário errado – de uma senhora, de 75 anos. Para ver como é que eram tratadas as questões ali dentro”, diz Auler. “Eles tiveram que contratar um médico particular para ficar fiscalizando isso tudo. É uma coisa aterrorizante”.

A boiada ambiental desce os rios do Amazonas

Lourdes e Marcelo conversam com Manuel do Carmo da Silva Campos, representante da Comissão Pastoral da Terra da Arquidiocese de Manaus, que está denunciando que, apesar do ministro Ricardo Salles ter saído do governo, a ‘boiada’ continua passando, descendo pelos rios

De acordo com Auler, uma comunidade ribeirinha na divisa do Amazonas com o Pará filmou o tráfego de balsas com madeira extraída ilegalmente da Amazônia – de quarta-feira passada até a última segunda-feira, foram de quatro a cinco balsas.

Contudo, Manuel diz que esse número já deve ter chegado a 10 balsas. “Estamos desde segunda-feira entrando em contato com o Ministério Público Federal, com a Defensoria Pública da União e eles ainda não conseguiram um retorno”.

“O processo que nós encaminhamos está com um procurador de Tefé, e nós não estamos conseguindo ter acesso. É o procurador federal que responde pelo MPF da Amazônia, em Roraima, só que ele está naquela região de Tefé”, diz Manuel do Carmo

Segundo Auler, a madeira apreendida em novembro pertencia ao empresário Darlling Ribeiro Lira – e existe a suspeita de que essa madeira descendo o rio agora é do mesmo proprietário. “Tranquilo, é dele mesmo”, diz Manoel do Carmo

Sobre a atuação do Ibama, Manuel do Carmo diz que “o grande problema do Ibama é que essa madeira vem licenciada do PA (…) Eles devastaram a floresta, desrespeitaram a terra indígena e o Ibama tentou várias vezes se aproximar deles, mas eles apresentam documento legal”.

Manuel do Carmo diz que existe a suspeita, nos bastidores, de mancomunação política, com grandes políticos. “Não sabemos como as influências estão permeando essa situação, mas por sinal eles fazem até licitação para fazer esse manejo”.

Pressão sobre Paulo Guedes

“Enquanto a boiada passa no Amazonas, em Brasília a pressão está sobre Paulo Guedes”, diz Auler. Para discutir a pressão sobre a área econômica, Lourdes e Marcelo conversam com o economista Luiz Carlos Bresser-Pereira.

“A coisa da offshore não deve incomodá-lo muito. Ele (Guedes) está realmente se esvaziando porque a política dele é um desastre. E isso os deputados percebem”, diz Bresser-Pereira.

“O que está em todos os jornais, jornais mais conservadores, deixa claríssimo: a situação da economia brasileira piorou bastante, aquelas perspectivas de uma certa retomada do crescimento depois da pandemia aconteceriam agora em meados do ano. E não aconteceu”

“E todo mundo explicou que não aconteceu porque ninguém confia no governo e, portanto, ninguém investe. E, portanto, não há economia que funcione”, afirma Bresser-Pereira.

“É uma crise curiosa por que, além da crise geral, dos problemas todos que nós temos, e de repente a atuação do governo se torna genericamente ruim”, afirma Luiz Carlos Bresser-Pereira. “Isso é reconhecido por todo mundo. Aí está, é uma tragédia que o Brasil vive nas mãos dessa gente”.

Confira as entrevistas completas com Manuel do Carmo da Silva Campos e Luiz Carlos Bresser-Pereira logo abaixo, na íntegra da TV GGN 20 horas desta quinta-feira

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Eu

- 2021-10-08 14:58:18

IMAGINA SE NA CRISE DE 2008 O LULÃO DISSESSE " É ASSIM MESMO,O MUNDO ESTÁ EM CRISE, SOFRAM BEM CONFORMADOS BRASILEIROS!!!"

j,marcelo

- 2021-10-08 10:13:59

UM,DOIS,TRÊS A NOVA VÍTIMA DA CENSURA É ESTE SEU FREGUÊÊÊÊS !!!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador