newsletter

Assinar

Luis Nassif Online

O desafio maior, agora, é ampliar essa experiência de desburocratização para o conjunto da economia; por Luis Nassif
14
Na ânsia de convencer o empresariado, ex-ministro foi o grande avalista do ajuste fiscal de Levy; por Luis Nassif
11
Um dos grandes desafios nacionais será o do enfrentamento do poder paralelo incrustado nas PMs; por Luis Nassif
55

Belluzzo crê que ajuste fiscal foi erro de diagnóstico

Jornal GGN - Baseada no ajuste fiscal e na alta da taxa Selic, a política econômica adotada no segundo mandato de Dilma Rousseff provocou "um desajuste" de grandes proporções que reduziu o crédito e aumentou o desemprego. A avaliação é Luiz Gonzaga Belluzzo, economista e ex-secretário no governo José Sarney, que acredita que o ajuste fiscal é um erro de diagnóstico e que deve levar o PIB a uma forte queda neste ano.

Em entrevista ao Estadão, Belluzzo diz que o déficit primário, previsto no Orçamento para 2016, também é "produto do desacerto do ajuste fiscal". Também afirma que a questão do CPMF, se fosse bem conduzida, irar evitar a piora na queda da arrecadação e seria uma transição para uma situação fiscal com mais equilíbrio.

Do Estadão

'O ajuste fiscal foi um erro de diagnóstico'

Entrevista. Luiz Gonzaga Belluzzo, economista

Para economista, caos institucional instalado no País aprofunda a crise e pode colocar em risco a democracia

Ricardo Leopoldo

O economista Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-­secretário de Política Econômica no governo José Sarney, aponta que a política econômica adotada pela presidente Dilma Rousseff no segundo mandato, baseada em ajuste fiscal e alta de juros, provocou "um desajuste" de grandes proporções que deprimiu investimentos, reduziu o crédito e elevou o desemprego. Diz também que o "caos institucional" instalado entre os poderes Executivo e Legislativo aprofunda a crise política a ponto de causar graves problemas sociais e colocar a democracia no Brasil em perigo. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Como o sr. avalia a nova mudança de gestão fiscal pela presidente Dilma?

O ajuste fiscal é um desajuste. Isso foi um erro de diagnóstico. O ajuste fiscal está provocando seu próprio desajuste, com queda de receitas e impacto dos juros sobre o Tesouro. Esse desajuste deprimiu investimentos, reduziu o crédito e elevou o desemprego. Vários economistas apontam que a carga de juros chegará a 8% do PIB e o déficit nominal atingirá 9% do PIB em 2015. O desajuste na economia levará o PIB para uma queda forte neste ano, próxima a 3%.

Leia mais »

Sem votos

Anistia Internacional pede urgência na investigação de morte de indígena no MS

Da Anistia Internacional

A Anistia Internacional manifesta sua preocupação com o agravamento da violência contra o povo Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul. No dia 29 de agosto de 2015, um ataque às terras Ñanderú Marangatú no município de Antonio João, deixou mulheres e crianças feridas e o indígena Simião Vilhalva morto.

Ñanderú Marangatú é uma terra indígena tradicional Guarani e Kaiowá demarcada e homologada desde 2005. Entretanto, a suspensão dos efeitos da homologação, seguido por uma ordem de despejo, retirou os indígenas de suas terras. Cerca de 10 anos após a decisão, os indígenas decidiram retomar suas terras ocupadas por fazendeiros locais há uma semana.

De acordo com dados do CIMI – Conselho Indigenista Missionário, o Mato Grosso do Sul é o estado que vem liderando o ranking de violências contra as populações indígenas nos últimos anos. Em junho de 2015, homens armados atacaram uma comunidade Guarani Kaiowá, deixando duas crianças desaparecidas. Além do ataque no sábado (29), há denúncias da presença de fazendeiros e pistoleiros em áreas da Ñanderú Marangatú neste domingo (30).

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Pierre Levy e o papel da internet na educação

Da Agência Fiocruz

'Cultura de comunicação de rede não pode ser feita sem uma boa educação'

Danielle Monteiro

Filósofo da inteligência coletiva, Pierre Levy estará no Brasil esta semana para cumprir uma agenda voltada novamente para a educação. Desta vez ele visita a Fiocruz, onde fará a conferência Educação e comunicação, desafios para uma cultura de responsabilidade de colaboração em redes, no Seminário Educação, Saúde e Sociedade do Futuro, que ocorre de 25 a 27 de agosto. Em entrevista à Agência Fiocruz de Notícias, Levy fala sobre o papel da internet na educação, o impacto da revolução digital na comunicação e o destino da imprensa tradicional diante desse novo paradigma que emergiu com o advento da internet.

Quais são os principais desafios da “cultura de colaboração de rede” em matéria de educação e comunicação?

Pierre Levy: Deve ser bem entendido que a «cultura da comunicação em rede» não pode ser feita sem uma boa educação: alfabetização, conhecimento de idiomas estrangeiros, história, geografia, etc. Antes de sermos capazes de pensarmos juntos, devemos compreender as referências básicas e aprender a pensar por nós mesmos. Claro, a educação na escola deve usar todas as ferramentas atuais (smartphones, tablets e computadores) conectadas à internet e praticar a aprendizagem colaborativa como nova norma no trabalho e na vida social.

Leia mais »
Média: 5 (1 voto)

Setembro Amarelo e a realidade sobre o suicídio no mundo, por Matê da Luz

Este é um tema que geralmente divide as pessoas em dois grupos: os que têm aversão ("ai, credo, que pesado") e os que têm interesse secreto ("e se alguém souber que eu leio sobre isso?"). 

Sim, talvez eu esteja sendo binária de propósito, pra deixar claro que nem tão ao mar nem tão à montanha: devemos ter, sim, tranquilidade para abordar o suicídio e, ao meu ver, como sempre nestes posts por aqui, bastante cuidado e carinho nesta abordagem. Porque se pra quem lê o tema pode ser pesado, faço um convite a soltar a imaginação e tentar sentir o que aquelas pessoas que cogitam o suicídio como única forma de solução estão sentindo. 

Não, não é um exercício simples, exige uma empatia livre de preconceitos como "ah, só os covardes tentam isso", até porque pra tirar a própria vida de uma vez só (lembrando que tabagismo, alcoolismo e outros vícios nocivos são considerados suicídio lento em algumas visões espiritualistas...) é preciso um ato de força, uma decisão firme que, se tomada na direção oposta, pode certamente salvar a pessoa. Só que esta pessoa, no caso, deve estar com seu senso de direção tão comprometido que só consegue olhar pra um lado, e infelizmente este lado é o pólo negativo da questão. 

Daí vem o Centro de Valorização à Vida que, com um trabalho singelo e voluntário, atende e acolhe as pessoas que recebem um mini sopro de possibilidade e procuram ajuda, assim mesmo, por telefone. Porque nem todo mundo tem uma família ou amigos, e nem todo mundo que tem pode comentar sobre a não vontad de viver ou, ainda, se comenta, pode enfrentar opiniões distintas. Enfim, há tantos e tantos cenários individuais que podem comprometer o redirecionamento de uma pessoa no sentido de viver a vida com e apesar das dificuldades que a oferta do CVV é absolutamente necessária e louvável.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Unicef: 13 milhões de crianças não vão à escola por conflitos no Oriente Médio

Da Agência Brasil

Mais de 13 milhões de crianças deixam de ir à escola no Oriente Médio devido aos conflitos devastadores em vários países da região, informou hoje (3) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

"O impacto destruidor dos conflitos é sentido pelas crianças de toda a região", resumiu Peter Salama, diretor do Unicef para o Oriente Médio e Norte da África, lamentando "uma situação desastrosa" para toda uma geração.

"Não se trata apenas dos danos materiais nas escolas, mas também o desespero sentido por uma geração de estudantes que vê as suas esperanças e o seu futuro estilhaçados", lamentou, na apresentação de um relatório do fundo.

Estas crianças vivem nos países mais afetados da região, como a Síria, o Iraque, Iêmen, a Líbia, territórios palestinianos e o Sudão, ou estão refugiadas no Líbano, Jordânia e Turquia.

Ao todo, são mais de 13 milhões, ou seja, quatro em cada dez crianças nos países mais afetados por conflitos não vão à escola. O fundo lembra que "há alguns anos [a região] parecia preparada para alcançar o objetivo da educação para todos".

De acordo com o relatório, Mais de 8.850 escolas na Síria, Iraque, Iêmen e Líbia não podem receber alunos por terem sido destruídas ou danificadas, por abrigarem desalojados ou por terem sido ocupados por combatentes.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Janot pede mais dois meses para concluir investigação de Renan Calheiros

 
Jornal GGN - A investigação contra parlamentares de envolvimento em corrupção na Petrobras terá um prazo a mais para ser concluída pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal. A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a prorrogação dos inquéritos abertos no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Rodrigo Janot, procurador-geral da República, pediu mais 60 dias para concluir as investigações contra cinco senadores, três deputados e dois ex-parlamentares, ao ministro Teori Zavascki, relator dos processos na Suprema Corte.
 
Dentre os investigados estão o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), os senadores Valdir Raupp (PMDB-RO), Edson Lobão (PMDB-MA) e Fernando Bezerra (PSB-PE). Leia mais »
Média: 5 (1 voto)

Maju, Dilma Bolada e Revoltados On Line são convidados para CPI

Jornal GGN - A jornalista Mária Júlia Coutinho, da TV Globo, Jeferson Monteiro, criador do perfil Dilma Bolada, e representantes do Movimento Brasil Livre (MBL) e do Revoltados On Line foram convidados a prestar informações para a CPI de Crimes Cibernéticos, na Câmara dos Deputados.

Maria Júlia foi alvo de comentários racistas no Facebook e seu convite foi aprovado a pedido do deputado Daniel Coelho (PSDB-PE). Para o parlamentar, ela é uma das vítimas individuais da "assustadora escalda de crimes cibernéticos" no país.

Já o convite para Jeferson Monteiro, da Dilma Bolada foi chamado pela CPI a pedido do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), que citou reportagem da revista Época que informa que o publicitário recebe R$ 20 mil de uma agência de publicidade ligada ao PT. 

O grupo Revoltados On Line motivou a aprovação do convite à procuradora Beatriz Kicis de Sordi, da Procuradoria da República no DF, que inicialmente criticou a convocação, aceitou o convite dizendo que “não irei sozinha, Jean (Wyllys). Irei representando 93% dos brasileiros, que não estão nem um pouco satisfeitos com esta ditadura que a esquerda quer impor ao Brasil", se dirigindo ao autor do pedido, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ).

Leia mais »

Média: 1 (2 votos)

A economia precisa da autocrítica de Delfim

O ex-Ministro Delfim Netto cumpre uma missão difícil. Inegavelmente, é uma das vozes mais eficientes em defesa da estabilidade. Mas enfrenta um dilema, diria, de ordem retórica.

Seu discurso tem duas linhas:

1. Acalmar o empresariado e o mercado em relação à economia.

2. Convencer a presidente Dilma Rousseff a corrigir seus erros.

Para convencer o empresariado, Delfim tem que ser severo em relação aos erros do governo Dilma.

Para convencer Dilma, Delfim não pode ser severo demais. A presidente trava ante qualquer crítica mais aguda, fecha o jornal, desliga o note e amua.

Mas se não for severo demais, Delfim perde pontos com o empresariado.

Deu para sacar o que é o hospício Brasil?

Mas, em relação ao ajuste fiscal, Delfim errou. Na ânsia de tentar despertar o "espírito animal" do empresariado, foi o grande avalista do ajuste fiscal de Joaquim Levy.

Leia mais »

Média: 3 (8 votos)

As "revoluções made in CIA" e as mortes de migrantes

do Diário Liberdade

Revoluções “Made in CIA” no norte da África e Oriente Médio provocam morte de migrantes em fuga

União Europeia - LBI-QI - A cena de um menino de dois anos morto por afogamento na costa turca chocou o mundo. Desgraçadamente ele é “apenas” um dos milhares de mortos que perdem a vida nas viagens de imigrantes desesperados para a Europa.

Contudo, estes não são acidentes, são crimes. Os imigrantes e os refugiados são forçados a esta realidade devido à política imperialista da OTAN, dos EUA e da UE, pela agressividade e intervenção na Líbia, Iraque, Mali, Iêmen, vendidas ao mundo como “revoluções”, assim como pelas políticas das transnacionais e pelo saque de recursos naturais na África e Oriente Médio, pela destruição e manipulação das economias dos países e, finalmente, pela política da União Europeia e seus governos contra os trabalhadores imigrantes.

A maioria vem da Líbia, Síria, Mali, Iraque, Afeganistão e do norte da África, países que foram ou são alvo das intervenções militares imperialistas ou da ação de grupos terroristas patrocinados pelas potências capitalistas, como o Estado Islâmico (EI). É o chamado “efeito bumerangue” que agora se volta contra os países europeus. Os dirigentes dos governos imperialistas reunidos em Bruxelas decidiram que vão usar drones para bombardear embarcações ancoradas nos portos da Líbia e que sejam capazes de transportar imigrantes até a costa da Itália e Grécia. A política anti-imigração do imperialismo é bem clara.

Leia mais »

Média: 5 (8 votos)

Munição usada na chacina foi comprada pela PM, PF e Exército

Jornal GGN - De acordo com a Companhia Brasilia de Cartuchos (CBC), parte das cápsulas apreendidas nos locais dos ataques ocorridas na Grande São Paulo pertece a lotes comprado pela Polícia Militar, Polícia Federal e pelo Exército. A empresa prestou as informações para Corregedoria da Polícia Militar. A chacina, a maior ocorrida no Estado de São Paulo, deixou 19 mortos e cinco feridos em agosto.

A corregedoria identificou que as cápulas apreendidas, de calibre 9 mm, foram adquiridas entre 2006 e 2009 e integravam cinco lotes diferentes, dois deles comprados pela Polícia Militar de São Paulo e enviados ao Centro de Suprimento e Manutenção de Armamento e Munição da PM; outros dois foram adquiridos pela Polícia Federal e encaminhados para diversos estados, como Goiás, Roraima, Sergipe, além do Distrito Federal; e um comprado pelo Exército Brasileiro e entregue em “diferentes organizações militares”.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

José Dirceu é transferido para presídio em região metropolitana de Curitiba

A Polícia Federal concluiu o levantamento de provas contra o ex-ministro e apresentou o relatório ao MPF nesta segunda-feira
 
 
Jornal GGN - Depois de um mês detido na investigação da Operação Pixuleco, o ex-ministro José Dirceu foi transferido da carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, para o Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, na tarde desta quarta-feira (02). A transferência para a região metropolitana da capital paranaense foi solicitada pelos advogados do ex-ministro e autorizada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela investigação da Lava Jato na Justiça Federal do Paraná.
 
O advogado Roberto Podval pediu à Justiça que Dirceu fosse transferido para o presídio pelo espaço reduzido da carceragem da PF e as restrições impostas para visitas. A solicitação foi feita na segunda (31). Na sede da Polícia em Curitiba, as visitas são mensais e não podem passar de 30 minutos, enquanto que no Complexo, os presos podem receber visitas semanais de duas horas.
 
Na segunda-feira (01), Dirceu foi indiciado pela Polícia Federal pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha em esquema de superfaturamento de contratos da Petrobras. Para delegados e procuradores da equipe da força-tarefa da Lava Jato, Dirceu seria o "criador" e "beneficiário" das fraudes na estatal.
Média: 2.7 (7 votos)

Secretário de Segurança nega existência de grupo de extermínio

Jornal GGN – Ontem, quarta-feira (2), o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, falou na Comissão da Defesa dos Direitos da Pessoa Humana da Assembleia Legislativa sobre as investigações da chacina de 13 de agosto, em Osasco e Barueri, que deixou 19 mortos.

Ele negou a existência de grupos de extermínio em São Paulo. “Não há nenhuma relação entre as chacinas ocorridas desde o começo do ano. Não há indício ou prova em relação a isso. São fatos isolados e por motivação diversa, naquelas em que já foi possível atingir as motivações. Não temos nenhum indício de conexão entre as chacinas, consequentemente não temos indício de que há um grupo de extermínio atuando no estado”, falou.

O secretário disse que desde o começo do ano ocorreram oito chacinas no Estado. De acordo com Moraes, a polícia solucionou duas delas. Em outras duas, só conseguiram chegar ao retrato falado dos suspeitos. As quatro restantes não foram esclarecidas. A Secretaria considera chacina quando três ou mais pessoas são mortas em ação coordenada.

Alexandre de Moraes também falou sobre o vazamento de dados das testemunhas que denunciaram a participação de policiais no crime. Pelo menos quatro delas tiveram seus dados (nome, filiação, endereço residencial e comercial, telefones) divulgados sem sigilo no processo da Justiça Militar.

Leia mais »

Média: 1 (6 votos)

Atuação de Fachin evidencia 'morosidade' de Gilmar, por Janio de Freitas

Da Folha

 
Janio de Freitas

Cada dia do novo ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin, vale quase um mês e meio do ministro Gilmar Mendes.

Em 11 dias, Fachin informou o tribunal de que concluíra o seu voto sobre descriminalização do porte de drogas, para o qual pedira vista no julgamento em 19 de agosto. A votação já pode ser retomada.

Gilmar Mendes pediu vista e sustou a decisão sobre financiamento eleitoral por empresas em abril de 2014. Ainda não foi capaz de ter o voto para continuidade do julgamento. Apesar de sua opinião ser conhecida –e já estar derrotada no tribunal, com a companhia dos empresários que financiam campanhas para manipular políticos.

No Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes tem outra atitude típica. Quer uma investigação da Procuradoria Geral da República nas contas da campanha de Dilma Rousseff, suspeitando de recursos provenientes dos truques que a Lava Jato investiga. A defesa argumenta que as contas foram examinadas pelo tribunal e "aprovadas com ressalva". O relator da aprovação: Gilmar Mendes. Mas, acima disso, lembra a defesa, em abril deu-se o "trânsito em julgado" do processo das contas, o que encerrou o prazo para qualquer recurso contrário à sua aprovação.

Leia mais »
Média: 4.8 (16 votos)

Senado aprova o fim da doação de empresas às campanhas

Da Agência Senado

Os senadores decidiram há pouco, na sessão desta quarta-feira (2), que as empresas e demais pessoas jurídicas não podem mais doar dinheiro aos candidatos e aos partidos políticos. Por outro lado, as pessoas físicas estão autorizadas a contribuir até o limite do total de rendimentos tributáveis do ano anterior ao repasse dos recursos. O resultado da votação foi apertado (36 votos favoráveis e 31 contrários) e muito comemorado pelos senadores que defenderam a proposta.
 
Essa votação faz parte do debate sobre o PLC 75/2015, votado pelos deputados e que altera regras eleitorais, partidárias e políticas. O texto base dessa proposta de reforma política já foi votado pelos senadores, que agora analisam outras emendas à matéria.

Leia mais »

Média: 4.4 (8 votos)

Esconda o bico, FHC, por Jandira Feghali

Enviado por Webster Franklin

Do Viomundo

MENOS BICO, FHC

Jandira Feghali, especial para o Viomundo

A família Ramphastidae, com mais de 33 tipos de tucanos, tem um hábito curioso. Dorme com o bico enorme escondido sob as asas e a cauda dobrada sobre o dorso, cobrindo a cabeça. Seus parentes na política não seguem a mesma conduta. Talvez a falta de descompostura na arte de abrir tanto o bico para acusar os tenha impedido de esconder seus bicos quando deveriam.

Talvez os golpistas da atualidade não se recordem, mas uma longa lista de crimes dos governos tucanos ainda pairam sob enormes dúvidas. Da pasta rosa ao Caso SIVAM, a mesma justiça que hoje apura a Operação Lava-Jato, atravessou a década de 90 num silêncio sepulcral para a maior parte dessas denúncias.

Leia mais »

Média: 4.7 (15 votos)