Revista GGN

Assine

Luis Nassif Online

Reeleição de Haddad poderá ser a peça inicial de construção da frente de esquerdas em torno de um novo projeto de gestão
105
Problemas com vazamentos impede delegado de comparecer à audiência em ação que move contra quem acusa a PF de vazar
29
Golpe criou degradação mais grave: o fim das fidelidades, a propensão para as traições, as sombras; por Aldo Fornazieri
15

Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

Média: 1 (1 voto)

Multimídia do dia

As imagens e os vídeos selecionados.

Média: 1 (1 voto)

Clipping do dia

As matérias para serem lidas e comentadas.

Média: 1 (1 voto)

Voto obrigatório dobra participação de ricos em relação aos pobres, aponta estudo

Jornal GGN - O voto obrigatório aumenta a participação do eleitorado em cerca de 4,4%, mas o efeito da obrigatoriedade dobra a participação dos eleitores ricos em comparação com a dos eleitores com menor status socioeconômico. É o que afirma artigo de Gabriel Cepaluni e Daniel Hidalgo publicado na “Political Analysis”, indicado pelo Cepesp (Centro de Política e Economia do Setor Público).

Leia mais »

Média: 1.4 (9 votos)

STF aceita denúncia contra Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo

 
Jornal GGN - A denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A partir de agora, ambos viram réus na Corte pela Operação Lava Jato.
 
Acusados pelos procuradores da República por corrupção e lavagem de dinheiro, o processo sustenta que o casal teria recebido R$ 1 milhão para a campanha da senadora em 2010 que, segundo delações do doleiro Alberto Yousseff e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, seriam provenientes de desvios de contratos da estatal.
 
O ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no Supremo, entendeu que a denúncia descreve a conduta individual dos acusados, citando como exemplo o suposto pedido feito pelo ex-ministro de pagamento a Paulo Roberto Costa, que por sua vez teria determinado ao doleiro o repasse das quantias por meio de um terceiro, o empresário Ernesto Kugler Rodrigues.
Média: 2.2 (17 votos)

Justiça de São Paulo anula condenação de PMs pelo Massacre do Carandiru

Tropa de choque isolando a entrada da Casa de Detenção do Carandiru depois do massacre de 1992
 
Jornal GGN - O Tribunal de Justiça de São Paulo anulou a condenação de 73 policiais militares pelo Massacre do Carandiru, nesta terça-feira (27), por consideraram que não era possível comprovar quais foram os crimes cometidos por cada um dos agentes. A medida provocará um novo julgamento, invalidando os quatro já feitos até agora. Um dos desembargadores, Ivan Sartori, chegou a pedir a absolvição dos policiais, mas os outros quatro membros não aceitaram.
Média: 1.5 (8 votos)

Moro errou duas vezes: quando lamentou a denúncia contra Marisa e quando não a rejeitou

Jornal GGN - O juiz Sergio Moro errou duas vezes ao analisar a denúncia do Ministério Público Federal no caso do triplex no Guarujá: quando levou aos autos do processo seu "lamento" pelo fato de Marísa Letícia constar na mesma acusação contra seu marido, o ex-presidente Lula; e quando, diante das fragilidades dos indícios, não rejeitou o pedido do MPF.

Moro aceitou a denúncia contra Marisa insinuando que durante o julgamento da ação poderia reavaliar sua decisão, caso não ficar provado que ela sabia de qualquer esquema de pagamento de vantagem indevida pela OAS a Lula na forma da venda de um apartamento no Guarujá.

Leia mais »

Média: 4.5 (11 votos)

Lava Jato escancara cada vez mais viés político, por Marcelo Auler

Por Marcelo Auler

Depois de reunir-se com o superintendente Rosseti (à esquerda na foto) o ministro esteve com os chefes de delegacias especializadas da Superintendência.

O viés político da Lava Jato cada vez mais escancarado. “É hora de barrar o arbítrio”
 
por Marcelo Auler

Há quem diga que não existe coincidência. Ou, simplesmente, quem nela não acredite.

Na sexta-feira (23/09), à tarde, Alexandre de Moraes, o ministro da Justiça do governo que jogou no lixo 54 milhões de votos destinados à Dilma Rousseff com o golpe do impeachment, esteve na superintendência do Departamento de Polícia Federal (DPF) de São Paulo. Foi uma visita atípica, pois o habitual é que ministros de Justiça visitem superintendências acompanhados do Diretor Geral da instituição. Moraes foi sozinho.

A sós, reuniu-se, com o superintendente Disney Rosseti, no gabinete dele. Rosseti é um dos nomes que frequentam a bolsa de apostas de quem será o futuro Diretor Geral (DG) da instituição. Não é o único, mas teria como padrinho o atual DG Leandro Daiello Coimbra. Depois da reunião dos dois, Moraes e Rosseti se encontraram com os chefes de delegacias especializadas. Oficialmente, debateu-se o combate ao crime organizado.

Leia mais »

Média: 4.7 (14 votos)

Contra veto presidencial a reajuste, defensores públicos entram em greve

Jornal GGN - Os defensores públicos federais decidiram entrar em greve a partir desta terça-feira para protestar contra o veto presidencial ao Projeto de Lei que trata do reajuste salarial da categoria. Segundo a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (ANADEF), o órgão atenderá somente demandas urgentes, como aquelas que envolvam risco à saúde e à vida.

A associação argumenta que o reajuste proposto representaria apenas 0,15% do orçamento que será destinado ao aumento salarial do funcionalismo público, e que o veto do governo federal mostra um “absoluto desprezo” com o órgão.

Leia mais »

Média: 4.3 (7 votos)

EUA/Brasil, biotecnologia concentrada, por Rui Daher

na CartaCapital

por Rui Daher

“Ah, esse custo Brasil. Está matando a agricultura”. Ouve-se muito, não? É uma das músicas mais tocadas nos shows da banda “Ronaldo Caiado e seus Berrantes”. Ainda mais quando o poder político está sendo disputado a golpes de votos dentro do Congresso e não da população brasileira.

“Mas você não concorda que existem grandes entraves de legislação e infraestrutura para a agropecuária deslanchar?”, certamente me perguntarão nas redes sociais. Isto, os mais educados. Os demais virão com pés em meu peito. Sei evitá-los. Estão inundados de micoses.

Aos primeiros, costumo responder. Não, contudo, jogando todas as distorções nas costas do investimento público em décadas de governos. Meto aí nesse saco de maldades também a iniciativa privada, geralmente distraída para colocar recursos de retorno em longo prazo.

Não é essa, no entanto, a discussão na coluna de hoje. Na semana passada, citei vários movimentos de aquisições e fusõesentre fabricantes de insumos agrícolas que certamente afetarão de forma negativa o agricultor brasileiro.

Leia mais »

Imagens

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 3.8 (5 votos)

Para vice-presidente do PSDB, Dória é uma farsa em todos os sentidos

Jornal GGN - O racha no PSDB por causa da escolha de João Dória para disputar a prefeitura de São Paulo no lugar de Andrea Matarazzo é exposto em artigo publicado pelo vice-presidente nacional da legenda, Alberto Goldman, no último dia 18.

Sob o título "Para conhecer melhor João Dória", o texto tem a finalidade de desconstruir a imagem de empresário bem sucedido e oposto ao político convencional. Goldman se presta a mostra que ao contrário do que prega, Dória usou "métodos antigos" para ascender a postulante patrocinado por Geraldo Alckmin.

Ligado a José Serra - que tentou emplacar a candidatura de Matarazzo, mas acabou apoiando a parceria com Marta Suplicy (PMDB) - Goldman tentou impugnar a inscrição de Dória como candidato.

Leia mais »

Média: 3.5 (11 votos)

Parente defende fim da obrigatoriedade da Petrobras no pré-sal

Jornal GGN - Pedro Parente, presidente da Petrobras nomeado pelo governo Michel Temer, voltou a pedir que o Congresso altere a lei do pré-sal, tirando a obrigatoriedade da estatal de explorar todos os campos de petróleo da área.

Parente se reuniu com Temer no Palácio do Planalto e disse que apresentou uma agenda regulatória para o setor que pretende “dar uma resposta rápida em termos de investimentos”. O presidente da estatal também disse que o fim da obrigatoriedade de operar no pré-sal daria uma ganho para a empresa e o país.

Leia mais »

Média: 3.1 (9 votos)

MPSP pede cassação da chapa de Doria à prefeitura de São Paulo

Doria e Alckmin em convenção em São Paulo
 
Jornal GGN - As suspeitas de que o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, utilizou a máquina pública para apoiar a mais cara campanha à prefeitura da capital, ao seu afilhado João Dória (PSDB), aumentaram com o pedido de cassação da chapa pelo Ministério Público de São Paulo.
 
Nesta segunda (26), os promotores de Justiça apontaram que o líder na corrida para o trono da municipalidade de São Paulo, João Dória ao lado do seu vice Bruno Covas (PSDB), cometeu abuso de poder político. 
 
De acordo com o autor da ação impetrada na noite desta segunda, José Carlos Bonilha, houve uma barganha em torno da secretaria estadual do Meio Ambiente, oferecida ao PP, pelo governo Alckmin para que a chapa ganhasse tempo de televisão no horário eleitoral. A medida é considerada desvio de finalidade.
Média: 3.8 (9 votos)

Doze fases se passaram e Lava Jato ainda não sabe quem é o "Santo" da propina em SP

Jornal GGN - Doze fases da Lava Jato se passaram entre a operação Acarajé e a Omertà, e a força-tarefa ainda não identificou quem é o "Santo" que aparece como receptor de propina da Odebrecht em pelo menos duas obras que ocorreram durante as gestões do PSDB em São Paulo: a duplicação da rodovia Mogi-Dutra e a expansão de linhas do Metrô.

O codinome "Santo" consta na famosa planilha da Odebrecht que vazou em meados de março e, imediatamente, foi colocada sob sigilo pelo juiz federal Sergio Moro, que remeteu a parte que envolve repasses da companhia a políticos para o Supremo Tribunal Federal.

Leia mais »

Média: 5 (7 votos)

Direitos são desprezados em conduções coercitivas, por Antonio Sérgio Pitombo

Jornal GGN - Em artigo, Antonio Sérgio Altieri de Moraes Pitombo discorre sobre as conduções coercitivas, onde direitos são jogados de lado e o exercício da ampla defesa é esquecido. Segundo ele, são duas as vertentes atuais para essa prática ilegal de investigação criminal. A primeira é que evita-se a prisão temporária e, a segunda, que trata-se de um novo modelo de persecução penal. Isto tudo no universo paralelo da Lava Jato.

Antonio Pitombo discute essas duas vertentes, que batem de frente com o direito de defesa. Esquece-se que o indivíduo tem direito a saber o que vai dizer, consultando seu advogado, e também se quer dizer, sobre o que vai ser a conversa. E, é claro, tem direito a ler as denúncias a que está respondendo.

Tudo junto e reunido dá um universo real, desde que não seja no mundo paralelo da Lava Jato.

Leia o artigo a seguir.

Leia mais »

Média: 4.5 (8 votos)