Coronavírus: Onyx e Osmar Terra debatem saída de Mandetta

Ministro da Cidadania discute com deputado uma mudança de política do governo Bolsonaro no enfrentamento ao coronavírus no Brasil

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o deputado Osmar Terra - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro continua tentando tirar o único ministro que apresenta alguma credibilidade em toda a sua equipe: a saída do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi pauta de uma discussão entre o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o deputado federal Osmar Terra na manhã desta quinta-feira, assim como a mudança da política do governo de enfrentamento ao coronavírus no Brasil.

A informação é da CNN Brasil, que ouviu a conversa depois de ter encontrado com Terra, que atendem ao telefonema, nada falou e não desligou, o que permitiu o acesso ao diálogo de pouco mais de 14 minutos, que abordou também uma eventual flexibilização do isolamento social, algo que tem sido ponto de críticas constantes por parte de Bolsonaro.

Sobre Mandetta, Lorenzoni diz nessa conversa que ele “não tem compromisso com nada que o Bolsonaro tá fazendo”. Terra não só concorda como considera que “ele se acha”. Além disso, Lorenzoni diz que Bolsonaro “deveria ter arcado (com as consequências de uma demissão)”, mas Terra considera que o ideal seria Mandetta “se adaptar ao discurso do Bolsonaro”.

Existe um jogo político bem distinto por trás da aproximação de Osmar Terra e Onyx Lorenzoni: ambos têm um projeto político conjunto no Rio Grande do Sul. A ideia predominante é que Terra seja o candidato ao governo gaúcho em 2022.

Mesmo sendo do DEM, mesmo partido de Mandetta, Onyx Lorenzoni é um dos aliados mais fiéis do presidente Bolsonaro, enquanto Osmar Terra é deputado federal pelo MDB, e deixou o ministério da Cidadania justamente para que Bolsonaro pudesse abrigar Onyx, a quem tem uma grande dívida por ter sido dos primeiros a acreditar e a se empenhar no seu projeto presidencial.

4 comentários

  1. A vara de ministros se desentendeu e o planalto virou uma pocilga babeliana.
    Os porcos estão encantados com as pérolas
    O Mandetta quer distanciamento social e os demais ratos querem distância de Mandetta.

    Mandetta chegou a dizer que a quarentena foi precipitada. Nada obstante, ele agora colhe os frutos políticos do isolamento, enquanto o Bolsonaro come barro e lambe sabão

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome