Trump envia navios de guerra ao litoral da Venezuela

Operação se diz antidrogas, mas recentemente presidente dos EUA denunciou 14 líderes chavistas no país - incluindo Nicolás Maduro

Jornal GGN – Em meio à crise da pandemia do coronavírus, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou o envio de suas forças armadas para uma operação contra o tráfico de drogas na América Latina, com foco no envio de navios de guerra ao litoral da Venezuela.

Embora Trump tenha justificado a decisão para impedir que “os traficantes de drogas se aproveitem da crise do coronavírus”, vale lembrar que recentemente Washington denunciou criminalmente o presidente venezuelano Nicolás Maduro e outros líderes chavistas por tráfico de drogas.

“Não permitiremos que os traficantes de drogas aproveitem a crise do coronavírus”, disse Trump em entrevista coletiva na Casa Branca, onde não citou Maduro explicitamente, mas informou que os EUA dobraria sua presença militar no Caribe e no Pacífico latino-americano.

“O regime ilegítimo de Maduro, na Venezuela, depende dos benefícios obtidos com as drogas para manter seu poder repressivo”, disse o secretário de defesa de Trump, Mark Sper, dias depois que Washington ofereceu US$ 15 milhões pela captura de Maduro e US$ 10 milhões a mais por qualquer um dos líderes chavistas denunciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Nesta sexta-feira, o grupo de Puebla – formado por representantes de políticos de esquerda – denunciou o destacamento de forças militares nas fronteiras do Caribe venezuelano, e expressou sua rejeição ao uso da força e à ameaça contra a Venezuela, considerando as medidas de Trump ações que violam o direito internacional.

Leia também:  Equipe da PGR não copiou nem a metade dos dados da Lava Jato em Curitiba

O grupo também alerta o Secretário Geral da ONU, Antonio Guterres, bem como o Conselho de Segurança sobre as implicações que a ação do governo dos Estados Unidos poderia ter para a região da América Latina e do Caribe.

(com informações do La Vanguardia)

Leia Também
Em plena pandemia, Trump prepara invasão da Venezuela
EUA acusa Nicolás Maduro de tráfico de drogas
Maduro acusa EUA de ‘plano de guerra’ com apoio de países vizinhos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Infelizmente o perigo maior é para o Brasil.
    Bozo não vai cair sem se segurar no “agente laranja.”
    Essa presença americana pode nos lançar numa guerra inesperada e sem precedentes de hoje pra amanhã.
    Para os americanos seriam dois abates com um tiro só – brasil e venezuela, além da garantia de uma presença intimidadora e permanente na américa de baixo.
    Estamos em perigo e não temos a quem recorrer.
    A China já mandou um recado ao filho do bozo, através de carta aberta ao deputado.
    Se o congresso tiver juízo, caça o mandato e os direitos políticos do eduardo bolsonaro agora, antes que ele consiga se indispor com o mundo todo.

  2. Mas os traficantes parças, os colombianos, os brasileiros e os amigos do vendilhao guiado, continuam com transito livre né?

  3. […] Meu último encontro com ele foi no lançamento de um dos  livros que comemora os 70 anos da CEPAL. Coube ao professor Cano comentar os capítulos do livro. Como esperado, trouxe debaixo do braço o livro impresso todo rabiscado. Cano já estava bastante debilitado após tratamento contra câncer, magro e de semblante transcendente. Tive a honra de ser um dos autores dos capítulos que ele deveria comentar. Como sempre, foi uma aula inesquecível.Leia também:  Trump envia navios de guerra ao litoral da Venezuela […]

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome