O sadismo da procuradora arrependida. Desculpa uma ova!, por Armando Coelho Neto

O Direito Penal contempla a figura do “arrependimento eficaz”, cujo exemplo clássico é tentar matar alguém com veneno; o criminoso arrependido logo após o ato, ministra o antídoto.

O sadismo da procuradora arrependida. Desculpa uma ova!

por Armando Rodrigues Coelho Neto

Prazer sexual na dor física ou moral dos outros é o conceito mais simples de sadismo, palavra que tem origem no Marquês de Sade (França), cujos personagens por ele criados se envolvem em crimes, “comportamento sexual atípico”, depravações e ou situações abjetas envolvendo crianças – impublicáveis neste contexto. Apropriado pela ciência, o termo passou a abranger perversões sexuais latentes, enrustidas, que transparecem em atitudes fora de quatro paredes. Sem distanciar-se muito da sexualidade, o psicanalista alemão Erich Fromm (1900/1980) fala de “sadismo frio”, que revela as mesmas características do “sadismo sensual e sexual”, posto materializar-se por meio da dominação e controle sobre outra pessoa (leia-se: poder).

O sadismo parece ser a grande marca de personalidades públicas no Brasil, a começar pelas fixações anais do “presidente da República” e de seus filhos, como fortes indicadores de conflitos sexuais – ora atacando homossexuais, ora tentando diminuir a importância do papel da mulher no processo civilizatório. De outro turno, sua foto com uma criança de colo fazendo “arminha” não tinha outro objetivo senão chocar (uma das facetas do sadismo). A perversão é nítida no pouco caso dele quanto aos 80 tiros contra o músico Evaldo dos Santos Rosa (Rio de Janeiro), e quanto às mortes durante a rebelião de presos em Altamira-PA. Nele inspirado, policiais militares daquele estado gritaram: “Arranca a cabeça e deixa pendurada”.

O sadismo se consolidou na promoção do ódio por meio da grande imprensa e das redes sociais, ambas financiadas pelo obscurantismo que a Polícia Federal faz questão de não investigar e o Supremo Tribunal Federal insiste manter em sigilo. A esteira da perversão social acolheu a xenofobia, homofobia, preconceito, racismo, misoginia, apologia à tortura. Igrejas evangélicas encontraram na Bíblia fundamentos para defender a pena de morte. Sob o espectro do ódio e do sadismo, o Marreco de Maringá coordenava a tortura psicológica de presos até arrancar deles o seu lascivo fetiche, seu objeto de inveja e de ira: Luís Inácio Lula da Silva.

Leia também:  Todos os processos de Lula em Curitiba voltam ao início se Moro for declarado suspeito, diz Gilmar

A perversão do juiz politiqueiro da Farsa Jato também se fez presente na condução coercitiva ilegal de Lula, com o propósito de humilhar – traços do ódio que o levaria à condenação sem provas e célere prisão, para não atrapalhar o foguetório programado em Curitiba. O que dizer da tentativa de enviar Lula para o presídio de Tremembé/SP, cabeça raspada, entre criminosos comuns? Têm a mesma cupidez que marcou a prisão de Guido Mantega dentro de um hospital. Prisão, aliás, de pronto relaxada, por vício de inconsistência factual e jurídica que causou perplexidade até em seus apoiadores. Eis o perfil sumário do sádico nanico, atualmente homiziado no covil da “Mula Sem Partido”.

Seria a tal sincronicidade de que fala Carl Gustav Jung? Ou seria o Zeitgeist (espírito do tempo), termo alemão que explicaria a influência de uma conjuntura temporal moduladora da postura social? É nesse espírito de tempo que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, num descuido sádico, sai aos pulinhos de um helicóptero para comemorar a morte de um desequilibrado, ao invés de apenas cumprimentar, republicanamente, o sucesso de uma operação policial. Seria uma cena insólita a mais na terra dos 80 tiros e das dramáticas imagens da retirada do ex-governador Anthony Garotinho de um hospital, em meio aos gritos de parentes.

No país doente, carente de divã, a vereadora Marielle Franco é assassinada e uma juíza louca faz comentários insanos. Outra juíza tresloucada humilha o Presidente Lula durante uma audiência e outras, outros e outrx, humilham réus país afora. Em meio a uma audiência, um juiz trata como ameaça um ofendículo jurídico e manda o ex-governador Sérgio Cabral para uma solitária. Enquanto isso, procuradores da República chantageiam investigados, bisbilhotam ilegalmente juízes, fazem gambiarras com os Estados Unidos e Suíça, promovem trambiques “legais” para fraudar a eleição presidencial.

Sem ordem cronológica, foi sob o espectro desse espírito sádico de tempo Brasilis que faleceu Dona Marisa Letícia. Uma médica vasa indevidamente informação para um grupo de WhatsApp e outro comenta: “Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela”. Nessa sincronicidade, procuradores da República fazem chacota – sugerem que Lula faria uso político da morte da esposa, que o ex-presidente estaria livre para “pular cerca”, cogitam da eliminação de testemunha, entre outras crueldades.

Leia também:  A triste saga das diplomacias de aluguel, por Andre Motta Araujo

Eis que uma procuradora finge humildade e pede desculpas. Ao mesmo tempo em que confirma a autenticidade das gravações que dizem não reconhecer (divulgadas pelo site The Intercept), revela a perversão moral de quem só admite o erro após descoberto o fato. O Direito Penal contempla a figura do “arrependimento eficaz”, cujo exemplo clássico é tentar matar alguém com veneno; o criminoso arrependido logo após o ato, ministra o antídoto. O que a procuradora fez não é crime, mas revela mente doentia, perversa, sádica e criminosa. O sadismo não pararia por aqui, já que ao Presidente Lula também foi negado o direito de ir ao velório do irmão, e por pouco não poderia despedir-se do neto que faleceu um tempo depois.

Portanto, senhora procuradora, sem procuração do ex-presidente Lula e em tempos de sadismo… Desculpas uma OVA!

Armando Rodrigues Coelho Neto – jornalista e advogado, delegado aposentado da Polícia Federal e ex-integrante da Interpol em São Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

20 comentários

  1. Prezado Armando, nem precisaria se preocupar com procuração do presidente Lula, ele próprio afirmou que ela não pediu desculpas a ele mas ao twitter. E reafirmo aqui o que já disse no texto original do Nassif, que ele deveria esperar mais um pouco para considerar a procuradora fora da curva. Ela não é e penso que nunca chegará a ser uma “Gilmar Mendes”.

    11
  2. O hipócrita $érgio Moro também se arrependeu (da boca prá fora) e pediu, igualmente da boca prá fora, ‘respeitosas escusas’ por ter publicado as escutas telefônicas das conversas privadas da família do Lula:

    “Diante da controvérsia decorrente do levantamento do sigilo e da r. decisão de V. Exa., compreendo que o entendimento então adotado possa ser considerado incorreto, ou mesmo sendo correto, possa ter trazido polêmicas e constrangimentos desnecessários. Jamais foi a intenção desse julgador, ao proferir a aludida decisão de 16/03, provocar tais efeitos e, por eles, solicito desde logo respeitosas escusas a este Egrégio $upremo Tribunal Federal”. – $érgio Moro

    “Não me arrependo de forma nenhuma, embora tenha ficado consternado com a celeuma que a divulgação causou”. – $érgio Moro, referindo-se à divulgação das conversas da família do Lula.

    Os Jateiros são hipócritas e falsianes. Não passam de almas sebosas que merecem ser purificadas numa piscina de ácido sulfúrico.

    19
    1
    • A justiça popular dos 70 também “purificaría” a alma desses DELINQUENTES com outros métodos.
      É a única JUSTIÇA que alcança e gera medo nos “intocáveis”

    • Maravilha esse comentário:
      ” Os Jateiros são hipócritas e falsianes.
      Não passam de almas sebosas que merecem ser purificada numa piscina de ácido sulfúrico. ”

      Concordo 1000000%!

      Quero tb Parabenizar ao ARMANDO pelo excelente texto utilizando a PSICOLOGIA para a sua análise dessa aberração que está acontecendo no nosso Brasil….
      #ForaBozoNaziFascista
      #Extinçãodesseslavajateirosjá
      #ostracismoparaojuizecoladrãojá

      6
      1
  3. “… mente doentia, perversa, sádica e criminosa”.
    Esse diagnóstico se aplica a centenas de “concurseiros” que infestam o sistema judiciário.
    Por isso, defendo que o Ministério Público – tal como está – seja EXTINTO e todos os seus membros DEMITIDOS visando ao bem da sociedade livre e democrática. E que se crie outra instituição, na qual seus membros sejam responsabilizados por suas ações deletérias e que seus salários sejam de, no máximo, 5 salários mínimos.

    13
  4. Texto excelente. Apenas um senão: a operação na Ponte Rio Niterói foi absurda. O rapaz poderia ter sido imobilizado e contido. Na última vez em que saiu desprotegido do ônibus, ia se entregar. Mesmo sem técnicas de convencimento, os reféns conseguiram que cinco pessoas fossem liberadas. Os parentes dele foram impedidos de fazer contato.
    Nenhuma operação que resulte em morte pode ser considerada bem-sucedida. Se for inevitável matar, o fato deve ser lamentado. Comemorações são inoportunas e configuram um desrespeito aos familiares.

    11
  5. Defender o Indefensável! Amigos estamos no caos. Vocês estão incentivando a Guerra Civil no Brasil. Trata-se de um país analfabeto porém o povo está acordando.

  6. Desse rosário de indignidades a que o nosso povo tem sido submetido desde 2013 e bem descrito pelo articulista, fica-nos o entendimento do por que o brasileiro não tem memória. É muito difícil incorporar na nossa história pessoal o cometimento de tantos abusos, tanto na qualidade de vítimas quanto de algozes. A gente se olhando de fora, não se reconhece.
    Assistindo a um desses programas de receitas de bolo da manhã, um comentador de fofocas do mundo artístico, recém chegado da Espanha, por onde esteve durante 15 dias, comentava que os noticiários locais comentaram escandalizados por uma semana inteira o fato de um turista ter seu aparelho celular furtado numa praia.
    Então a gente se compara e deduz que o que temos de verdadeiro mesmo é a hipocrisia, o auto engano e a crueldade ignorante.

  7. A procuradora Jerusa, se estava realmente pedindo desculpas sinceras, deveria fazê-lo não num twitter, mas por meio de um texto bem sincero, elaborado e convincente. Acredito que preparo intelectual pra isso ela possui.

  8. Deixando de lado as subjetividades, o pedido de desculpas foi positivo, penso eu.
    Imaginemos que todos os envolvidos nessa gigantesca armação Mídia-PF-MP-Judiciário viessem a público pedir desculpas, ainda que apenas formais, sem qualquer convicção interior. Ficaria escancarado para todos, mesmo os ignorantes, que houve armação.

  9. É isso mesmo Dr. Armando!! Deixe me contar um caso: Nas vésperas do AVC de Dona Marisa, eu estava com família numa bela pousada em Parati. Teori tinha acabado de passar. Nesta pousada conhecemos um simpático casal de politécnicos, que, pelos sinais exteriores, bem de vida. No dia que ficamos sabendo do AVC de Dona Marisa, a mulher disse no café da manhã: Tomara que ela morra! Acho que nunca vira tanto ódio! Ela, um tanto obesa, funcionária de algum escritório de mercado, era e é claramente uma candidata a ter também um AVC. Como não desejo a morte prá ninguém, porque isso todos teremos, desejei, no meu pensamento, que ela sobreviva a um AVC hemorrágico, porém com sequelas! Que se torne um vegetal, como disse o garota mimado delagnol!!

  10. Aceito as desculpas de toda a canalha se, somente se, anularem o golpe em Dilma, anularem os processos políticos contra o PT, declararem a inocência de Lula, anularem as eleições de 2018 , permitir que Dilma conclua seu mandato interrompido, fazer o Vampiro e o coiso devolverem cada centavo que receberam como pseudos presidentes.

  11. Com o comportamento sádico e perverso de alguns agentes públicos, especialmente do judiciário como um todo e do ministério público em particular, fica a cada dia perceptível que o Brasil está se tornando uma nação doente, com os poderes (executivo, legislativa e judiciário) doentes, uma elite doente e um povo, em sua maioria, influenciado por essa gente.
    ,

  12. Sr repórter, peça desculpas também, você é maldoso intencional, aproveitando que nosso país é praticamente analfabeto. Temos uma corja de ladrões.

  13. O termo sadismo, realmente vem do marquês de Sade e significa prazer sexual na dor de outras pessoas.
    Me desculpe, mas esta é a única parte do texto que julgo correta.
    Os procuradores da lava jato não possuem prazer sexual com Lula, apenas fizeram o trabalho técnico, apresentaram provas, comporam a parte acuzatória do processo, houve oportunidade para a defesa se manifestar, Moro e o TRF 4 analizaram tudo isso e condenaram Lula em um processo justo.
    Pode se avaliar sim se as conversas foram disrespeitosas elação a dona Mariza, o irmão fafa e o pobre netinho de Lula, mas estas seriam conversas mal educadas que muitas pessoas tem em mesa de bar, eles não tem prazer com a morte de ninguém nem com o sofrimento alheio, muito menos prazer sexual.
    Bolsonaro não é homofóbico, existem membros da comunidade LGBT que o apoiam.
    Quanto ao palavrão c* tão usado por Olavo de Carvalho e quisá pelo presidente e sua família é baixo calão que eu, como cristão acredito que deveria ser banido de forma espontânia mas ele não reflete homofobia.
    Dizer que Lula foi condenado sem provas não procede.
    Não se pode defender alguém assim, vocês deveriam explicar para a população as fases do processo penal, disponibilizar á denúncia do MPF, a manifestação da defesa e os despachos de Moro, para que a própria população os leia e tire suas próprias conclusões.
    Não digo que Lula foi condenado sem provas porquê seria muita leviandade de minha parte dizer isso, já que eu não li as milhares páginas de processo.
    Não posso dizer isso apenas por simpatias políticas.
    Sou de esquerda, não votei em Bolsonaro, não me sinto representado pela esquerda brasileira.
    \Todos os partidos de esquerda perderam seu maior foco, lutar para diminuir a desigualdade social, reduzir a pobreza, garantir a todos acesso a saúde, educação e segurança.
    A vigília Lula livre pede doações para manter o movimento, melhor seria pedir doações para ajudar as pessoas carentes, ou ajudar alguma instituição que proporciona este serviço, como casas de recuperação de dependentes químicos, a pastoral da criança, as APAIs, a ACD, os médicos sem fronteiras, a cruz vermelha.
    Se o Estado estimular as sociedades filantrópicas, combater a crorrupção, investir e garantir a aplicação de recursos em saúde, educação e segurança podemos melhorar muito.
    Um governo de esquerda deve ter como prioridade aumentar o IDH, melhorar nossa avaliação no PISA, garantir a diminuição da mortalidade infantil, diminuição dos índices de analfabetismo e evasão escolar, além de garantir empregos de qualidade.
    Os governos de esquerda não devem ficar defendendo Lula livre ou outras paltas que não tem apoio popular, como a legalização irrestrita do aborto.
    O PT perdeu condições de governar.

  14. Em Direito existe um brocardo que diz: “JUSTIÇA ATRASADA É INJUSTIÇA QUALIFICADA”.
    Ao debochar da morte de uma criança e, da dor de um avô… nenhum pedido de desculpas pode ser aceito!
    O Mal já está consumado!
    Revela que a autora dessa ignomínia não tem preparo intelectual, emocional e social!

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome