Dino critica “guerra de vacinas” entre Bolsonaro e Doria

"Não é hora de promover uma 'guerra das vacinas' contra o coronavírus. É urgente que haja responsabilidade, diálogo e coordenação nacional", criticou Flávio Dino

Foto: Marcos Corrêa/PR

Jornal GGN – O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou o uso político das vacinas contra o coronavírus pelo presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo João Dória e a falta de coordenação nacional.

Dino criticou do que chamou de “guerra das vacinas”: “Não é hora de promover uma ‘guerra das vacinas’ contra o coronavírus. É urgente que haja responsabilidade, diálogo e coordenação nacional”, escreveu Dino, nas redes sociais.

“Bolsonaro não gosta da China nem de Dória, mas em primeiro lugar deve estar a saúde da população”, completou.

Na última sexta (16), Doria disse que vacinação contra a Covid-19 será obrigatória em todo o estado, assim que aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Hoje, Bolsonaro voltou a criticar o governador, afirmando que “Doria se intitula médico do Brasil“, e Doria retrucou afirmando que a “vacina do Butantan é a mais avançada“.

Em vídeo publicado nas redes, Dino alertou que é preciso coordenação nacional. “Faço um alerta sobre este desacerto de coordenação nacional que está se verificando no tema das vacinas”, afirmou.

“É um alerta que faço como lealdade para evitar crises desnecessárias entre paternidades, a sociedade quer ter a vacina, venha de onde vier, pouco importa a cor do gato, importante que ele mate o rato”, disse o governador do Maranhão.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora