Marconny Faria deve ser ouvido pela CPI nesta quarta-feira

Apontado como lobista da Precisa Medicamentos, advogado deve ser ouvido mesmo que seja necessário utilizar condução coercitiva

Marconny Faria, apontado de ser lobista da Precisa Medicamentos. Foto: Reprodução/Redes sociais - via Agência Senado.

Jornal GGN – Suspeito de atuar como lobista da Precisa Medicamentos na tentativa de venda da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde, o advogado Marconny Albernaz de Faria será ouvido nesta quarta-feira (15/09) pela CPI da Pandemia.

Marconny deveria ter sido ouvido em 02 de setembro, mas apresentou atestado médico e não foi à audiência. Tal documento foi anulado pelo médico que o emitiu posteriormente. O advogado chegou a recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para não depor, mas seu pedido foi negado. Caso não compareça e não apresente justificativa, a sua condução poderá ser feita de forma coercitiva.

No começo de setembro, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu habeas corpus para Marconny Faria e garantiu-lhe o direito ao silêncio em questionamentos que gerem provas contra ele, além do direito de ser assistido por um advogado em seu comparecimento à CPI da Pandemia. As informações são da Agência Senado.

Leia Também

Politização da pandemia comprometeu combate à covid-19, diz Renan

Tolentino diz à CPI que conhece Bolsonaro e os filhos Eduardo e Flávio, mas nega “amizade”

Advogada que ajudou governistas na CPI ganha cargo no governo Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome