A conspiração e o golpismo do STF e da PGR, por Aldo Fornazieri

A conspiração e o golpismo do STF e da PGR

por Aldo Fornazieri

Numa democracia séria, a cúpula do PMDB, incluindo Temer, Eduardo Cunha, Sarney, Romero Jucá, junto com Aécio Neves e outros personagens sombrios do conglomerado que se articula em torno do PSDB estariam presos e julgados por conspiração contra o Estado e contra a democracia. Até mesmo juízes do STF e o Procurador Geral da República estariam sendo investigados e sob o risco de prisão por conspiração. As gravações de Sérgio Machado não deixam dúvidas de que houve uma ampla e criminosa conspiração contra o Estado e contra a ordem democrática. Se não forem derrubados e presos nos próximos meses em consequência da luta política e da desobediência civil em curso terão que ser presos e julgados num futuro governo democrático.

Não se poderá incorrer no mesmo erro que se incorreu com aqueles que cometeram crimes no regime militar. Nenhuma anistia futura deverá livrar os golpistas de hoje de condenações amanhã, quando a normalidade democrática e constitucional for restabelecida. O ativismo político e social progressista e os intelectuais honestamente comprometidos com o Estado de Direito devem defender abertamente e cobrar das autoridades a necessidade de deter e julgar os golpistas. É até mesmo conveniente que se instaure um tribunal popular, dado o possível comprometimento do STF com o golpe, para que os conspiradores sejam julgados num ato de julgamento cívico e político.

A Constituição brasileira alude à existência de crimes políticos no Artigo 109, embora não os defina. É de competência da justiça federal julgá-los. Por decorrência lógica e exegética deve se entender que crime político é aquele perpetrado contra a essência do Estado consubstanciada no seu ordenamento democrático, republicano e federativo. Não resta dúvidas de que os sediciosos conspiraram contra o ordenamento democrático do Estado, movidos por duas motivações: assaltar o poder ao arrepio do mandato popular e proteger uma ampla organização criminosa dos riscos de ser desmantelada e presa com os avanços das investigações de corrupção.

Leia também:  Bolsonaro tornou o Brasil submisso aos EUA, afirma Dilma Rousseff

O Brasil está mergulhado numa grave crise institucional, pois além de ter um governo golpista e ilegítimo, um presidente da Câmara suspenso, um Senado eivado de denunciados e investigados e uma presidente legítima afastada, agora se sabe que a Procuradoria Geral da República e o Supremo Tribunal Federal, que deveriam ser os guardiões maiores da Constituição, estão sob a gravíssima suspeita de terem participado do golpe ou, no mínimo, de terem se omitido criminosamente em face de informações que detinham acerca do andamento da sedição. O crime político dos sediciosos, perpetrado sob a aparência do impeachment, violou a soberania popular e a estrutura constitucional do regime político democrático. Os crimes cometidos pelos golpistas estão mais claramente tipificados na Lei de Segurança Nacional (Lei N. 7.170), herança do entulho autoritário, particularmente nos artigos 1º e 2º.

A ordem democrática mostra-se frágil no Brasil em face dos ataques de grupos sediciosos das elites. É preciso, assim, que se busque aprovação de uma lei de defesa do Estado Democrático de Direito e da ordem constitucional. Cabe lembrar que o pai do liberalismo político, John Locke, e a Constituição alemã de 1949, defendiam o direito de rebelião popular quando a ordem legal e o Estado Democrático de Direito fossem violados, como ocorre no Brasil no presente momento.

Resistir ao golpe e levar os conspiradores a julgamento

Hoje cresce em todo o Brasil a resistência e a repulsa ao golpe. Os mais diferentes setores sociais encontram formas de manifestar-se, mesmo sem uma direção unificada. Ampliar essa resistência e fortalecer as manifestações e os protestos é um dever demandado pelos compromissos com a democracia.

Leia também:  Movimentos por moradia exigem direito de resposta à Rede Globo

Por paradoxal que possa parecer, os parlamentares progressistas e comprometidos com a democracia, precisam demandar uma investigação acerca da conspiração na Câmara dos Deputados e no Senado. Além do embate e do constrangimento políticos, essa medida servirá para uma profilaxia política contra golpes futuros. Os golpistas precisam ter medo da ordem democrática. Ademais, é preciso comprometer cada vez mais as biografias dos golpistas. Eles não poderão ter a anistia da história. Os principais órgãos da imprensa americana e europeia não têm dúvida de que o afastamento de Dilma por um condomínio de corruptos foi ilegal.

Os juristas e advogados precisam demandar uma investigação no STF, por mais comprometido que este esteja, acerca da conspiração e dos conspiradores. As petições devem deixar claro que os golpistas precisam ser detidos e julgados. Os juízes do STF estão sob graves suspeitas, pois as gravações dos conspiradores deixam claro que o STF não agiu de forma isenta como guardião da Constituição. Tanto o STF quanto a PGR, no mínimo, omitiram-se e prevaricaram na posse de informações estarrecedoras que detinham. Se não há dúvida que Gilmar Mendes é um sedicioso, conspirando inclusive junto com o presidente ilegítimo, os demais juízes precisam também explicitar as suas posições e definir se estão ao lado da democracia ou se querem ter suas biografias irremediavelmente manchadas pelo golpismo. Sob pena de agravamento da crise, o STF e a PGR precisam se explicar à sociedade brasileira e retomar o seu papel precípuo de defesa da Constituição.

Leia também:  Agenda vazia e manifestações no horizonte: a ida de Bolsonaro ao Texas

O que está ficando cada vez mais claro para a maior parte da sociedade é que o governo Temer – ilegítimo e golpista – é um governo contra os pobres, contra os direitos sociais, contra os programas sociais, contra a cultura, contra a educação, contra a saúde, contra as mulheres e contra os direitos das minorias. As medidas econômicas anunciadas não tirarão o Brasil da crise. Pelo contrário, a agravarão. As medidas não enfrentam o déficit público e o governo se prepara para jogar seu brutal peso, se Dilma for definitivamente afastada, nos ombros dos trabalhadores e dos mais pobres. Se o governo golpista for derrubado é preciso que seus líderes sejam presos e julgados.

Esses líderes estão sendo cada vez mais sitiados por cidadãos irados nas ruas. Essa ira é santa, pois a sociedade aprendeu que a democracia, mesmo que imperfeita, é um dos fundamentos imprescindíveis por uma sociedade justa e livre. A sociedade percebeu também o conluio criminoso de corruptos orquestrado por estes que estão hoje no poder. Muitos daqueles que queriam a saída de Dilma sentem-se hoje enganados, traídos e envergonhados.

O fato é que o golpe despertou vontades e energias de luta que estavam adormecidas. Desencadearam forças democráticas e progressistas que lutarão contra os retrocessos e saberão lutar pelos seus direitos e pela democracia. Assim, convém lembrar as sábias palavras de Maquiavel: “Bendita é a guerra, quando necessária, e piedosas são as armas quando só nas armas reside a esperança”. A guerra hoje é a luta contra o governo ilegítimo e as armas são os protestos, os debates, as ocupações dos espaços públicos e a hostilização pública dos golpistas.

Aldo Fornazieri – Professor da Escola de Sociologia e Política de São Paulo. 

34 comentários

  1. Mr. Aldo e demais leitores

    Mr. Aldo e demais leitores deste artigo, de uma vez por todas. Não há “suspeitas” de que o seu STF está envolvido na conspiração, o seu STF está envolvido na conspiração até o pescoço. Se não fosse pela proteção do STF os conspiradores já estariam presos como você escreveu no seu texto.

    Parem de fingir que vocês ainda têm um sistema jurídico que funcione.

  2. Estou careca de dizer: A PGR

    Estou careca de dizer: A PGR virou uma agência de espionagem política. Talvez a maior do mundo democrático. Eles são a maior ameaca  a democracia brasileira.

  3. Quase lá…

    O que era considerado “golpe” apenas pelo fato de não haver crime nas acusações do impeachment, começa agora a tomar a forma de “golpe” mesmo, ou seja, com motivação, quadrilha e ações específicas. O post aqui é, até agora, o mais específico em relação ao “golpe” estruturado, sujeito a acusação e punição. Acontece que hoje estamos a meio caminho de configurar o “golpe” em todos os seus aspectos, pois há grampos, mas não há provas ainda contundentes. A declaração de Dilma para a intimação de Rosa Weber (STF) sobre os motivos que levam Dilma a falar em “golpe” terá aqui uma boa demonstração para nos indicar em qual ponto estamos, entre um golpe conceitual, pela falta de crime, ou um golpe estruturado, com indicação de nomes e fatos.

  4. A quem pedir socorro?

    O problema é: quem irá emitir os mandatos de prisão? O golpe foi tão bem articulado que não restou nenhuma instituição com poder de barrá-lo. Se a Constituição deixou nas mãos da justiça a definição de crime político e a justiça estando a favor do golpe, não veremos nenhuma providência no sentido de se definir o crime e, consequentemente, também não veremos golpistas na cadeia. Não adianta denunciar ao MP, à PGR, ao STF e, muito menos, solicitar que os militares intervenham. Todos podem ser listados como participantes do golpe, por participação efetiva ou por omissão. A quem vamos pedir socorro? Ao povo? A seus representantes? O povo não detem o poder, o povo não possui armas, o povo não possui liderança unificada e, agora sabemos, nem mesmo representantes temos então, estamos desamparados para qualquer providência. Charles de Gaulle estava certo quando disse: “o Brasil não é um país sério”. 

    • Chegou no ponto que eu venho

      Chegou no ponto que eu venho discutindo com meus amigos desde que o golpe começou a se configurar: só uma Revolução à Francesa resolve essa equação que você pôs em discussão. Quem deveria zelar pela lei é justamente quem a desrespeitou, ou, no mínimo, se omitiu. O que fazer quando a Suprema Corte faz parte do golpe ? Só uma Revolução à Francesa, infelizmente.

  5. o stf …

    .. não é mais um tribunal, ….  são apenas um bando de jagunços togados, à serviço de uma quadrilha de bandidos corruptos e golpistas, ….  esses jagunços togados estão lá, ocupando um lugar que, por direito, pertence a Juízes de verdade…

     

    Já  procuradoria geral da república, … desde o tempo do engavetador geral, … não merece confiança e, muito menos, esperança….

    Select ratingRuimBomMuito bomÓtimo ExcelenteRuimBomMuito bomÓtimoExcelente

     

  6. A conspiração e o golpismo do STF e da PGR

    Tudo em seu devido lugar quanto ao texto.

    Impossível não concordar diante da enxurrada de vazamentos a denunciar publicamente o conluio de celerados para a tomada criminosa do governo. Ainda a notar a grande dificuldade de o “grupo de Curitiba” e o PGR em proceder a inquéritos consistente contra os integrantes do PSDB, Aécio à frente. E quando chegam ao STF a roleta leva-os ao partidarismo militante de Gilmar Mendes.

    O STF, por questões menores, digamos, relativizou a Constituição Brasileira.

    O pedido de explicações de Rosa Weber à Dilma pelo uso da palavra golpe faz par coerente com a condenação “porque a literatura permite”.  Também consistente com a teoria do “domínio do fato” importada a meiaboca por JBarbosa – o próprio renovador da teoria por aqui esteve a declarar a ilegitimidade do uso pelo STF. No Brasil preferiu-se a versão anterior vigente no regime nazista.

    E assim chegamos ao golpe de facínoras contra a democracia, concorde ou não a senhora ministra com o uso do termo.

    A realidade cobrou seu preço.

    Câmara, PGR e STF ficaram pendurados no pincel da ilegalidade e “estupro democrático”. Só que nesse episódio foram mais do que os 30 noticiados, chegaram a quantas centenas ?

    O Senado está a caminho ?

     

     

  7. ABAIXO ASSINADO

    PROPOSTA DE “BAIXO ASSINADO”

     

    A sociedade civil organizada vem solicitar a prisão de toda a cúpula do PMDB, incluindo Temer, Eduardo Cunha, Sarney, Romero Jucá, junto com Aécio Neves e outros personagens sombrios do conglomerado que se articula em torno do PSDB estariam por conspiração contra o Estado e contra a democracia. Até mesmo juízes do STF e o Procurador Geral da República deverão ser investigados e sob o risco de prisão, também, por conspiração.

    Solicitamos, de imediato, o retorno da Presidente eleita democraticamente para concluir o seu mandato, democraticamente eleita, a serviço do seu país.

    Aproveitamos para, também, afirmar que estas duas casas do povo, o Senado e o Congresso Nacional, não nos representa, por isso queremos novas eleições para recompor o parlamento com representantes do povo brasileiro e não de empresas e de governos que alimentam golpes pelo mundo a fora.

  8. Aldo fornazzieri veio com

    Aldo fornazzieri veio com tudo, desta feita clamando manifestações de peso até mesmo contra o STF.

    Não dispensar uma sequer linha à imprensa, que é tão ou mais golpista, comprometida com todos esses problemas por que estamos a passar, é o que insisto em questionar sobre as matérias do Sr. Aldo. Não sei se ele tá por dento das safadezas da imprensa, incluindo da CBN (Ops!), ou se por algum envolvimento com a imprnesa ele prefere passar batido.

  9. Golpistas na prisao

    Bravo, Aldo!

    Claro e perfeito.

    Lugar de golpista e na prisao.

    Lugar de juiz que conspira contra a democracia e protege bandido eh na prisao.

    Lugar de juizes indiferentes eh na lata de lixo da historia.

    A eles, aos indiferentes, Gramsci:

    “Odeio os indiferentes. Como Friederich Hebbel acredito que “viver significa tomar partido”. Não podem existir os apenas homens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes.

    A indiferença é o peso morto da história. É a bala de chumbo para o inovador, é a matéria inerte em que se afogam freqüentemente os entusiasmos mais esplendorosos, é o fosso que circunda a velha cidade e a defende melhor do que as mais sólidas muralhas, melhor do que o peito dos seus guerreiros, porque engole nos seus sorvedouros de lama os assaltantes, os dizima e desencoraja e às vezes, os leva a desistir de gesta heróica.

    A indiferença atua poderosamente na história. Atua passivamente, mas atua. É a fatalidade; e aquilo com que não se pode contar; é aquilo que confunde os programas, que destrói os planos mesmo os mais bem construídos; é a matéria bruta que se revolta contra a inteligência e a sufoca.

    O que acontece, o mal que se abate sobre todos, o possível bem que um ato heróico (de valor universal) pode gerar, não se fica a dever tanto à iniciativa dos poucos que atuam quanto à indiferença, ao absentismo dos outros que são muitos. O que acontece, não acontece tanto porque alguns querem que aconteça quanto porque a massa dos homens abdica da sua vontade, deixa fazer, deixa enrolar os nós que, depois, só a espada pode desfazer, deixa promulgar leis que depois só a revolta fará anular, deixa subir ao poder homens que, depois, só uma sublevação poderá derrubar.

    A fatalidade, que parece dominar a história, não é mais do que a aparência ilusória desta indiferença, deste absentismo. Há fatos que amadurecem na sombra, porque poucas mãos, sem qualquer controle a vigiá-las, tecem a teia da vida coletiva, e a massa não sabe, porque não se preocupa com isso. Os destinos de uma época são manipulados de acordo com visões limitadas e com fins imediatos, de acordo com ambições e paixões pessoais de pequenos grupos ativos, e a massa dos homens não se preocupa com isso. Mas os fatos que amadureceram vêm à superfície; o tecido feito na sombra chega ao seu fim, e então parece ser a fatalidade a arrastar tudo e todos, parece que a história não é mais do que um gigantesco fenômeno natural, uma erupção, um terremoto, de que são todos vítimas, o que quis e o que não quis, quem sabia e quem não sabia, quem se mostrou ativo e quem foi indiferente. Estes então zangam-se, queriam eximir-se às conseqüências, quereriam que se visse que não deram o seu aval, que não são responsáveis.

    Alguns choramingam piedosamente, outros blasfemam obscenamente, mas nenhum ou poucos põem esta questão: se eu tivesse também cumprido o meu dever, se tivesse procurado fazer valer a minha vontade, o meu parecer, teria sucedido o que sucedeu? Mas nenhum ou poucos atribuem à sua indiferença, ao seu cepticismo, ao fato de não ter dado o seu braço e a sua atividade àqueles grupos de cidadãos que, precisamente para evitarem esse mal combatiam (com o propósito) de procurar o tal bem (que) pretendiam.

    A maior parte deles, porém, perante fatos consumados prefere falar de insucessos ideais, de programas definitivamente desmoronados e de outras brincadeiras semelhantes. Recomeçam assim a falta de qualquer responsabilidade. E não por não verem claramente as coisas, e, por vezes, não serem capazes de perspectivar excelentes soluções para os problemas mais urgentes, ou para aqueles que, embora requerendo uma ampla preparação e tempo, são todavia igualmente urgentes. Mas essas soluções são belissimamente infecundas; mas esse contributo para a vida coletiva não é animado por qualquer luz moral; é produto da curiosidade intelectual, não do pungente sentido de uma responsabilidade histórica que quer que todos sejam ativos na vida, que não admite agnosticismos e indiferenças de nenhum gênero.

    Odeio os indiferentes também, porque me provocam tédio as suas lamúrias de eternos inocentes. Peço contas a todos eles pela maneira como cumpriram a tarefa que a vida lhes impôs e impõe quotidianamente, do que fizeram e sobretudo do que não fizeram. E sinto que posso ser inexorável, que não devo desperdiçar a minha compaixão, que não posso repartir com eles as minhas lágrimas. Sou militante, estou vivo, sinto nas consciências viris dos que estão comigo pulsar a atividade da cidade futura que estamos a construir. Nessa cidade, a cadeia social não pesará sobre um número reduzido, qualquer coisa que aconteça nela não será devido ao acaso, à fatalidade, mas sim à inteligência dos cidadãos. Ninguém estará à janela a olhar enquanto um pequeno grupo se sacrifica, se imola no sacrifício. E não haverá quem esteja à janela emboscado, e que pretenda usufruir do pouco bem que a atividade de um pequeno grupo tenta realizar e afogue a sua desilusão vituperando o sacrificado, porque não conseguiu o seu intento.

    Vivo, sou militante. Por isso odeio quem não toma partido, odeio os indiferentes.

  10. Não existe essa coisa de

    Não existe essa coisa de tribunal popular! Se não formos capazes de fazer o que fazem os povos mais desenvolvidos, jamais seremos respeitados…

    AFINAL, POR QUE NOSSA MÍDIA ALTERNATIVA RESISTE EM FALAR DO PLEBISCITO DESTITUINTE OU RECALL, APOIADO PELA DILMA?

    Movimentos sociais e protestos não são nada, se não houver um foco, se não soubermos o que exigir. E as próprias mídias alternativas estão se omitindo nisso. Até hoje vimos alguma coisa no GGN e no 247 sobre o plebiscito destituinte, mas nas outras, simplesmente não se fala nada!

    Entretanto, como não existe nada mais importante para o país nesse momento, podemos dizer que a omissão é generalizada. O Gilmar Mendes já teve seu impeachment protocolado. Só que o presidente do senado engaveta…

    A PEC 21/2015 E SEU PLEBISCITO DESTITUINTE SÃO NOSSAS ARMAS!

    Se a gente tivesse direito de convocar o PLEBISCITO DESTITUINTE através de nossos ABAIXO ASSINADOS, cassaríamos esse senador. Por isso nos países desenvolvidos vemos diversos casos de juízes de “suprema” corte sendo cassados. Infelizmente não dá pra desenhar. A questão é de tamanha simplicidade, que ficamos estarrecidos. Afinal, nossas forças “progressistas” não conseguiram compreender o problema, ou não querem entendê-lo por algum tipo de preconceito, corporativismo, ou submissão a interesse de grupos políticos? Confiram:

    https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/782412961894368/?type=3&theater

    Quanto à eleição de juízes, somos a favor apenas para o CNJ, órgão que recebe e julga denúncias contra esses juízes.

  11. Golpe e esperança

    Contra o golpe.

    Uma doença voltou. O golpe.

    As armas que poderemos ter.

    Disponibilizemos armas como instrumentos ao lado de uma mesa de cirurgia.

    Nao nos recusemos por antecipação é evitar utilizar qualquer uma delas.

    Ou derrubamos o golpe e golpistas ou retornaremos a barbarie.

  12. Prezados leitores,
    O que está

    Prezados leitores,

    O que está escrito neste artigo é o que eu e muitos outros leitores e articulistas do blog percebemos há tempos. Somente após a consumação do golpe vemos Aldo Fornazieri e Wanderley Guilherme dos Santos deixarem de implicâncias e rusgas com a Esquerda. Como demoraram a focar o alvo que deve ser combatido! A vaidade dos intelectuais ‘esquerdistas’ os impediu de escrevere e dizer o óbvio, no tempo certo. Apenas agora, depois que a imprensa internacional e os brasileiros mais esclarecidos denunciam aos quatro ventos o golpe de Estado, após o desmascaramento da PF, do MP, do PJ (com destaque para sérgio moro e STF) e da quadrilha que tomou o poder, para se livrar de processos e condenações, é que os intelectuais ‘esquerdistas’ se colocam numa postura combativa. 

    O que percebo é que os intelectuais ‘esquerdistas’ tentam se redimir, por temerem o julgamento da História.

     

     

  13. Exato.

    Nome e sobrenome: Conspiração e Golpe de Estado.

    Quais são as penas?

    Quem julga, quando o STF está comprometido com o golpe?

  14. Pois sim

    Tudo indica que desta vez a história vai registrar o golpe como de autoria do STF e do MPF. A imprensa será só coadjuvante.Evoluímos?

  15. Com todos comprometidos no golpe de estado, Congresso, STF,

    Exercito e midia, eu pergunto, há solução? Nosso povo não foi acordado, NÃO ESQUEÇAM a maioria depende da mídia que é golpista, para se informar!

    Uma coisa que acho importante é a Dilma, Lula e o PT fazerem é, como durante eleições  se convocam observadores internacionais. CONVOQUEM PROFISSIONAIS JURÍDICOS ESTRANGEIROS COMO OBSERVADORES desse processo ilegal de impeachment !!!!

  16. Não pode

    Não pode o próximo governo deixar de julgar(como se dará eu não sei) todos que participaram do golpe, ativamente, passivamente ou por omissão como é o caso do PGR e do STF, o único problrma é que acho difícel que um novo governo de esquerda venha assumir. ELES NÃO DEIXARÃO POR MEDO JUSTAMENTE DESSE JULGAMENTO.AH QUE SE INCLUA O MORO POR ABUSO DE SUA AUTORIDADE E SE CONDUZA COERCITIVAMENTE

  17. irretocável o artigo, o

    irretocável o artigo, o melhor que li até hoje do professor aldo…

    até que  enfim sintetizou a angústia do golpe e os culpados

    pela crise política que vivemos…

    os quais merecem, sim, ser punidos….

    o artigo ainda tem a virtude de buscar exemplos na

    ciencia política para justificar a guerra, isto

    é, as manifestações democráticas….

    orienta assM,, e ISSO ME PARECE O MAIS  ESSENCIAL,

    A LUTA PELA RESISTENCIA…

    • acrescento que o professor

      acrescento que o professor desnudou de tal forma o golpismo

      que só restou os delírios golpístas destes infames

      li a “roiupa nova do imperador” de andersen outra vez e ri

      muito destes golpistas desnudos fantasiados de

      incólumes defensores do moralismo

  18. O povo acostumou-se às

    O povo acostumou-se às liberdades democráticas advindas desde o fim da ditadura militar e, em razão disso, ainda não percebeu a gravidade da situação na qual estão lançando o país. Ainda não caiu a ficha. Enquanto isso, os golpistas tramam impunemente contra o Estado Democrático de Direito. Consta que Eduardo Cunha financiou a campanha de mais de 150 deputados federais eleitos no último pleito e, dessa forma, tomou de assalto a presidência da Câmara. O golpe foi, e está sendo, meticulosamente preparado.  O povo precisa acordar urgentemente antes que seja tarde.

  19. Esperança

    Esta é a minha esperança contra o golpe final: não me parece razoável que estes senhores abram mão de serem o stf de um potência democrática e escoham , que escolha!, e ser o mesmo de uma desprestigiada republiqueta das bananas.

    Passem a ser chamados de palhaços em quaiquer seminário no exterior. Não posso aceitar uma escolha tão idiota e estúpida, Seria estupidez mais que suprema.

    Dai minha ainda leve esperança.

  20. Não existe população, povo,

    Não existe população, povo, cidadãos, pessoas…

    A não ser em insuficientes teorias cujos traços dão um jeito de enfiar 2016 em 1982.

    .

    Não há consciência coletiva, boa compreensão dos fatos e circunstâncias.

    Ninguém lê aqui, ninguém sabe escrever. Não sabemos nos comunicar gentilmente.

    Daqui de cada ouço ao fundo em qualquer hora do dia ou da noite: plim plim.

    Quem é?

    A mesma de sempre da famiglia Marinho com as burras empapuçadas de dinheiro público…

    Alegremente fornecido pela “esquerda” ao longo de uma década e meia.

    .

    Já desisti há tempos, enquanto vocês jamais entenderão. 

    Jamais entenderão que a situação golpista foi criada pelos golpitas e por quem acabou de ser golpeado.

    Não só a Dilma, mas principalmente o Lula, possuem ambos considerável culpa devido a inépcia gritante.

    .

    Enquanto não for reconhecida, examinada e responsabilizados, ESQUEÇAM.

    O projeto brasileiro terá o vastíssimo horizonte de 2018.

    É o projeto que nos trouxe até aqui: o eleitoral.

    Desprovido de boa ciência e de um plano excelente.

    Os motivos – copiosos assassinatos, estupros, roubos, desvios, misérias, desiguladades – perderam a essência do significado. 

    Mas o que falta mesmo, e de onde tudo deveria ter seu princípio, é valores.

    O que serve para aspiração coletiva, entusiasmo, empolgação.

    .

    Seguimos, assim, relativamente tranquilos, as vicissitudes do dia-dia.

    Não há pneus queimados, paralisação de caminhoneiros, o populacho furioso, quebra-quebras, 350 mil pessoas na Paulista. 

    Temos lances fugazes, esporádicos, diminutos.

    Muito lamentavelmente, eis a real.

    .

    P.s: acredito que talvez num lance do acaso por motivos ainda não explicados ocorra massivos protestos de rua.

    Como os de 2013.

    Entretanto, não estaremos preparados, mais uma vez, se dependerem de teorias insuficientes.

  21. Investigação e julgamento dos golpistas

    Em texto claro e objetivo, o professor Fornazieri sintetiza o apelo a razão política e a ética constitucional. Senão republicana! Os envolvidos na empreitada golpista de 2016 deverão ser investigados, processados e até sentenciados a penas duras de prisão mais cedo ou mais tarde. Como isso vai se dar, em que circunstancias, não sabemos; mas já é um linha de ação futura (para pesquisas, ações de partidos, ongs, etc) para trabalhar pelo fortalecimento e blindagem do sistema institucional brasileiro, que como era de se esperar se revelou muito fraco a pressões e manipulações como estamos vendo nestes últimos anos. Deve ser aperfeiçoado e atenção especial deve ser dada ao judiciário. A carta de 1988 também deverá ser revisada, e tudo que nela possa sugerir ambiguidade num contexto democrático, terá que ser excluída dali. Obviamente isso demandara tempo, mas acompanhará o amadurecimento político social da nação brasileira. A História das conquistas humanas tem sua própria razão e lógica. O Brasil avança lentamente, mas aos poucos vai tomando consciencia do que é necessário e prioritário na sua razão de ser, como provam os tímidos avanços das últimas décadas. Avante brasileiros!!!

  22. A conspiração e o golpismo do STF e da PGR

    O melhor artigo do professor Aldo Fornazieri até hoje.

    Parabéns pela coragem e lucidez da exposição.

  23. Golpe em andamento

    Além da instalação de um Tribunal Popular, é bom ir fazendo um estudo topográfico do terreno em frente ao STF, para colocação da GUILHOTINA, isso mesmo, sem extremismos e sem terrorismo, apenas, justiça. Sabem porque? Por que esses ladrões são os responsaveis por mais de trezentos anos de escravatura, pelos altos indíces de pobreza, analfabetismo, mortalidade infantil, marginalização, concentraçã da riqueza, enfim, todas as mazelas sociais que cercam nossa sociedade. As ruas cidadãos, lutar é preciso.

  24.  
    ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃO

     

    ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃO BRASIL DO BEM Mais um “delator de mentiras premiadas” agindo para livrar a pele IMUNDA e carcomida da cadeia e, ao mesmo tempo, tentando consolidar a prisão perpétua do senhor João Vaccari Neto – ao tempo em que dá mais munições para a sanha persecutória seletiva do DEMoTucano sérgio ‘mor(T)o’ prender o [eterno] presidente Lula e cassar a honrada presidenta Dilma Rousseff no TSE [hã Tribunal! Hã Superior!] do nazigolpista ‘gilmar Beiços do Cão Abdelmassih DANTAS mendes’!… Dileto(a) e consciente leitor(a), no vídeo abaixo, apesar das ajudazinhas caprichadas (sic) do lhano (sic) e “interrogador colaborador” “juiz” [hã juiz!] DEMotucano militante sérgio ‘mor(T)o’, é visível que o delator premiado [premiado!] José Carlos Bumlai mente descarada e ‘decoradamente’ – e o mesmo Bumlai grande pecuarista &$ envolvidos em outros rolos empresariais – imagine a credibilidade, a generosidade e a ética de quermesse!… Especificamente, a partir dos 22:00 do vídeo, “o delator de saco cheio” com a gloriosa [risos] ‘Guantánamo do Paraná’ do “juiz” ‘mor(T)o’ afirma:”eu procurei o tesoureiro do PT, o senhor João Vaccari em… 2006… 2007… É, final de 2006, início de 2007, é isso, é isso!”Em seguida à fala do Bumlai, “o interrogador bonzinho”, sérgio ‘mor(T)’, “dá uma de universitário do ‘Sílvio Tudo Por Dinheiro Santos'”:”Mas, senhor Bumlai, o Vaccari só assumiu a função de tesoureiro do PT em 2010…!De novo, o Bumlai contador das “estórias” que “o moço” sérgio ‘mor(T)o’ adora brincar de ouvir:”Ah é, não, mas nessa época ele [o Vaccari] já cuidava das finanças do PT… Sem mais comentários:ou seja, só nos resta denunciar todas estas desgraças surreais a todas as instâncias internacionais ligadas ao Direito, aos Direitos Humanos, à civilidade e à democracia… Ao Santo Papa Francisco…Do contrário, “a fábula tenebrosa” terá o seguinte título: ‘O Sapo que Roubava Bananas’! Sim: é de TEMER rios de lágrimas! O VÍDEO RECHEADO DE ESCABROSAS MENTIRAS https://www.youtube.com/watch?v=7SA4Lb77UMI

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome