Pressentimento, por Izaías Almada

Meu pressentimento está diretamente ligado ao que ocorrerá no próximo mês de outubro no Brasil, um pressentimento de alívio e ao mesmo tempo de alegria

Ricardo Stuckert

Pressentimento

por Izaías Almada

Hoje tive um pressentimento… E posso jurar que eu não estava ao lado do ministro da justiça nos Estados Unidos… E nem pensei em falar desse pressentimento a qualquer pastor evangélico em Santos, Salvador, ou Belo Horizonte. E por uma razão muito simples: pressentimento é imaginar que uma coisa poderá acontecer e não necessariamente dizer que vai acontecer. Não tenho bola de cristal.

Mas como vivemos no Brasil, tudo pode acontecer, não é verdade, caro leitor? Todos podem ter pressentimentos, até mesmo um presidente da república, por que não? Ainda mais quando ele se preocupa verdadeiramente com o trabalho e a saúde de todos nós…

Mas tenho que confessar que o meu pressentimento não está ligado a situações pessoais ou mesmo a favores pessoais. Ou  inda a evitar prisões.

Meu pressentimento está diretamente ligado ao que ocorrerá no próximo mês de outubro no Brasil, um pressentimento de alívio e ao mesmo tempo de alegria por ver que o povo brasileiro vai acordar a tempo de evitar uma tragédia.

Jornal GGN produzirá documentário sobre esquemas da ultradireita mundial e ameaça eleitoral. Saiba aqui como apoiar

E mais do que evitar uma tragédia, a satisfação de ver se realizar o desejo de milhões de cidadãos brasileiros que não compactuam com a má fé, com a esperteza calhorda, com a incompetência, com o farisaísmo, com a arrogância dos recalcados e, por que não dizer mesmo, com o crime organizado que tomou de assalto o governo federal e boa parte das instituições brasileiras há exatamente quatro anos…

Como?!!!… Perguntarão os incautos, os distraídos ou os pessimistas. Simples: confirmando nas urnas eletrônicas a vitória do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Calma, calma, minha gente… Ainda tem mais: E no dia 01/01/2023 ver LULA subir a rampa do palácio do planalto e receber novamente a faixa presidencial de alguém que, pelo menos uma vez na sua vida, mostre um pouco de dignidade e respeito para com seus semelhantes.

Izaías Almada é romancista, dramaturgo e roteirista brasileiro. Nascido em BH, em 1963 mudou-se para a cidade de São Paulo, onde trabalhou em teatro, jornalismo, publicidade na TV e roteiro. Entre os anos de 1969 e 1971, foi prisioneiro político do golpe militar no Brasil que ocorreu em 1964.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]

Leia também:

Relembrar é existir (a vanguarda do atraso), por Izaias Almada

Chegou a hora, chegou, chegou… por Izaías Almada

Ciro, Elon e Aloysio…, por Izaías Almada

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

GalileoGalilei

- 2022-06-28 09:37:10

Esse (abaixo) é o meu pressentimento. Baseado em sinais cada vez mais robustos.

GalileoGalilei

- 2022-06-28 09:35:30

Cuidado! Muito cuidado. Os caminhos para 01 de Janeiro de 2023 são íngremes e escorregadios. Todo o cuidado será pouco. O capeta está mais vivo e poderoso do que nunca.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador