Aécio fecha com grupos de mídia, que começam a desconstruir Eduardo

Começa a ficar mais clara a articulação das forças políticas para as eleições.

Os grupos de mídia fecharam em bloco com Aécio Neves. A última conquista foi a revista IstoÉ, com a divulgação da pesquisa do Instituto Sensus.

Em 2010, o Sensus foi massacrado pela mídia, acusado de manipulação de pesquisas – na época, supostamente em favor de Dilma. A denúncia partiu da Folha, motivou uma representação do PSDB e uma invasão dos escritórios da Sensus por policiais, acompanhados de analistas do DataFolha.

Não deu em nada, mas foi o episódio mais truculento da campanha de 2010.

Agora, com as pesquisas divulgadas pela IstoÉ, o Instituto Sensus protagoniza a primeira manipulação das eleições de 2014.

Em ambos os momentos, Sensus não espelhou interesses petistas ou tucanos, mas do grupo mineiro de Clézio de Andrade.

A pesquisa foi realizada com todas as distorções já apontadas, inclusive pelo Estadão: cartela com os nomes em ordem alfabética (beneficiando o primeiro da fila, Aécio), informações negativas sobre a economia antes das perguntas sobre o apoio à Dilma etc.

Mais. Só depois de conhecidos os resultados, foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), e apenas em nome do Sensus, como se tivesse sido bancada pelo próprio Instituto. Dias depois foi divulgada pela IstoÉ como se fosse fruto de uma parceria.

A revista não faz parte da primeira divisão do cartel, mas deverá atuar na guerrilha, assim como as denúncias non-sense da Época.

Em sua primeira incursão nas eleições de 2014, o Instituto Sensus torna-se um rojão queimado. Mas o jogo prosseguirá com outros protagonistas.

Campos sob fogo cruzado

Aécio e Campos têm acenado para uma parceria duradoura, pós-eleições. Caso Dilma seja reeleita, é bastante provável que ambos, em parceria, assumam a liderança da nova oposição.

Por enquanto, a lógica dos dois turnos os transforma em adversários diretos no primeiro turno, para se saber quem será o campeão branco que enfrentará Dilma no segundo turno.

Fontes da campanha de Dilma Rousseff entenderam a pesquisa Sensus como parte de uma estratégia maior. Testa-se a hipótese do segundo turno em veículo e instituto de pesquisa de menor calibre, preparando o campo para as pesquisas posteriores do Ibope e do DataFolha. Ao mesmo tempo, acelera-se de imediato a campanha de desconstrução da chapa Campos-Marina, explorando suas ambiguidades, para ampliar a diferença entre ele e Aécio nas próximas pesquisas.

O objetivo atual é garantir a passagem de Aécio para o segundo turno.

Hoje a Folha trabalhou nessa direção com duas chamadas de primeira página, ambas explorando as ambiguidades da parceria Campos-Marina.

A primeira, montada em cima de um gancho artificial: uma mensagem do coordenador de campanha a Eduardo, preocupado com os princípios socialistas que constam da agenda do PSB. A segunda, explorando os anacronismos religiosos de Marina Silva.

Ao mesmo tempo, Campos é atacado pela esquerda, acusado de encampar as teses mercadistas dos economistas ligados a Marina Silva.

As novas definições programáticas

Até a semana passada, os três candidatos surfavam na ambiguidade política, sem muitas definições, todos a favor do bem e da bondade.

O discurso de Dilma na 14a Convenção do PT encerra a fase idílica e traz o jogo para o campo real das definições programáticas.

Até algum tempo atrás, a discussão econômica pautava-se exclusivamente pelos indicadores macroeconômicos, PIB, parte fiscal, contas externas etc.

Após a crise de 2008 começou a tomar corpo gradativamente, mesmo entre os economistas, o tema do bem estar social e da distribuição de renda como objetivo final da política econômica. Ou seja, a manutenção do emprego e da distribuição de renda seria mais relevante do que o mero crescimento do PIB.

É evidente que há uma correlação entre ambos.

A médio prazo, sem crescimento não há políticas sustentáveis de distribuição de renda. Por outro lado, a tese de que o crescimento sustentável prescinde da distribuição de renda foi derrubada pela explosão do mercado de consumo interno, como decorrência das políticas distributivistas.

Esses aspectos passam ao largo dos discursos de campanha.

Prevalecem apenas os slogans: Dilma é a favor da distribuição de renda; Aécio é a favor do aumento de eficiência da economia.

Com os dois campos ocupados, Campos fica com a broxa na mão, exposto a todo tipo de ataque dos dois lados até a definição do primeiro turno.

Para se mostrar supostamente racional, propõe uma meta inflacionária de 3% ao ano. Aí é acusado de defender o desemprego como estratégia econômica. De fato, a lógica das metas inflacionárias é recessiva e a medida de efeito da alta de juros é o aumento do desemprego.

Espremido, Campos enfatiza as diferenças em relação a Aécio e proclama que ambos saem de bases sociais diferentes.

No momento seguinte, a Folha vai buscar nas bases sociais de Campos os ideais socialistas. E Marina, aos poucos, deixa de ser a musa da modernidade, para retornar às origens criacionistas.

Campos terá apenas oportunidade pela frente, uma pequena brecha. A cada dia que passa Dilma e Aécio acirrarão a retórica e os ataques recíprocos. Com mais tempo de campanha, essa tática poderia cansar os eleitores abrindo espaço para um tertius.

Mas com o pouco tempo de campanha, devido à Copa do Mundo, serão pequenas as possibilidades de Campos amenizar o discurso e se colocar como o candidato ponderado contra os dois belicistas.

A ideia de apresentar o banqueiro Roberto Setubal como Ministro da Fazenda jamais foi aventada até agora na campanha de Campos. Fontes da campanha de Campos enfatizam que ele sempre foi um industrialista e desenvolvimentista e sabe que não há como o país se desenvolver com câmbio fraco. E tenta construir as condições políticas para isso.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

120 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Arthur Araujo

- 2014-05-14 21:54:33

O Arrocho Nevex só esqueceu

O Arrocho Nevex só esqueceu um detalhe: pesquisa não é eleição e quem vota é o povo.

Brasileiro aguerrido

- 2014-05-09 08:32:40

Não anula não Se anular ou

Não anula não

Se anular ou votar em branco, seu voto ajuda quem está vencendo (Dilma), já que não é contabilizado como voto válido.

Quer dar um voto de protesto?

Vota Eduardo Jorge do PV (Partido Verde). Parece que o homem tem um curriculum excelente, aprovou leis proibindo o amianto cancerígeno nos freios de veículos, e muito mais pelo meio ambiente.

O único segredo para impedir Dilma de ganhar, é não deixar o PSDB chegar ao segundo turno, é levando outro partido para competir com a Dilma. Por que o PSDB é especialista em perder para o PT.

O que a gente precisa neste país é criar uma oposição com bom senso e espírito de vitória.

Leandro Ramos Benfatti

- 2014-05-07 06:38:24

Manipulação de Pesquisas- Você está certíssimo Moreira!

Você está certíssimo Moreira! Falou tudo e mais um pouco! Você me representa!!! Com a diferença que não vou anular meu voto, pois ou eu vou votar no Eduardo Campos mesmo ou vou  votar no Mauro Iasi do PCB-Partido Comunista Brasileiro-! Na Dilma, no Aécio ou no Randolfe Rodrigues(PSOL-AP) é que não voto!!!! Ou talvez votaria no Eymael (PSDC), pra variar....

Maria Izabel L Silva

- 2014-05-06 11:23:32

E o sujeitinho ainda diz que

E o sujeitinho ainda diz que ela "centraliza demais" como se ele fosse intimo dela e do poder. É muita lorota ...

Luis Fraga

- 2014-05-06 02:31:54

 Além de ser autoritária,

 Além de ser autoritária, coisa que LULA não é.

Não diga, mermão?! Quando a tia Dilma foi autoritária com você? Mas que maldade dela.

Jossimar

- 2014-05-06 02:08:16

Este, com certeza, nunca

Este, com certeza, nunca votou no PT.

A diretia adotou esta prática de infiltrar comentaristas  que se dizem petistas arrependidos para ver se convence algum incauto a mudar de lado. 

DEIXA DE SER TROUXA.

Lincoln Lima

- 2014-05-06 01:20:04

Conclusão: Vais ajudar o

Conclusão: Vais ajudar o Aécio!

Lincoln Lima

- 2014-05-06 01:20:00

Conclusão: Vais ajudar o

Conclusão: Vais ajudar o Aécio!

ROGERIO FARIA

- 2014-05-05 23:58:57

Cicinho e Dudu trabalhando juntos?

Só vendo!

Clique na imagem para mais tirinhas!

Franklin Caetano de Freitas

- 2014-05-05 22:51:16

Eduardo Campos.

O que Eduardo ganhou com essa saída do governo(trairagem para os petistas)? Nada. A sua missão sempre foi essa aí, levar a eleição pro segundo turno, servir de escada para o Aécio. No mais, tá tudo seguindo o previsível, os tucanos sempre foram os preferidos da mídia, qualquer um que acompanhe minimamente a política nacional sabe disso. 

Demarchi

- 2014-05-05 22:48:01

45 escândalos que marcaram o governo FHC

No link abaixo :

http://www.psdbnuncamais.blogspot.com.br/

 

 

 

 

Davi Sensu

- 2014-05-05 22:42:20

Nulo não é neutro...

Quando a direita vota nulo, ela vota na esquerda. Quando a esquerda vota nulo, ela vota na direita. Temos dois candidatos mais a esquerda (Dilma e Randolf) e dois mais a direita (Aecio e Campos). Simples assim.

Lucinei

- 2014-05-05 22:32:50

O ódio não é bom conselheiro.

Eles só se lembram das "condições materiais de existência" pra dizer que o "bolsa família é compra de voto"... São as lembranças dos tempos de DCE...

O fato é que o aécio simplesmente não pode dizer suas propostas; já se comprometeu com as "medidas impopulares".

O Campós está falando em reduzir ministérios. Bem, isso pode até soar bem pra quem está na matrix, mas se perguntarem quais ministérios e quanto ele pretende poupar com isso ele vai dar uma resposta "técnica" ou retórica?

O que ele falou - como que está a formular uma graaande proposta - sobre o dinheiro do tesouro "para energia" ser do mesmo tanto que para educação foi demagogia pura.

Outra pergunta é, portanto: agradou a quem?

A minha resposta é: aos mesmos que incentivaram a campanha dele desde o início..

 

 

Lucinei

- 2014-05-05 22:08:34

Falo do que percebo aqui no

Falo do que percebo aqui no Rio.

Por copacabana, onde moro atualmente, a maioria odeia o lula, o pt e a dilma. Em jacarepaguá, onde morei por bastante tempo, a coisa fica mais dividida. Na zona norte onde nasci e cresci e onde continuo votando até hoje, ainda percebo uma maioria que vota com a situação.

Na lugares da baixada e do interior por onde ando também dá uma maioria para a situação.

Digo isso hoje assim porque não trabalho mais diretamente com pesquisa eleitoral.

Vou esperar o mapa eleitoral para ver se minha percepção foi certa ou não. Nas últimas eleições não ficou longe do resultado, não.

Lucinei

- 2014-05-05 21:47:00

Concordo, Daniel. Foi assim

Concordo, Daniel. Foi assim nos tempos de fernandismo. Fizeram o que quiseram: fizeram o que disseram que iam fazer; fizeram o que não disseram que iam fazer; e fizeram o que disseram que não iam fazer.

A imprensa no Brasil é absolutamente livre para falar a verdade e para mentir; para publicar e para censurar; para fazer política ou jornalismo; para publicar fofoca ou informação...

O que eu discordo é de um governo derramar rios de dinheiro para fazerem campanha ostensivamente contra, sob uma formulação mal cozida denominada "midia técnica".

Lucinei

- 2014-05-05 21:36:44

Olá, Gunter, comentei um

Olá, Gunter,

comentei um pouco antes sobre o momento de as candidaturas fazerem caixa

"Também vejo por aí. O momento é de angariar apoi$; conver$ar ba$tante.

A letra que o campos mandou sobre a mesma época em 2010 é significativa.

Aqui no Rio já ando vendo pelos botecos de copacabana várias pessoas que odeiam o pt, o lula e a dilma já tomando posição de votar em campos. Aqui no Rio, héim, onde é quase o domicílio do aécio!

A chacrinha toda sobre a Petrobrás também já está indo pra cima das empresas que têm contrato e contribuiram para eleições."

Também acho que as forças que apoiam aécio em primeiro lugar apoiariam o campos também, mesmo que ele esteja longe de ser o candidato ideal da direita. É claro também que eles sabem que o candidato ideal da direita não ganha eleição.

Ou seja, o aécio não tem nenhum impedimento de tomar "medidas impopulares" e o campos já "admite", na linguagem da globonews, que vai "atualizar" o manifesto de criação do psb.

Não uso quase facebook, mas ouvindo as pessoas com quem encontro percebo é que as oposições ainda estão perdidas. A única coisa que os une é a rejeição ao pt, lula e dilma. É só nisso que apostam até o momento.

 

Fernando Augusto

- 2014-05-05 21:34:15

Quanta lorota para dizer que

Quanta lorota para dizer que não vota na Dilma. Argumento sem conteúdo para ajudar o Aécin Never (que não quis soprar o bafometro, cheio de goró) Sai para outra.

Davi Sensu

- 2014-05-05 21:29:30

O título poderia ser "A vitimização de Eduardo Campos"

Uma dúvida: Independência do Banco Central, meta de inflação em 3%, desindexação do salário mínimo e rejeição ao termo "Socialização dos meios de produção" foram golpes midiáticos contra o Campos? Ele disse isso mas ele é um desenvolvimentista ligado aos movimentos sociais? Por favor... De vítima esse cara não tem nada.

Francisco da Bahia

- 2014-05-05 21:22:54

O problema é esse...

Ô meu caro....

O problema é justamente esse: o PSDB fez o real (e nada mais) e não tem nenhum corrupto na Papuda.

Se tivesse algum corrupto na Papuda poderia fazer o discurso: "doeu muito, mas cumprimos a lei apesar de acreditar que a Lei foi excessiva com os nossos compenhieros".

Até a multa foi paga...

Os tucanos podem dizer o que de Azeredo? Que é "inocente"? Que ressarcio algo? Que não se valeu dos "privilégios do cargo"?

Além disso, com cimento e tijolo só construiu o Rodoanel. Pleitear a presidencia por construir uma rua e muita cara de pau...

Lucinei

- 2014-05-05 21:18:05

Também vejo por aí. O momento

Também vejo por aí. O momento é de angariar apoi$; conver$ar ba$tante.

A letra que o campos mandou sobre a mesma época em 2010 é significativa.

Aqui no Rio já ando vendo pelos botecos de copacabana várias pessoas que odeiam o pt, o lula e a dilma já tomando posição de votar em campos. Aqui no Rio, héim, onde é quase o domicílio do aécio!

A chacrinha toda sobre a Petrobrás também já está indo pra cima das empresas que têm contrato e contribuiram para eleições.

Francisco da Bahia

- 2014-05-05 21:11:28

Politica é uma coisa simples...

As perguntas a serem respondidas são: Minas, proporcionalmente, está melhor que o Brasil? Está mais organizada, masi estruturada? Sim ou não?

A outra: O sucesso de Pernanbuco é fruto do trabalho de Campos? Sem os projetos federais, Pernanbuco seria referencia de estruturação econômica, social, cultural, etc.? Sim ou não?

E a última: o que Dilma poderia ter feito melhor para os resultados do governo federal serem melhores? Coisas objetivas e que não reduzam a inclusão social de quase 30 milhões de eleitores. Veja que, sintomáticamente, aqui já não cabe o sim ou não. Nem Aécio, nem Campos discutem se é sim ou não...

Como o pais está em pleno emprego, e os salários remanejados no nível ou acima da inflação, se as duas primeiras perguntas forem respondidas com um "não", babou, meu rei! Já era. Torcer por quem? por quem tem pior resultado prático?

Politica é uma coisa simples: temos democracia e a dispensa está cheia. Vai bater em corrupção? Boa sorte...

Jairo Junior

- 2014-05-05 20:55:45

Lamentável

Este playboy é uma fria !

Longe dele é do PSDB.

Alan Souza

- 2014-05-05 20:45:26

É verdade...

Tantos eleitores pensam como você que a Dilma tá aí na cabeça das pesquisas, e quem tá no rabo é o Eduardo Campos. 

E outra: o simples fato de cogitar Aécio - ainda que em último caso - mostra que você não é Lula coisa nenhuma...

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 20:44:18

    O Clésio a que me refiro,

 

 

O Clésio a que me refiro, é o Clésio de Andrade senador pelo PMDB. 

LC

- 2014-05-05 20:38:47

Também tenho essa impressão, acho q esqueceram o RJ

Sou de uma base eleitoral quase unânime do Lula em 2002 e 2006 (RJ), com índices absolutamente massacrantes nos segundo turno. Em 2010 a Dilma teve grande votação no RJ, tanto no primeiro quanto no segundo turno.

 

Não tenho essa percepção esse ano. Não conheço ninguém que votará na Dilma aqui no RJ. Por incrível que pareça já vi gente que votará no Aécio, isso em um lugar onde o PSDB tem fortíssima rejeição histórica. Não conheço ninguém que tenha votado no Alckmin ou no Serra aqui no RJ. A base deles cabia em uma Kombi. Não é o que percebo hoje.

Claro que a amostra é longe de ser tecnicamente apurada, um estrato social específico, com maior poder de crítica, que vê (como você) grandes desacertos da Administração dela, especialmente na condução da política econômica.

É claro que o que eu falei p/RJ, pode estar acontecendo exatamente a situação inversa em SP e MG, onde o PSDB já é governo há muito tempo. Então um efeito de perda de eleitores da Dilma em um estado seria compensado pela perda do PSDB em outros dois.

Vejo as pessoas comentando aqui no blog que as pesquisas estão fraudadas. Pessoal, pelo menos aqui no RJ, não é o que se vê, pois o imenso desgaste da Dilma (e dos seus aliados Paes e Cabral) é bem relevante. Nesse cenário, se o Eduardo Campos chegar no segundo turno, tem chance sim de ser o próximo Presidente, assumindo que a oposição consiga ter a mesma votação no sul/sudeste (mais vencer no RJ) e o Campos consiga algo no Norte/Nordeste.

carlos alberto bevilacqua

- 2014-05-05 20:34:00

Hummmm pensei que Campos

Hummmm pensei que Campos fosse vice do Aecio.

 

carlos alberto bevilacqua

- 2014-05-05 20:33:58

Hummmm pensei que Campos

Hummmm pensei que Campos fosse vice do Aecio.

 

MOREIRA

- 2014-05-05 20:30:26

  Votei no LULA em 1989,

 

Votei no LULA em 1989, 1994, 1998, 2002, 2006.

Eu sou LULA desde sempre.

A pedido do LULA votei na Dilma em 2010 e me senti traído. Sim, o governo dela é decepcionante!

O governo de Dilma ficou anos-luz da gestão LULA. Ela é muito ruim.

Dilma não é aquilo que venderam em 2010: não sabe se comunicar, centraliza demais, não tem traquejo político nenhum e não tem 10% da capacidade política do LULA. Além de ser autoritária, coisa que LULA não é.

É por estas e outras que toda vez que vou ao supermercado quase tenho um infarto com a conta que tenho que pagar: INFLAÇÃO que não dá para negar e tem relação com a gestão Dilma e seus paus mandados ruins de economia - MANTEGA, TOMBINI e os ministros atucanados - PAULO BERNARDO (que faz o joguinho da grande mídia) e ZÉ CARDOZO (o pior Ministro da Justiça dos últimos 20 anos).

NOTA ZERO para a gestão Dilma.

Em 2014, em sendo Dilma candidata, vou anular meu voto, Dilma NUNCA MAIS!

De Paula

- 2014-05-05 20:04:37

O Eduardo seria roseanizado; 

O Eduardo seria roseanizado;  é isso? Material para municiar os cães de fila é que não faltará.  De resto é  usar a receita de bolo de sempre.

Wsobrinho

- 2014-05-05 20:03:46

Olha do que o Lula nos livrou.

Economia

Nafta

O mariachi paga a conta do Nafta duas décadas depois

Após implementação do Acordo de Livre Comércio da América do Norte, o México bate recordes de pobreza e tem pouco a comemorar em razão da medidapor Carlos Drummond — publicado 04/05/2014 11:18, última modificação 04/05/2014 11:57inShare Yuri Cortez / AFPMúsicos mexicanos

Músicos tocam em tributo a Gabriel Garcia Marquez, na cidade do México, em 21 de abril. O Nafta afeta o país

Leia tambémO Brasil, a América do Sul e a integração regional“O Brasil não está vulnerável”Zona de livre-comércio entre EUA e UE pode redefinir comércio mundial 

Pouco a comemorar, muito a lamentar. A síntese parece apropriada para definir os resultados de 20 anos de implementação do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, em inglês) entre Estados Unidos, México e Canadá, especialmente para o país latino. Assinado em 1992 pelos presidentes George H. W. Bush e Carlos Salinas de Gortari e o primeiro-ministro Brian Mulroney, foi apresentado como o maior acordo comercial do mundo em termos de paridade de poder de compra. A eliminação de barreiras comerciais e financeiras iniciada em 1994 abriria um caminho de prosperidade para as sociedades dos três países, previam os seus proponentes. O Instituto Peterson de Economia Internacional, think tank de Washington, projetava a partir do Nafta a produção de um superávit comercial para os Estados Unidos e de “grandes benefícios” à economia mexicana.

A realidade não confirmou esse otimismo, dizem Mark Weisbrot, Stephan Lefebvre e Joseph Sammut, do Centro de Pesquisas em Economia e Política, dos Estados Unidos, no texto “Terá o Nafta ajudado o México? Uma avaliação após 20 anos”. O crescimento do PIB per capita real, a medida mais básica do padrão de vida, caiu de 98,7% no período desenvolvimentista de 1960 a 1980 para 18,6% nos últimos 20 anos. O desempenho pífio corresponde a cerca de metade do restante da América Latina. Segundo estatísticas do governo mexicano, a taxa de pobreza de 52,3% em 2012 (último ano com dados disponíveis) é praticamente a mesma de 1994. O resultado são mais 14,3 milhões mexicanos abaixo da linha de pobreza desde a implantação do acordo.

 

A remuneração real dos assalariados estagnou. Em 2012, os salários, descontada a inflação, eram praticamente os mesmos pagos em 1994. O desemprego passou de 3,1% entre 1990 e 1994 para 5% hoje. No campo, o resultado é desolador. O milho e outros produtos agrícolas produzidos com altíssima tecnologia em megapropriedades dos Estados Unidos invadiram o território mexicano e varreram 4,9 milhões de agricultores dedicados à produção para o sustento de suas famílias. Desprovidos do seu meio de vida e da tradição sociocultural ligada ao cultivo de diversas espécies de milho, associado às do feijão e da abóbora, restou a esses indivíduos disputar trabalho temporário nas agroindústrias voltadas para a exportação. Mas esse setor absorveu só 3 milhões deles em ocupações sazonais e o 1,9 milhão restante viu-se obrigado a migrar para as cidades em busca de empregos em geral de baixa qualidade, bicos, ou tentar a sorte nos Estados Unidos. O número de emigrantes aumentou 79% entre 1994 e 2000 e a quantidade de mexicanos residentes nesse país saltou de 4,5 milhões, em 1990, para 12,6 milhões, em 2009.

A decisão de atrelar o destino da economia e da sociedade mexicanas ao do país mais poderoso do mundo teve custos adicionais em resultado tanto de crises econômico-financeiras quanto do aumento da participação da China no comércio mundial nas últimas duas décadas. A elevação das taxas de juro pelo Federal Reserve em 1994 fez o PIB mexicano cair 9,5%. Entre 2000 e 2002, o México foi um dos países mais afetados pelo estouro da bolha das empresas pontocom, de internet e tecnologia, e mergulhou em uma recessão. Voltou a desabar em 2008, na maior crise desde a Grande Depressão dos anos 1930 e saiu com um PIB 6,7% menor. Em maio de 2013, quando o FED anunciou a futura reversão da política de aumento da liquidez da economia (quantitative easing), investidores estrangeiros temeram a repetição da crise do peso de 1994 e interromperam bruscamente a canalização de recursos para o país. O FMI alertou para o risco de o México atrair capitais especulativos de curto prazo, se houvesse turbulência financeira mundial, e tornar-se suscetível a crises por contágio. “Uma vulnerabilidade resultante de políticas que o Nafta foi desenhando para facilitar”, disseram Weisbrot, Lefebvre e Sammut a respeito da avaliação do FMI.

 

As vulnerabilidades trazidas pelo acordo acentuaram-se a partir de 2001, quando a China ingressou na OMC e passou a usufruir de facilidades semelhantes àquelas do país latino-americano no comércio com os Estados Unidos. Em 2009, a China ganhava e o México perdia mercado em relação a 84% das manufaturas exportadas para aquele país, concluíram Devin Gallagher, da Universidade de Boston, e Enrique Dussel, professor da Universidade Autônoma do México, em um estudo intitulado “Como a China acabou com a festa do Nafta”. Em 2000, China e México supriam 5% do mercado de computadores dos EUA. Em 2009, os chineses dominavam mais da metade das exportações do produto e a fatia dos mexicanos era igual a zero. A cadeia de produção de vestuário “está simbolicamente perdendo mais de 50% dos seus empregos desde 2000” e a situação nos setores de móveis e brinquedos é semelhante. A exceção é a exportação de automóveis, favorecida, entre outros motivos, pelo fato de a China absorver sua produção e não ter, no momento, grande poder de fogo para vender a outros países.

 

Maiores perdedores, o México e os mexicanos não são os únicos prejudicados com o acordo, mostra um balanço feito por Carlos Salas, da Universidade Autônoma do México, Robert E. Scott, do Instituto de Política Econômica dos Estados Unidos, e Bruce Campbell, do Centro Canadense para Políticas Alternativas. Os pesquisadores analisaram os resultados do Nafta para os trabalhadores dos três países até 2006. Em todos eles, a parcela dessa parte da sociedade nos ganhos de produtividade diminuiu e a proporção do lucro e da riqueza apropriada pelos situados no topo da pirâmide cresceu. Nos Estados Unidos, ao contrário do prometido pelo governo, não houve criação de empregos em grande quantidade. Ocorreu o oposto: em consequência do tratado, foram eliminados 1 milhão de postos de trabalho. No Canadá, exceto para os situados na faixa de renda mais alta, os ganhos reais estagnaram. As regras do acordo protegem os interesses dos investidores, de grandes corporações e reduzem os direitos trabalhistas, a proteção ao meio ambiente e os direitos democráticos, concluíram os pesquisadores.

O risco de uma experiência semelhante rondou o Brasil. Empolgados com a assinatura do Nafta, os Estados Unidos propuseram no mesmo ano um pacto semelhante para a criação da Área de Livre Comércio das Américas, com eliminação das barreiras tarifárias entre os 34 países do continente. A proposta americana apresentada pelo presidente Bill Clinton não empolgou. No caso do Brasil, as exportações aumentariam em 1,2 bilhão de dólares, mas as importações cresceriam em 2,2 bilhões, concluíram os pesquisadores Honório Kume e Guida Piani em estudo do Ipea. Outros países chegaram a conclusões semelhantes e em 2005, na 4ª Cúpula das Américas, a proposta foi retirada de pauta.

Na história do Nafta, o México foi também vítima de si próprio. “A iniciativa do tratado não foi dos Estados Unidos nem do Canadá, mas do governo mexicano, que se aproximou do americano no início dos anos 1990 para discutir essa possibilidade”, diz Carlos Salas, hoje aposentado da Unam, professor do Instituto de Economia da Unicamp e integrante do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho. O acordo acentuou a dependência econômica dos Estados Unidos e dificultou a quebra da hegemonia política conservadora no México. A produção industrial aumentou, mas isso não abriu caminho para o desenvolvimento. “Muitos da nossa geração provêm da classe média baixa ou de famílias de trabalhadores e ascenderam socialmente. Para nossos filhos e netos, essa possibilidade é quase nula. Há uma perda de esperança da população.”

Um tratado inspirado em acordos europeus, como os realizados por Itália, Irlanda, Espanha, Portugal e Polônia entre as décadas de 1960 e 1990, teria funcionado melhor para o México, afirma Jorge G. Castañeda, professor da Universidade de Nova York, ex-ministro do Exterior e, quem diria, um dos entusiastas do neoliberalismo dos anos 1990.

 

Clézio

- 2014-05-05 20:01:24

"....Mas quem daria ouvidos

Só é possível a um governador ter grande destaque SE obtiver o apoio do governo central??????

Em 20 anos de TUCASACANAGEM tendo Mario Covas e Serra em governos paulistas e com o FHC como presidente o PSDB destruiu São Paulo criando o PCC e deixando a infraestrutura urbana e social da cidade em frangalhos.

E o que você tem contra os nordestinos???? Este pensamento do PSDB xenófabo-regionalista é que fez com que este país por anos fosse o país da miséria, mas hoje existe um governo de todos os brasileiros, principalmente dos mais excluídos.

Ser o maior presidente do Brasil em meio ao retrocesso PSDBISTA significa que existe um exemplo a seguir.

Caio Cezar

- 2014-05-05 19:55:49

Olha aí geeeeeeeeeente, mais

Olha aí geeeeeeeeeente, mais uma armação da situação, dividir e conquistar, ou no caso manter.

 

Klaus BF

- 2014-05-05 19:53:31

Profissionais

Devem ser "curtidores" profissionais!

Calvin

- 2014-05-05 19:53:05

Santo Deus!  Torcendo prá

Santo Deus!  Torcendo prá Dilma? Aonde esteve menino neste 1 ano? Mas o otimismo seu chega a ser comovente....

Calvin

- 2014-05-05 19:50:55

Correção

"Fontes da campanha de Campos enfatizam que ele sempre foi um industrialista e desenvolvimentista e sabe que não há como o país se desenvolver com câmbio fraco."

Nassif, creio que tenha tentado dizer "com câmbio forte". Certo?

jorge luis ribeiro de assis

- 2014-05-05 19:44:54

comentarios

Hoje, e cada vez mais o povo esta conciente destas manipulações politicas, que na verdade não vão dar em nada, e na verdade ambos estão com medo de assumir o proximo mandato, pois se não fizerem o que tem que ser feito acretido eu que o povo vai para ruas fazer as reformas com os proprios punhos, pois chega desta direita, esquerda, centro isto é tudo farinha do mesmo saco, se eles não mudarem o povo vai mudar.

Jorge Jesimel Jardin

- 2014-05-05 19:40:33

Até as eleições muita fofoca

Até as eleições muita fofoca vai rolar. 

Clézio

- 2014-05-05 19:37:55

Clézio pode ser com Z

Meu nome é Clézio e como outros que já conheci pode ser com Z.

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 19:37:51

E se a Dilma prometer???

E se a Dilma prometer???

Weden

- 2014-05-05 19:21:14

Bom pra Dilma

 

Nassif, isso é uma grande notícia pra Dilma.

O risco de distribuição dos votos na base de um terço para cada estava ficando alto.  Isso porque existe um enorme contingente de indecisos que saíram de Dilma e não estavam indo pra Aécio. Ora, Campos poderia ser este "elemento novo" a conquistar estes votos. Uma vez chegando nele, dificilmente sairiam.

Além disso, Campos no segundo turno significaria uma votação maciça dos eleitores potenciais de Aécio. O contrário não é verdadeiro.

Pior: qualquer dificuldade maior na economia poderia ameaçar até um segundo turno com Dilma. Se o Cartel de Mídia conseguir impedir a canalização de intenção de votos para Campos nada prova que estes irão para Aécio.

Mesmo que venham na base de 1 por 3 para Dilma, as chances de reeleição ainda no primeiro turno são grandes.

 

 

 

 

 

 

 

peregrino

- 2014-05-05 19:13:17

mais assustam...

e espantam eleitores dele mesmo......................................................

essa mídia é mais suja do que se possa imaginar

peregrino

- 2014-05-05 19:06:46

e Aécio...

muito menos

Aécio, apesar de jovem e mais nada, é como um daqueles políticos do passado que foram apoiados pela própria Globo e que, hoje, quanto mais aparecem, mas espantam o povão

alcarpinteiro

- 2014-05-05 19:00:53

Amigo, se Arrocho Neves

Amigo, se Arrocho Neves prometer o DNIT e diretorias da PETROBRAS para esses partidos, eles assinam embaixo na hora. É disso que se trata a revolta. Leva pra casa e põe pra dormir.

peregrino

- 2014-05-05 18:59:30

mídia não faz o povo mudar de opinião...

na melhor das hipóteses apura seus gostos e interesses, e mais nada. Motivo da mídia, de agora em diante, partir para cima de Campos, porque já percebeu que ele é quem tem mais capacidade para retocar com acertos os erros de Aécio que, notem, são os mesmos do Serra 2010

Campos vai deitar e rolar em cima de Aécio, mas nada capaz de levar para segundo turno

apenas uma arma secreta de Lula tratorando a campanha para 2018

 

Edson Oliveira

- 2014-05-05 18:56:33

Candidato da "mídia".

Novamente a midia coloca seus holofotes e todas as suas fichas sobre o seu candidato! Será que esta novela mexicana ira cair no gosto do eleitorado?  Que eles iram apostar  tudo no candidato do PSDB isso não há duvida, principalmente apos o encontro nacional de um certo "partido" onde se cogitou levar a frente o projeto de "regulação da midia no país ou a democaratização dos meios de comunicação" como preferem alguns, enfim, a briga será de cachorro grande.

crisbr

- 2014-05-05 18:48:44

O Eduardo Campos optou por

O Eduardo Campos optou por ser uma segunda candidatura de direita portanto claro que o Aécio (candidato da mídia) vai levar vantagem. Concordo com alguem que disse que nos comentários que  dessa vez  O PSDB assumiu que quer o fim do reajuste do salário minimo(consideram "oneroso") e estado minimo além de mudança nas  leis trabalhistas para que as empresas demitam com mais facilidade(pois consideram as leis trabalhistas "onerosas") Os sindicatos vão aceitar? outros programas sociais também devem ser cortados e eu não falo do Bolsa Família. Com relação a Marina Silva jogou sua candidatura fora pode ser que  ela  até saia do PSB. ela que pregava uma nova politica e adorava apontar o dedo para os outros decidiu ir para o PSB  porque queria disputar  de qualquer jeito as eleições de 2014 não pensou a longo prazo. Quanto ao candidato da mídia ele surfa na onda coxinha que passa o Brasil.

snoopy

- 2014-05-05 18:45:10

permita-me discordar, caro

permita-me discordar, caro colega... eu talvez seja um dos poucos aqui não partidários do pt... explico, eu sou do partido presidente lula... o eduardo campos simboliza o presidente lula de 2002, e não essa senhora que ora ocupa o cargo... eu sou presidente lula na veia (4 vezes), mas abomino a dilma e a sua política inflacionária (toda vez que tenho que comer fora meu sangue ferve na hora de pagar o PF, meu ticket acaba em 10 dias)... acho que muitos eleitores pensam como eu: primeiro presidente lula, na sua ausência eduardo campos, em último caso aécio neves, e NUNCa dilma roussef

Francy Granjeiro

- 2014-05-05 18:43:37

Os andam coladinhos para
Os andam coladinhos para derrubarem Dilma, já não estão se bicando mais???

José Lidio Moura Pinho

- 2014-05-05 18:32:16

Carlos, Eu também acho.  Na

Carlos,

Eu também acho. 

Na próxima mãozinha datafraude, eles vão como que sedimentar essa da sensus para parecer verdade. A do ibope vai mais enfase a Marina ter mais votos que o Eduardo e quase a mesma intenção de Aébrio. Aí, o Itaú entra em ação, e?  Volta o PÓ PARÁ GOVERNADOR, ou vcs acreditam mesmo que os paulistas do psdb vão dar essa colher a ele, vai aparecer até os 400 kg de cocaína, e aí lançam uma chapa com Serra (bolinha de papel) e Marina(itau). 05.05.2014! gravem essa data e  me digam depois...............

Tony

- 2014-05-05 18:13:47

Dica

Dá uma googleada com "Tempestade Perfeita" que você encontra... Associa com Magnoli.

Ou senão em bloguesou aqui no Nassif:

https://jornalggn.com.br/resultados?g=Tempestade%20Perfeita

Assis Ribeiro

- 2014-05-05 18:11:17

Acabou o namoro

..."O ex-governador voltou a afirmar, nesta segunda-feira, que suas diferenças com Aécio ficarão "muito claras" ao longo da campanha.
"Somos de partidos diferentes, tempos posições diferentes sobre uma série de temas e acho que democraticamente vamos explicitar isso ao longo do debate. As questões que nos diferenciam vão ficar muito claras", afirmou Campos, um dia depois de já ter feito a mesma declaração sobre o tucano.

Provocação. Mais cedo, em entrevista uma rádio local, Campos fez uma crítica indireta a Aécio ao afirmar que Pernambuco investiu mais do que Minas Gerais no ensino integral."....

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,larga-maioria-do-partido-apoia-alianca-com-psdb-em-minas-diz-campos,1162476,0.htm

Repik

- 2014-05-05 18:07:45

Apoio em um eventual 2º Turno

Se há uma única certeza para esse pleito eleitoral, é se houver 2º turno um dos candidatos será a Dilma. Partindo dessa premissa, que me parece irrefutável, uma variável começa a ganhar grande força. Quem apoiará o candidato derrotado no 1º turno? Ontem assistindo a entrevista do Eduardo ficou claro que ele mantém uma relação muito próxima com o Lula, o fato dele ter sido ministro do governo Petista, ter saído de forma decente, ter sua base eleitoral no nordeste, a surra que ele irá tomar da mídia direitista daqui para a frente, todas essas variáveis levam a crer em um eventual apoio a candidatura Dilma para um segundo turno. Arriscaria um percentual, se ele atingir os 15% acredito que 10% vai muito facilmente migrar para Dilma em um segundo turno. Por mais que eles tenham a mídia nas mãos a situação continua muito difícil para eles.

Repik

- 2014-05-05 18:07:05

Apoio em um eventual 2º Turno

Se há uma única certeza para esse pleito eleitoral, é se houver 2º turno um dos candidatos será a Dilma. Partindo dessa premissa, que me parece irrefutável, uma variável começa a ganhar grande força. Quem apoiará o candidato derrotado no 1º turno? Ontem assistindo a entrevista do Eduardo ficou claro que ele mantém uma relação muito próxima com o Lula, o fato dele ter sido ministro do governo Petista, ter saído de forma decente, ter sua base eleitoral no nordeste, a surra que ele irá tomar da mídia direitista daqui para a frente, todas essas variáveis levam a crer em um eventual apoio a candidatura Dilma para um segundo turno. Arriscaria um percentual, se ele atingir os 15% acredito que 10% vai muito facilmente migrar para Dilma em um segundo turno. Por mais que eles tenham a mídia nas mãos a situação continua muito difícil para eles.

MThereza

- 2014-05-05 17:54:17

Espero que vc não tenha

Espero que vc não tenha pensado direito quando escreveu que o "psdb não tem ninguém na papuda". Porque até o mundo mineral sabe as razões.

Tony

- 2014-05-05 17:50:49

Passando o boné

Ruy,

A 1ª hipótese, e mais provável, é dinheiro para a campanha.

Afinal, ninguém faz aposta em candidato sem chances...

ruyacquaviva

- 2014-05-05 17:49:28

Especulações

Especulações tem para todos os lados e todos os candidatos. Por que você acha que com o Eduardo Campos seria diferente?

Silvio Torres

- 2014-05-05 17:45:39

Chega em BH e pergunta, em

Chega em BH e pergunta, em qualquer lugar da cidade, quem votou em Márcio Lacerda, quem apoia o governo dele, no primeiro e segundo mandatos. Entenderam? É a mesmíssima coisa com o Aécio. Fora de Minas as pessoas mal sabem quem é. Quando conhecem o playboy, vocês sabem porquê...Quanto mais apoiar ou votar nele. Mas tenho comigo que a eleição no primeiro!! turno do Lacerda foi uma espécie de teste. Já que ninguém reclamou, dá prá fazer em outros níveis....

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 17:43:37

  FHC não volta porque não

 

FHC não volta porque não quer, já deu sua contribuição. O Lula não volta porque sabe que o ciclo de poder está trocando de mãos agora em 2014.

Quem fez o plaho real foi o Edmar Bacha e Andre de Lara Rezendo sobre coordenação do FHC, três tucanos.

ruyacquaviva

- 2014-05-05 17:42:32

Eu não acho que o Eduardo

Eu não acho que o Eduardo Campos está inviabilizado como candidato, como alguns tentam alegar aqui.

Isso porque essas alegações são feitas com base nas últimas pesquisas que foram flagrande e escandalosamente fraudadas.

Minha dúvida é sobre  motivação para um lance tão desesperado quanto esse de fraudar escandalosamente pesquiss eleitorais.

Uma das hipóteses seria um possível avanço da candidatura de Eduardo Campos sobre a do Aécio e a necessidade de garantir a esse último o protagonismo entre as candidaturas de oposição.

Outra é sobre a necessidade de elevar o moral da campanha tucana, principalmente para garantir o fluxo de recursos necessário para enfrentar com dinheiro o que lhe falta em propostas e militância. Essa hipótese promessas de medidas impopulares feitas para a elite paulista.

A terceira hipótese, que considero menos provavel seria a tentativa de turbinar a candidatura de Aécio e provocar um segundo turno através do chamado "efeito manada". Acho isso pouco provável porque as eleições ainda estão muito distantes e o efeito manada que por sí só já é de eficácia duvidosa, perde qualquer chance de efetividade ao longo desse interim, ainda mais com a distração da Copa estando à frente no percurso. Só se essa estratégia estiver incluída dentro de um plano mais amplo envolvendo a própria Copa do Mundo, que no entanto eu acho que seria um plano com muito pouca probabilidade de sucesso.

Seja qual for a motivação, o fato é que essa pesquisa fraudada se tiver algum efeito, no que eu não acredito, será mais negativo para o Eduardo CAmpos do que para a própria Dilma.

Carlos Dias

- 2014-05-05 17:37:03

Dê mais informações, Tony

tõ meio boiando.

José Carlos Damaceno

- 2014-05-05 17:34:05

voto na Dilma

Meu voto é da Dilma e ponto final.

Pachecão

- 2014-05-05 17:29:51

Resumo do caminho que já

Resumo do caminho que já trilhou a candidatura Campos neste espaço :

- Não vai ter coragem de sair da base aliada, largar a teta e enfrentar o PT. Não tem corpo para isso, está apenas forçando uma situação para ter mais espaço no governo ;

- Saiu da base apenas para marcar posição, não levará a candidatura própria do PSB a frente.

- Saiu candidato mas será engolido pela dupla fla-flu, que tem posições marcadamente antagônicas e além de tudo foi abandonado pela mídia ;

Parece que o estoque de balões de ensaio é grande. Quem será que está financiando ?

JB Costa

- 2014-05-05 17:25:04

Sim, parte da população

Sim, parte da população rejeita Lula, Dilma e PT. Graaaande descoberta 2 ! A outra parte os ama, admira e há doze anos os coloca na presidência da República. 

A marca "tucano" não vale mais um tostão furado. A cada eleição perde cadeiras no Congresso e, por enquanto, só tem mantido alguns governos estaduais. Em 2014 tudo leva a crer que pode até perder seus feudos de São Paulo, Minas e Paraná. 

Tem o "Volta Lula". Cadê o "Volta FHC", hein? 

O PSDB não fez o Plano Real. Não tentem "roubar" essa conquista de ITAMAR FRANCO que, aliás,  nunca foi tucano. 

Tony

- 2014-05-05 17:24:00

Pergunte aos mais velhos

Brasil em 12 anos do PT cresceu mais que 40 do PSDB em SP.

Você sabe como era o Brasil antes de 2003? Acredito que seja uma pessoa jovem ainda, mais posso te dizer que o periodo daquela época nem se compara com o de hoje. Terra arrasada em todos os setores da economia.

Governo do PT avança lento? Com a oposição vai regredir.

Pelo menos para a grande maioria do povo (classe média e pobres)

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 17:16:09

O povo que não aguenta mais a Dilma

 

Vocês estão vendo coisas, onde não tem!!!

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 17:12:31

A base da Dilma está sendo esfacelada

"Quatro deputados do PP disseram à senadora Ana Amélia que  16 diretórios do PP defendem o rompimento do partido com o governo Dilma e apoie o presidenciável Aécio Neves. E foram além, recomendaram que Ana Amélia largue o projeto ao governo gaúcho e seja vice de Aécio. Aécio também procurou a senadora, e disse que vai precisar da ajuda dela."  FELIPE PATURY

A espectativa de poder está mudando, o Aécio vai começar a receber os descontentes com o governo, e não são poucos. Aí não há candidatura que se sustente.

 

 

Pai José

- 2014-05-05 17:10:07

E no mundo das coisas reais?

E no mundo das coisas reais?

vera lucia venturini

- 2014-05-05 17:05:24

Desconstruir Campos, pero no

Desconstruir Campos, pero no mucho. Aécio sozinho não leva a eleição para o segundo turno. Quem sabe (ou as pesquisas talvez saibam) Campos poderia conquistar uma fatia do eleitorado de Dilma e a afirmação da religiosidade de Marina, a diferenciação dos planos de governo não servem para isso mesmo. Afinal o Aécio e o  Armínio Fraga foram discorrer para investidores milionários do Itaú, justo o Itaú da Marina Silva.

Vai se saber que água turva corre embaixo desse rio.

LC

- 2014-05-05 17:03:54

Dos slogans para a realidade

"Prevalecem apenas os slogans: Dilma é a favor da distribuição de renda; Aécio é a favor do aumento de eficiência da economia."

Seria realmente uma maravilha que o Aécio começasse a se preocupar com a distribuição de renda, e a Dilma a se preocupar imediatamente com o aumento da eficiência na economia. O problema hoje é exatamente esse, ele pode até ganhar agora, mas perde de goleada em 2018 se não olhar o social; e ela na trilha atual (com Mantega, políticas econômicas desastrosas etc) pode até levar agora, mas em 2018 não ganha nem p/síndica de prédio no ABC.

Sob esse prisma realmente tem uma brecha grande p/Eduardo Campos. O problema é saber se ele vai conseguir pegá-la...

 

Tony

- 2014-05-05 17:02:46

Passo precipitado

Acho que em um 1ª momento, ele e a Marina até acredtitaram, agora empacados estão caindo na real.

Vão ter que se conformar em ser linha auxiliar da candidatura que a midia já acolheu. Desde os primórdios...

Acho que vão tirar mais votos do Aecio que de Dilma.

CarlosAP

- 2014-05-05 17:01:46

Assumido

     Eu sempre perguntei, porque o Jabor nunca comenta nada sobre corrupção

do governo de SP? Até parece que os governantes do PSDB são todos santos. Hoje, enfim esta pergunta

foi respondida e finalmente ele assumiu publicamente a sua condição, talvez empolgado pela marcha de ontem,

no programa de hoje, na CBN ele disse que se o Serra aceitasse ser vice do Aecio, seria maravilhoso, pois seria

formada uma dupla "puro sangue". Depois disso ainda se acha no direito de diser que o governo usa máquina administrativa.

ruyacquaviva

- 2014-05-05 17:00:47

Nem a mídia acredita nessa

Nem a mídia acredita nessa pesquisa.

Caso contrário teria sido divulgada com um destaque muito maior.

A manipulação é evidente e grosseira.

A única dúvida que persiste é qual seria a motivação de uma jogada tão desesperada ainda tão longe das eleições.

 

atenir

- 2014-05-05 16:58:21

Quando será que Campos vai

Quando será que Campos vai perceber que ele está servindo de VIAGRA do psdb? quando ele vai tomar um chá simancol...

DanielQuireza

- 2014-05-05 16:55:54

Nassif, imagina só que perigo

Nassif, imagina só que perigo a vitória, neste momento, de um candidato apoiado pela maioria da mídia.

A imprensa se tornaria chapa branca e apoiaria todo tipo de arbitrariedades por parte do novo Governante eleito que, em contrapartida, iria beneficiar essa mesma mídia.

Por tudo isso que prefiro mil vezes uma midia crítica a uma chapa branca, como se desenha em um Governo Aécio.

ruyacquaviva

- 2014-05-05 16:53:24

São iguais?

Me parece que você está dizendo que essesncialmente não há diferenças significativas entre o Eduardo Campos e o Aécio, já que a mídia trocaria de candidato com tanta facilidade.

É isso mesmo?

Pai José

- 2014-05-05 16:52:09

"....Mas quem daria ouvidos

"....Mas quem daria ouvidos ao Eduardo Campos se - como você mesmo escreveu - trata-se de um político nordestino, sem expressão nacional alguma e de um partido pequeno?...."

As chances para qualquer político ter ouvidos na mesma situação dele - e que expus - são baixíssimas.

 

"....É muita ingenuidade achar que esse camarada entrou para ganhar a eleição...."

É muita ingenuidade achar que ele está alí apenas para projetar seu nome para 2018.

 

"....desejo do maior presidente da história recenete do país...."

Ser o maior presidente da história recente do país em meio a tantos ordinários não significa nada.

 

"....Ele só teve os índices de aprovação que teve como governador de Pernambuco graças à parceria com o governo federal; jamais por mérito próprio...."

Só é possível a um governador ter grande destaque SE obtiver o apoio do governo central justamente pelo que já disse.: ultra centralização do poder em Brasília.

Quer ver..? Fale-me de um que teve sucesso nos últimos cinquenta anos fora desta condição

Tony

- 2014-05-05 16:50:40

Onde assino?

Posso te garantir que o Brasil com o PT no Governo ganha muito mais...

Com maioria do seu partido no Congreso então, inmensamente mais.

 

Alex Brito

- 2014-05-05 16:47:32

Quando se fala muito sobre um

Quando se fala muito sobre um candidato é porque o candidato está gerando medo nos adversários, mesma coisa é a mídia manipulando contra o Edu/Marina, só fazem isso a mando de alguém que se preocupa com alguma coisa; na verdade essa candidatura se mostrou perigosa para a dupla PT/PSDB, talvez não pelo fato deles ganharem a eleição mas pela dúvida sobre o 2o. turno, os votantes no Eduardo no 1o. turno vão bandear pro lado do PT ou PSDB??

O certo é que esse papo de se viver eternamente precisando de mais 4 anos para por em prática coisas boas e tornar o país em um lugar melhor, é papo que ninguém aguenta mais, o povo cansou de vai ano vem ano e tudo na mesma, se o PT tivesse de colocar o Brasil ao lado dos países desenvolvidos o teria feito nesses 12 anos de poder, vejam como países como a Alemanha, Coréia do sul, Japão, USA conseguiram se erguer rapidamente após guerras e sérios problemas, aqui no Brasil vivemos em um passo de tartaruga manca há mais de 60 anos; a inteligência da lei em permitir uma única reeleição é justamente a necessidade de renovação, de idéias novas, de políticos com idéias que acrescentem algo; por tudo isso se o adversário do PT fosse o Seu Creisson ou o Macaco Tião eles teriam o meu voto.

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 16:47:19

No Maracanã qualquer um é vaiado!!!

 

Uma coisa é você ser vaiado na abertura de um grande evento, e espertamente a Dilma não vai na abertura da copa. Mas outra coisa é você ser vaiada onde você vai. O sentido de reijeição à Dilma e ao PT (os caras nem conseguiram discursar no 1 de Maio) é grande e crescente.

Não existe rejeição da "marca tucano", a não ser no meio petista, insegurança e vazio de idéias é uma bobagem que você está falando a capanha nem começou. O PSDB não tem nada de se envergonhar do que fez, os caras fizeram o real, no mais o PSDB não tem ninguém na Papuda.

 

MarFig

- 2014-05-05 16:45:04

No Marcanazinho nos jogos

No Marcanazinho nos jogos Panamericanos o Lula foi vaiado e o César Maia aplaudido. O Lula foi reeleito, depois disso e o Cesar Maia virou vereador. E o Aócio não fecha acordo nenhum, quem fecha acordo pro psdb são os Marinhos. Ele é apenas um boneco de ventriloquo do PIG. Sem o PIG ele não é nada.

Antonio C.

- 2014-05-05 16:43:56

O Aécio se retirou do Senado

O Aécio se retirou do Senado pra concorrer?

Claro, é só uma pergunta retórica.

Afinal, qualquer pessoa precisa de uma fonte de renda pra sobreviver...

Tony

- 2014-05-05 16:40:43

Tempestade Perfeita

Carlos,

E a operação "Tempestade Perfeita" programada e anunciada pelo grande gurú piguista Demetrio Magnoli no ano passado.

Cozinhada no forno do Instituto Millenium com a receita da embaixada americana...

Marina tambem anunciou. Como sabia? Hummm!

Toshio

- 2014-05-05 16:40:40

vamos conversar

Bom,quando ele chamar para conversar,nesta hora ele ganha, no levantamento de copo junto com seu provável vice, o popo.

JB Costa

- 2014-05-05 16:34:24

Graaaande análise, Bruce,

Graaaande análise, Bruce, associar vaia com eleições. Vaia não vota, ok. Lula foi vaiado certa vez no Maracanã e levou todas. E ai ainda elegeu "postes" país afora. 

Ademais, numa plateía de zebras certamente o leão será vaiado; numa de flamenguistas, um vascaíno, idem; precisa escrever mais?

Quantos aos acordos e o "cara" ter andado o país: depende dos acordos. O problema do Aécio é: a) a rejeição pela marca "tucano"; b) a insegurança da retórica e o vazio de idéias(parece papagaio: vive repetindo bordões); c) aquele negócio do "eu sei o que fizeste no verão passado". 

Tony

- 2014-05-05 16:25:35

Estresse hidrico ou falta d'água?

"Prevalecem apenas os slogans: Dilma é a favor da distribuição de renda; Aécio é a favor do aumento de eficiência da economia."

"Tucanaram" o arrocho, a desemprego e o estado mínimo...

Vagner w.k.

- 2014-05-05 16:25:33

Pra tudo tem limite ate pra viagra

Os mais tolos ja sabia que o PSB seria VIAGRA no inicio e CAMISINHA final, ate que domorou, o PSDB vendem a mãe para enganar as pessoas. Agora temos um CAMISINHA da força sindical que gostaria de ser VIAGRA, como pode um ser humano ser tão baixo,jogar os seus ideiais no lixo.

alext4e

- 2014-05-05 16:18:52


This comment has been deleted.

André LB

- 2014-05-05 16:15:02

  A mídia fechar com o Aécio

  A mídia fechar com o Aécio e, fatalmente, sabotar o Dudu era certeza. A única chance do traíra era se apresentar como mercadista muito antes do Aécio, que no entanto sempre foi o menino de ouro dessa gente.

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 16:14:04

  Quem tá dizendo que houve

 

Quem tá dizendo que houve manipulação é você!!

Joca Junior

- 2014-05-05 16:13:33

Mas quem daria ouvidos ao

Mas quem daria ouvidos ao Eduardo Campos se - como você mesmo escreveu - trata-se de um político nordestino, sem expressão nacional alguma e de um partido pequeno?

É muita ingenuidade achar que esse camarada entrou para ganhar a eleição. Ele entrou para se tornar conhecido e voltar com o apoio de Lula e do PT para levar 2018, desejo do maior presidente da história recenete do país.Ele só teve os índices de aprovação que teve como governador de Pernambuco graças à parceria com o governo federal; jamais por mérito próprio.

E, entre Campos e Aecio, fico com Campos, que é mais sério, tem pedigree político - Miguel Arraes, Lula - e não embarcou nessa de política por fanfarronice. Deus nos livre e guarde desse 'bem loco' do Aecio ser eleito. Isso sim é muita pretensão para um ser humano do naipe dele.

 

 

Gunter Zibell - SP

- 2014-05-05 16:13:12

Depende muito

das simulações de 2º turno.

Se nestas Campos mostrar maior chance que Aécio, a mídia troca de lado na hora.

No facebook (sei que não é relevante, apenas um sinal) a página de Campos já passou a de Aécio em curtidas há mais de um mês e está com ritmo mais intenso de novas curtidas/semana. Está se aproximando da página Dilma Bolada, inclusive. E a página de Marina está encostando em Aécio Neves.

Se Campos + Marina conseguirem somar apoios ao invés de somar rejeições, ainda têm chance.

 

Carlos Dias

- 2014-05-05 16:12:47

Bem, uma contribuição ingênua

Crendo haver segundo turno (quem garante isso ao PIG? urnas eletrônicas? Gilmar Dantas? JB? Pesquisa NonSENSUS ?), o PIG (em tempo ) já volta as baterias contra o Duda. 

Parece tudo bem articulado... Gostaria de dizer aqui que o papo de Passadena já estava sendo preparado desde 2012... Diziam que a qualquer momento iria estourar essa "bomba de corrupção petista". Isso era falado nos bastidores de todos jornais e internet. A "bomba" veio explodir no tempo cronometrado pelo PIG.

Resta saber se essa confiança de que haverá segundo turno se baseia somente em fanfarronice pigal, ou se tem algumas surprezinhas padrão FIFA pra nos surpreenderem durante a Copa. Porque, falando francamente, se Dilma vier pra cima e o PIG não criar fatos adicionais, o acontecimento de um segundo turno é incerto.

Toda atenção é necessária. Acho que os blogs deveriam antecipar tudo que puder ser antecipado, temos de pensar de forma macartista ao avesso, digamos assim. Precisamos antecipar qualquer estratégia pigal. E isso tem dado certo em algumas coisas. Por exemplo, no grampo genérico que os procuradores (de quem?) queriam fazer na presidente. Fomos salvos pelos blogs.

Eu pensei diversas vezes em fazer um post de passadena, isso há um ano, quando os boatso começarama pipocar na rede e nos bastidores.. achei que isso não ia vingar... Mas.. Então devemos nos antecipar a todas as estratégias pigais.

Durante a Copa é preciso toda cautela, vamos antecipar todas nossas suspeitas;; dizendo assim parece paranóia,mas quem lembra das capas dos jornais nos anos eleitorais, não pode dormir no ponto.

 

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 16:11:23

O empresariado sempre esteve com o PT

 

Nesses últimos anos os empresários sempre estiveram com o PT. O grande problema é que a situação piorou muito com a Dilma, não só a questão econômico com os equívocos do Mantega, mas com a forma "esquisita" de fazer política. 

Joca Junior

- 2014-05-05 16:08:00

Bom, nenhuma novidade. Esse é

Bom, nenhuma novidade. Esse é o modus operandi da tucanada desde sempre, desde quando FHC liberou polposos recursos - com dinheiro público, claro e até hoje jamais ressarcidos aos cofes públicos - aos famigerados grupos de midia e imprensa em troca de apoio e fidelidade. O engraçado é que, nem com toda a campanha massiva contra o PT, essa turma emplaca seus pangarés. Esse Aécio é outro Collor de Mello e o PSDB no poder...bem, já sabemos a barca furada que é.....

Alexandre Tambelli

- 2014-05-05 16:07:04

EDUARDO na quarentena

EDUARDO na quarentena

Neste período de formação dos palanques eleitorais é necessário à velha mídia e seus aliados mostrar a força de seu candidato para derrotar DILMA.

EDUARDO e MARINA estão na disputa para haver segundo turno. Não para mais do que isso, só em caso da não decolagem de AÉCIO será diferente. E tirar votos dos petistas para garantir AÉCIO X DILMA no segundo turno.

A crítica é pequena, mas direcionada aos apoiadores externos via grana da Iniciativa privada - empresários, agronegócio e banqueiros. E ai, inteligente, a velha mídia foi no Estatuto do PSB para afugentar o apoio empresarial a EDUARDO. 

Depois pode se manter o "namoro", em sendo AÉCIO o candidato adversário de DILMA no ainda incerto: segundo turno. 

Se EDUARDO for um impecílio para AÉCIO e ameaçar sua posição de segundo lugar na intenção de votos, ai se ataca mais ou se abandona AÉCIO, em caso extremo de sua candidatura fazer água. 

Lembram-se do RUSSOMANO em 2012 na eleição municipal paulistana. Fizeram cara de paisagem durante meses, com a expectativa de um segundo turno entre SERRA e RUSSOMANO. Quando viram que a tendência era de HADDAD no segundo turno, o que fizeram? Detonaram o RUSSOMANO já no primeiro turno, próximo da eleição e levaram o SERRA para a disputa com HADDAD.

Tudo se equilibra ai. Se EDUARDO ameaçar AÉCIO e se puder manter AÉCIO em segundo lugar farão. Por hora, é só o enfraquecimento dos apoios políticos e financeiros para EDUARDO. 

Por enquanto não interessa detonar com o EDUARDO, porque pode ser que a candidatura do AÉCIO não decole, então, se precisará de um segundo nome para derrotar DILMA.

EDUARDO está na quarentena, entre ser colocado na caixa de entrada ou na lixeira, dependendo do que acontecer durante o período de efervescência das eleições a partir de agosto. 

E, fique claro que não estão atingindo a pessoa do EDUARDO e da MARINA, nem desconstruindo suas imagens administrativas, nem os colocando no centro de alguma corrupção, certo?

É só uma questão de manter AÉCIO como adversário de DILMA. Vamos ser sinceros: o lado esquerda, a lenta e gradual socialização dos meios de produção não combinam com apoios empresariais. 

O EDUARDO é a peça fora do jogo de buraco, mas pode ser a canastra da oposição midiática, se o AÉCIO não decolar.

Orivaldo

- 2014-05-05 16:05:31

O preço de uma derrota.

Ou Eduardo Campos acredita em papai Noel e no coelhinho da pascoa e acha que vai realmente para o segundo turno ou é apenas mais um ator, que faz de conta que é candidato e que tem alguma chance, mas na realidade, está apenas "vendendo" a possibilidade de um segundo turno, para que o P$DB tente novamente conquistar a cadeira no Planalto. Quanto vale uma derrota?

Assis Ribeiro

- 2014-05-05 16:01:51

Ainda,

Se o Sensus manipulou a pesquisa à favor de Aécio, quem garante que Campos não esteja bem próximo a nível dos votos de Aécio?

Isso justificaria o bombardeio que Campos tem tomado da grande mídia.

Luiz FS

- 2014-05-05 16:01:10

Quarta via

Uma hipótese, por mais improvável que pareça, mas que merece análise, é, diante da notória inviabilidade da candidatura de Eduardo Campos, a coligação decidir pelo nome de Marina como candidata à presidência. Seria um grande problema para Aécio chegar ao segundo turno.

Bruce Guimarães

- 2014-05-05 15:58:31

Clésio é com S

 

O Aécio começou a crescer bem antes do início da campanha, isso é muito bom pra ele. O governo está muito desgastado, visto a Dilma ser vaiada onde vai.  Dilma foi vaiada na abertura da ExpoZebu em Uberaba, no sábado.

Essa eleição é do Aécio, o cara tem andado o país e fechado acordos importantes, inclusive com partidos da base da Dilma. 

 

julio cesar montnegro

- 2014-05-05 15:57:30

os bicos podem até encarar

os bicos podem até encarar alpistes diferentes

ou as plumagens enganarem gentes

mas desde o fundo dos tempos

o terreno da politica se baliza por 

interesses prePOTENTES oponentes:

 

quem curte o que FAZ pra sobreviver

X

quem PRECISA SEDUZIR (?)

pra SE(?)...  MANTER

 

Pai José

- 2014-05-05 15:56:31

Antes de qualquer outro

Antes de qualquer outro argumento pesa contra o Eduardo Campos o tamanho de seu partido e seu reduto eleitoral. O PSB é um partido de tamanho médio sem condições de atuar nacionalmente do ponto de vista de programático ou de organização. 

Quanto ao reduto, trata-se apenas de sonho achar que um candidato do nordeste tem condição de disputar uma eleição presidencial. Infelizmente, a banda toca assim. Paulistas ou mineiros, fluminenses ou gaúchos. Muito dificilmente foge destes estados.

Se ele tem pretensões verdadeiras e genuínas pode tratar desde logo de "denunciar" esse esquema nocivo para a qualidade da democracia no país. Deve-se descentralizar o poder conferindo mais força a estados e municípios, regionalizando a mídia e através de maior participação no bolo tributário.

 

[email protected]

- 2014-05-05 15:51:27

SEM MAIS DIREITO SEQUER A DESFILAR NO GALO DA MADRUGADA

Só para lembrar, Clézio Andrade foi vice-governador mineiro na gestão de Aécio, de 2003 a 2006, e só para constatar, Dudu Campos deixou-se levar a um ponto, seguindo a flauta doce da Casa Grande, que se estacar, vira estátua, se recuar, vira panaca e se avançar, vira cabo eleitoral do Aécio e chega atrás do Pastor, no primeiro turno, sem mais direito sequer a desfilar no galo da Madrugada, no Pernambuco.    

Carlos Fernando N. Garcia

- 2014-05-05 15:46:21

Isso que dá acender uma vela

Isso que dá acender uma vela para Deus e outra para o Diabo! Agora ne um nem outro!!!

Ivan de Union

- 2014-05-05 15:42:36

"Aécio,como sempre,  tem seu

"Aécio,como sempre,  tem seu melhor  eleitorado em Minas e no Leblon. Campos,continua sendo o neto de Arraes,desconhecido,até nos grotões  pernambucanos":

AINDA acho impossivel Aecio ter mais votos do que Campos, Durval.  Simplesmente nao faz uma gota de sentido!

Assis Ribeiro

- 2014-05-05 15:42:00

Logo no início do artigo,

Logo no início do artigo, quando Nassif cita o que fez o Sensus nas eleições passadas e o que fez agora, e as denuncias  pela Folha, fica claro que o PSDB de São Paulo e o de Minas estiveram e continuam desunidos?

Desses mesmos trechos dá para ase inferir que Aécio domina e amordaça a mídia, e correlatos, no estado de Minas Gerais?

Ainda, dos mesmos parágrafos iniciais,  vislumbra -se que o desespero de mais uma vitória fez com que a mídia de São Paulo engolisse a seco a candidatura de Aécio?

Gustavo José Conde

- 2014-05-05 15:41:45

Como analisa bem, rastreia

Como analisa bem, rastreia todas as trincheiras... E dá consultoria de graça para os três. Isso é que é democracia :)

Mauro Segundo

- 2014-05-05 15:39:42

E lá vamos nós: mais uma

E lá vamos nós: mais uma campanha sem direito de resposta no massacre da mídia!!

Ugo

- 2014-05-05 15:38:34

pig aplica 171

Parece mais estelionato que política!

Naqueles tempos o pig garantiu ao Joaquim stf a presidência do Brasil, precisava apenas de um trabalho mínimo para sustentar a candidatura. O serviço mequetrefe foi executado a contento os resultados pífios, culpa do Joaquim stf.

Naqueles tempos o pig garantiu visibilidade ao Eduardo Calabar para conseguir a presidência do Brasil, trabalho mínimo e mercadoria entregue. Precisava apenas se revoltar contra ao Pai Criador.

Naqueles tempos a casa grande estava sentada com Aécio o bom menino de recado, de ideias claras sempre que labutando com destilados. Ele era o ungido, blindado para toda asneira o digno sucessor do fhc, afinal sobrou algo para vender.

Naqueles tempos eles não conversavam com os russos!

Carlos Dias

- 2014-05-05 15:32:58

É, meu caro Assis, mas sempre tem

aqueles que , imbuídos de reafirmarem sua teimosia e alegando mil motivos nobres, virão virtudes na trairagem e declararão seu voto no idiota pernambucano.

Desse último, diriam "Apressado come cru" e eu acrescentaria "Virado paulista crú é ninguém merece".

Francy Lisboa

- 2014-05-05 15:32:00

Eh preciso reconhecer que

Eh preciso reconhecer que essa eh a primeira vez que o PSDB vem com o seu discruso mais proximo do que eles acreditam ser ideal para o crescimento do Brasil. Reducao dos "gastos sociais", reducao dos direiitos trabalhistas, reducao do salario minimo, medidas amargas. Isso para ficar no campo do que jah foi dito por eles. Eles estao sendo honestos e devemos reconhecer essa virtude. Pelo menos a populacao vai ter certeza do que esta votando, depois que ela comecar a sentir os efeitos do seu voto, caso o Aecio seja eleito, provavelmentenao irao reclamar porque o discurso de que tudo eh culpa da heranca maldita do PT jah estah redigido nas redacoes da nossa midia isenta.

Todos reclama da polarizacao, o Nassif ainda acridita que nao ha diferenaca entre PT e PSDB, tudo bem, opiniao dele, mas esses dois sao os que tem o discurso mais claros, vota quem quiser. A Dilma e o PT ainda vao se beneficiar muito da ojeriza do PSDB em falar a palavra povo, esses 12 anos mostram isso. Nao ha possibilidade do PSDB conseguir convencer as pessoas que elas estao sendo subtraidas pelo proprio bem do pais, nenhuma nacao do mundo aceita isso de forma passiva sem descontar nas urnas. Por isso acho que Aecia estah jogando o jogo da sinceridade para nao ser taxado de mentiroso pelos empresarios, mas nao deixarah de ser engracao se ele tornar o primeiro presidente em que precisou enganar o empresariado para se eleger, afinal, nao dah para abandonar a agenda social iniciada pelo PT, ele sabe isso. 

Ruy Barbosa

- 2014-05-05 15:31:49

a Band começou ontem à noite..

http://noticias.band.uol.com.br/eleicoes/2014/noticia/?id=100000680370&t=eduardo-campos-admite-discordancias-com-marina

 

Eduardo Campos admite discordâncias com Marina

“Discordâncias trazem mais riqueza ao nosso debate sobre os rumos do país”, diz pré-candidato do PSB ao Canal Livre, da Band

Daytona

- 2014-05-05 15:29:49

EM MINAS, CAMPOS ALFINETA:

EM MINAS, CAMPOS ALFINETA: "SERRA LIDERAVA E PERDEU"

:

 

"Estou completamente tranquilo, porque as pesquisas a esta altura em 2010 davam [José] Serra presidente", disse hoje, em Belo Horizonte, o presidenciável Eduardo Campos, do PSB, ajustando, novamente, sua mira na direção de Aécio Neves, que é tucano como Serra; "Não tenho a menor dúvida de que iremos para o segundo turno e vamos ganhar as eleições", acrescentou Campos, com confiança; ele participa hoje de debate com empresários na capital mineira, reduto eleitoral de Aécio, e recebe título de cidadão honorário; presidenciável vai aprimorar discurso na área econômica para disputar com tucano campo do centro para a direita; balizamento à esquerda feito por Marina Silva, que monitora de perto correções no programa do partido, dificulta a tarefa

http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/138753/Em-Minas-Campos-alfineta-Serra-liderava-e-perdeu.htm

Daytona

- 2014-05-05 15:27:30

Campos se colocou em uma

Campos se colocou em uma sinuca, deveria ter percebido que aproximar-se da escória política brasileira significa um pacto com o demônio: não vai conseguir atrair os representantes do atraso - que tem em Aécio e em todos os seus vícios e defeitos de caráter o mais perfeito exemplo da República dos Filhinhos de Papai Vagabundos que eles defendem - e ainda vai acabar perdendo o apoio que já tinha.

Os irmãos Gomes demonstraram maior inteligência política em sua decisão de se afastar do projeto de Campos. Há uma convergência clara de interesses entre PT - PSB no sentido de destruir o que resta do carcomido PSDB e inicar um novo ciclo de antagonismo político, baseado em diferenças pontuais, e não na retórica vazia e vagabunda da guerra fria, esposada pelo PSDB e disseminada por sua inteligentsia, formada por Azevedos, Lobôes e Constantinos, o Tea Party tupiniquim, ainda mais ridículo que o original, exemplo da falta de imaginação e competência da elite vagabunda brasileira representada pelo PSDB e afins.

Diversas vezes Campos propôs o debate qualificado a Dilma, na minha opinião, a presidenta deveria aceitá-lo, marcar uma polarização no debate qualificado entre o PT e o PSB, e assim tentar isolar Aécio, o candidato da baixaria, sem nenhuma proposta.

O PSDB áposta tudo nessas eleições para postergar sua DEMonização, se perder MG e, principalmente, SP(principal fonte de recursos para sua mídia aliada), o partido acaba, haverá debandada de membros para os partidos fisiológicos(PMDB, PR, o partido do Kassab), restando aos frangalhos buscar uma fusão com o DEM e o partido do Roberto Freire, um abraço dos afogados. A UDN sempre foi um partido pequeno, pois não representa nada além dos interesses de seus membros, uma política de cooptação via corrupção com sérias limitações.

Há também um interesse em comum do PT com o PMDB nas eleições de SP. Para os paulistas,m qualquer candidato que consiga livrar o estado das garras sujas da corrupção incompetente tucana será bem-vindo.

 

Durvaldisko

- 2014-05-05 15:25:55

Aécio,como sempre,  tem seu

Aécio,como sempre,  tem seu melhor  eleitorado em Minas e no Leblon. Campos,continua sendo o neto de Arraes,desconhecido,até nos grotões  pernambucanos. Sem falsa modéstia, o poder de fogo ,está com Dilma,mesmo

 que o PIG  empregue  seus mais sórdidos ardis,dificilmente,conseguirá  derrotar o carisma de Lula a serviço da reeleição. Munição  real e  de  festim, a mídia parece  que  está  abastecida,contudo,   bem usa-la  é  uma ciência

 que poucos  dominam. Esse interregno  imposto pela Copa irá dominar  a atenção  do público e as páginas dos impressos por  quarenta dias, e  haverá uma exigência  de cobertura , pertinente  ao  tamanho do evento  que se  desenrola, sob pena  de  acontecer uma reversão sobre os meios. O jornalistas  da Globo,tem bem fresca na memória

o sufoco  de ter  a massa  contra si. 

Assis Ribeiro

- 2014-05-05 15:22:17

O que está claro desde sempre

O que está claro desde sempre

É que a grande mídia e um segmnento dos empresários são, desde sempre, pró PSDB.

Marina nas eleições passadas, e Campos nesta, serviram apenas de joguetes subservientes para levar o PSDB ao segundo turno.

Daytona

- 2014-05-05 15:12:16

Mais um elemento explicativo

Mais um elemento explicativo do timing da estratégia aecista é a decisão do STF sobre o financiamento privado de campanhas em suspenso graças ao pedido de vistas do ministro Mendes, despachante oficial do PSDB na Suprema Corte.

A declaração de Aécio e seus comparsas defendendo "medidias impopulares" é um alerta para esses setores econômicos acostumados a comprar apoio político, sequestrando economicamente a Democracia. Seu tempo é curto.

Vide que, no bojo das medidas impopulares, Aécio afirmou não se preocupar com uma reeleição, pois 4 anos seriam tempo suficiente para implementar todas as medidas impopulares necessárias. Aécio acenou com o golpe, deixando claro que, em 4 anos, conseguiria reverter as tendências democratizantes aprofundadas na última década. Aécio parece propor um novo governo Castello Branco, que preparou o terreno para as 2 décadas de ditadura. Com Reforma Política em perspectiva para o próximo mandato presidencial, sem dúvida alguma uma presidência Aécio, valendo-se dos métodos notórios e inescrupulosos do PSDB fazer política(vide a compra da emenda da Reeleição)representaria 4 anos de forte retrocesso nas conquistas da última década.

Lionel Rupaud

- 2014-05-05 15:11:20

Excelente análise

e acho hoje que se esboça um 2º turno com Dilma e Aecio.

Com um esvaziamento da chapa Campos-Marina, marcando provavelmente o fim das pretensões nacionais de ambos pelo desgaste que terão nos ataques constantes da mídia, na base de "extorsão-chantagem" que é o que esta sabe fazer. E não podemos esquecer que o eleitorado alvo de ambos era justamente a parte da população mais crente naquela mídia.

Sobre um 2º turno acho pessoalmente que é mais democrático, permitindo uma visão mais clara das 2 candidaturas, pois as eleições para governador, senadores e deputados federais criam uma variedade de discursos que não ajudam em nada os eleitores.

MarFig

- 2014-05-05 15:10:16

A Isto É já estava fechada

A Isto É já estava fechada com o Aócio desde o ano passado. Não foi ela que começou a divulgar nas suas capas o trensalão do psdb paulista? E tirar o Serra da disputa? 

Assis Ribeiro

- 2014-05-05 15:00:50

Acabei de escrever em outro post:

seg, 05/05/2014 - 10:22

Eduardo Campos e sua campanha perdidões, até com os princípios do próprio partido.

Consequências de vender a sua alma a um grupo oposto ao que o partido sempre pregou.

No mais, está recebendo bombardeio subliminar de Aécio.

Perdidão, no meio, sem rumo, sem apoio.

Empresários temem Marina, população teme Campos.

Para ter mínima chance de não passar vergonha terá que voltar as suas baterias contra Aécio.

Já começou com a necessidade que Campos teve de afirmar que seus princípios econômicos e sociais diferem do de Aécio.

https://jornalggn.com.br/noticia/coordenacao-da-campanha-de-campos-se-preocupa-com-manifesto-do-psb

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador