Como os vazamentos envenenaram a Lava Jato

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, orgulha-se do seu estado maior. De fato, trouxe os melhores quadros do Ministério Público Federal para assessorá-lo em questões constitucionais, penais, de direitos humanos. Para cada tema, há um conselho de alto nível formulando uma política de Ministério Público, não do PGR. Como seu sub, indicou a segunda mais votada na lista, a procuradora Ela Wiecko, uma unanimidade no mundo jurídico.

Hoje em dia, o MPF e a PGR tornaram-se instituições políticas – no sentido de que sua atuação transcende os autos e interfere diretamente no jogo político do país.

Por tudo isso, não se entende qual a estratégia de comunicação do PGR, ainda mais levando-se em conta que a Lava Jato é a operação de maior repercussão da sua história.

Em nota distribuída na rede dos procuradores – e divulgada pela mídia – Janot pede coesão contra as pressões que virão por conta das suas denúncias.

A maior defesa de um procurador é sua isenção, a constatação de que pau que bate em Chico bate também em Francisco. Os vazamentos seletivos da Lava Jato foram veneno na veia das investigações. Foram cometidos crimes à luz do dia, tendo como suspeitos um universo restrito e facilmente identificável: delegados, procuradores, juiz e advogado de Alberto Yousseff. Quem não cometeu crime, prevaricou: por não denunciar os autores. E a parceria foi com a revista que atuava em parceria com organizações criminosas e que ajudou a destruir a Satiagraha.

 Janot se comportava como se nada tivesse a ver com o episódio, como se os vazamentos não afetassem a imagem do MPF como um todo. Não havia um consultor, um conselheiro para alertá-lo sobre os desdobramentos desses vazamentos?

Com as primeiras informações divulgadas, constata-se que havia mais declarações contra Aécio (mesmo Janot considerando-as insuficientes) do que contra Dilma – praticamente inexistentes. No entanto, uma falsa denúncia quase decide uma eleição presidencial.

Por mais isenta que seja a postura do PGR, nas denúncias encaminhadas ao STF – ou arquivadas –  agora, paira sobre ele a sombra da suspeita. E não adianta a atitude defensiva da comunicação do PGR, de atribuir todas as críticas a interesses contrariados. Janot precisa de um conselho de comunicação à altura dos demais conselhos.

50 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. O Pais ainda pagará um alto

    O Pais ainda pagará um alto preço por um monumental equivoco da Constituição de 88, a criação de um 4º Poder gestado in vitro, sem fonte e sem DNA, erro aumentado pela inexplicavel aceitação já no primeiro mandato do presidente Lula de uma indicação de procurador geral “interna corporis”, um general indicado pelos soldados, inves dele, Presidente, usar da prerrogativa constitucional de indicar um Procurador de sua estrita confiança pessoa.

    Criado um Poder sem soberania auto-alimentado em circuito fechado interno, o Pais vai conviver com essa anomalia até uma reviravolta no Poder corrija essa mega erro. Os poderes de um Estado Democratico são TRES e somente TRES, não pode existir quarto poder que ninguem elegeu ou escolheu que se blinda de contrapesos e age desligado de qualquer compromisso com outros poderes.

    1. Entendi. Então o PGR não deve

      Entendi. Então o PGR não deve ser “isento”. Deve ser de “confiança” do executivo, é isso mesmo ??

      Geraldo Brindeiro é o exemplo máximo de que essa proposta só ajuda mesmo a encher gavetas. Nada mais.

      1. Nos países onde existe a
        Nos países onde existe a verdadeira DEMOCRACIA, nos países de 1º mundo o Ministério Público não investiga! Quem investiga é a POLICIA. O MP acusa, e quem acusa não pode investigar. A investigação é totalmente direcionada para acusação! Piorou quando temos um MP aparelhado por tucanos como o nosso. Quer exemplo mais claro que esse? Vazou algum coisa sobre o nome de Aécio?  E quando apareceu já foi INOCENTADO! Grande Ministério Público! Sabendo ler caro cidadão, vc mata a pau!

    2. Tentaram reverter tal
      Tentaram reverter tal anomalia com a PEC 37, mas a grande mídia botou fogo no coreto para que os papagaios e zumbis fossem contra.

  2.  
    – Não faz falta reformar

     

    – Não faz falta reformar nada… o atual sistema judiciário funciona bem.

    – O jornal te acusa… a rádio te investiga… o noticiário te julga… as redes sociais te condenam.

  3. a suspeição sobre pelo menos

    a suspeição sobre pelo menos alguns egmentos do mpf é

    evidente mácula que dificilmente será limpo….

  4. “Janot precisa de um conselho

    “Janot precisa de um conselho de comunicação à altura dos demais conselhos”:

    Um conselho igual o meu, com 4 letras.  Iniciais, claro.

  5. Ministro do STF

    Só fez o que foi combinado, salvou a cara do Aécio. Quanda a “marcha do dos derrotados” derrubar a presidenta eleita e o Psdb voltar ao poder, ele terá seu lugar garantido no STF, pelo seu excêlente trabalho em prol a republica do tucanistão.

  6. Vazamentos seletivos em

    Vazamentos seletivos em investigações causam danos irreparáveis. Por muito menos em investigações de casos de corrupção levaram ao assassinato de procuradores e juízes. Procurador caso mandioca, juiza Patricia Acioli e outros são alguns exemplos.

  7. Aguardando repercussão da

    Aguardando repercussão da capa da Veja com a manchete  “Aécio sabia e participava” no JN do Bonner….

     

  8. Conselho

    Ouso dar um conselho as Sr Janot, aos procuradores e a delegados da polícia federal: tentar fazer justiça com intuitos politicos é DESASTROSO. Repito: DESASTROSO. Não o façam.

    Parece ser interessante e vantajoso e é, digamos, convidativo, mas é DESATROSO. DESTRUIDOR.

  9. Por que não vazou antes o que Youssef disse de Aécio?

    Postado em 05 mar 2015

     

     

    por :                 Demagogo

    Demagogo

    O caráter seletivamente canalha dos vazamentos da Lava Jato ficou claro ontem com a revelação de que Aécio tinha sido citado pelo doleiro Youssef.

    Não só Aécio, a rigor, mas a família Neves. Também uma irmã – não nomeada, mas que só pode ser Andrea, braço direito dele – foi citada.

    Youssef vinculou os irmãos Neves a propinas da célebre Lista de Furnas – uma hidrelétrica estatal que alegadamente abasteceu copiosamente figurões do PSDB nos tempos em que o partido estava no poder.

    A existência da lista tem sido objeto de controvérsia. É inegável que as palavras de Youssef, se não bastaram para Janot recomendar que Aécio fosse investigado, reforçam a hipótese de que a lista é genuína.

    Como ponderou um jornalista, você pode avaliar a gravidade do caso com a seguinte pergunta: o que teria ocorrido se o vazamento surgisse na campanha eleitoral?

    Bem, é uma pergunta sobretudo retórica. Todo vazamento que implicava o PT, e por consequência Dilma e Lula, era recebido com fanfarra nas redações das grandes empresas jornalísticas.

    É difícil acreditar que alguma delas desse acolhida a qualquer coisa que pudesse atrapalhar Aécio.

    Da mesma forma, o intuito dos responsáveis pelos vazamentos – presumivelmente os policiais federais sob o comando do juiz Sérgio Moro – era ver Aécio na presidência.

    Foi, em suma, um jogo sujo, no qual a mídia e os vazadores se uniram para interferir nas eleições.

    Vistas as coisas em retrospectiva, é incrível que, beneficiado tanto e de forma tão espúria, Aécio tenha conseguido perder.

    Dilma ganhou contra tudo e contra todos – e em plena crise econômica. Em situações normais, a economia define eleições presidenciais.

    Tais circunstâncias – vazamentos criteriosamente escolhidos, ajuda maciça da mídia, economia se arrastando – expõem a fraqueza miserável da candidatura de Aécio.

    Mostram também a perda de influência e de credibilidade da imprensa.

    Aécio, segundo se fala, escapou da lista de Janot – algo que, se confirmado, minará o prestígio do procurador-geral na esquerda e, ao mesmo tempo, alimentará a crença de blindagem inexpugnável dos tucanos.

    Mas sua imagem de bom moço está em frangalhos.

    Aécio pode ter escapado de Janot, mas nada haverá de tirá-lo de outra lista – a dos políticos cínicos, mentirosos, manipuladores.

    Falo dos demagogos, na lista dos quais Aécio Neves ocupa, com todos os méritos e sobretudo deméritos, a primeira colocação.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/por-que-nao-vazou-antes-o-que-youssef-disse-de-aecio/

     

    1. Se Janot pediu arquivamento

      Se Janot pediu arquivamento da denúncia (ou inquérito, sei lá), caberá

      ao Ministro Teori aceitar ou não. Portanto o Cheirador não saiu ileso

      desta ainda. Vai depender o Zawascki.

    2. Se Janot pediu arquivamento

      Se Janot pediu arquivamento da denúncia (ou inquérito, sei lá), caberá

      ao Ministro Teori aceitar ou não. Portanto o Cheirador não saiu ileso

      desta ainda. Vai depender o Zawascki.

  10. E o circo armado, era, na

    E o circo armado, era, na verdade… um circo. Só que a lona baixou, o enredo ficou exposto, as máscaras cairam e sobram os homens. Com seus vícios, interesses, jogos de poder. Não tem comunicação que salve reputação maqueada e isenção que não existe. Tá ficando interessante!

     

    PS: E com todo o apoio midiático e judiciário, Aécio ainda conseguiu perder! Fraquim demais, sô!   

  11. COISA QUE JUSTIÇA BRASILEIRA NÃO TEM

    SE TEM É  UMA COISA QUE A JUSTIÇA BRASILEIRA NÃO TEM É SIGILO. TEM  OS QUES GOSTAM DOS HOLOFOTES E TEM OS FOFOQUEIROS, SÓ NÃO SEI SE GANHAM ALGUM  POR FORA. JAMAIS TEREMOS UM PF SIGILOSO E UM MP QUE SE PREZE ENQUANTO HOUVER JUSTICEIROS COMO MORO.

  12. “Ministro CM(STF) suspende

    “Ministro CM(STF) suspende regime de sigilo em torno de procedimento investigatório…”

    Íntegra no notícias do STF

     

  13. Janot gosta de janotas. Ele
    Janot gosta de janotas. Ele tem duas caras como Jano, deus Romano cuja imagem era usada para representar o SNI (poder subterrâneo cujos membros sobreviveram impunes ao fim da Ditadura e que prestam serviços aos tucanos). O nome do PGR diz tudo.

  14. Rogério Correia:”Nós entregamos pessoalmente no gabinete do Jano

    Do Viomundo

     

    Rogério Correia: “Nós entregamos pessoalmente no gabinete do Janot as provas do envolvimento de Aécio no caixa 2 de Furnas”

     

    publicado em 05 de março de 2015 às 16:38

     

    Carta ao Janot 3

    13 de fevereiro de 2014: Os deputados petistas Adelmo Leão, Padre João, Rogério Correia e Pompílio Canavez pouco antes de entregar no gabinete do procurador Rodrigo Janot as provas do envolvimento de Aécio no esquema de caixa 2 de Furnas

    por Conceição Lemes

    Nessa terça-feira 4, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, livrou Aécio Neves (MG) de inquérito na Lava Jato, apesar de o senador e presidente do PSDB ser citado na delação premiada do doleiro Alberto Youssef.

    Janot contrariou os procuradores responsáveis pelo caso que teriam recomendado que se pedisse ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de inquérito contra o tucano.

    Segundo O Estado de S. Paulo, na delação premiada à qual teve acesso, Youssef afirmou “ter conhecimento” de que Aécio, na época em que era deputado federal, estaria recebendo recursos desviados de Furnas “através de sua irmã”.

    O jornal prossegue:

    O doleiro disse que recolheu dinheiro de propina na empresa Bauruense cerca de dez vezes. Em uma delas, o repasse não foi feito integralmente e faltavam R$ 4 milhões. Youssef afirmou aos investigadores ter sido informado de que “alguém do PSDB” já havia coletado a quantia pendente.

    Indagado pelos procuradores, Youssef declarou não ter conhecimento de qual parlamentar havia retirado a comissão, mas afirmou que o então deputado federal Aécio Neves teria influência sobre a diretoria de Furnas e que o mineiro estaria recebendo o recurso “através de sua irmã”, segundo o texto literal da delação, sem especificar a qual das duas irmãs do senador ele se referia. O delator disse ainda “não saber como teria sido implementado o ‘comissionamento’ de Aécio Neves”.

    Na delação, o doleiro descreve que de 1994 a 2001 o PSDB era responsável pela diretoria de Furnas. Yousseff declarou que recebia o dinheiro de José Janene nas cidades paulistas de Bauru e de São Paulo e enviava o valor para Londrina ou Brasília.

    Janot, segundo o Estadão, pediu ao STF o arquivamento das investigações por considerar insuficientes as informações fornecidas pelo doleiro.

    “Se realmente o Janot mandou arquivar o caso por falta de provas sobre o envolvimento de Aécio no caixa 2 de Furnas, eu tenho provas suficientes”, afirma o deputado estadual Rogério Correia (PT-MG). “Em Minas, todo mundo sabe que Aécio fazia caixa 2 em Furnas.”

    “Eu posso encaminhar tudo para o Janot assim como para o ministro Teori  Zavascki, que está cuidando da Lava Jato no STF,  para que o Aécio não saia impune mais uma vez”, observa.

    “Aliás, o Janot  não pode dizer que não tem elementos para abrir investigação contra Aécio”, atenta Correia. “Há elementos de sobra, inclusive os trabalhos feitos pela Polícia Federal e pela procuradora federal Andrea Bayão, que agora trabalha na Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília. Nós fomos até lá e entregamos pessoalmente no gabinete do Janot as provas do envolvimento de Aécio no caixa 2 de Furnas.”

    De fato, em  13 de fevereiro de 2014, os deputados estaduais Rogério Correia, Pompílio Canavez e Adelmo Leão e o deputado federal Padre João, todos do PT de Minas, entregaram no gabinete do procurador-geral o pedido para análise da Lista de Furnas, a partir da denúncia feita em janeiro de 2012 pela procuradora Andrea Bayão, na época do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro.

    “Nós pedimos também que levassem para o Supremo a Lista de Furnas, pois ela possui o nome de 156 políticos”, frisa Correia. “Se examinar a Lista de Furnas (na íntegra, no final deste post), vai ver que eles operaram no Brasil inteiro, a partir de Minas. Operaram pro Serra, Alckmin, Aécio…”

    “O  desvio de recursos públicos de Furnas foi para campanha tucana e aliados em todos os níveis: deputados,senadores e governador”, diz Rogério Correia. “O próprio Aécio recebeu  R$ 110 mil, que hoje significariam em torno de R$ 400 mil.”

    ofício foi dirigido ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com cópia para o ministro Luís Roberto Barroso, do STF e relator do processo do mensalão tucano.

    Carta a Janot assinada 1_Page_1Carta a Janot assinada 1_Page_2

    A Lista de Furnas é de 2002 e diz respeito à eleição de Aécio Neves. Esse caso de corrupção irrigou, através de processos licitatórios fraudulentos em Furnas e empresas que fizeram “caixinha”, a campanha tucana daquele ano não só em Minas, mas também em São Paulo, Bahia e outros estados.

    A Lista de Furnas já teve sua veracidade comprovada pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal (na íntegra, abaixo). E posteriormente o caso de corrupção foi atestado pelo relatório de 2012 da doutora Andrea Bayão, na época procuradora do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (na íntegra, abaixo).

    “É um absurdo o  Janot, mesmo sabendo disso tudo, não ter aberto  inquérito contra o Aécio”, condena Correia. ” É muita má vontade de investigar um tucano, de novo.”

    A propósito. Em 2011, tucanos em conluio com a revista Veja disseram que Rogério Correia tinha falsificado a Lista de Furnas. Tentaram inclusive cassar o seu mandato. O deputado petista foi absolvido pelo Ministério Publico Estadual de Minas Gerais que comprovou  a veracidade da lista.

    Também por denunciar Furnas e os tucanos o jornalista Marco Aurélio Carone e o controvertido lobista Nilton Monteiro amargaram cadeia.  O primeiro ficou preso quase dez meses e por pouco não morreu de ataque cardíaco. O segundo permaneceu dois anos em prisão preventiva sem nenhuma condenação.

    Por tudo isso, sem rodeios, o deputado Rogério Correia põe o dedo na ferida: “Aécio continuará impune, Janot?”

    Lista de Furnas: Laudo da PF autenticando o documento após sua apreensão by Conceição Lemes

     

    Lista de Furnas – Denúncia da procuradora Andrea Bayão, do MPF-RJ by Conceição Lemes

    Leia também:

    Ao livrar Aécio Neves de inquérito, Janot desconheceu denúncia de promotora sobre esquema de caixa 2 em Furnas

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-5.html

    1. PGRue não

      Com tudo que está acima provado, chegamos a conclusão de que o nobre PGR prevaricou.

      E se prevaricou, deveria ser destituído.

      No mínimo, ensacar sua viola e deixar o baile.

      Ou  vai negar através de seu porta Voz, o Bonner, que recebeu essa documentação.

      Que não esteve com os Senhores da foto aí acima.

      E então caro Janot, o que o Senhor tem a dizer ao Brasil???

  15. .

    Nassif, fala-se (Valor) que Dilma sequer foi citada, portanto nem mesmo poderia ter sido pedido o arquivamento por Janot.

    Sendo verdade, é mais uma prova que, desde o início, o nome dela é envolvido no escândalo de forma criminosa com o objetivo unicamente político de desgastar o governo e tumultuar a conjuntura. 

    Já com Aécio….

  16. Com a palavra o Procurador-Geral da República

     

    Na minha opinião, o Procurador-Geral da República deve esclarecimentos à sociedade, por não ter determinado a abertura de inquérito em face de Aécio Neves e sobre a abertura de inquérito policial federal para investigação do crime de violação de sigilo funcional, em prejuízo de investigação a cargo da União, que também é ilícito administrativo, sujeito a Procedimento Administrativo Disciplinar:

    Violação de sigilo funcional

            Art. 325 – Revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação:

            Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa, se o fato não constitui crime mais grave.

            § 1o Nas mesmas penas deste artigo incorre quem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            I – permite ou facilita, mediante atribuição, fornecimento e empréstimo de senha ou qualquer outra forma, o acesso de pessoas não autorizadas a sistemas de informações ou banco de dados da Administração Pública; (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            II – se utiliza, indevidamente, do acesso restrito. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            § 2o Se da ação ou omissão resulta dano à Administração Pública ou a outrem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    Violação de sigilo funcional

            Art. 325 – Revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação:

            Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa, se o fato não constitui crime mais grave.

            § 1o Nas mesmas penas deste artigo incorre quem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            I – permite ou facilita, mediante atribuição, fornecimento e empréstimo de senha ou qualquer outra forma, o acesso de pessoas não autorizadas a sistemas de informações ou banco de dados da Administração Pública; (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            II – se utiliza, indevidamente, do acesso restrito. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            § 2o Se da ação ou omissão resulta dano à Administração Pública ou a outrem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    Violação de sigilo funcional

            Art. 325 – Revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação:

            Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa, se o fato não constitui crime mais grave.

    (…)

           II – se utiliza, indevidamente, do acesso restrito. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            § 2o Se da ação ou omissão resulta dano à Administração Pública ou a outrem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

  17. Com a palavra o Procurador-Geral da República

     

    Na minha opinião, o Procurador-Geral da República deve esclarecimentos à sociedade, por não ter determinado a abertura de inquérito em face de Aécio Neves e sobre a abertura de inquérito policial federal para investigação do crime de violação de sigilo funcional, em prejuízo de investigação a cargo da União, que também é ilícito administrativo, sujeito a Procedimento Administrativo Disciplinar:

    Violação de sigilo funcional

            Art. 325 – Revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação:

            Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa, se o fato não constitui crime mais grave.

            § 1o Nas mesmas penas deste artigo incorre quem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            I – permite ou facilita, mediante atribuição, fornecimento e empréstimo de senha ou qualquer outra forma, o acesso de pessoas não autorizadas a sistemas de informações ou banco de dados da Administração Pública; (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            II – se utiliza, indevidamente, do acesso restrito. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            § 2o Se da ação ou omissão resulta dano à Administração Pública ou a outrem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    Violação de sigilo funcional

            Art. 325 – Revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação:

            Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa, se o fato não constitui crime mais grave.

            § 1o Nas mesmas penas deste artigo incorre quem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            I – permite ou facilita, mediante atribuição, fornecimento e empréstimo de senha ou qualquer outra forma, o acesso de pessoas não autorizadas a sistemas de informações ou banco de dados da Administração Pública; (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            II – se utiliza, indevidamente, do acesso restrito. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            § 2o Se da ação ou omissão resulta dano à Administração Pública ou a outrem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

    Violação de sigilo funcional

            Art. 325 – Revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação:

            Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa, se o fato não constitui crime mais grave.

    (…)

           II – se utiliza, indevidamente, do acesso restrito. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            § 2o Se da ação ou omissão resulta dano à Administração Pública ou a outrem: (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

            Pena – reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 9.983, de 2000)

  18. Só enfiaram a Dilma nessa

    Só enfiaram a Dilma nessa armação para justificar a saida do Aécio.

    Ou seja, livraram a cara da Presidenta e do candidato derrotado, como dizem

    Na boa, estou com uma tremenda bronca desse Janot.

    E ainda dizem que esse cara é alinhado com o PT.

    Dentro do MPF, ele é visto como um dos procuradores afinados com as ideias do PT.

  19. Justiça no Brasil morreu.

    Bem , este episódio de Janot livrando Aécio e de Moro não deixando vazer estas denuncias contra Aécio , jogam a justiça na lama definitivamente . A justiça brasileira caiu em completa desgraça . Qualquer coisa diferente disso é dissimulação.

  20. Operação Lava Jato e Operação Rodin – Nulidade?

    Peraí… Se o Youssef incriminou o Aécio, que é Senador da República, em 2014, o Juiz do Paraná deveria ter enviado todos os inquéritos e processos vinculados IMEDIATAMENTE para o Supremo Tribunal Federal. Sob pena de Nulidade. Vejam o que aconteceu na OPERAÇÃO RODIN. Tem algo errado aí. Como é que mais de 50 pessoas, na maioria parlamentares foi referida na Justiça Federal no Paraná e os processos não foram remetidos para o STF imediatamente??? O STF julgou cidadãos sem cargo público, como José Genoíno e José Dirceu, e a Justiça Federal de Primeira Instância teria atuado em processos envolvendo pessoas com cargos. Parece que está tudo fora de lugar, e a impressão que dá é que o processo na JF pode ser totalmente anulado, por incompetência do Juiz. Ou não? Ou estou entendendo tudo errado? Pesquisem o que aconteceu com a Operação Rodin.

  21. Como eu já acreditava, no
    Como eu já acreditava, no final das contas está operação “vaza a jato” não pegará nenhum político, a meta da mesma era apenas tentar reverter a eleição.

    No mais, e os delegados aecistas????

    Mesmo sabendo que Aécio era um dos principais nomes, fizeram aquele papelão nas redes sociais. Logo, concluo eu que a atuação deles era fruto de algo muito além preferência/simpatia partidária.

    1. Um escritor britânico disse

      Um escritor britânico disse uma vez, sobre os sacerdotes, que seus papéis seriam justificar o injustificável. Isso em um romance situado na Idade Média, período em que as palavras do padre eram quase lei. Hoje em dia, a alta burguesia manda, e é da natureza deles tentar justificar o injustificável para manter inalterados os seus privilégios. Os vermes sempre encontrarão um orifício no qual eles possam penetrar para contaminar tudo por dentro.

       

      Em outras palavras, os coxinhas estão mais focados no ódio ao PT, ao Lula e à Dilma do que em razões concretas para todo esse ódio. Se a Dilma fosse beatificada, eles ainda quereriam crucificá-la.

  22. Parabéns, esta é a narrativa

    Parabéns, esta é a narrativa dos fatos. Detalhe, quem dá sustentação política para a materialização destes fatos é a rede Globo com sua rede de afiliadas. Ela é a “força aérea”, nem sempre vai na frente, mas dá cobertura para as demais empresas de mídia agirem impunemente. 

    “Foram cometidos crimes à luz do dia, tendo como suspeitos um universo restrito e facilmente identificável: delegados, procuradores, juiz e advogado de Alberto Yousseff. Quem não cometeu crime, prevaricou: por não denunciar os autores. E a parceria foi com a revista que atuava em parceria com organizações criminosas e que ajudou a destruir a Satiagraha.

     Janot se comportava como se nada tivesse a ver com o episódio, como se os vazamentos não afetassem a imagem do MPF como um todo.”

  23. Não tem justificativa.

      Não tem desculpa. Como o procurador vai explicar isso? Vazaram só contra o PT, atacaram a Dilma e o Lula. Ele não fez nada. Isso não é problema de comunicação. O problema foi tentar influenciar uma população de um pais, com um jogo sujo. Com vazamentos ilegais. Agora, com o apoio da mídia querem que todos finjam que nada ocorreu! Só mesmo uma pessoa totalmente sem noção para acreditar nessa conversa mole. Até mesmo meus amigos de face (os golpistas sem noção) estão constrangidos com isso, percebe-se pelas postagens. E olha que esse pessoa não é muito de ler e usar os neurônios.

  24. Ignorância

    Janot não poderia abrir inquérito contra a presidente pois a Constituição não permite. A não ser que os crimes tivessem sido executados durante o seu mandato e tivessem relação com ele. Como o envolvimento mais direto da Dilma com a Petrobras se deu quando ela era ministra e conselheira, está fora da alçada do PGR.

    Antes de inventarem teorias conspiratórias, seria melhor conhecer a Constituição.

    1.   Você, grande conhecedor da

        Você, grande conhecedor da CF, atenha-se então ao teor do artigo para explicar aos beócios o porquê de não terem ocorrido vazamentos em se tratando de Aécio Neves nem recomendada a abertura de inquérito.

        Você é bom pra falsificar o assunto em pauta; seja também para comentar o que está sendo tratado.

  25. Depois da desmoralização……

    Depois da desmoralização, não adianta querer correr atrás. Livrar a cara de Aécio, só mostra até onde pode chegar a influência midiática sobre a “justiça” brasileira. Até onde pode chegar o medo de ser desmoralizado pela mídia.

    A verdade é que criminosos, utilizaram depoimentos que estavam sob responsabilidade do Juiz Moro, para tentar influenciar uma eleição presidencial. Criminosos conluiados com BANDIDOS da imprensa.

    E qual a providência que o Juiz Mouro ou a PRG tomaram? Pelo que se sabe até hoje, nenhuma! Ficou tudo por isso mesmo. 

    Agora, que todo Brasil sabe que o nome de Aécio, o catão da ética, havia sido citado, pelos criminosos na Vaza-Jato, o dr. Janot, publica essa nota distribuída na rede dos procuradores, querendo tirar o corpo fora de suas responsabilidades, e das providências que deveria, por obrigação funcional ter tomado, e não tomou. 

  26. Depois da desmoralização……

    Depois da desmoralização, não adianta querer correr atrás. Livrar a cara de Aécio, só mostra até onde pode chegar a influência midiática sobre a “justiça” brasileira. Até onde pode chegar o medo de ser desmoralizado pela mídia.

    A verdade é que criminosos, utilizaram depoimentos que estavam sob responsabilidade do Juiz Moro, para tentar influenciar uma eleição presidencial. Criminosos conluiados com BANDIDOS da imprensa.

    E qual a providência que o Juiz Mouro ou a PRG tomaram? Pelo que se sabe até hoje, nenhuma! Ficou tudo por isso mesmo. 

    Agora, que todo Brasil sabe que o nome de Aécio, o catão da ética, havia sido citado, pelos criminosos na Vaza-Jato, o dr. Janot, publica essa nota distribuída na rede dos procuradores, querendo tirar o corpo fora de suas responsabilidades, e das providências que deveria, por obrigação funcional ter tomado, e não tomou. 

  27. VAZAMENTOS NO BRASIL, É CANO

    VAZAMENTOS NO BRASIL, É CANO FURADO OU CONTRA PT, LULA e DILMA….. O RESTO VAI PRA #%#%%%#$$%¨¨%$$#$$$   COXINHAS SENDO ENGANDOS, PAREM DE VER NOVELAS !!!!!!

  28. Devagar com o andor, onde está o republicanismo do MP?

    Publicado em 05/03/2015

    Janot, cadê a investigação
    sobre o Caixa 2 em MG?

    Aécio seria o chefe da grossa operação, Dr Janot ?

     

    O Conversa Afiada reproduz post http://tijolaco.com.br/blog/?p=22206 do Fernando Brito, que aprofundou trabalho do Alisson, aqui no Conversa Afiada.

    Por falar nisso, é bom não esquecer dos processos judiciais que acompanham a edificante carreira do Machão do Leblão.

     

    DOCUMENTO REVELA QUE AÉCIO COORDENARIA FINANCIAMENTO ILEGAL DO PSDB EM 2012

    É estarrecedor o documento, reproduzido em reportagem de Alisson Matos, noConversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, onde são listadas doações irregulares –  caixa 2 – para a campanha de candidatos do PSDB e de seus aliados, em Minas e em outros estados, num esquema onde a coleta entre empresas e entidades e a destinação do dinheiro para as campanhas são reportadas diretamente a Aécio Neves.

    São listas e listas, em papel timbrado do Governo Mineiro e com a assinatura do Secretário de Governo, Danilo de Castro, com firma reconhecida em cartório, onde se arrolam cerca de R$ 166 milhões em doações de empreiteiras, bancos, empresas estatais mineiras, fornecedores do Governo do Estado e entidades que dependem de seus repasses, como hospitais, além de sindicatos e até o Conselho Regional de Medicina de Minas.

    Chequei algumas empresas – as públicas, sindicatos e associações, legalmente, não poderiam doar, claro – e elas não aparecem como doadoras nos registros do TSE.

    Os que teriam recebido o dinheiro ilegal também são dezenas, a grande maioria tucanos, mas também o ex-governador Eduardo Campos, de Pernambuco e seu candidato Geraldo Júlio, que disputava contra o PT a eleição de Prefeito do Recife.

    O documento foi recebido de fiscais mineiros pelo Procurador Federal Eleitoral de Minas Gerais, Eduardo Morato Fonseca, que o teria enviado às mãos do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que – no mínimo por uma questão de equidade  com as denúncias sobre a Petrobras –  tem o dever moral de confirmar (ou não, obvio) a sua existência.

    O documento é, verificada como parece estar sua autenticidade, a maior prova de caso de corrupção eleitoral já surgida na história brasileira, tanto pelo valor quanto pela extensão da rede de doadores e beneficiários de dinheiro ilegal.

    Veja o post do Conversa Afiada e a reprodução dos documentos.

     

    FOI ASSIM QUE AÉCIO LEVANTOU R$ 166 MILHÕES PARA 2012-2014?

    Alisson Matos e Paulo Henrique Amorim

    O Procurador Federal de Minas Gerais, Eduardo Morato Fonseca, recebeu do Sindicato dos Auditores Fiscais de Minas Gerais (SINDIFISCO-MG), um documento que mostra uma lista de políticos, partidos e empresas numa operação para, supostamente,  financiar as campanhas eleitorais de 2012 para prefeitos e vereadores.

    O Conversa Afiada tem a informação de que o promotor Morato Fonseca encaminhou a documentação à Procuradoria Geral da República, já que entre os suspeitos estão políticos com direito a foro privilegiado.

    No documento, onde se lê “consórcio” é possível entender que dele façam parte operações à margem da legislação eleitoral.

    O arquivo teria sido enviado ao candidato a Presidente Aécio Neves (PSDB), em 4 de setembro de 2012, por Danilo de Castro, à época Secretário de Estado de Governo de Minas e possível operador do esquema. Nessas eleições, Castro coordenou a campanha de Pimenta da Veiga (PSDB) ao Governo de Minas.

    A movimentação financeira teria beneficiado partidos e políticos – principalmente prefeitos e vereadores – nas eleições de 2012. Entre eles, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que faleceu este ano em acidente de avião. Teriam sido destinados R$ 2 milhões e 500 mil a Campos, conforme teria determinado Aécio Neves, como mostra o documento, o que mostra uma suposta ligação entre ambos há, pelos menos, dois anos.

    Ao todo, 19 siglas teriam o caixa abastecido com o esquema, como PSDB, PSB, DEM, PPS, PSD, PV, PP, PRB. Entre os políticos citados, estão José Serra (PSDB), então candidato a prefeito em São Paulo, que teria recebido R$ 3 milhões e 600 mil, o prefeito de Belo Horizonte (MG), Marcio Lacerda (PSB), R$ 7 milhões, Arthur Virgilio (PSDB), prefeito de Manaus (AM), R$ 600 mil, Geraldo Julio (PSB), prefeito de Recife (PE) R$ 550 mil e o senador José Agripino Maia (DEM), R$ 2 milhões e 300 mil “por intermédio” do deputado Gustavo Correia (DEM-MG), de acordo com o documento.

    Os recursos podem ter saído de mais de 150 empresas dos mais diversos setores, como alimentação, construção civil, bancos, associações e sindicatos. Algumas foram citadas recentemente pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em seu depoimento à Justiça Federal: Andrade Gutierrez, OAS, Queiroz Galvão e Camargo Correa.

    Chamam a atenção supostas doações de grupos como Conselho Federal de Medicina, que se envolveu na polêmica do programa Mais Médicos, que teria cedido R$ 40 mil, Federação Mineira dos Hospitais R$ 45 mil, Federação das Santas Casas de MG com R$ 100 mil, Associação Espírita o Consolador com R$ 160 mil, Associação dos cuidadores de idosos de MG, com R$ 200 mil, UGT (União Geral dos Trabalhadores) R$ 50 mil e Sindicato dos ferroviários R$ 55 mil. Além de bancos como o BMG, BGT Pactual, Santander, Itaú e Mercantil do Brasil.

    Outras que aparecem são empresas ligadas a governos, como a CEMIG, companhia de energia de Minas, que teria doado R$ 6 milhões, a CODEMIG (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais) R$ 3 milhões e a Fundep (Fundação de desenvolvimento da Pesquisa) instituição que realiza a gestão de projetos de ensino, pesquisa e extensão da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

    Alguns dos doadores já são denunciados por participar de esquemas polêmicos. Um deles é o dono da Stillus Alimentação Ldta, Alvimar Perrela, ex-presidente do Cruzeiro e irmão do deputado Zezé Perrela. Segundo matéria de O Globo, “ele é acusado de liderar um esquema de fraudes que o fez vencedor em 32 licitações com o governo de Minas para o fornecimento de quentinhas para presídios do estado. No período de janeiro de 2009 a agosto de 2011, o grupo de empresas ligadas a Stillus Alimentação recebeu cerca R$ 80 milhões em contratos firmados com a Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas”.

    Construtora Cowan, uma das responsáveis pela construção do viaduto que caiu em Belo Horizonte, de acordo com os documentos, teria cedido ao esquema R$ 650 mil.

    Consta ainda a quantia de R$ 36 milhões e 800 mil que teria vindo de “outras fontes”, não esclarecidas.

    O dinheiro arrecado teria irrigado, principalmente, as campanhas de PSDB, DEM e PSB.

     

     

     

     

     

    Leia também:

     

    O QUE JANOT OMITIU PARA SALVAR AÉCIO

     

    DR JANOT, QUE FEIO !​ ATÉ O ESTADÃO PEGOU O AÉCIO !

     

    COMPARTILHE

  29. Procurando Janot

    Publicado em 05/03/2015

    Dr Janot, que feio !​ 
    Até o Estadão pegou o Aécio !

    O detrito sólido de maré baixa vai dedicar capa a essa denúncia ?

     IMPRIMIR

     

     

    Sugestão de amigo navegante que lê o Estadão – ninguém é perfeito !

    Em delação premiada à qual o Estado de S. Paulo teve acesso, o delator Roberto Yousseff afirmou que Aécio Neves teria recebido dinheiro fruto de propina de Furnas, estatal do setor elétrico, por meio “de sua irmã”, sem citar nomes ou detalhes. Aécio tem duas irmãs, Angela e Andrea – a última trabalhou no governo mineiro e na campanha eleitoral de 2014.

    O termo de colaboração número 20, que registra confissão do doleiro feita no fim do ano passado, tem como “tema principal: Furnas e o recebimento de propina pelo Partido Progressista e pelo PSDB”. Além de Aécio, são citados o ex-deputado do PP José Janene, morto em 2009, e um executivo da empresa Bauruense.

    O pedido de arquivamento é um dos sete feitos na terça-feira pelo procurador-geral. No mesmo dia, Janot solicitou ao Supremo autorização para investigar 54 pessoas em 28 inquéritos. Os pedidos estão sob relatoria do ministro Teori Zavascki.

    Youssef relatou aos investigadores que recolheu dinheiro de propina na Bauruense, prestadora de serviços para Furnas, cerca de dez vezes. Em uma delas, foi informado que o repasse não seria feito integralmente – faltariam R$ 4 milhões porque “alguém do PSDB” havia coletado essa quantia antes.

    Indagado pelos procuradores, Youssef declarou não ter informação de quem havia retirado parte da comissão, mas afirmou “ter conhecimento” de que o então deputado federal Aécio Neves teria influência sobre a diretoria de Furnas e que o mineiro estaria recebendo o recurso “através de sua irmã”, segundo o texto literal da delação. O delator disse “não saber como teria sido implementado o ‘comissionamento’ de Aécio Neves”.

    Na delação, o doleiro descreve que “de 1994 a 2001 o PSDB era responsável pela diretoria de Furnas”. Youssef declarou que recebia o dinheiro destinado a Janene em Bauru (SP) e na capital paulista e o enviava a Londrina (PR) ou Brasília. No depoimento, ele afirmou que os diretores da Bauruense poderiam fornecer mais informações sobre Furnas e que a empresa já responde a inquérito no STF.

     

    Navalha

    Por que a Renata Lo Prete, hoje na GloboNews, que deu o chamado “furo” da entrevista do Bob Jefferson à Fel-lha (ver no ABC do C Af) para incriminar o Dirceu e dar a partida ao mensalão (o do PT, porque o outro sumiu como tucano some com o Janot), por que a Lo Prete não entrevista o Bob Jefferson e pergunta a ele como funcionava a Lista de Furnas ?

    Bob Jefferson, um herói da Fel-lha, sabe tudo da lista, Lo Prete …

    Seria um furaço !

    O Gilberto Freire com “i” (também no ABC do C Af) ia te dar um aumento.

     

    Em tempo: comentário do amigo navegante Odarp Notielc:

    Até meados dos anos 60, não era assim. Conheci de perto o que era ser juiz, quando no balcão da padaria de meu pai, por volta dos anos 60, eu tinha 16 anos e, questionei um juiz de direito, sobre o comportamento de um vizinho. Ao que ele me respondeu:

    “Menino, aqui agora sou apenas um cliente da padaria. Faça seu questionamento por escrito e leve-o ao fórum que poderei lhe responder”. 

    Moral da história, coisas de justiça se tratam no fórum, não nas rodas sociais, nas TVs, pelos corredores do fórum, nas festas de aniversário, casamentos etc. E naquela época a televisão ainda não era o PIG, era apenas um veículo de informação e diversão. Hoje, não: é ferramenta de golpe e o judiciário é cooptado nas entrevistas, rodas sociais etc.

     

  30. JUSTIÇA?????

    O  judiciário sempre foi o poder que sustenta os privilegiados quando a política tenta equilibrar a balança pendendo para os menos favorecidos.

    A política é o poder que emana do povo e o judiciário é o poder que emana das elites para defender seus privilégios,

     caso a política não atenda suas demandas e faça a balança pender para o seu lado.

  31. Agora é tarde

    O estrago esperado já foi feito, como já disse um comentarista hoje a tarde: toda essa ansiedade pela tal lista serviu para:

    1)     Criminalizar mais ainda o PT;

    2)     Por na testa de Aécio Neves o nome de santo, de Homem Bom incorruptível;

    3)     Cristalizar numa parcela da população a idéia de que Dilma Roussef continua sendo a “ladra dos anos 60”;

    4)     Dar mais alimentos pra turba que deseja a todo custo apear Dilma do Planalto.

     

    Estratégia de comunicação?

    Não precisa, ele já tem um porta voz e tanto: William Bonner.

  32. É tudo tão previsível …

    Mas masmo assim deve ser denunciado. Onde tem tucano gordo e graudo, as instituições funcionam com o devido zelo e cautela. Sem “vazamentos” e com presunção de inocência. Onde tem petista, é linchamento  sarjeta da midia terrorista. Até quando as coisas serão assim? Até quando as instituições atuarão conforme  interesses obscuros e antidemcráticos? Até quando meu deuse?  

  33. Isso tudo mostra que, no

    Isso tudo mostra que, no geral, o André Araújo, comentarista deste blog tem razão no cerne de seus comentários.

    No mínimo, é muito poder conferido a uma só pessoa, no caso o PGR.

    Ora, o direito é uma ciencia bastante subjetiva tanto em teoria quanto na prática, como que pode uma só pessoa ficar com essas decisões tão importantes para o destino do País ?

    Imaginem se ele resolve indiciar a Dilma ? No outro dia abririam-se pedidos de impeachmant contra ela.

    E se ele resolve indiciar o Aécio ? A carreira dele estaria acabada.

    Ele, no mínimo, está com o poder de mexer gravemente nas duas casas do congresso, pode derrubar dois presidentes.

    Segundo o 247 o que existe no processo contra o Cunha e o Anastasia seriam semelhantes, no entento, ele pede abertura de inquérito contra um e deixa o outro de fora. Qual o motivo ? Fica totalmente subjetivo.

    Nâo sei o que precisa ser feito, mas que uma pessoa, um burocrata não pode ter tanto poder assim, é certeza que não pode.

    1. O X da questão é que continua

      O X da questão é que continua ativa a figura do procurador engavetador: engaveta-se quando se trata do PSDB e escancara-se quanto aos demais políticos. Item STF.

  34. Foi dada a partida para o Mentirão 2.0

    Os vazamentos eleitoreiros já fazem parte do passado.  O que importa hoje é que o golpe de misericórdia contra o maior partido trabalhista da história deste país foi iniciado a partir da iniciativa do Procurador Geral da República.  Esta é a realidade nua e crua.

    A plutocracia nacional impõe a sua hegemonia total e reduz o Partido dos Trabalhadores a um grupo marginal e impotente, tão impotente quanto uma presidente isolada e emparedada em seu palácio, à espera do xeque mate.

    Ao PT, como de resto a toda a classe trabalhadora, só resta gritar nas ruas, como no pós-morte de Vargas.  O controle do país retorna às mãos das mesmas oligarquias que sempre nos governaram e nos fizeram escravos mansos e cordatos.

    Assim caminha a vida de gado na matrix da Rede Goebbels.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador